História Sala de Terapia - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Desabafos, Diário
Visualizações 12
Palavras 678
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Sobre teatro, mágoas e uma homenagem póstuma

Capítulo 5 - Applause


Fanfic / Fanfiction Sala de Terapia - Capítulo 5 - Applause

 

 

Sabe o que magoa?

Magoa saber que alguém te usou como brinquedo 

Que alguém que era tão importante pra você brincava com a sua paixão como se fosse algo cômico e descartável

Saber que sua honestidade não valeu nada e nem foi considerada

Magoa ouvir quem você ama dizer que ama outra pessoa e ficar te olhando com um sorrisinho cínico esperando a sua reação 

Magoa alguém brincar com seu ciúme, com a sua dor, com a sua auto estima. 

Me choca ouvir que não ocupo o primeiro lugar apesar dos meus esforços,

Que a competição não é justa apesar da minha dedicação 

Que a vitória nunca será minha ainda que eu chegue em primeiro lugar

Que eu nunca serei quem você quer ou quem você precisa 

 

Me fere saber que minha tristeza faz você feliz, que minha dor é sua satisfação, que eu sou mais interessante quando estou sofrendo

No amor não existe culpado, não existe crime, há um direito unilateral de escolha.

Nessa guerra o resultado pode ser recíproco ou não.

Ha pessoas que possuem brilho próprio e eu sou um inseto estupido.

Quem não se atrairia por um feixe de luz em um túnel escuro?

Sua falta de respeito, seu deboche, seu olhar sedutor me fizeram desejar a vitória ainda mais

Meu pensamento estava focado:

Preciso domar essa fera 

Preciso subjuga-la a mim

Preciso fazer com que se renda

Mas não havia uma mão dupla nessa via..

Minha aproximação te fez se afastar ainda mais

Suas frases eram desconexas

Suas ações eram contraditórias

Você não me queria mas não me deixava ir

Você não queria perder o trono

Você não queria perder seu marionete

Mas você logo arrumou um cachorrinho novo e se esqueceu do velho

 

O amor respeita, o amor permite,

O amor é paciente, o amor se importa

Foi o que aprendi com meus pais, com minha religião, com os relatos que ouvi de velhinhos apaixonados que morreram de mãos dadas..

 

Seria essa a forma de provar meu amor?

Sera que o destino irá valorizar meus esforços? 

Será que o céu terá piedade de mim e vendo meu sacrifício me concederá um milagre?

O que tenho a perder? Quanta inocência...

 

Fui embora por mim

Fui embora por você

Fui embora por meus pais

Fui embora porque o mundo que eu criei

é fictício 

Fui embora porque conclui que meu amor não era o mesmo que o seu

 

Não pude suportar a dor da verdade 

Não queria mais saber dos cachorros novos

Nem de seus melhores amigos

Nem ver nos seus olhos o constrangimento por me conhecer 

Não queria mais ser alguém que as pessoas têm vergonha de se relacionar

Não queria ser um Quasimodo 

 

Queria dar tempo ao tempo

Me lapidar, tornar-me mais interessante, mais atraente, mais irrecusável...

Pensei que talvez assim tivesse uma chance e quem sabe uma ajuda divina..

 

Mas com a mesma rapidez que eu me fui

Você fez questão de me provar que me esqueceu

Minha impressão é de que pra você eu fui somente um número, um brinquedo, algo que lhe era útil porém facilmente substituível.

 

O destino nos colocou frente a frente mais uma vez

Percebi que para mim era difícil demais esse teatro infinito de que não me importo com suas escolhas e então podemos ser amigos.

Não podemos ser amigos

Não consigo

Me desculpe 

E me desculpe por agir assim, por e amar assim, por não conseguir ser o que você precisa. Queria poder ser o que você precisa mas meu peito dói demais. 

Se eu sumir novamente não me odeie

Estou tentando me poupar de um infarto

Atualmente há pessoas que dependem de mim

 

Você vai estar para sempre no meu coração 

Eu gosto muito de você e queria tanto poder te falar isso mas infelizmente não seria conveniente.

 

Se um dia você ler isso, como bom bookworm que é, eu só tenho um pedido:

Quando eu envelhecer e morrer por favor peça aos presentes para me prestarem homenagem: que me deem uma salva de palmas como prêmio para a melhor atuação da história.

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...