História Same Mistake - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Álvaro Morata, Cristiano Ronaldo, James Rodríguez, Karim Benzema, Luka Modric, Marcelo Vieira, Sergio Ramos
Personagens Cristiano Ronaldo
Visualizações 552
Palavras 1.651
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa Leitura!

Capítulo 28 - Capítulo 28


Fanfic / Fanfiction Same Mistake - Capítulo 28 - Capítulo 28

31 de dezembro de 2016:

Ilha da Madeira, Portugal:

Pov. Joana Pereira:

O hotel CR7 Pestana estava fervendo de agitação quando voltamos. Maquiadores, cabelereiros e tudo mais estavam correndo para arrumar a família trapo.

-Daqui a pouco vão estar batendo na porta. - Cristiano fala atrás de mim.

Olho para ele através do espelho.

-Já estou pronta... está bom? - pergunto e me viro para ele.

Ele me olha da cabeça aos pés.

-Muito bom. Onde está a barriga que abriga o nosso primeiro filho em comum?

Eu queria ter ficado brava, mas o que eu fiz foi ri junto com ele.

-Presa numa calcinha modeladora. - conto.

-Tá de sacanagem. - ele desacredita.

-Eu não ia vestir esse vestido maravilhoso com aquela barriga. - falo.

-Para todos os efeitos você está grávida. - ele fala.

-Para todos os efeitos eu estou no início da gravidez, logo, minha barriga não estará enorme.

-De fato. Vai conseguir comer com isso apertando? - ele pergunta.

-Eu desisti da cinta das Kardashians para conseguir comer.

-Você ia usar aquele treco?

-Eu ia, até comprei, mas... o G me deixou sem ar, mal consegui fechar. - explico.

Ele ri.

-A partir de amanhã pode voltar para a academia, deixa pensarem o que quiserem... já causamos demais com esse suposto baby a caminho. - ele fala.

Graças a Deus. Não que eu fosse uma louca por academia, mas levar fama de grávida porque ganhou alguns quilos não é legal.

-Espero entrar em forma até as férias. - falo.

Ele havia comentado por alto que pretendia passar as férias pelas praias da Europa, onde com toda certeza chamaríamos atenção.

-Já tem um personal que irá cuidar da sua volta a forma, fique tranquila. - ele fala.

Isso é bom.

-Agora vamos para a festa, porque eu não quero ninguém falando no meu ouvido. - ele fala.

-Vamos.

Saímos do quarto e no corredor encontramos o cunhado (Ken deformado) já vindo nos buscar. Seguimos com ele para onde estava acontecendo a festa da matriarca dos Aveiro.

Prata e dourado eram as cores que estavam reinando naquela festa. Balões, cadeiras, tudo trazia essas duas cores.

-Uau... tu estás tão gira. -Júnior comenta ao me ver.

Dou risada.

-Você também, meu querido. - falo.

-A mesa de doces está incrível, você precisa provar. -ele comenta comigo.

Júnior sabia que eu adorava um doce.

-Será que já podemos atacar? - pergunto a ele.

-Pode sim, eu já comi. - ele confirma sorrindo sapeca.

-Bye. - digo a Cristiano.

Ele ri e balança a cabeça negativamente.

Sigo com Júnior e pego alguns daqueles milhares de doces que estavam a mesa.

-Joana você está grávida? - Júnior me pergunta enquanto comíamos.

Essa história já chegou até ele.

-Não, Jú, por que você está perguntando isso? - o questiono.

-Eu ouvi minha vó falar que eu vou ganhar irmão e minha tia Kátia dizer que você engordou. - ele fala e joga o doce para dentro da boca.

Tinha que ter sido elas.

-Olha, Jú, eu não estou sabendo dessas coisas não, mas eu vou falar com seu pai. Quanto a eu ter engordado, você sabe que eu tenho comido bastante e não me exercitado.

Eu não sei se Cristiano irá contar para ele agora sobre os bebês, então preferi contar uma mentirinha.

-Você continua bonitona. - ele fala e eu dou risada.

-Quando a gente voltar para casa, eu vou para a academia e treinar muito. - digo e ele ri.

-Nem precisa, eu já acho você bonita... você vai ficar sem comer também? - ele pergunta.

-Eu? Sem comer?

Ele solta uma gargalhada gostosa.

-Ainda bem. Meu pai tem que comer diferente porque é jogador... mas se você comer normal, eu não vou comer normal sozinho.

Dou risada.

Eu adorava o Júnior, ele era tão incrível comigo.

-Então nós dois vamos comer normal e seu pai diferente, fechado? - cerro o punho para ele bater.

Ele faz o mesmo que eu e bate na minha mão.

-Fechado.

-Desculpa interromper o momento de comilança de vocês, mas temos que tirar algumas fotos. - Cristiano nos interrompe.

-Então vamos lá. - digo.

Eu tinha visto ele tirando fotos com as irmãs e a mãe.

Fomos para perto de Miguel, Nana, Ricardo e Claudia.

-Bate aqui a foto. - Cristiano pede a Ricardo.

O mesmo pega o celular da mão de Cristiano e nós nos posicionamos. Cristiano passou a mão pela minha cintura e Júnior ficou a nossa frente, sorrimos e pronto.

-Eu fiquei bonito? - Júnior pergunta.

Todos rimos.

Cristiano pega o celular e mostra a ele.

-Eu fiquei bonito e a Joana ficou linda. - ele fala e sorri para mim.

-Ah seu puxa saco. - Cristiano bagunça o cabelo dele.

Dinis aparece e "rouba" Júnior de nós. Nós ficamos conversando com nosso grupo de "amigos". Ricardo estava um pouco estranho, parecia estar ansioso por algo, já os outros estavam normais, rindo e contando histórias.

-Vem aqui comigo, rapidinho. - Cristiano pede.

Dou de ombros e vou com ele.

ele me levou para um canto da festa, onde ninguém prestava atenção.

-O que foi? - pergunto.

Ele suspira.

-Eu tenho uma nova proposta para te fazer. - ele fala.

-De que tipo?

Ele engole a saliva.

-No dia da sua viagem o Jorge me chamou para conversar, ele me mostrou números e previsões para o nosso futuro.

-Hum...

-E segundo ele, uma união mais séria é o melhor caminho para o sucesso.

União mais séria?

-E essa união mais séria seria o que?

-Casamento. - ele fala rápido.

Arregalo os olhos.

-Como assim casamento? - pergunto assustada, surpresa e incrédula.

-Eu também tive essa reação, mas pensando bem em tudo as coisas deixam de ser tão absurdas. - ele fala.

Ele acha normal casar?

-Nós vamos estar seguros num contrato pré-nupcial e a união não será eterna. - ele detalha.

Eu ainda continuo achando absurdo.

-Olha, Cristiano, namoro é uma coisa, casamento é outra bem diferente.

-A gente só estará mudando o nome, Joana.

-Mudando um nome? Cristiano, espera aí. Casamento não é só mudar um nome não.

-No nosso caso é, Joana. Nós não estamos envolvidos de forma amorosa, não vamos nos casar porque nos amamos. Será mais um acordo. - ele fala.

-Ainda assim é uma coisa séria. - rebato.

Ele solta o ar pela boca.

-Como eu te disse, teremos um belo contrato pré-nupcial. Você irá ganhar e eu também. - ele fala um tanto ríspido.

Esse não era o mesmo Cristiano de mais cedo. Não é o mesmo cara que foi comigo a um boteco, o que acreditou numa idosa caduca e depois riu da situação.

-O que aconteceu? - pergunto.

Ele franze o cenho.

-Não entendi.

-Você está diferente, foi até grosseiro.

Ele suspira.

-Me exaltei um pouco, perdão. - ele fala.

-Seu nervosismo tem alguma ligação com a ansiedade do Ricardo? - insisto.

Ele engole a saliva.

-Lembra que somos cumplices e prometemos lealdade um ao outro? - refresco a memória dele.

Ele olha para baixo.

-Me desculpe se eu te pressionei. - ele fala.

-Tudo bem, agora me fala o que te deixou assim. Você estava tão bem mais cedo, rindo, se divertindo e até pouco tempo atrás você estava tranquilo.

-Eu vou te dizer uma coisa e eu espero que você não esqueça... não se apaixone ou ame ninguém.

E voltamos a pensar da Senhora Shayk. Claro. Como eu não pensei nisso antes?

-Desculpe, mas já cometi os dois "erros". - digo.

Ele sorri fraco.

-Não acho que seja propriamente um erro, sabe? Nós amamos nossos pais, amigos, irmãos, filhos e eu não acredito que isso seja um erro, também não acho que se apaixonar seja um crime e a pior coisa da vida... tudo é aprendizado.

Apesar de doer, muitas vezes, a paixão nos ensina muita coisa.

-Aprendizado dolorido. - ele completa.

-Para um ganhar, outro tem que perder. É a vida. - falo e pouso minha mão sobre seu ombro.

-Você lidou bem com o seu coração partido? - ele pergunta.

-Eu não sei ao certo... eu apenas tentei me acalmar e encarar como mais uma decepção para a minha vasta coleção. Não tratei como algo especial, ainda mais porque não cheguei a viver ela. - sou realista com ele.

-E se tivesse vivido e por um acaso se decepcionado?

-Se é uma condição. Se eu tivesse vivido, se eu tivesse me decepcionado ainda mais. Nada disso aconteceu, então eu apenas... tento te entender. - digo e sorrio.

-Por que tenta me entender?

Dou risada por causa da milésima pergunta.

-Porque eu não sou ninguém para te julgar. Sou tão humana e podre como você e... eu sei o que é não ser compreendida e o quanto doí.

Um grande exemplo é minha mãe.

-Isso foi forte. - ele comenta.

Bato de leve no seu ombro e recolho minha mão.

-Olha, me desculpa mesmo pela abordagem... tem horas que eu esqueço que juramos lealdade e que posso contar com você também. - ele fala.

-Estou aqui para te lembrar. - digo e pisco para ele.

-Obrigado por isso. Eu acho que fui muito afoito ao te falar da proposta, mas não a retiro. - ele continua.

-Eu irei pensar a respeito.

-Tudo bem... como eu te disse, será algo bom para nós dois e ocorrerá do mesmo jeito que agora. - ele acrescenta.

-Eu ire pesar tudo. - garanto.

Ele concorda com a cabeça.

-Agora vamos voltar para festa e curtir as últimas horas de 2016. -

-Tomara que 2017 seja melhor. - ele resmunga.

-Está achando 2016 ruim? Foi o melhor da Europa, melhor do mundo, campeão da Champions, campeão da Eurocopa com Portugal... quer mais o que gajo?

Ele ri.

-O profissional foi ótimo, mas só ele mesmo.

-Nada satisfaz esse gajo. Não mudou nada. - comento.

-E você com a língua afiada, não mudou nada. - ele rebate e rimos.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
E o gajo propôs casamento. Será que ela aceita?
Júnior sendo apenas o dono dessa fic.
Parece que o "casal" se entende bem,né?
Bjssss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...