História Salvation or Destruction? - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Cana Alberona, Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Jellal Fernandes, Jude Heartfilia, Layla Heartfilia, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Sting Eucliffe, Wendy Marvell
Tags Nalu
Visualizações 115
Palavras 1.565
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa Leitura 😘

Capítulo 4 - Capítulo Três.


Estava deitada na cama e olhava para o teto com a esperança de que alguma idéia aparecesse, por que eu estou totalmente entediada nesse quarto. Acho que já faz uns trinta minutos que eu estou aqui e meu kami isso é tão chato.

Fechei os olhos e deixei o sono me invadir.

Acordei com alguém me balançando, abri os olhos com relutância e vi a Levy me olhando.

- Finalmente vocês acordou. - Ela falou. - Está quase na hora do jantar, você precisa se arrumar!

- Não quero comer. - Eu murmurei. - Estou sem fome.

- Mas você...

- Por favor, eu estou sem fome!

- Tudo bem. Se precisar de algo pode me chamar.

Ela saiu do quarto e fiquei ali deitada de costas para a porta, fechei os olhos, mas o sono não voltou, isso sempre acontece. Continuei de olhos fechados durante um longo tempo até que o sono finalmente resolveu aparecer novamente.

Acordei sentindo minha barriga roncar, abri os olhos e vi que ainda devia ser noite, minha barriga reclamou de fome novamente e eu sai da cama e fui até o banheiro que tinha no quarto, meu cabelo estava todo bagunçado e a minha cara amassada, prendi meu cabelo em um coque mal feito e lavei meu rosto e sai do banheiro e tirei aquela roupa horrível que eu estava usando e coloquei uma blusa e uma calça de moletom e abri a porta o corredor estava totalmente escuro e não tinha nenhum sinal de vida, espero que eu consiga achar a cozinha. Comecei a andar e percebi que não havia posto nenhum sapato nos pés, mas isso não importa agora.

Continuei andando durante minutos e nada de achar a cozinha, senhor essa casa é enorme e um completo labirinto. Uma das portas daquele corredor se abriu e uma mulher de cabelos longos vermelhos apareceu e ela vestia uma camisola fina de seda, parei na hora e tentei dar meia volta, mas acho que ela me percebeu ali.

- Está perdida?

Olhei pra ela e confirmei, ela deu um sorriso e se aproximou de mim.

- Você deve ser Lucy Heartfilia, certo?

- Sim.

- Sou Erza Scarlet, muito prazer. Então a onde estava pretendendo ir?

- A cozinha.

- Estava indo pra lá agora, vou te levar.

Acompanhei a Erza até a cozinha e quando finalmente chegamos eu fui ver o que tinha de interessante pra comer e a ruiva foi direto para a geladeira e tirou de lá um bolo de morango, abri uma das prateleiras e encontrei um salgadinho e peguei e me sentei na mesa para comer.

- Natsu me falou de você. - Erza começou a falar. - Ele disse que a filha do Heartfilia era uma garota teimosa, irritada, mas que era muito bonita.

- Bom pra ele achar isso. - Eu murmurei.

- O Natsu não é alguém tão ruim. Se for boazinha e fizer o que ele pedir, talvez você possa sair as vezes daqui.

- Isso é ser um cachorrinho e eu não sou isso! Prefiro ficar trança fiada dentro daquele quarto do que ficar dois minutos perto daquele crápula!

Já estava me irritando com tudo aquilo, a Erza estava me olhando e sorriu de lado pra mim.

- Tem razão. Você não parece com alguém que seguiria ordens, ainda mais de um mafioso. Mas acredite quando eu digo que o Natsu não é tão ruim assim.

- Me falaram outra coisa.

- E o que te falaram.

- Que viver com ele seria pior que a morte!

Erza ficou em silêncio por um minuto enquanto olhava para seu bolo, parece que dessa vez ela não tinha argumentos contra o que eu disse. Então ele deve ser mesmo um monstro.

- Talvez essa pessoa esteja certa, mas só se você o irritar. - Erza disse se levantando. - É melhor voltar para o seu quarto.

Já havia amanhecido e eu não havia conseguido pregar no sono depois que voltei para o quarto, continuei deitada na cama até a porta se abrir e uma certa baixinha azulada soltar um suspiro.

- Ainda na cama? - Ela perguntou. - Precisa se levantar, o café está pronto!

Me sentei na cama e olhei pra ela que estava na porta.

- Não quero...

- Você precisa se alimentar! Não jantou ontem a noite! Está querendo morrer de fome?

- Não seria uma má idéia.

- Vamos logo! Estou te esperando do lado de fora, você tem dez minutos.

E assim saiu do meu quarto, prático isso não? Ela fala e eu tenho que obedecer, que saco! A contra gosto entrei no banheiro e tomei um banho rápido, sai do banheiro já vestida com uma calça jeans rasgada nos joelhos e um moletom cinza, calçei um tênis, prendi meu cabelo e sai.

Levy estava realmente me esperando, ela me olhou de cima a baixo e negou com a cabeça.

- Não viu que eu coloquei roupas novas no seu armário? - Ela perguntou.

- Vi sim, mas prefiro minhas roupas! E não tente me fazer trocar, porque eu não vou!

- Está bem, vamos logo!

Andamos até uma sala onde havia uma grande mesa com várias pessoas sentadas ao seu redor, elas conversavam animadas e sorridentes, já detestei esse lugar!

Levy falou para mim me sentar na frente do Natsu e muito contra ao gosto eu sentei, mas nem olhei em seus olhos e isso o fez soltar uma leve risada.

- Está me ignorando, Lucy?

Não respondo apenas olhei para o meu prato vazio, peguei algumas coisas e coloquei em meu prato e comecei a comer sem dizer uma única palavra.

- Ficou sabendo? Lisanna volta hoje são missão. - Um dos homens ao meu redor comentou. - Você deve estar feliz, Natsu! Já que a sua namorada está de volta!

- Lisanna não é minha namorada, Macao. - O Natsu falou sério. - Somos amigos.

- Amigos não transam. Admita que você sente algo pela albina.

- Mas ela ficará chateada, quando souber que você a trocou por uma garota nova.

Se ele realmente tem uma namorada, menos mal assim conseguirei ficar longe dele com mais eficiência do que eu pensei.

- Não se preocupem com isso, Lisanna sabe que entre eu e ela não rola nada sério. Então está tudo bem.

Continuei prestando atenção jogo meu café da manhã, porque ficar ouvindo conversa alheia é um saco. Tomei meu café da manhã ignorando tudo que acontecia ao meu redor, geralmente eu sempre faço isso em todas as refeições, ignoro as pessoas ao meu redor.

Só percebi que só restava eu e o idiota ao meu lado na sala de refeições, quando ele começou a mexer no meu cabelo, bati em sua mão irritada e o olhei friamente.

- Você deveria tentar se socializar, loira. - Ele disse com um sorriso. - O pessoal está começando a te achar estranha.

- Eu não ligo para o que falam de mim. Por mim que se danem todos.

- Fria, grossa, teimosa. Será que precisarei colocar mais algum adjetivo na sua personalidade?

Revirei os olhos e me levantei da cadeira, mas antes de me afastar da mesa, ele segurou minha mão e me puxou pra trás, fazendo eu me sentar em seu colo. Esse homem é tão irritante, chato e insuportável!

- O que você pensa que está fazendo? - Eu perguntei.

- Apenas tentando aproveitar um tempo com você.

- Não ligo! Eu quero manter três metros de distância de você!

- Você é tão amorosa. - Conseguia sentir o sarcasmo em sua voz.

- Acredite, amorosa, carinhosa são as últimas coisas que um dia eu serei. Agora me solta!

- Tão chata. - Sussurrou no meu ouvido.

- Tão irritante.

Ele continuou me mantendo ali no colo dele durante minutos, eu não disse uma palavra sequer, assim como ele. Ele apoiou o queixo no meu ombro e ficou olhando para a parede branca.

- Você poderia me contar algo sobre você. - Ele disse quebrando o silêncio.

- Não, eu não deveria. Da minha vida nada é da sua conta!

- Desse jeito eu não vou saber nada sobre você.

- Essa é a intenção, você não saber nada.

- Por que justo você, tinha que ser filha de Jude Heartfilia? - Ele sussurrou com a intenção de eu não escutar.

- Boa pergunta!

Me levantei bruscamente e sai andando, ouvindo ele me chamar, mas apenas fiz quando meu pai queria descontar sua raiva em mim, ignorei, fingi que aquilo não existia e mandei para o lado mais escuro da minha mente.

Andava a passos rápidos pelo corredor, quando acabei trombando em algo e caindo no chão.

- Olha por onde anda! - Uma voz fina e irritada disse.

Olhei para cima e vi uma garota, que aparentava ter a minha idade, cabelos brancos curtos e olhos azuis, se parecia muito com a garota do carro.

Me levantei e continuei andando ignorando o que a albina havia dito e isso parecia ter deixado ela um pouco irritada.

- Além de trombar comigo, tem a audácia de não me pedir desculpas?

- Não sou obrigada a ser educada. - Falei ainda de costas.

- Acho que ser educada, você não é! Aliás nunca te vi aqui, quem é a marrenta?

- Não é da sua conta!

- Lucy! - A voz daquele idiota me chamou.

Sem muita vontade me virei e vi ele andando perto de mim e antes que completasse seu trajeto a albina se jogou nos braços dele e lhe tascou um beijo ao qual revirei os olhos. Quando se separaram o Natsu ficou olhando para a garota.

- Lisanna!


Notas Finais


Até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...