História Saint Seiya - Lost Canvas - Apocalipse - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Asmita de Virgem, Atena (Sasha), Hades, Hakurei de Altar, Pandora, Sage de Câncer, Serafina, Tenma de Pégaso
Tags Anjos, Atena, Demonios, Gabriel, Pandora, Partita, Tenma, Yohma
Visualizações 52
Palavras 2.260
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Saint Seiya não me pertence. Desculpem os erros de português. Espero que aproveitem XD.

Capítulo 14 - Capítulo 14


Capítulo 14

Templo de Mikael - Sétimo Céu

No salão principal do templo, Pandora estava conversando com Mikael. Eles estavam há algum tempo falando sobre ela reencarnar como um Anjo. O Arcanjo estava explicando o processo que era pouco utilizado, mas a pessoa teria que desejar ser reencarnada como um Anjo. Mas havia outro motivo dele oferecer a possibilidade reencarnação para a mulher na sua frente. Ele sabia de um segredo importante envolvendo-a e estava na hora de revelar a verdade.

Pandora: Tenma, o que está acontecendo? - Indagou notando a mudança na expressão do Arcanjo. Ela estava ouvindo maravilhada a oferta dele de ser reencarnada, mas de repente ele muda a expressão drasticamente. Tenma: Pandora, eu preciso revelar-lhe algo muito importante - Respondeu fechando e abrindo os olhos - Eu lhe disse que a sua via sacra estava terminada e não menti para você, mas… - Completou sussurrando o final no ouvido da mulher, que arregalou os olhos levemente.

Pandora: Não pode ser… - Sussurrou quase inaudível. Ela não esperava uma revelação tão impactante, quanto o que ela acabara de ouvir do General dos Céus.

Tenma: Eu não quero esconder-lhe nada, Pandora - Falou com pesar na voz, abraçando-a carinhosamente.

Pandora: Tenma… - Sussurrou aproveitando o abraço e ao mesmo tempo com a mente a mil.

Tenma: Pandora… - Sussurrou manifestando as suas asas douradas, que envolveram os dois. O silêncio reinou entre os dois por alguns instantes, até que ele segurou o rosto dela entre as suas mãos.

Pandora: Eu aceito a sua oferta, Tenma, eu quero ser reencarnada como um Anjo - Falou olhando-o nos olhos carinhosamente. Ela não iria desperdiçar essa oportunidade e o que ele tinha acabado de revelar, não mudaria os seus planos ou os seus sentimentos pelo Arcanjo.

Tenma: Então, vamos falar com Metatron e o conselho dos Serafins - Falou sorrindo levemente. - 'Você será a chave para o Apocalipse, Pandora’ - Completou em pensamento, teleportando-os do salão do templo.

Castelo de Lúcifer - Inferno

O imperador do inferno estava andando pelo corredores do seu castelo. Ele tinha uma expressão ilegível, mas internamente algo incomodava-o.

Lúcifer: ‘O que está acontecendo nos Céus?’ - Indagou-se mentalmente. Ele sentiu novamente perturbações nos poderes daquele que é o seu Pai e isso não era algo comum. O imperador do inferno precisava descobrir o que estava acontecendo com Deus e retorno de Mikael estava de algum modo relacionado. Os seus planos poderiam ser perfeitos para o Apocalipse e Yohma ainda estava executando um estratagema na terra. Mas não podia haver possibilidades para falha nos seus planos, ou seja ele precisava encontrar o General dos Céus e descobrir o que tinha mudado em Mikael.

Mas a barreira criada seria um empecilho para encontrar o seu irmão, por isso ele estava prestes a encontrá-lo no Mundo Astral.

Casa de Câncer - Santuário

Na quarta casa zodiacal, o cavaleiro de Câncer estava com uma visita inesperada.

Manigold: O que você está fazendo aqui, Rafael? - Indagou encarando o Arcanjo do Raio Verde, que observa-o atentamente.

Rafael: Você sabe porque eu estou aqui, Manigold - Respondeu com os olhos brilhando intensamente.

Manigold: Gabriel… - Sussurrou resmungando algumas coisas indescritíveis.

Rafael: Sim, ele contou-me sobre você e sua capacidade de ver as reais formas do Anjos - Falou sorrindo levemente. O Arcanjo surpreendeu-se quando Gabriel revelou a habilidade do cavaleiro de Câncer, mas isso significava que ele necessitava dar-lhe a devida atenção.

Manigold: Hum… O que você quer conversar exatamente? - Perguntou encostando-se numa pilastra do templo.

Rafael: Você deve saber que não é comum isso acontecer, Manigold -  Falou com os olhos brilhando intensamente - Por isso que você receberá um treinamento diferenciado - Completou passos sendo ouvidos na quarta casa zodiacal.

Manigold: Hum... Quem é ela? - Indagou olhando para uma belíssima mulher vindo na direção dos dois.

Rafael: Jeanne d'Arc… - Respondeu olhando para a mulher por volta dos vinte e cinco anos bastante alta, pele clara, cabelos ruivos longos e olhos castanhos, trajando uma armadura branca com acentos vermelhos e que consiste em um peitoral assimétrico, luvas, uma saia e botas - Ela também possui a mesma habilidade e vai ajudá-lo especialmente - Completou a mulher curvando-se levemente para ele.

Manigold: Jeanne d'Arc… - Sussurrou relembrando da história que envolvia essa  mulher - Você é a própria, Jeanne d'Arc? - Indagou olhando para a loira, que assentiu levemente.

Jeanne: Sim, Manigold de Câncer… - Respondeu observando atentamente o cavaleiro de ouro.

Manigold: Você não é mais humana… - Falou observando a real forma da mulher, mas havia algo diferente nela e isso estava intrigando-o.

Jeanne: Sim e não, Manigold… - Falou enigmaticamente. - 'Ele tem uma ótima percepção’ - Completou em pensamento, estendendo a mão direita para cumprimentá-lo.  

Manigold: Jeanne d'Arc… - Sussurrou cumprimentando-a, mantendo o olhar fixo na ruiva. Ele sentia algo estranho observando-a e pelo visto ela também estava sentindo, gerando um clima entre ambos.

Rafael: Eu acho que vocês vão se dar muito bem, Manigold e Jeanne - Falou chamando a atenção dos dois. - 'Melhor do que eu esperava’ - Completou em pensamento, despedindo-se dos dois e teleportando-se da quarta casa zodiacal.

Manigold: Er… Quando nós começamos o treinamento? - Perguntou desfazendo o aperto de mão.  

Jeanne: Agora, Manigold… - Respondeu manifestando a sua cosmo-energia intensamente e materializando uma espada na sua mão direita.

Manigold: Então, vamos, Jeanne… - Falou também manifestando a sua cosmo-energia.

Jeanne: Eu quero conhecer o seu potencial máximo, Manigold - Pronunciou com os olhos brilhando intensamente.

Manigold: Com prazer, Bella Ragazza… - Sussurrou sorrindo levemente - Mas não vamos lutar aqui! SEKISHIKI MEIKAI HA (ONDAS DO INFERNO) - Completou concentrando cosmo-energia no seu dedo indicador direito e disparando uma aura branca, que envolve-os totalmente e enviando seu corpos e almas para a Colina do Yomotsu Hirasaka.

Casa de Sagitário - Santuário

Na frente da nona casa zodiacal, Sísifo e Regulus estavam observando uma pessoa, que não esperavam reencontrar.

Regulus: Pai… - Sussurrou observando o homem na sua frente, o ex-cavaleiro de Leão Ilías, um homem por volta dos vinte e cinco anos, pele clara bronzeada, cabelos loiros e olhos azuis, trajando uma armadura semelhante a armadura de ouro de Leão.

Sísifo: Irmão, não pode ser… - Sussurrou observando o seu irmão mais velho, que tinha morto há dez anos.

Ilías: Eu não esperava reencontrá-los, mas uma nova chance foi me concedida - Falou olhando para os Céus.

Regulus: Papai… - Falou deixando as lágrimas rolando pelo seu rosto e correu para abraçar o seu pai.

Ilías: Regulus… - Pronunciou sendo abraçado pelo filho - Você cresceu, meu filho - Completou respondendo o gesto. Ele estava contente em rever o filho e o irmão, mesmo que fosse em uma condição dessas,com o Apocalipse aproximando-se.

Sísifo: Ilías… - Falou tocando o ombro do irmão, também abraçando-o.

Ilías: Sísifo… Regulus… - Sussurrou manifestando a sua cosmo-energia, assim como dois cavaleiros de ouro. Após alguns instantes o cosmo deles começou a ressoar incrivelmente pelas doze casas, chamando a atenção de todos no santuário.

Templo de Atena - Santuário

A deusa estava distraída olhando o pingente do seu amado. Ela estava pensando em outras possibilidades de usar a ligação dele com a aura do Arcanjo Mikael, quando sentiu a cosmo-energia vinda da casa de Sagitário.

Sasha: ‘O que é essa cosmo-energia?’ - Indagou-se mentalmente, mas logo notou a presença de outra pessoa no recinto.

Rafael: É somente um reencontro familiar… - Falou o recém-chegado.

Sasha: Rafael… - Falou encarando o Arcanjo - Eles não manteriam as suas identidades ocultas? - Questionou com os olhos brilhando intensamente.  

Rafael: Sim, mas resolvi fazer algumas mudanças - Respondeu aproximando-se da deusa da sabedoria.

Sasha: Por causa de Yohma de Mefistófeles? - Indagou com preocupação na voz.

Rafael: Correto, ele está planejando alguma coisa e preciso descobrir o mais rápido possível - Revelou fechando e abrindo os olhos. Ele não tinha achado a localização do irmão de Chronos e isso estava preocupando-o internamente.

Sasha: Ele pode ser um problema sério… - Pronunciou seriamente. Ela estava refletindo que o deus do tempo, provavelmente está com alguma missão de vital importância e eles precisam descobrir rapidamente.

Rafael: Sim, por isso preciso discutir algumas ações com você, Atena, que lhe envolvem diretamente - Pronunciou com os olhos brilhando intensamente. Ele tinha formulado algumas opções com os outros Arcanjos, mas todas tinham relação com Atena, ou melhor, ela era a única capaz de libertar alguns artefatos selados por Mikael na terra.

Sasha: Rafael… - Falou percebendo um brilho diferente no olhar do Arcanjo.

Rafael: Mas nós precisamos conversar em outro local… - Pronunciou manifestando a sua aura, estendendo a mão direita para a deusa da guerra.

Sasha: Hum… Está bem - Falou assentindo positivo. Aten segurou a mão do Arcanjo, que sorriu levemente e depois teleportou-os do Santuário.

Casa de Escorpião - Santuário

O guardião da oitava casa estava levantando-se com dificuldade, quase inconsciente. Ele tinha quatorze furos quase imperceptíveis na sua armadura de ouro e na sua frente estava um homem por volta dos vinte anos, pele clara bronzeada, cabelos escuros e olhos carmesim, trajando uma armadura semelhante a armadura de ouro de Escorpião. Ele era um ex-cavaleiro de Escorpião e agora servia aos exércitos dos Céus. Enquanto Kardia estava recebendo os seus ataques, o antigo cavaleiro de ouro falava um pouco sobre ele e a sua identidade.  Kardia: Zaphiri… - Falou com dificuldade, conseguindo ficar em pé - Ainda falta uma agulha escarlate, não é? - Indagou sorrindo levemente. Após alguns golpes, ele notou o real objetivo do oponente, ou melhor, fazia somente alguns minutos. Infelizmente ele não era muito perceptível para algumas coisas, não notando que a cada golpe, uma energia diferente estava circulando no ponto vital que foi atingido pelo ataque.

Zaphiri: Nada mal… - Sussurrou encarando o grego - Mas terá que sobreviver ao golpe mortal do Escorpião! SCARLET NEEDLE ANTARES (AGULHA ESCARLATE DE ANTARES) - A constelação de escorpião apareceu atrás dele e o seu dedo indicador estava brilhando intensamente com uma cosmo-energia vermelha.

Kardia: Atena-Sama… - Sussurrou antes de ser atingido pelo golpe do oponente, cambaleando para trás levemente.

Zaphiri: Parabéns, Kardia… - Falou segurando o corpo do cavaleiro, que ficou inconsciente nos seus braços. Ele tinha dois objetivos nesses ataques contra o cavaleiro, que era testá-lo e curá-lo de sua doença. Os cavaleiros possuem seus pontos vitais de acordo com as estrelas de suas constelações e o golpe dos cavaleiros escorpião acertam os pontos vitais de acordo com as estrelas da constelação do oitavo signo do zodíaco. E o último golpe é no coração, onde Kardia possuía uma doença incurável. Zaphiri percebeu o estado de Kardia no Coliseu e decidiu intervir diretamente. Ele possuía poderes de cura, concedidos pelos Anjos. Não era na mesma intensidade que os servos dos Céus podiam curar, mas ele tinha o poder necessário para ajudar o cavaleiro de Escorpião. Ele poderia ter pedido para Rafael ajudá-lo, mas era a chance perfeita para testar o guardião da oitava casa zodiacal.

Coliseu - Santuário

No centro do Coliseu, El Cid estava encarando seriamente o cavaleiro templário Dante, que estava com a sua espada levemente fora da bainha. Enquanto uma pequena platéia estava observando-os atentamente.

El Cid: Eu quero que libere todo o seu poder, Dante - Falou o seu braço direito brilhando intensamente e a imagem de uma espada surgindo atrás dele. Ele tinha chamado o cavaleiro templário para um treino no Coliseu, porque a sua curiosidade sobre as habilidades dos templários, não saía dos seus pensamentos.

Dante: Excalibur… - Sussurrou observando a imagem da espada sagrada - Está bem, El Cid de Capricórnio! Eu vou lhe mostrar o poder máximo dos cavaleiros templários! - Exclamou desembainhando a espada totalmente.

El Cid: Essa sensação… - Falou manifestando a sua cosmo-energia intensamente.

Dante: GLADIUM SACRO ACTIVATION (ATIVAÇÃO DA ESPADA SAGRADA) - Brandou criando uma enorme pilar de luz branca, que envolve-o totalmente.

El Cid: Ele possui um poder incrível… - Pronunciou sorrindo levemente, enquanto observava o oponente trajando a sua armadura.

Dante: 'Ele não será um adversário comum’ - Pensou observando o guardião da décima casa zodiacal. Enquanto isso, os dados cavaleiros templários estava na plateia, observando com interesse o portador da Excalibur.

El Cid: Dante! Sinta o poder da lâmina sagrada! EXCALIBUR - Falou lançando um ataque lateral contra o oponente.

Dante: 'Marco Antônio, eu vou lutar com os meus poderes totais! Ele merece esse privilégio’ - Falou telepaticamente para o Grão-Mestre dos Templários, que sorriu levemente na plateia.

Marco Antônio: 'Hum… Está bem, Dante. Afinal, ele é um espadachim, assim como nós e o usuário da Excalibur’ - Respondeu telepaticamente, observando o poder da lâmina sagrada, Excalibur.

Dante: Vamos ver qual lâmina é a mais forte! - Exclamou com o braço direito brilhando intensamente -  GLACIAL SWORD (ESPADA GLACIAL) - Completou lançando um golpe lateral na cor branca, na forma de uma lâmina congelante. Os dois golpes chocaram-se incrivelmente para o deleite dos espectadores. Mas o golpe do templário subjugou a lâmina do cavaleiro de ouro.

El Cid: Incrível… - Falou sorrindo levemente, levantando o braço direito para o alto - Mas nada será capaz de deter o fio da minha espada! EXCALIBUR - Completou lançando vários golpes na velocidade da luz. Ele estava desejando a lâmina perfeita há muitos anos e esse combate tinha essa única finalidade, porque ele estava observando o fio da lâmina do oponente.

Dante: Nada mal… - Sussurrou observando o poder do adversário. - 'Vamos ver o quanto o fio da sua lâmina sagrada pode evoluir, El Cid’ - Completou em pensamento.

Continua >


Notas Finais


Espero que tenham aproveitado o desenrolar do capítulo, abrangendo várias frentes e alguns segredos envolvendo a trama XD. A identidade de três dos cinco encapuzados que vieram com os outros três Arcanjos sendo reveladas. Mas quem será que estava com o Sage e quem será o quinto? Vamos que vamos nessa história XD.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...