História Saisons - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens D.O, Kai, Lay, Lu Han, Sehun
Tags Hunhan, Sekai, Sesoo, Sexing
Visualizações 47
Palavras 588
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabs, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Yaoi

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hiver = Inverno

Só falta mais uma estação

Capítulo 3 - Hiver


Fanfic / Fanfiction Saisons - Capítulo 3 - Hiver

Foi quando eu estava procurando pelo outono que acabei chegando em casa


Tudo era azul, cinza e morto e eu me sentia em paz. O frio não me incomodava de forma alguma. Muito pelo contrário, ele me abraçava.


E foi por aquelas ruas tão solitárias e familiares que eu me vi, pela primeira vez, acompanhado.

Nunca achei que fosse encontrar alguém mais problemático, fechado e calado do que eu quando meus olhos de neve pesaram sobre as estacas de Do Kyungsoo.

Ele era como eu, cabelos negros, os olhos fundos, lábios em uma linha dura e ressecada, os braços brancos e pálidos marcados por aquelas rachaduras finas e, agora, secas.

Nos ignoramos todas as vezes que nos encontramos, todas as vezes que nos olhamos.


Éramos inverno e essa estação não se importa muito se você está se sentindo confortável ou não. Por que deveríamos?

Mas eu não sei, realmente, o que aconteceu quando ele veio até mim e me encarou muito perto, analisando bem o meu rosto.

Naquele dia ele me perguntou por que um filho de inverno tinha a pele queimada de sol e uma folha morta nos cabelos.

Eu só respondi que não era da sua conta e fui embora.


Minhas marcas pelas outras estações não interessavam a ninguém a não ser a mim mesmo. Ele não tinha sequer que perguntar por aquilo, então por que tinha aberto aquela maldita boca e me feito lembrar aqueles últimos meses?

Eu tive uma tempestade gélida naquela noite e quando a água virou garoa percebi que Kyungsoo estava bem ao meu lado, ensopado e com aqueles olhos opacos sobre mim. Mas os lábios tinham um formado curvado para cima, levemente.


E foi aquela rachadura no gelo dele que me fez rachar o meu.


Não nos tocamos uma única vez, só sentávamos um ao lado do outro e conversávamos.

Eu tinha me apaixonado pela dor, pelo sofrimento e martírio que ele tinha por si. Por como ele não conseguia sair da própria miséria e nem queria.

Kyungsoo estava apaixonado demais em seu sofrimento e eu só tinha olhos para ele agora.

Enquanto não disséssemos nada caloroso nosso gelo estaria intacto e permaneceríamos ali, perfeitas estátuas. Intocáveis.

Mas eu já tinha visto o calor e a chuva refrescante, o sol e as cores vivas morrendo.


Eu não conseguia mais ser pedra de gelo, mudo.


A minha estação não precisou acabar para que Kyungsoo fosse embora.

Eu não era mais inverno, tinha me transformado em uma coisa estranha demais para os meus entenderem; e duvidoso demais para que o Kyungsoo conseguisse ficar perto de novo. Ainda mais depois que eu cheguei tão perto daquele detalhe esculpido em seus lábios, me lembrava alguma forma doce e serena que eu conheci nos meses antes, mas não lembrava mais qual era o nome.

Era algo envolvendo sentimentos e o inverno, como eu disse, não se importava com aquele tipo de coisa.

Por isso eu sabia que tinha me perdido e por isso eu soube que no primeiro dia que Kyungsoo não foi se sentar naquele banco e nem apareceu por perto eu tive a certeza que ele nunca mais apareceria


Mas eu continuava a ir mesmo assim, por que assim eram os filhos do inverno

Nós apreciávamos a dor, o sofrimento. Apreciávamos fazer o outro sofrer e se martirizar.


E eu cumpri aquilo por Kyungsoo, para que a natureza dele continuasse a mesma e ele não se tornasse algo bagunçado e estranho como eu era agora.

Ele apreciou minha longa jornada silenciosa e sozinha

E eu, pela primeira vez, senti frio. 


Notas Finais


Eu queria ser aquelas autoras que comentam os próprios capítulos, fazem notas super divertidas e tal, mas a maior parte do tempo eu não tenho nada a dizer e fico pensando por vários minutos no que poderia fazer pra preencher esse espaço das notas, mas quase nunca preencho
Acho que ninguém é igual mesmo


Até!



PS: Eu devo tá muito louca hoje por que isso ai soou muito estranho. Tipo aquelas coisas de gente alucinada que não presta atenção em nada e solta umas palavras aleatórias.
Coragem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...