História Same Mistake - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Álvaro Morata, Cristiano Ronaldo, James Rodríguez, Karim Benzema, Luka Modric, Marcelo Vieira, Sergio Ramos
Personagens Cristiano Ronaldo
Visualizações 579
Palavras 1.760
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa Leitura!

Capítulo 23 - Capítulo 23


Fanfic / Fanfiction Same Mistake - Capítulo 23 - Capítulo 23

4 de novembro de 2016:

Madri, Espanha:

Pov. Joana Pereira:

Gravidez. Casamento. Relação familiar. Eram os temas que eu estava me acostumando a lidar em relação a Cristiano, só que ontem surgiram duas coisas que me deixaram intrigada. Supostamente ele teria sonegado dinheiro e supostamente ele podia ter "encomendado" filhos nos EUA. Esses dois assuntos eu iria conversar com ele agora a noite.

-Aqui senhora, os lanches já estão prontos. - Beatriz me avisa.

-Sem esse senhora... pode me chamar de Joana. Obrigada. - falo me referindo aos lanches.

-Não há de que se... Joana. - ela fala e sorri.

Beatriz se portava de maneira profissional, era quase invisível na casa e quase nunca falava.

-Me ajuda a levar na sala de TV? - pergunto.

-Claro.

Ela pega a bandeja com copos e a jarra de suco, enquanto eu carregos os sanduiches.

Seguimos para a sala de TV onde Jú e os amigos travavam uma disputa de video game.

-Uma pequena pausa para comer, rapazes. - falo.

Pietro e Luca pausam o jogo e se juntam a Júnior e Enzo no sofá.

-Uh... eu já estava ficando com fome. - Enzo comenta.

Dou risada.

Bem filho do Marcelo. Apesar de não conhecer pessoalmente o jogador, eu tinha minhas impressões sobre ele.

-Está tudo arrumadinha, um de cada... caso queiram mais é só pedir. - falo servindo o suco.

Os garotos pegam os sanduiches e eu vou entregando os copos de suco.

-Daqui a pouco vamos desligar isso ai e vamos começar a se preparar para dormir. - aviso.

-Mais já? - Júnior pergunta.

-Já? Já são quase nove da noite. - digo o horário.

-Amanhã é sábado tia. - Pietro justifica.

-E vocês tem treino de futebol. Esqueceram?

Eles arregalam os olhos e se olham.

-Mas o treino começa as dez. - Luca tenta me convencer.

-Para ser um bom jogador, tem que ter uma vida regrada. Tem que dormir bem, comer alimentos saudáveis, ser disciplinado. - listo.

-Tá bom, tá bom... - Júnior se dá por vencido.

-Mais trinta minutos de video game e não se fala mais nisso. - acabo permitindo um pouco mais de tempo.

-Eba! - eles comemoram.

Dou risada.

-Quando terminarem coloquem o guardanapo aqui na bandeja, depois eu recolho tudo. - falo.

Eles fazem sinal positivo com a mão.

-Vou ficar na sala de estar, Beatriz na cozinha... qualquer coisa é só chamar. - deixo eles de sobreaviso.

Saio da sala de TV e vou para a sala de estar que era logo ao lado. Os cômodos dessa casa passaram a ficar bem mais confortáveis e elegantes depois da decoração nova. Sem tantos objetos, cores e estátuas tudo ficava mais "sobreo" e acolhedor.

Um pigarrear me desperta.

Olho na direção do som e vejo Cristiano entrando em casa.

-Boa noite. - falo.

-Boa noite. - ele responde.

Ele estava com um cara de desconfiado, mas não demorou muito para eu descobrir o motivo. Uma mancha vermelha no pescoço e o perfume adocicado.

-E os meninos? - ele pergunta.

-Estão jogando. Daqui a pouco vou coloca-los para dormi. - falo pegando meu celular.

-Vou no quarto tomar um banho... passei o dia na rua. - ele justifica.

-Vai lá. - digo sem muito interesse.

Quer enganar quem?

Ele atravessa a sala um tanto apressado e sobe as escadas.

-Não sei para que isso. - falo balançando a cabeça negativamente.

Eu e ele só tínhamos algo na cabeça do público, então ele não precisava tentar esconder de mim esse casinho.

Voltei a mexer no meu celular e fiquei me distraindo com FCs. Era engraçado saber que eu havia ganhado um fã clube por ser a namorada do Cristiano Ronaldo e era mais engraçado ainda ver que tinha as "Anti Joana". O "time" que jogava contra mim era insignificante, não chegava a ter 100 seguidores e só falava besteiras.

Estava rindo das besteiras, quando Claudia me mandou uma mensagem.

Já separei algumas coisas para você levar para a África. Por que você não divulga isso nas redes sociais? Teria um retorno maior.

Eu já tinha pensado nisso.

Eu até pensei nisso, mas depois desisti.

Aparece que ela está digitando e eu fico esperando.

Por que desistiu?

Digito para ela.

Porque iria me sobrecarregar e agora eu tenho que ficar 24 hr ligada no que falam do Cristiano... além de que eu teria que perguntar a ele se pode ou não.

Ela logo responde.

Eu posso te ajudar. Acho que o Cristiano não iria se opor... mas fala com ele.

Se ela vai me ajudar...

Vou falar com ele e te dou uma resposta.

Ela manda emojis e nossa conversa se finda ali.

-Não já tá na hora dos meninos dormirem? - a voz de Cristiano chama minha atenção.

Ele estava descendo as escadas. Já estava com uma outra roupa, calça de moletom e camisa branca e os cabelos úmidos.

Olho o relógio na tela do meu celular e percebo que já estava mesmo.

-Realmente, já está quase na hora.

-Te ajudo com eles. - ele fala.

Ele está desconfiado.

Chamamos os meninos e os levamos para o quarto de Júnior. As camas já estavam arrumadas e os respectivos pijamas estavam em cima delas.

-Tchau, os meninos vão se trocar. - Cristiano fala.

Os meninos riem e eu reviro os olhos.

-Ai meu Deus. - falo, mas acabo saindo do quarto.

Cinco minutos depois Cristiano abre a porta do quarto.

-Pode guardar seu livro para uma próxima, porque eles já capotaram.

-Já? - pergunto surpresa.

-Do jeito que eles falaram que brincaram, eles estão cansados. - ele fala.

Realmente, eles brincavam desde depois do almoço e só paravam para comer.

-Então ótimo... preciso conversar com você. - falo.

-No nosso quarto. - ele fala e passa.

Entramos no "nosso" quarto. O ambiente estava bem melhor sem todos aqueles espelhos, paredes e moveis escuros, sem o aquário e principalmente, sem aquele cobertor de onça aveludado.

-O que você quer falar? - ele pergunta.

-Duas noticias saíram hoje e me deixaram intrigada... uma dizia que você sonegou dinheiro da receita e outra que você será pai de gêmeos. - falo.

Não houve nenhuma mudança de expressão da parte dele.

-Somos uma dupla Cristiano, na verdade um grupo. Estamos juntos nisso aqui e eu acho que segredos não irá nos beneficiar em nada.

-Então por que você não me diz o motivo do seu súbito interesse em terminar nosso acordo? - ele me questiona.

Dou uma risada irônica.

-Se você quer trocar informações, vamos lá. Eu estava me apaixonando por alguém, mas esse alguém não valia a pena.

Se falar o que aconteceu comigo, fará ele confiar em mim, eu contarei tudo.

-Eu sabia que era isso. - ele fala sem demonstrar grande surpresa.

-Sua vez de "revelar".

-Sim, Jorge e eu acabamos cometendo um erro com a receita, mas iremos resolver.

-E os possíveis gêmeos?

Essa era mais importante de todas. Duas crianças.

-Sim, eles estão a caminho. - ele confirma.

Mais o que?

-Como assim? - pergunto ainda um tanto perdida e sem acreditar.

-A clínica me ligou a alguns dias e confirmou que deu tudo certo com a fertilização.

-E você não me fala nada? Eu fiquei sabendo pela imprensa.

-Tínhamos outras coisas para resolver, além do mais as crianças só chegam em junho.

Nego com o dedo.

-Porra, Cristiano. Nós estamos juntos nesse jogo, você não pode simplesmente deixar assuntos como esse para depois. - reclamo.

-Você iria me deixar na mão até alguns dias atrás, você ia desistir de tudo. Você é instável. - ele rebate.

O erro que eu iria cometer vai me perseguir.

Respiro fundo. Precisamos manter a calma.

-Ok, eu admito que cogitei te deixar na mão, mas isso não irá se repetir. - falo.

-Qual garantia eu tenho?

Me aproximo um pouco dele.

-O meu empenho em fazer tudo certo deveria ser uma prova.

-Você sempre esteve empenhada, o problema é esse.

-Eu acordei. Já aprendi que seguir o coração é uma furada.

Ele apenas continua parado de braços cruzados.

-Eu estava me apaixonando a ponto de querer deixar o dinheiro acordado para trás, mas por sorte eu descobri que ele não prestava, ele tinha uma namorada e eu me dei conta da merda que estava fazendo. - começo.

Ele apenas me observava.

-Amor vem e vai, termina e encontra um novo, dinheiro não... você só tem uma oportunidade. Não vou falhar de novo.

-Espero que não. - ele fala.

-Selamos um pacto hoje. De sinceridade e confiança. - falo estendendo minha mão para ele.

Ele olha minha mão por alguns segundos e depois aperta.

-Jogo limpo. - ele fala.

-Jogo limpo. - repito.

Apertamos nossas mãos e nos olhamos "olho a olho".

-Só tenha mais cuidado com as marcas, porque isso reflete em mim. - falo me referindo a marca no pescoço dele.

Ele ri e solta minha mão.

-Ficarei atento. Posso te perguntar uma coisa?

Me sento na cama.

-Pode, estamos no momento "sincerão".

-Você transaria comigo?

Acho estranha a pergunta e ao mesmo tempo engraçada.

-Por que está rindo? - ele pergunta e ri um pouco.

-Só não esperava essa pergunta. - falo a verdade.

Ele se senta ao meu lado e dobra uma perna.

-Responde. - ele pede.

Olho para ele ainda dando risada.

-Não hoje, não nessa semana. - falo.

Ele arqueia a sobrancelha.

-Por que?

-Porque você já se satisfez por hoje e a saliva de quem quer que seja estará misturada na sua pelos próximos dias. - explico.

Ele solta uma gargalhada.

-É sério isso? - ele pergunta eu meio as risadas.

-É. - confirmo.

Ele vai parando de ri aos poucos.

-E depois que essa semana passar?

Ele está realmente querendo transar comigo.

-Não acho que seja uma boa ideia nós enfiarmos o sexo no meio disso. - falo.

Ele ri do que eu falo.

-O que... - antes de perguntar eu entendo do que ele ria.

Usei palavras de duplo sentido.

-Você entendeu o que eu quis dizer.

-Por que?

-Porque... você pergunta mais porque do que o Júnior. - falo.

Ele revira os olhos e ri.

-Convivência.

-É arriscado... querendo ou não a gente não controla sentimento e esse lance de amizade colorida sempre faz alguém sair machucado. - respondo a pergunta dele.

Ele meneia com a cabeça.

-Tudo bem, entendo seu lado. - ele fala.

-Nada pessoal, mas... negócios são negócios. - digo e pisco para ele.

-Primeira pessoa que é capaz de agir como eu quando se refere a negócios. - ele observa.

-Somos parecidos de alguma forma. - admito.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Olha elesssss.
Cris foi direto ao ponto em? Mas nossa garota agora está focada.
Cristiano tem mesmo um aquário no quarto...e o cobertor de onça também. A casa dele faz meus olhos sangrarem 😂😂😂😂😂😂
Bjssss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...