História Sakamaki da Favela - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Ruki Mukami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yui Komori, Yuma Mukami
Tags Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Comedia, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Masoquismo, Mukami, Reiji Sakamaki, Ruki Mukami, Sadomasoquismo, Sakamaki, Shuu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Yui Komori, Yuma Mukami, Zueira
Exibições 51
Palavras 2.902
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Suspense, Violência
Avisos: Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Obrigada pelos favoritos e me digam o que acharam desse capítulo depois de lerem.
Até depois!

Capítulo 3 - A Enorme Mansão


Fanfic / Fanfiction Sakamaki da Favela - Capítulo 3 - A Enorme Mansão


Ayato ON:


— Então, como vou falar com as pessoas da mansão se nem mesmo sei a língua deles? — A gente já tava no avião, quase chegando, só faltava umas 2 horas. Todo mundo menos eu e o Toki estava dormindo no avião, eu aproveitei para perguntar a ele sobre o que ia fazer La e como iria me virar. 


— Toki: Não se preocupe o lugar aonde você vai tem brasileiro também, principalmente na mansão. — Ele estava com os braços cruzados se se encostando à janela do avião. Aquela cicatriz no rosto dele era algo que me deixava curioso para saber o que tinha acontecido...
— Toki-kun, o que aconteceu com seu rosto? 


— Toki: Ah... Isso aqui? Foi o que eu ganhei de presente do seu pai quando eu desobedeci às ordens dele uma vez. — Ele falou isso tão vazio e sem preocupação, apenas observando a paisagem pela janela.  Eu fiquei surpreso com o que ele tinha falado, mas eu não queria perguntar mais nada. Meu pai realmente fez isso no corpo de alguém? 


— Toki: Você deveria descansar o corpo um pouco, vai conhecer gente nova.
— E o que isso tem a ver com descansar?
— Toki: Nada não...
 


3 horas depois:


A gente estava no carro, já dava para ver a mansão de longe. Era uma mansão com várias arvores e flores na frente dela, deixando amostra o seu enorme portão branco e marrom. Do lado dois chafarizes com uma estatua de dragão dentro, e era enorme. Tinha muitas janelas, não sei ao certo por está em movimento, mas era tão viva como a cor amarela. Eu comecei a chorar por pensar que eu nunca iria ver um lugar assim na vida. Todo mundo começou a rir de mim no carro e ai Toki se pronunciou.

— Toki: Lembre-se que vocês todos estão em treinamento para serem noivos, então se comportem e respeitem os seus senpais.
— Sem o que?


— Kanato: Isso mesmo, isso foi o que o nosso pai falou no telefone; O que é isso de noivo afinal?
— Toki: Todos os vampiros quando se torna um vampiro completo, que no caso é aperfeiçoar as suas habilidades, ganha uma noiva para casar.


— Toki: E essa noiva é Humana na maioria das vezes, e vai se tornando vampira, passando por etapas e tudo mais.
— Toki: Ai quando se tornam vampiras, os noivos vão para a própria casa deles. Mas já que agora essa mansão esta ocupada, quando todos saírem já é para vocês estarem preparados.


— Que legal... Eu acho. Mas como que a gente vai aperfeiçoar nossas habilidades? — Falei enquanto tentava fazer o Reiji parar de tentar lamber meu rosto, há muito tempo a gente fez uma promessa de lamber o rosto um do outro caso o nosso pai tomasse iniciativa de algo.


— Shuu: Como elas se tornam vampiras exatamente?
— Reiji: Onde está o nosso pai?
— Toki: Tudo em seu tempo, não é mesmo?


Toki parou o carro e tirou nossas malas de dentro dele, espero realmente que ninguém tenha trazido algo errado da favela, se não irei enfiar no cu de quem trouxe. Essas flores, rosas, violeta e amarelo, são as cores que o mundo precisa. Estou feliz por vim morar em um lugar assim. Toki abriu a porta da mansão, eu vi uma escada enorme que era ligada por mais duas escadas, uma ligando para o lado esquerdo e outra direito. Tinha um tapete azul em cima da escada e do lado da escada duas estatuas pequenas. Tem um lustre enorme no teto em cima da escada, que a luz era tão forte que faziam meus olhos doerem.

Esse motorista viado guiou todo mundo para sala, que ficava atrás da escada. Que tinha outra escada, mas com um pano de cor vermelha que nem o tapete da sala. Tinha seis sofás de cor branca e duas televisões gigantes, tinha outro lustre, mas era menor que o da entrada. Tinha muitos quadros na sala, eu acho que uns nove. Tinha várias estantes de livro também e uma lareira.

Logo quando eu acabei de ver como era a sala, apareceu uma menina na minha frente, ela tem uma aparência fofa e logo fui falar com ela. Mas ela saiu correndo para longe de mim e se sentou no sofá. Também tinha várias empregadas e empregados limpando a casa, mas ninguém ligou para mim.


— Quem é aquela garota? — Perguntei ao Toki que estava do meu lado, enquanto todo mundo tinha sumido, indo com outro empregado ver os quartos.


— Toki: Sakura é o nome dela, ela tem 15 anos. 


Uma jovem de 15 anos de cabelo longo de cor vermelha, que nem suas bochechas.
Ela tem uma trança em volta do cabelo e a cor dos olhos dela é violeta, uma cor rara
Para os olhos. Ela está usando um casaco vermelho com cor de ouro e está com um urso
De pelúcia.


— Sakura: O-O-Oi. — Esse foi o oi mais estranho que eu já escutei, ela parecia está chorando...
— Toki: Enfim, venha, vou te mostrar o seu quarto e o resto da casa você descobre por que não sou seu escravo. — Ele ficou chutando minha bunda até lá, ele é um motorista agressivo para caralho em...


O meu quarto era meio estranho, na verdade é assustador... Tem um caixão de ferro para dormir e apenas dois sofás e um banco.
Com duas janelas pequenas na frente e uma enorme do lado, a decoração era bonita, mas dava para melhorar. Tem um tapete enorme de uma figura esquisita em baixo, E uma porta branca que levava aparentemente para o banheiro

— Toki: Ótimo, já viu a merda do seu quarto, agora vem ver os dos seus irmãos. — Ele jogou as minhas malas no quarto e me puxou pelo braço com força, quase me derrubando e me arrastando. Ele é meio revoltado com a vida?


— Por que eu preciso conhecer os quartos dos meus irmãos? Eu não sou gay ou nada do tipo.
— Toki: São as regras dessa mansão, conhecer tudo de um parente seu.


O quarto do Kanato tinha uma cama enorme, eu logo fiquei xingando ele e com inveja por ele ter uma cama melhor que a minha. Era cheio de brinquedos o quarto dele com uma lareira e um quadro assustador. Apenas um lustre marrom que fornecia pouca luz, mas a luz toda vinha da janela enorme que ficava do lado da cama dele, porem tampadas com a cortina.


Quarto do Laito tinha uma aparência antiga, apenas uma poltrona e uma cama de casal. O quarto todo era verde, menos a parede do lado direito do seu quarto. Também tinha uma lareira e duas janelas e uma mesa pequena, e também um lustre menor que todos.

Mano, o quarto do Shuu era pika meu Deus. Três janelas, uma cama maior que a de Kanato e um sofá grande com uma mesa para botar os pés. Sem falar da escrivaninha de madeira e a escada que levava até seu banheiro. Ele estava deitado na cama e fazendo barulho como se estivesse cheirando algo.  Aaaaaaa mas se for o que eu to pensando, alguém vai morrer hoje.

O Quarto do Reiji é o mais arrumado que eu vi ate agora, uma cama simples de casal e uma estante de livros e outra de pratos.
 Um sofá cinza para combinar com o tapete e as cadeiras, e apenas uma janela.

O Quarto do Subaru também tinha o mesmo tipo de cama que eu tinha um caixão no chão e por baixo um tapete marrom. Uma cadeira de cor branca junto com uma mesa, e uma lareira.  A luz da janela não pegava a parte da cama muito bem. O piso era de madeira escura e deixava o quarto mais assustador que o meu.

— Toki: Pronto, agora você pode ir tomar banho, já tem roupas para você no guarda roupas, claro. Por que no meu cu que não deve está.
— Calma, Calma, para de me empurrar! Enfim, me conta sobre as pessoas que moram nessa mansão.


— Principalmente a Sakura. — Me sentei do lado da parede, esperando que ele contasse enquanto eu via o Subaru pular na nova cama dele. Ele é realmente uma criança.

— Toki: Beleza, eu irei contar.
— Toki: Mas não tente nada com essas garotas, elas são noivas. ESTA ME ENTENDENDO, AYATO!!?
— ENTENDI PORRA, GRITA NÃO!
— Toki: La vai então.


Ayato OFF:
Toki ON:


Sakura é uma jovem de 15 anos de cabelo longo de cor vermelha, que nem suas bochechas.
Ela tem uma trança em volta do cabelo e a cor dos olhos dela é violeta, uma cor rara
Para os olhos. Ela está usando um casaco vermelho com cor de ouro e está com um urso
De pelúcia. Apesar de ter 15 anos se comporta como uma criança.


Também tem Shiro uma garota com a pele mais branca que a neve, com olhos encantadores de cor vermelha.
Ela é a mais calada, mas também é a que mais obedece ao dono. O Cabelo dela já foi grande
Ao chegar bater no chão, mas foi cortado pelo Nakume quando ela recusou a dar o sangue pra ele.
Ela já apareceu um dos primeiro sinais de vampiro que é conseguir se teletransportar. Ela tem 17.


E o noivo dela Nakume um rapaz alto de 19 anos que está morando na mansão, mas está só a espera
De Shiro se transformar em vampira por completo. Porem está demorando.
Ele usa óculos e tem um cabelo de cor preta e gosta de usar um blazer preto com uma gravata.
Real: Eras/ alguns séculos


— Ah que se foda-se você que pergunte o resto. — Eu o empurrei para fora e fechei a porta do quarto do Subaru, que estava pelado experimentando as roupas. Francamente, essa família é estranha.
— Mestre, logo logo vai acontecer.


Toki OFF:
Ayato ON:


— Sakura, não é? — Eu fui para a sala falar com Sakura que estava vendo televisão, por conhecidencia estava em um canal que eu vi uma vez pelo Youtube. 


— Você nem parece ter 15 anos, você parece ter uns 10. — Falei enquanto pegava o urso dela, mas ela apenas estava sem falar nada até que...


— Sakura: Por favor, senhor, me de meu urso. — Ela estava tentando pegar o urso que estava em minhas mãos, eu entrei na brincadeira e fiquei levantando o urso La pra cima para ver se ela consegue pegar. Eu fiquei zuando a altura dela enquanto ela pulava para tentar pegar. 


— ???: Eeh, então é isso que você faz quando eu não estou aqui? Sakura. — Apareceu um cara de trás da escada enquanto bagunçava o seu cabelo ruivo bagunçado que vestia uma blusa preta curta que deixava de fora sua barriga. Ele também usava um pano no pescoço de cor preta e estava indo em direção de Sakura. Eu apenas fiquei sentado e dei o urso para ela.


— Sakura: Yato... Não é o que você está pensando, eu juro.
— Sakura: Ele pegou meu urso e eu estava tentando pegar de volta, por favor, acredite em mim. 


Eu vi Sakura se afastando, quanto mais o cara que ela chamou de Yato se aproximava. Ele passou reto por mim e a segurando pelos cabelos, jogando Sakura no chão, apenas empurrando com o cabelo dela. Ele estava batendo a cabeça dela no chão cada vez mais, enquanto ela tentava por a mão em baixo da cabeça.


Eu fui em direção de Yato e o puxei para mim, tentando da um soco em seu rosto. Mas ele que me deu um soco e depois um chute, que me fez cair no sofá e virar o sofá junto comigo. Ele começou a me socar e eu senti aquele sangue saindo de mim, aquilo doía demais, mas pelo menos eu a salvei. Eu já estava quase desmaiando de tanto soco e a única coisa que eu consegui ver antes de apagar, foi Sakura tentando o fazer parar.


Tempo depois...
Eu acordei em um quarto desconhecido, apenas vi um homem sentado ao meu lado. 
No meu rosto tinha curativos, mas mesmo assim doía.



— Quem é você? — Falei me esticando e ficando sentado na cama, mas ainda sim, coberto. 
— Yung: Meu nome é Yung, fui eu quem te salvou do Yato.


Yung tem o cabelo vermelho e os olhos também. Ele tem do lado do seu olho esquerdo uma maquiagem de borboleta.
Ele estava usando uma roupa estranha de tempos antigos, de cor branca e preta e um enorme laço caindo em sua cintura.
Do lado uma espada que me assustou, mas mesmo assim eu tentei manter a calma.


— Sim... Obrigada Yung-san.
— Yung: De nada! E pode me chamar de Yung-kun, eu tenho 25 anos. 
— Entendi, eu ainda sou virgem né? — Falei me levantando da cama e me olhando no espelho. Realmente estava feio, meu olho estava todo inchado e minha cara roxa. Também aproveitei para olhar o meu pinto para ver se não tinha algo suspeito. Eu olhei pela janela ao lado e já vi que estava de noite...


— Como a Sakura está? 
— Yung: Ela esta bem, mas precisou ir ao Hospital. Não que isso seja novidade por aqui.
— Como assim? Ele bate nela toda hora? Quem era ele?


— Yung: Ele era o noivo dela. Yato é um cara que aparenta ser legal, com seu cabelo ruivo e bagunçado para todo lado.
Mas ele é um dos piores que está nessa mansão e faz a Sakura a escrava da mansão.


— Que horrível... Aquele cara é um filho da puta! — Dei um murro no espelho com raiva sem pensar, eu me virei para ver se o Yung estava bravo e ele disse que esta tudo bem. Ele me falou que também é um noivo e que a esposa dele está na cozinha neste momento.


— Toki: Hrum, o Sujo falando do mal Lavado, toma vergonha na cara, Yung. — Toki-kun invadiu o Quarto falando isso enquanto olhava para o rosto do Yung. O clima mudou rapidamente e o Toki me puxou para fora do quarto dele. Apesar de ele ter me puxado rápido, foi o tempo suficiente para eu me curvar e agradecer ao Yung por ter me ajudado.


— Toki: Olha seu idiota, as aparências enganam. — Toki fechou a porta e me empurrou na parede, botando as duas mãos em meu lado como uma barreira.


— Toki: O Yung é mil vezes pior que o Yato para a sua informação.
— Ahn? Você está falando serio? Mas ele parece ser tão legal.


— Toki: Enfim, ande mais com seus irmãos, vá por mim — Ele me levou até a sala de jantar, onde o jantar estava pronto com uma mulher vestida de empregada estava botando a comida na mesa.


Era uma mesa de jantar enorme com várias cadeiras enormes também. As taças estavam cheia de algo vermelho dentro, acho que é sangue. Hoje quem jantou foi só eu, Yato, Toki, Yung e os meus irmãos. Eu não aguentei olhar para a cara do Yato, ele estava nem ai com o que ele fez e estava conversando normalmente com o Laito. Eu apenas comi em silencio enquanto todos estavam conversando sobre o que achou da mansão. Eu ainda não vi todos os moradores desta mansão, mas espero que algum tenha o coração bom...


— Yato: Seu nome é Ayato não é? — O Filho da puta falou segurando a sua taça de sangue enquanto balançava olhando para mim. Ele deu um gole e depois pediu mais para a empregada, e tudo isto olhando só para mim. Todo mundo começou a olhar pra ele o estranhando. Eu fiquei desconfortável e com raiva, eu estava me segurando para não bater nele.


— Laito: Olha eu sei que o Ayato é feio, mas ele é vampiro sim.
— Laito: Então não precisa ficar olhando pra ele pra ver se o rosto dele é deformado assim mesmo por natureza. — Quando Laito falou isso todo mundo cuspiu a bebida e ficou rindo, até as empregadas. 


— Reiji: Onde estão as outras pessoas da casa? Toki-kun?
— Toki: Por que eu saberia? A vida é deles.
— Yato: Eu sei Ayato.
— Ahn?


— Yato: NE esse seu nome? Enfim, eu sei que você esta com raiva de mim, e eu vou logo dizendo que eu estou cagando para você.
— Yato: Mas... — Ele se teletransportou para trás de mim, tocando em meus ombros enquanto mexia a sua taça de sangue. Seu cheiro de um perfume feminino, mas no mesmo tempo é podre e nojento. De perto deu para ver cortes em seu corpo que ainda não acabaram de se curar. Todo mundo ficou olhando para a gente e só esperando o que o Yato ia fazer.


— Yato: Podemos... Dividir aquela putinha juntos. — Ele falou em meu ouvido, deu para sentir a sua boca encostando-se a minha orelha. Quando eu escutei aquilo, eu não pensei duas vezes, me levantei e tentei dar um soco em seu rosto. Mas Toki que estava do meu lado separou a gente e quando eu fui me acalmar percebi que tinha um corte em minha bochecha. Estava sangrando, mas não foi fundo, me pergunto como isso apareceu ai...


— Yato: Fufufufu, eu estou cheio então irei para o meu quarto dormir um pouco até aquela putinha sair do hospital pela 50 vez. — Ele guardou uma gilete em seu bolso que estava melada de sangue, então foi isso... Ele se teletransportou e Toki me empurrou na cadeira, me fazendoeu sentar a pulso. Todo mundo me chamou de pinto pequeno, que significa homem que tenta se amostrar. 
Mas meu pinto não é pequeno. Pergunto-me como estão as pessoas lá na favela, principalmente os Mukamis.


Notas Finais


Todos os personagens que foram mencionados/apresentados nessa Fanfic, estão na capa do capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...