História Sálvame - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Aaron Taylor-Johnson, Amanda Seyfried, Dave Franco, Elizabeth Olsen, Emilia Clarke, Jesse Eisenberg, Luke Evans, Mark Ruffalo, Os Vingadores (The Avengers), Scarlett Johansson, Sebastian Stan, Truque De Mestre, Wentworth Miller
Personagens Aaron Taylor-Johnson, Alma Dray, Amanda Seyfried, Arthur Tressler, Dylan Rhodes, Elizabeth Olsen, Emilia Clarke, Henley "A Sacerdotisa" Reeves, J. Daniel "O Amante" Atlas, Jack "A morte" Wilder, Lionel Shrike, Luke Evans, Merritt "O Eremita" McKinney, Personagens Originais, Scarlet Johanson, Sebastian Stan, Thaddeus Bradley, Wentworth Miller
Tags Aaron Johnson, Aaron Taylor- Johnson, Alma Dray, Amanda Seyfried, Amizade, Amor, Arthur Tressler, Brigas, Cortes, Dave Franco, Depressão, Dylan Rhodes, Elizabeth Olsen, Emilia Clarke, Henley Reeves, Isla Fisher, J Daniel Atlas, Jack Wilder, Jesse Eisenberg, Lucy Hale, Luke Evans, Magia, Magica, Mark Ruffalo, Merritt Mckinney, Michael Caine, Morgan Freeman, Now You See Me, Nysm, Paixão, Rick Cosnett, Scarlett Johansson, Sebastian Stan, Sexo, Thaddeus Bradley, Truque De Mestre, Wentworth Miller, Woody Harrelson
Exibições 56
Palavras 1.529
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 13 - Capítulo 13 - "Boas-vindas a Londres"


• Madrugada seguinte/ Londres - 03:10 •

P.O.V Dylan

 Suspiro descendo de um táxi em frente minha casa em Londres, junto com o Merritt e a Henley. Logo atrás do mesmo para outro, vejo a Elizabeth descer e logo depois o Atlas junto com o Jack.

- Então como foi a viagem do aeroporto até aqui? Foram os piores 45 minutos e 19 segundos mais infernais das suas vidas, por terem que suporta a presença um do outro dentro de um pequeno espaço de um carro? - Diz o Merritt sorrindo olhando o Jack e o Atlas em seguida rio de leve observando eles

- Merritt não piore a situação! - Diz a Elizabeth encarando ele e vejo o Jack abraçar ela por trás - Aqui está muito frio!

- Respondendo a sua pergunta Merritt, sim! Mas admito que teve uma pitada de diversão, afinal adoro a cara que o pequeno Wilder me olha! Chega ser engraçado! - Diz o Atlas encarando o Jack, que bufa na hora e suspiro

- Vamos entrar - Falo entrando na casa e deixo a porta aberta pra eles

 Sinto meu celular vibrar no bolso, pego o mesmo e engulo seco lendo um sms mentalmente, de um número desconhecido, mas eu já desconfio de quem é.

(Sms): " Olá quinto cavaleiro! Sua filhinha é muito bonita! Ela se parece muito com você e lembra a mãe dela um pouco! Pensei em fazer uma visitinha pra ela, vai ser legal ela conhecer o chefe do pai dela! "

 Guardo o celular rápido, passo as mãos no rosto nervoso suando frio e engulo seco.

- Tudo bem Dylan? - Diz o Jack me encarando

- Você ficou estranho do nada - Diz a Henley

- Eu preciso fazer uma viagem de emergência! Por favor, a única coisa que peço, é que não saíam dessa casa sem minha autorização! - Falo encarando todos

 Saio rápido da casa, sem dar oportunidade de ninguém me questionar, entro em um táxi e sigo em direção ao aeroporto.

P.O.V Elizabeth

 Como todos ali naquela sala, estranhei bastante a atitude do Dylan, mas ele é estranho, na verdade ninguém é normal, então ele deve ter os motivos dele para aquilo. Suspiro abraçada ao Jack e percebo o Atlas me encarando.

- O que foi Atlas? - Falo encarando ele

- Nada - Diz ele e vejo o mesmo ir até a cozinha

- Bom eu vou procurar um quarto pra dormir - Diz o Merritt subindo a escada principal

- Eu também vou - Diz minha tia - Boa noite pombinhos - Diz ela subindo e suspiro corada mordendo meu lábio

- Posso dormir com você? - Sussurra o Jack no meu ouvido

 Fecho meus olhos arrepiada e mordo meu lábio sentindo ele morder minha orelha. Eu sei que ele quer transar comigo, talvez se eu consegui fazer sexo com ele, eu esqueço o Atlas de uma vez por todas.

- Claro que sim - Falo me virando e beijo ele intensamente

- Eu vou arruma um quarto pra gente - Diz ele sorrindo me beijando e mordo seu lábio

- Vai lá - Sussurro e mordo seu lábio novamente

 Vejo ele sorrindo de lado, o mesmo sobe e engulo seco. Vou até a cozinha, cruzo meus braços me encostando no balcão e observo o Atlas olhando as comidas na geladeira.

- Está com fome? - Falo e suspiro

- Sim - Diz ele ainda olhando as comidas

- Por que está estranho? Você não ta o seu estranho de sempre - Falo e vejo ele se virar me olhando

- Estou estranho de que tipo? - Diz ele arqueiando as sobrancelhas e mordo meu lábio

- Um tipo de estranho diferente, não um estranho próprio de J. Daniel Atlas - Falo e suspiro

 Vejo ele se aproximar de mim, encaro seus olhos fixamente e suspiro.

- Quero que fique bem - Sussurra ele acariciando meu rosto encarando meus olhos - Estou muito preocupado com você

- Devia está preocupado com seu emprego tão importante - Falo e vejo ele suspirar

- Seu pai está em coma no hospital, não se preocupa com ele? - Diz ele

- Que pai? - Falo

- Tenta dar mais valor pra ele, falo isso por experiência própria! Nunca me dei muito bem com meu pai, mas depois que perdi ele, me arrependi de muito merda que eu fiz! - Diz ele e reviro os olhos

- Você com três anos de idade, já fez aqueles desenhos, que apesar de serem feios, os pais adoram e guardam pra vida toda? - Falo encarando seus olhos

- Sim - Diz ele - Meu pai tinha um meu na carteira

 - Parabéns! - Falo encarando seus olhos - Seu desenho viveu muito tempo e seu pai te amava! Quando entreguei um desenho pro meu pai quando tinha quase quatro anos, no dia dos pais, ele pegou enquanto digitava algumas coisas no notebook e nem deu importância! Mais tarde, eu vi o papel queimado na lareira da sala e lá estava meu pai naquele maldito notebook! Perguntei se o vento tinha deixado cair ali, ele respondeu que ele jogou porque precisava aumentar o fogo e que só era um papel idiota, eu tinha que melhorar minhas técnicas na arte!

 Engulo seco vendo ele abaixar a cabeça, subo rápido tentando não lembrar da minha infância, entro em um quarto que o Jack estava e vejo ele sem camisa.

- Tudo bem? - Diz ele me abraçando e retribuo o abraço forte fechando meus olhos apoiando minha cabeça no seu peitoral

- Normal - Sussurro baixinho

 Jogo ele na cama rapidamente, vejo ele me encarar surpreso e desabotou sua calça ficando em cima dele encarando seus olhos.

- Ual - Sussurra ele sorrindo surpreso - Vamos transar?

- Sim - Sussurro no seu ouvido e mordo sua orelha

 Beijo ele intensamente sentindo ele levantar meu vestido, ajudo ele tirar o mesmo e mordo meu lábio com força sentindo ele nos virar na cama me deixando em baixo dele encarando meus olhos.

- Você é virgem? - Sussurra ele

- Não - Sussurro

- Você perdeu a virgindade com o Atlas certo? - Sussurra ele encarando meus olhos e engulo seco

- Sim - Falo encarando ele e vejo o mesmo respira fundo

- Já desconfiava disso - Sussurra ele

- Não vamos falar disso! O foco da noite é a gente! - Falo encarando seus olhos e vejo ele sorri malicioso

• Algumas horas depois •

 Suspiro nua deitada no peitoral do Jack muito ofegante abraçada ao mesmo, foi incrível ter feito sexo com ele, realmente foi fantástico. Por algum motivo nesse momento eu só conseguia pensar em quando eu perdi a virgindade com o Atlas, a única diferença nas duas transas, é que eu amava o Atlas.

- Isso foi incrível! - Diz o Jack encarando meus olhos sorrindo - Eu te amo muito - Sussurra ele e suspiro

 Beijo ele intensamente, sinto uma mão dele apertando minha bunda e outra acariciando meu rosto. Escuto passos, me separo dele rapidamente e vejo o Atlas na porta. Engulo seco vendo o jeito que ele olhava a gente, como se não quisesse acreditar na cena que estava vendo.

- Ah... na próxima vez fechem a porta... desculpa atrapalhar - Diz ele triste e com raiva ao mesmo tempo

 Levanto rápido vestindo a blusa do Jack vendo o Atlas sair andando, olho o mesmo e vejo ele me encarando sério.

- Sei que não vai gostar disso, mas eu preciso ir atrás dele! Se ele fizer alguma besteira... eu nunca vou me perdoar - Sussurro com coração apertado

 Saio correndo atrás do Atlas, desço as escadas rápido gritando o nome dele e vejo ele sair. Saio atrás dele rapidamente, respiro fundo vendo ele atravessar a rua e encaro ele.

- ATLAS! VOLTA POR FAVOR! - Grito e vejo ele me encarar com um olhar vazio

- Você é igual sua mãe... - Sussurra ele e engulo seco confusa ao mesmo tempo irritada - Volta pra cama com seu namoradinho e me deixa em paz!

- ATLAS É PERIGOSO! PARA DE AGIR ASSIM! - Grito irritada querendo chorar com raiva

 Arregalo os olhos vendo o Atlas cair no chão depois de levar um tiro, vejo um homem sair correndo e atravesso a rua desesperada. Sinto uma luz forte em cima de mim, vejo um carro muito perto de mim em alta velocidade, como se o objetivo fosse me atropelar. Caio na calçada de joelhos quando sou empurrada, começo chorar muito vendo o Jack no meio da rua desmaiado todo machucado, encaro ele em seguida o Atlas, que estava caído perto de mim.

- Minha culpa - Falo chorando deseperada

 Sinto uma dor estranha na minha barriga, vejo a mesma sangrando e caio no chão quase desmaiada. Com muita dificuldade, vejo alguém vestido todo de preto deixar um bilhete colado na minha blusa e pisco algumas vezes com dificuldade em seguida seguro o bilhete sujando ele de sangue.

"Esse é so um pequeno e doloroso aviso, daqui pra frente as coisas só irão piorar! Devia ter me escutado Dylan! Bem vindo a Londres!"

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...