História Sakura Of Love ( imagine Rap monster) - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, J-hope, Jimin, Jin, JR, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Imagine Rap Monster, Namjoon, Suga
Exibições 28
Palavras 1.490
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oieee!!
Estou postando hoje porquê não sei se vou postar na semana que vem, motivos: período de provas.
Espero que gostem, desculpe os erros de português.
Boa leitura 📖😘

Capítulo 5 - Brother?



Lá estava eu, em um quarto totalmente branco. "O que está acontecendo?"  penso tentando achar uma explicação lógica para aquilo. 
  - Eu estava no meu quarto dormindo, não me lembro de ter acordado ou saído de lá. - Falo para mim mesma tentando achar um vestígio em minhas memórias. 
 Tentei achar uma saída, estava andando de um lado para o outro até que vejo alguém que nunca mais achei que veria. 
  - Appa!!! - Grito e vou em sua direção. 
  - (s/n)!!!  - Ele então me abraça. 
 Eu estava muito feliz, mas então percebo, meu appa estava chorando, não de felicidade mas sim de tristeza, angústia e medo. 
  - Appa, você está bem? - Pergunto vendo ele chorar desesperadamente. 
  - (s/n) me perdoe - Falava em meio a soluços. - É tudo culpa minha, me perdoe filha.
  - Mas appa, perdoá pelo que? - Eu estava confusa, porque eu teria que perdoa-lo?
  - Me perdoe (s/n). - Falou já se distanciando. 
Quando fui perceber ele não estava mais ali, e tudo que ali estava se tornou um borrão. 
  - Appa! APPA!! 

   Acordei assustada, estava confusa porquê meu appa ia querer que eu o perdoasse? Sou tirada de meus pensamentos com meu avô me chamando. 
  - (S/N) ACORDA, SE NÃO IRÁ SE ATRASAR! - Me gritou provavelmente da sala. 
 Eu não queria sair da cama, mas era obrigada, então me levantei fiz minhas higienes, me arrumei peguei a mochila e desci. 
    - Bom dia! - Disseram meus avós em uníssono. 
    - Bom dia. - Digo sem ânimo, puxo a cadeira e me sento.
Eu sentia que eles estavam me escondendo algo, mas o que poderia ser?  Eu já não aguentava mais. 
  - Vô. - O chamei seca. - Vocês não tem nada pra me contar não? 
  - O que? - Perguntou. - Conta sobre o que? 
  - Sobre o meu pai, há algo sobre ele que eu deveria saber? - Ao perguntar isso meu avô encara o café e minha avô o encara angustiada. - E então tem ou não tem!! - Falo já impaciente, não suportava a idéia de estarem mentindo para mim. 
  - Bom... - Meu avô se pronuncia. - A alguns anos atrás, antes de seu pai conhecer sua mãe, ele.. Tinha uma namorada..
  - Tá idaí? - Pergunto ainda mais confusa, o que essa mulher tem haver comigo?
  - Acontece que não era somente um "namoro" - Falou minha vó. - Ela estava grávida, e seu pai ia se casar com ela, mas felizmente ele conheceu sua mãe que estava fazendo intercâmbio aqui e largou essa idéia de se casar com aquela mulher. - Falou suspirando. - Mas não se preocupe, Kwan nunca deixaria um filho seu passar qualquer necessidade, mesmo ele não podendo ficar com o menino, ele deu tudo o que ele precisava e também as vezes ia visita-lo. - Falou tentando me acalmar. 
  Eu estava estática, eu tinha um irmão? E nunca me contaram, o que mais estão escondendo de mim?
 Comecei a encarar meu avô, tinha mais alguma coisa que ele devia contar, eu sei disso! 
  - Vovô - O chamei. - Tem mais alguma coisa que eu preciso saber? - Pergunto e o mesmo suspira voltando a me encarar. 
  - Tem. - Falou suspirando. - Ele está aqui na cidade, e quer te conhecer. 
 Ao ouvir ele falar isso sinto meu coração apertar, nesse momento milhares de perguntas vieram a minha cabeça. Mas eu não tinha tempo para perguntar mais nada, eu estava atrasada. 
  Levantei, peguei minha mochila e fui em direção a porta. 
 - Já vai? - Pergunta minha vó se levantando da cadeira. 
 - Já, estou atrasada. - Falo já abrindo a porta. 
 - Não quer que eu te leve? - Falou meu avô se levantando. - Vamos de carro será mais rápido. - Disse já pegando a chave do carro. 
 - Não! - O interrompi. - Quero ficar sozinha, para poder pensar, e tentar entender mais a situação. - Disse já saindo. 
  - Mas..... - Minha vó ia falar algo, mas eu fui mais rápida e fechei a porta antes dela se pronunciar. 
 Saí correndo pela rua, tentando esquecer um pouco daquela conversa, querendo ou não era muita coisa pra se entender. 
                              Q.D.T 
  Ao chegar na escola me deparo com um pátio vazio, típica cena de filme de terror, sinal de que a primeira aula tinha começado. Sai correndo pelo corredor sem nem olhar para onde ia e acabo me batendo com alguém. 
  - Ai!! - Exclamo, pois o impacto foi forte. 
 Ao abrir os olhos me deparo com um garoto extremamente lindo. 
  - Você está bem? - Perguntou ele. 
  - Sim, m-me desculpe eu não te vi! - Digo me lembrando do mico que estou passando. 
 Ele se levanta e me ajuda a levantar. Ficamos nos encarando por um tempo, não sei porque mas o rosto dele é muito familiar. 
  - Qual o seu nome? - Pergunta quebrando o silêncio. 
  - Meu nome é (s/n), Min (s/n)! - Digo tentando deixar a timidez de lado. 
  - Muito prazer (s/n), eu sou o Park Jimin! - Diz dando um sorriso fofo.
  - Você é novo aqui não é? - Pergunto, já que não me lembro de ter visto ele por aqui. 
  - Sou, você poderia me ajudar a achar minha sala? - Pergunta coçando a nuca. 
  - Claro! Qual é a sala? - Pergunto. 
  - A-3. - Disse. 
  - Nossa é a mesma sala que eu estou. - Falo já tendo a desculpa perfeita por ter me atrasado. 
  - Que bom! Pelo menos não ficarei sozinho, já tenho uma amiga! - Falou, me fazendo corar na mesma hora. 
  - Então v-vamos? - Perguntei e ele assentiu. 
 Ao entrar na sala me deparei com o lindo sorriso de Namjoon, Jimin podia ter um sorriso fofo mas não se comparava ao lindo sorriso de Namjoon que ainda por cima tinha lindas covinhas, o que o deixava mais fofo. Mas depois que Namjoon viu Jimin seu sorriso desapareceu. 
  - Senhorita (s/n), pro seu lugar por favor. - Falou a professora, que não ligou pro meu atraso. 
  - Sim senhora. - Falei já indo me sentar. 
  - Bom.. - Ela começa a falar. - Alunos esse é o novo colega de classe de vocês, por favor se apresente.
  - Oi! Meu nome é Park Jimin, tenho 18 anos, acabei de me mudar para cá. -Ao falar isso ouvir algumas meninas cochicharem algo como "até que é bonitinho" ou "será que ele tem namorada?" - Espero ser um ótimo colega de classe. 
  - Ótimo sr.Park, pode se sentar atrás da senhorita Sook. - Disse a professora. 
  Olhei para Sook e comecei a rir de sua cara, ela estava mais vermelha que tomate. 
                             Q.D.T 
  O sinal da última aula finalmente bate, não aguentava mais a aula de geografia. Estava esperando Sook no pátio até que ouço me chamarem. 
  - Ei, (s/n)! - Namjoon grita vindo em minha direção. 
  - Oi Nam! - Digo me aproximando do mesmo. 
  - Eu queria te perguntar uma coisa. - Pergunta? O que será?? 
  - Pode falar. - Digo olhando em seus olhos. 
  - É que eu queria saber se você vai sair amanhã? - Pergunta coçando a nuca, que fofo! 
  - Não, porque? - Pergunto. 
  - Queria saber se você aceita sair amanhã comigo? - Pergunta olhando pro chão, provavelmente está corado. 
  - Sim! - Falei entusiasmada. 
  - Sério? - Pergunta e eu assinto. - Então, amanhã às 15:00 no parque tá bom?
  - Tá! 
  - Então tá, até mais! - Falou indo embora, mas antes me deu um selinho, me fazendo corar. 
  - O que foi isso? - Pergunta Sook, que brotou de sei lá aonde me assustando. 
  - AAAHH!! - Grito. - Meu Deus, de novo Sook! - Falo mas ela continua a me olha seria. 
  - Você ainda não me respondeu, o que foi isso? - Pergunta ainda mais seria. 
  - Isso o que? - Pergunto tentando me fazer de desentendida. 
  - Esse beijo. - Pergunta diretamente. 
  - Eu não sei - Falo e ela me olha com uma cara de "Me engana que eu gosto."  - É que.. Namjoon me chamou pra sair. 
 - O quê? - Perguntou fazendo exatamente um "O" com a boca. - E você aceitou? 
  - Sim. - Falei corando. 
  - Posso te ajudar a escolher a roupa? - Perguntou. 
  - Pode. - Falo. - Mas esquecendo disso, eu preciso te contar algo. 
 
  Eu contei tudo o que meus avós disseram hoje de manhã, e Sook ficou tipo "OMG!". Como ela ia dormir na minha casa hoje, fomos na sua buscar roupa, tive que ajudar Sook a escolher porque se não ela levar o guarda - roupa inteiro pra minha casa. 
  - Então ele está na cidade? - Pergunta já adentrando o jardim. 
  - Sim. - Suspiro. - Pelo menos, foi o que meu avô disse. 
 
  Ao abrir a porta sou surpreendida por alguém me abraçando. 
          - Finalmente te encontrei, mana! 
 


Notas Finais


Por favor comentem!
Até a próxima!! >.<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...