História Sakamaki da Favela - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Ruki Mukami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yui Komori, Yuma Mukami
Tags Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Comedia, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Masoquismo, Mukami, Reiji Sakamaki, Ruki Mukami, Sadomasoquismo, Sakamaki, Shuu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Yui Komori, Yuma Mukami, Zueira
Exibições 94
Palavras 1.997
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Suspense, Violência
Avisos: Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Espero que gostem da Fanfic, pode esperar que vai vim muita coisa legal também
Boa leitura e os personagens que estão sendo apresentados na Fanfic vão está na notas finais.
Desculpe qualquer erro de português.
Lembre-se que isso é apenas uma Fanfic e eu não tenho intenção nenhuma de botar isso
em uma forma positiva. Crack e maconha não são brincadeira.

Capítulo 1 - O Começo


Fanfic / Fanfiction Sakamaki da Favela - Capítulo 1 - O Começo


Não usem crack e nem maconha crianças.
Ayato ON:


— Eu disse caralho, eu disse pra tu devolver o The Sims 4 dessa mulher carai — Puxei o Kanato que estava do meu lado para baixo pro tiro não pegar nele, enquanto os outros estavam tudo escondido em baixo dos móveis


— Kanato: Porra vei eu não tenho culpa, eu já tava namorando o sexto homem em menos de oito dias carai. — Ele ficou encostado em mim enquanto o tiro quase bateu nele, acertando o vaso que estava atrás da gente. 
A mão dele já tava no meu ovo de tanto se encostar.


— Ei carai sai oxi ta achando o que? Sou teu irmão, mas não é por isso que nos vai fazer 69
— Shuu: Namoral se Kanato pedi mais alguma coisa nessa favela eu vou chamar o Jorge pra resolver esse bagui — Shuu falou enquanto se encolhia na parede para os tiros não bater nele, até que a mulher que estava atirando parou e disse para enfiar o The Sims 4 dela no cu e que ela quando sair da favela vai trabalhar pra fazer o The Sims 5. Todo mundo saiu do lugar que estava e Reiji foi pegar a vassoura  para limpar as coisas que tinha quebrado.


— Laito: Não pode nem fumar em paz mais nesse caralho NE — Ele voltou pro quarto enquanto pegava o seu saco de pó e ia cheirar deitado.


— Bom, se é pra culpar alguém culpe o Kanato. — Levantei o Kanato e tirei o colete que eu tinha roubado da boca dos Mukamis ta ligado? Joguei no sofá que tinha tomado uns tiros também e liguei a televisão para assistir TV globinho.
É Verdade que a gente não vai morrer com os tiros, mas dói mesmo assim.



Eu ainda não tive tempo de explicar tudo NE? Então La vai. 
Kanato, Laito, Subaru, Reiji e Shuu são meus irmãos e a gente mora numa favela chamada Cidade do som no Brasil.
Kanato é o que mais faz merda na família e por isso a gente tira os crack dele todo dia, mas crack também não é bom e eu já estou tentando parar de usar isso. Crack é muito ruim e nem recomendo ninguém a usar. Laito é um vagabundo que parece um estuprador que fica ajudando crianças, mas no fundo ele é um viado que gosta de ir La na esquina todo dia dar o cu.


Shuu tem uma namorada dele por ai a Valdinéia e que é 10 anos mais velha que ele, mas ele diz que só ta com ela pelo dinheiro e pela maconha que ela planta e deixa-o pegar de graça.
Reiji é o chato da família e que fala que a gente deve tomar cuidado e construir um poço em baixo da casa para a gente se jogar La quando a policia invadir a favela, mas ele acha que é fácil assim. Subaru é o quieto, ele não mexe com quem ta quieto e também não deixa ninguém quieto. Essa porra é bipolar, quatripolar ou siprolar se pah. 


Eu sou o que mais faz merda na família segundo Kanato, mas foi ele que não entregou o The Sims 4 da mulher que ele pegou emprestado e foi isso que tava acontecendo agora, ela tava tentando matar a gente. Ela mora La pra cima e por isso ela é muito magra por que são 20 minutos pra chegar aqui na nossa casa. Pra tu ver como essa favela é gigante, do tamanho da nossa mãe vei.


Apesar de a gente ser vampiros, principalmente nosso pai, eu e meus irmãos não sabe usar ainda direito nossos poderes e a ultima vez que a gente usou a gente fez dois carros se baterem na estrada. E ai nosso pai prometeu que um dia iria ensinar a gente a usar. Ninguém sabe que a gente é vampiro.
Essa é nossa vida.


— Ei Kanato, vende esse urso ai que tu roubaste quando criança pra nos consegui comprar as coisas que quebraram por sua causa. — Falei enquanto me esticava no sofá e assistindo homem aranha.


— Kanato: Vou vender é o cu do Subaru, essa porra ai só sabe usar ele pra sentar no sofá, vai ter que saber usar pra sentar em outros lugares também. — Ele pegou o urso dele o abraçou enquanto Subaru parou de fumar a maconha e foi
Na direção do Kanato, segurando na roupa dele com raiva.


— Subaru: Ta estranhando é? Eu sou macho carai, eu nunca dei meu cu na botinha. 
— Reiji: Deu sim eu vi Cledson já gravou até, jaja ta espalhado na favela toda.

Subaru soltou Kanato e pegou as chaves e saiu de casa, correndo e furioso depois de ter escutado o que o Reiji disse.
Eu acho que ele foi atrás do nosso antigo amigo Cledson. Antigo por que ele já está considerado morto já que o Subaru está indo atrás dele.


— Vei eu não quero ter que vender as roupas do Shuu de novo pra soltar esse pau no cu não. — Falei enquanto cruzava os braços e olhava para o lado de fora para ver que direção ele tinha ido, e realmente foi na direção da casa do Cledson.


— Shuu: TU O QUE VADIA? — Ele parou o que estava fazendo e pegou a vassoura indo na minha direção. Eu corri para fora de casa indo La pra cima do morro, tropeçando e ele ainda continuava me seguindo. Eu estava olhando para trás correndo até que eu esbarrei nos membros da boca do Mukami.


— Kou: Olha só se não são os irmãos Sakamakis que acha que é algo nessa favela. Fiquei sabendo que a maconha de vocês é tão ruim quanto essas roupas rasgada de segunda mão. — Todo mundo começou a rir com ele e a concordar eu não tinha argumento e então eu apenas me virei para ir embora, mas Shuu me pegou pelo braço me virando para eles novamente.


— Shuu: Vocês só têm sas roupas ai bonitinhas por que o pai de vocês roubou da casa da Fátima enquanto dava pro esposo dela. Vocês não podem se amostrar. — Shuu falava enquanto tirava o casaco feito de plástico do seu ombro e jogando
na cara do Kou.


— Azusa: Cóe meu irmão ta querendo tirar uma com a cara do nosso amigo aqui é? — Ele tirou a arma do bolso e apontou para a cara do Shuu, todos que estavam em volta começaram a correr e sem movimento por perto deu para escutar claramente a voz de Cledson gritando enquanto gemia... Pergunto-me o que o Subaru estava fazendo com ele e se o vibrador da namorada do Shuu ainda esta no quarto dele. 


— Shuu: Vai atira isso se você for homem seu masoquista idiota. — Shuu foi cada vez se aproximando da arma, a fazendo encostar na testa dele. Eu percebi que o braço do Azusa estava saindo sangue, derramando no chão. E que o Shuu estava apertando as mãos. Eu no mesmo
Estante pedi para eles deixarem isso passar e que não vai ter uma próxima vez.


— Kou: Beleza, se tu se meter com a boca do Mukami de novo tu morre jaó. — Azusa tirou a arma da testa do Shuu e logo todos foram embora.


— PORRA VEI QUE QUE TU TAVA PENSANDO EM FAZER SEU DOENTE MENTAL MACONHEIRO? NÃO VACILA ASSIM VEI! — O puxei pelo braço enquanto voltava para casa, ele estava tremendo e seus olhos estavam olhando para o chão.
Eu nunca vi meu irmão assim, tirando o dia que eu ele foi espancado pela namorada dele por não ter roubado o chocolate sem nozes. 


— Shuu: A gente é vampiro não é? Eu to com sede nessa caraia. — Ele empurrou a porta de casa e foi logo em direção dos baldes de sangue que o nosso pai tinha deixado pra gente não precisar caçar por um tempo.
Geral tava fumando maconha e cheirando crack, eu apenas fui em cada um e tomei, jogando na casa da vizinha todos os cracks e maconha que tinha nessa casa. 


— Kanato: Ai mermão, que parada é essa? Ta ficando louco é tio oxi. — Ele falou enquanto apertava o urso e fazendo de conta que estava chorando, enquanto todo mundo ficou me olhando feio e perguntando se eu fiquei maluco.
— É o seguinte, ninguém mais vai fumar e cheirar nessa parada, tendeu!?


— Reiji: Ué por quê? 
— Eu acho que isso não faz bem para vampiros, vocês tem mudado ultimamente depois de ter começado a fumar e cheirar maconha e crack. — Todos concordaram com a cabeça, apesar de não quererem aceitar. Eu deitei no sofá novamente e fui assistir TV globinho novamente. Eu escutei barulho de tiro e na mesma hora Subaru entrou na casa.


— Reiji: Onde que tu tava menino cabuloso? — Reiji estava mexendo no sangue para ele não ficar ruim e também indo fazer a comida, apesar de a gente não precisar. Mas mesmo assim precisamos parecer humanos, se não daria uma merda enorme.


— Subaru: Fui falar com o Cledson. — Ele da o vibrador do Shuu para ele e logo senta do meu lado. Todo mundo começou a rir alto e Laito gritou mandando a gente ir tomar no cu e calar a boca por que ele estava tentando descansar. Eu
Fui para o outro sofá longe do Subaru.


— Kanato: Ok vai precisar lavar isso com água benta.


Tempo depois:
Já era de noite e a gente já tinha arrumado a casa e jantado, tava na hora de ir roubar a loja de doces pra a gente comer quando acordar, já que a gente esta sem dinheiro. Doces todo mundo gosta e mesmo sem precisar deles para sobreviver, é gostoso.


— Laito: Mano tu ta certo que ninguém mais vai nessa venda a essa hora? — Todo mundo estava atrás do carro esperando os carros passar para assaltar a loja de doces.


— Kanato: Tenho caralho, calma ai. 
— Vai, vai, e agora. — Todo mundo correu para a loja de doces e eu e o Subaru apontou a arma para o cara enquanto os outros estavam pegando o dinheiro e roubando. Eu apenas fiquei conversando com o homem para deixar ele calmo e não chamar a policia, já que ninguém aqui tinha a intenção de machucar ele.


Depois de a gente ter pegado, geral correu para a favela de novo comemorando que mais um roubo foi feito com sucesso.
— Gente, cadê o Laito? — Eu percebi que ele não estava aqui enquanto a gente estava subindo o morro, e decidi voltar para a loja para ver se algo tinha acontecido enquanto os meus irmãos voltavam para casa.


Eu vi o corpo do homem sendo sugado por Laito; Laito estava gemendo enquanto mordia o pescoço do cara que estava no chão morto.
Por algum motivo eu não consegui me assustar e ver o sangue do homem minha garganta ficava mais seca ainda.


— Por que você fez isto? Não era pra matar ele... — Falei enquanto olhava em volta para ver se alguém via, mas por sorte ninguém estava perto.


— Laito: Eu também não sei, mas o sangue deste homem é algo muito bom...
— Laito: Por que não experimenta?
— N-Não quero... — Eu já estava começando a suar...
— Laito: Eeh, não é o que seu corpo diz. — Laito falava enquanto estava se levantando depois de chupar o sangue do homem e ter matado ele. Ele apenas deixou o corpo La e atirou nele, o fazendo parecer que foi morto em um assalto.


— Laito: A parte que eu mordi ele estava meio dura, acho que eu não acertei o lugar. Sem falar que ele demorou demais para morrer e também o sangue dele era doce.
— Laito: Agora, vamos para casa, irmãozinho. 
— S-Sim...


O Meu irmão estava assustador quando estava chupando o sangue do homem, mas eu espero que seja a última vez que ele faça uma coisa dessas. Nosso pai deixou bem claro para não deixar ninguém saber que a gente é vampiros, já que a gente não tem a força ainda para caçar. Me pergunto se algum dia a gente vai morar em um lugar melhor.
 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...