História Saint Seiya AF: Supreme Warfare, Gods on Battlefield - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Apolo, Hyoga de Cisne, Ikki de Fênix, Personagens Originais, Saori Kido (Athena), Seiya de Pégaso, Shiryu de Dragão (Shiryu de Libra), Shun de Andrômeda
Tags Apocalipse, Apolo, Ares, Atena, Athena, Cavaleiros, Guerra, Hyoga, Ikki, Saint, Saori, Seiya, Shun, Shyriu, Zeus, Zodíaco
Exibições 7
Palavras 1.659
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Lembrando que postarei capítulos novos aos Domingos, espero que gostem do capítulo de hoje. Qualquer duvida só comentar.

Capítulo 2 - Prólogo Parte 2: Agua azul! Shun deixa de Existir!


Fanfic / Fanfiction Saint Seiya AF: Supreme Warfare, Gods on Battlefield - Capítulo 2 - Prólogo Parte 2: Agua azul! Shun deixa de Existir!

Prólogo

Parte 2: Agua azul! Shun deixa de Existir!

O novo Deus do Submundo!

 

Após o clarão no quarto de Seiya, Shun perde a consciência e não se lembra de nada após aquilo até o ponto em que recobra a mesma deitado em um chão de pedra, com apenas os céus acima dele e colunas de pedras como a da antiga Grécia ao redor, era como se aquilo fosse uma montanha e ele estava no topo, o cavaleiro de Andrômeda se levanta e observa mais claramente o lugar e nota que parece estar em uma espécie de bandeja, colocada acima de tudo, pois ao ver as beiras conseguia ver partes das nuvens.

Alguns momentos se passaram com Shun observando o local, o cavaleiro havia notado que bem no centro havia uma espécie de fonte da qual brotava uma água azulada com um tom escuro, antes que ele se aproximasse da mesma, saí de trás dela um jovem, semelhante a hades, porém este tinha cabelos loiros e vestia uma armadura que era branca e dourada e possuía um poder Descomunal que podia ser sentido de longe, mas era um poder que Shun havia sentido antes, aquele era Zeus.

- Jovem cavaleiro de Athena, não tema, sua escolha impediu que minha filha fosse condenada ao calvário de Deusa dos mortos. – dizia Zeus se aproximando de Shun com passos suaves que nem se quer causariam qualquer ruído se não fosse pela armadura do mesmo. Quando chegou ao lado do Cavaleiro de Andrômeda colocou uma mão sobre seu ombro e continuou. – Seja bem vindo ao Monte Olimpo, conhecido pelos humanos como a morada dos Deuses.

Shun se assustou quando Zeus colocou a mão sobre seus ombros, mas a eloquência e calma do mesmo logo acalmou também o cavaleiro, que escutava cada palavra calmamente, até que lhe surgiu uma duvida, se ali era a morada dos Deuses, por qual motivo só estavam os dois ali? Ele pensou em perguntar, mas Zeus logo continuou sem dar espaço para que o fizesse.

- Aqui Cavaleiro é o local onde todos os Deuses recebem a imortalidade e também seu poder divino. – Zeus então notou que Shun parecia questionar algo em sua consciência. – Tem algo que gostaria de saber rapaz?

Shun ficou impressionado, o Líder de Todos os Deuses era bem perspicaz, o cavaleiro então respirou fundo e fez sua pergunta:

- Se aqui é a morada dos deuses, onde estão os outros?!

- Como eu disse, aqui é conhecido por vocês humanos como a morada dos Deuses, – respondeu ele dando uma leve risada no começo. - ... mas a verdade é que aqui está mais para um local cerimonial, já que a maioria dos Deuses tem sua própria morada e alguns decidem por reencarnar na terra de tempos em tempos, você por exemplo, terá como sua morada o Tártaro e os Campos elísios, Eu moro sobre as nuvens, Apollo mora junto ao sol e assim por diante.

Zeus termina de explicar enquanto caminha com Shun em direção a fonte, o cavaleiro escutava atentamente a explicação dele e notava que era para isso que ele estava ali, para uma cerimonia que o tornaria um Deus.

-Então eu vim aqui apenas para ser transformado no Deus do Submundo? – perguntava Shun com um certo receio.

-Sim! – respondeu Zeus com firmeza e começou a explicar como aquilo iria funcionar, assim que chegaram ao lado da fonte.- Você vai tomar da água desta fonte, ela contem o sangue de Crônos, o senhor dos Titãs e meu pai, se a sua teoria de que também foi amaldiçoado por Hades, sendo seu receptáculo  estiver certa, se beber desta água terá vida e terna e desencadeará a abertura de uma porta que te levará ao nono sentido, Ômega.

-E se minha teoria estiver errada?! – pergunta Shun intrigado, além de se tornar imortal receberia um novo poder? O nonô sentido? Será esse o motivo do poder divino que sente de Zeus?

- Se sua teoria estiver errada, o sangue de Crônos atacará e consumirá seu corpo e ira te desfazer até que não sobre nada além da água que bebeu espalhada pelo chão e por isso deve ter plena certeza de que é isso que quer fazer. –Disse Zeus em um tom já mais sério para que o garoto estivesse bem avisado do perigo que correria se sua Teoria estivesse errada.

Shun ficou pasmo com a informação a qual acabou de receber, se estivesse errado ele seria desfeito e se tornaria absolutamente nada e Zeus teria de ir atrás de Seiya do mesmo jeito, tornando assim sua morte em vão, o cavaleiro então respirou fundo, deu um longo suspiro e disse:

-Então meu destino está nas mãos desta água, ela irá decidir se receberei a imortalidade, ou uma morte em vão, eu aceito, irei tomar a água da fonte.

Zeus então sorriu e se aproximou da fonte, tirando de dentro dela uma taça transbordando da água sagrada ele então entregou a mesma ao cavaleiro de Andrômeda, que a tomou em suas mãos e a virou bebendo todo o seu conteúdo de uma só vez, assim que bebeu Shun não sentiu nada a principio, mas com o passar do tempo ele se sentiu tonto e caiu ao chão perdendo a consciência mais uma vez. Alguns momentos depois ele acorda puxando ar fortemente como se estivesse voltando de um afogamento, então ele vê algo surgir em sua turva visão, era Zeus.

- Parabéns rapaz, sua teoria estava certa, agora é o mais novo Deus dos Mortos, e como tal deverá ser renomeado, que nome deseja ter como um novo Deus. – Dizia o líder do Olimpo com entusiasmo.

Shun ainda estava recobrando a plenitude de cada um de seus sentidos enquanto Zeus falava, mas pode escutar bem cada palavra do mesmo e então se pôs a pensar: “um novo nome? Não tenho nenhum em mente, gostaria de manter o meu” e pensou  por mais de cinco minutos até que se decidiu.

- Eu gostaria de manter o nome Shun. – disse com toda a Certeza que alguém poderia ter.

- Infelizmente isso não será possível – Disse Zeus com um tom surpreso, devido a imponência com que Shun lhe havia respondido. – Shun era seu nome humano, você não é mais humano então deve ter um novo nome e creio que já sei como nomeá-lo.

Shun se sentiu triste, não poderia manter o nome, mas jurou a si mesmo que não o esqueceria e não esqueceria seus amigos aqueles a quem estava ligado, não só pelo nome, mas também pelo seu antigo titulo de cavaleiro de Atena.

Já recuperado Shun se levanta e se vira para Zeus, demonstrando estar pronto para ser nomeado o novo Deus dos mortos, o Líder do Olimpo fez então um movimento com a mão e não se passou mais do que dois segundos e estava ali frente a ele a armadura de Hades, a qual Zeus pegou nas mãos  e estendeu entregando a Shun e dizendo:

- Eu o declaro como o novo Deus dos Mortos e seu nome será... – Zeus para por alguns segundos sua fala, dando mais tensão e suspense o momento, até que ele continua. – Seu nome será Andrôs, em homenagem a sua constelação de quando era cavaleiro de Athena.

Shun se sentiu feliz com aquele nome, ajudaria a lembra-lo de seus amigos e seu passado, não era o seu, mas não era tão ruim quanto imaginava que seria, o antigo cavaleiro e agora Deus dos Mortos recebeu a armadura em suas mãos, tão logo a vestiu e disse.

- Eu aceito de bom grado este cargo divino, e todas as responsabilidades as quais vem com o mesmo. – naquele momento Shun, ou melhor, Andrôs sentiu tomar posse de seu corpo um poder descomunal, ele se tornava mais forte a cada segundo que se passava, até que pouco tempo depois atingiu aparentemente o pico daquele poder, era o efeito da água, o Deus havia despertado seu nono sentido e se tornado naquele instante uma divindade, Zeus então falou:

- Está pronto Andrôs?!

- Desculpe minha ignorância senhor, mas pronto para quê? – Disse Andrôs sem saber do que se tratava.

- Eu irei lhe levar para sua moradia nos Campos Elísios pelo caminho mais rápido a não ser que queira passar pelo inferno e depois seguir pela dimensão do muro das lamentações. – Respondeu Zeus, a pergunta do garoto.

-Muito bem, eu aceito... – disse Andrôs se aproximando mais do Deus.

Zeus então se dirigiu a uma das colunas de pedras, próximo a elas Andrôs nota que algumas delas possuem alguns símbolos diferentes, enquanto o mais novo Deus Grego observava desatento as colunas, o senhor do olimpo toca o símbolo da coluna a qual haviam se dirigido e de lá se abre uma porta, na qual se vê os campos Elísios.

- Não se esqueça, deve nomear uma nova armada, com os 108 espectros os 3 Juízes e os 2 Deuses não Olimpianos, agora entre e pode começar a sua nova função. – Disse Zeus apontando para dentro da porta.

Andrôs então acenou que sim com a cabeça, concordando com tudo que o Deus havia dito e adentrou  na porta, chegando aos campos Elísios o novo Senhor dos Mortos começou nomeando todos os cavaleiros mortos de sua época como espectros, guardando o cargo de dois dos Juízes  e dos dois Deuses não Olimpianos, para quando seus amigos morressem, ele esperava que eles morressem de velhice, mas  não podia fazer nada além de esperar e rezar, além deles ele também nomeou Dohko, Ex – Cavaleiro de Libra, como um dos Juízes, por acreditar que ele fosse o mais justo dos cavaleiros e as posições restantes foram tomadas, por cavaleiros honrosos de épocas passadas, como o próprio Shion e a partir daquele momento Shun começou a viver em Paz como Andrôs, o novo Deus dos Mortos.

Enquanto tudo aquilo acontecia no monte olimpo alguém que se importava com a morte de Hades observava tudo de longe, alimentando ainda mais a sua fúria.


Notas Finais


O que acontecerá com Athena e Seus Cavaleiros? Descubra no próximo Capítulo. Obrigado por ler até aqui e até semana que vem com mais um capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...