História Sálvame de la Obscuridad - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Alison DiLaurentis, Anna, Castiel, Dean Winchester, Regina Mills (Rainha Malvada), Sam Winchester
Tags Castiel, Dean Winchester, Destiel, Supernatural
Exibições 45
Palavras 1.178
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


HEY, LEIAM AQUI:
Então, meu povo, vamos lá mais uma vez.
Eu estava desesperada pra postar essa fanfic pq tô completamente xonada nela, e sim, sou meio doida.
O título é um trecho da música Sálvame, vulgo, hino depressivo.
Então, queria agradecer aos blogs Sweet Design pela capa e betagem do capítulo, e Fuck Designs por esse aesthetic divo.
Então, peguei uns pedaços de Beauty and the Beast, Maleficent e até mesmo de Rapunzel pra botar nessa coisinha aqui. ENFIM, sem mais delongas, LEIAM <3

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Sálvame de la Obscuridad - Capítulo 1 - Prólogo

A vida de Dean Winchester nunca fora perfeita.

Quanto tinha apenas quatro anos, sua mãe foi morta por um demônio. O que fez com que seu pai virasse um caçador dessas... Coisas sobrenaturais.

Enquanto isso, Dean e seu irmão menor, Sam, eram deixados de lado com tantas caçadas e trabalhos. Mas aquilo não impediu John Winchester de repassar seus conhecimentos de caçador para ambos os filhos.

E eles caçavam, caçavam o tempo todo. Todavia, apenas caçavam coisas... Más, que machucavam pessoas. Estava tudo bem.

John não era um pai muito presente, mas ainda assim, os dois filhos gostavam muito dele.

Porém, um dia, o mesmo demônio que matou a mãe deles, levou também John. Não foi uma perda lá muito fácil.

Sam tinha 15 anos e, Dean tinha apenas 17. Apesar das idades serem diferentes, Sam lidou muito melhor com a morte do pai do que Dean. Talvez por questão de maturidade, ou até mesmo porque sua relação com o pai não era muito boa.

A insanidade tomou conta de Dean. Ele acreditava que a culpa era dele e, por mais que Sam tentasse tirar da cabeça do irmão que a culpa não era dele, que a culpa era do demônio, não adiantou. Por fim, Sam concluiu que o melhor por enquanto seria se afastar de Dean. Não adiantava nada tentar consolá-lo, ou algo do tipo. Aquilo, apenas o tempo consertaria.

O tempo passou e Dean apenas piorou.

Ele caçava tudo o que via pela frente. Nem tinha mais a conta de quantos anjos já tinha matado, e olha que antes anjos eram totalmente intocáveis para eles.

Enquanto não estava caçando, Dean farreava. Tanto com mulheres quanto com bebidas. Aquela era a vida dele agora: farrear e caçar tudo o que visse pela frente.

Mas no fundo, ele ainda se sentia culpado pela morte do pai. Sabia que só estava fazendo tudo aquilo para tentar se esquecer. Infelizmente, ele nunca conseguiu fazer isso.

Sam tentou ajudar várias e várias vezes, mas fora rejeitado com sucesso.

Mas Dean não ligava mais com ninguém, apenas consigo mesmo. Não importava o que acontecesse, ele não passava de um caçador egoísta. O problema é que ele foi mexer com a pessoa errada.

Uma das bruxas mais poderosas do Kansas, que misteriosamente nunca foi caçada por nenhum dos Winchesters, tinha uma irmã mais nova. Alison (A/N: a Ali de PLL).

Alison tinha apenas 15 anos e não sabia nada do mundo. Ela esperava o bem das pessoas e para ela todos tinham bondade, mesmo que fosse escondida. Foi isso que ela viu em Dean.

Exatamente por isso, começou a amá-lo profundamente.

Mas Dean não se importava com isso, apenas queria uma boa noite de sexo, não importava quantos anos ela tinha. E foi aí que surgiu um pequeno, talvez grande, problema. Alison engravidou.

Ela ficou feliz e achava que Dean conseguiria ficar tão feliz quanto ela. Alison era tão inocente... Ela realmente achava que Dean só havia dormido com ela porque gostava dela de verdade, porque a amava, e agora ele iria casar com ela e eles iriam viver felizes para sempre. Pelo menos foi assim que ela imaginou.

Mas foi totalmente o contrário do que ela pensou. Ela nem chegou a contar do bebê, só o que Dean disse a ela foi o suficiente para que Alison se jogasse da ponte. Fazendo com que ambos morressem. Ela e o bebê.

Regina, a bruxa mais forte e poderosa de todo o Kansas, era a irmã mais velha de Alison. E assim que ficou sabendo que a irmã se suicidou por causa do “grande caçador Winchester”, não perdeu tempo. Planejou uma vingança à sua altura.

Ela reuniu tudo a fim que Dean tivesse sua vida completamente arruinada, assim como a dela. Claro que não foi da noite para o dia, mas ela conseguiu.

Dean não sabia a diferença de garçonete para garçonete, até porque todas eram prostitutas. E Regina se aproveitou disso. Aproveitou-se da ignorância dele e o serviu uma bebida envenenada.

O que fez com que em dentro de algumas horas, quando não houvesse mais ninguém na taverna, ele estivesse morto.

Mas é claro que Regina não iria apenas matá-lo. Isso seria uma recompensa, na verdade. Punição de verdade seria o que aconteceria com Dean.

Ela o levou para sua casa e fez o resto do serviço. Fez com que ele se tornasse um demônio.

Não, não. Sem chifres, sem rabos, sem essas coisas. Aquilo era tão… Arcaico.

Punições com consequências físicas era algo totalmente ultrapassado para Regina. Mas ainda assim, havia uma pequena mudança física em Dean. Seus olhos ficariam totalmente negros e, dali sairia uma pequena parte de sua vingança.

Enfim, a parte de ser um demônio seria horrível para Dean porque ele seria aquilo que acabou com sua família e, também, aquilo que ele odiava e passara anos caçando. E é claro, havia as partes ruins. Ele teria que se alimentar de almas puras humanas e, além do mais, se alguém olhasse no fundo dos olhos dele, aqueles olhos completamente negros e sem emoções refletidas, veria automaticamente seus próprios medos.

Mas é claro, aquilo não era o pior, o pior viria depois. Regina sabia o clichê que é uma maldição ser finalizada com amor verdadeiro. E como ela não era uma mulher de clichês, não seria assim que aconteceria.

Claro que o clássico e entediante amor seria envolvido, mas a história acabaria de um jeito diferente.

Dean teria 100 anos para achar alguém, alguém que realmente o amasse.

Caso não encontrasse, morreria e iria para o inferno, onde o grande rei do inferno teria prazer em proporcioná-lo uma eternidade de miséria, bem pior do que todos os outros teriam.

Já se ele encontrasse alguém, e ambos se declarassem e tal, Dean deixaria de ser um demônio e poderia viver normalmente.

Mas aí é que vinha a pior parte de todas. Regina tinha Sam em sua posse e aquilo se tornava incrivelmente divertido pra ela.

Caso Dean deixasse de ser um demônio e encontrasse essa pessoa maravilhosa que o amasse, teria que haver uma escolha: Dean poderia fazer com que seu irmão vivesse e a pessoa que o amava iria para o inferno sofrer o resto da eternidade. O mesmo aconteceria com Sam caso Dean escolhesse a pessoa que ele amava. Ou seja, nunca haveria um final feliz nessa história.

Regina ria maliciosamente pensando em como sua mente poderia ser perversa.

~0~

Anos se passaram e Dean já se acostumara com a ideia dele ser um demônio. Tantos anos os caçando…  E agora, ele era um deles.

Ele já se acostumara a atrair humanos com almas puras e sugá-las, até que não houvesse uma gota de vida no corpo.

Espalhara-se a lenda de um demônio vivendo em uma grande mansão no alto do morro, perto de uma ponte, mas absolutamente ninguém tinha coragem de ir até lá.

Ele sabia que queimaria no inferno até não existir mais cinzas e que Sam deveria estar sofrendo nas mãos daquela maldita bruxa em algum lugar e, também, sabia que tudo aquilo era culpa dele.

Porém, Alison, a garota cuja vida ele destruíra há tanto ano atrás, ainda o observava o tempo todo.

— Ah, Dean...   ela dizia para si mesma.  Não vai ficar assim… Você vai ser feliz um dia, não importa o que aconteça…


Notas Finais


Espero que tenham gostado, logo logo tem capítulo novo!!
Favoritem e comentem, até mais <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...