História Sample of a love [ Binwoo ] - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias ASTRO
Personagens Eunwoo, Jinjin, MJ, Moonbin, Rocky, Sanha
Tags Astro, Binu, Binwoo, Cute, Dad's, Eunwoo, Fluffy, Kpop, Longfic, Moonbin, Mpreg, Shoujo, Yaoi
Visualizações 62
Palavras 1.185
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Fluffy, Lemon, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá! Alguém ainda esta lendo essa história? Se sua resposta for sim, não seja um leitor fantasma. Comente e favorite, isso é muito importante para o desenvolvimento da fanfic.

• Avisos :

MOONBIN É MAIS VELHO NESSA FANFIC
LEE DONGMIN= EUNWOO.

Capítulo 6 - 6.Six


Lee apertava seus passos para poder chegar em casa antes do escurecer. Pobre garoto, nem mesmo sabia a situação que estava em sua casa. 

Sua mãe continuava imóvel sobre a cadeira da cozinha. Seus braços estavam apoiados na mesa e suas mãos seguravam o exame de DongMin. Seus olhos exploravam cada palavra, queria ter toda certeza se era aquilo mesmo. Seu filho mais velho, o orgulho da família, agora estava esperando uma criança. Jiyoon tinha medo de como seu marido iria reagir ao saber desta grande bomba. Sabia que deveria apoiar seu filho, uma gravidez inesperada era realmente difícil.

A porta foi aberta, revelando um DongMin cansado. A casa de Minhyuk não era tão longe assim, mas o caminho foi longo o suficiente para fazer Min ofegar. 

—Omma?— A voz doce do garoto ocupou todo cômodo da pequena cozinha, DongMin se aproximou curioso, tentando enxergar o que era aquilo que sua mãe estava tão concentrada.

— Sente, DongMin.— Foi a vez da voz fraca feminina quebrar o silêncio. Lee conhecia sua mãe muito bem; ele soube que ela estava séria apenas escutando sua voz. 

Aconteceu algo?— Era evidente o nervosismo do garoto. Ele se sentou na cadeira que estava em frente de sua mãe, suas pernas eram balançadas freneticamente. Mas seu coração falhou uma batida quando ele avistou o nome do hospital que tinha frequentado no papel. Seus olhos se arregalaram, tentava falar algo, mas naquele momento ele já tinha perdido toda sua voz. 

Eu já entendi tudo, filho. Apenas me diga: Como?— Sua voz estava cansada, ficar a tarde toda sentada ali fazia suas costas gritarem de dor. 

Você tem certeza que quer saber como?— Lee bagunçou os fios negros, ele nunca foi rápido em raciocinar, tanto que nem ao menos conseguiu entender o que sua mãe estava querendo dizer, talvez seja o nervosismo. 

DongMin! Não é isso que quero saber.— Ela suspirou pesadamente.—Eu quero saber como você foi tão idiota de deixar isso acontecer.—Sua voz já estava calma novamente, ela tentava não ficar tensa e passar uma confiança para seu filho. Mas era quase impossível segurar sua vontade de gritar. 

Não me culpe! Eu sei que fui irresponsável, mas a culpa não é apenas minha. Eu não fiz essa criança com o dedo, omma.—  DongMin explodiu, suas bochechas queimavam por conta do nervoso e vergonha que estava sentindo. 

Então me diga. Quem é o pai desta criança?— Neste momento sua mãe acabou gritando também. Era pra ser uma conversa discreta, mas os gritos fizeram SeungHoon ficar curioso, descendo até a cozinha. 

O que esta acontecendo.— A voz grave fez Min estremecer, tudo parecia estar se complicando cada vez mais. Neste momento, Lee apenas pensou em assumir suas responsabilidades.

E-eu estou...— DongMin não conseguiu terminar de falar, seu pai arrancou o exame das mãos de Jiyoon, caindo na gargalhada ao ler os exames. 

Isto é uma brincadeira muito séria, DongMin.— Ele falou após rir, mas sua expressão se fechou assim que percebeu que ninguém estava rindo. 

Pai, ninguém esta brincando.— A voz trêmula de Min quase não saiu de sua boca. Seus lábios estavam secos, seu coração tão acelerado e ele pensava que poderia vomitar ali mesmo. Jiyoon estava em silêncio, até mesmo ela tinha medo de seu marido quando estava furioso. 

Eu não posso acreditar que meu filho é a decepção da família...— Ele ditou de modo frio, e pela primeira vez, DongMin viu seu pai daquela maneira e prometeu para si mesmo que nunca trataria seu filho desse jeito. 

Não quero te expulsar usando minha força. Mas espero que até a janta você já esteja bem longe desta casa.— E com essas palavras ele deixou a cozinha. Sua raiva era evidente, ele parecia querer até mesmo pular no pescoço de Min. E o garoto? Estava em choque junto com sua mãe que chorava feito uma criança. 

Sanha o tempo todo estava na escada escutando as conversas, seus olhinhos estavam arregalados e ele até mesmo tentou convencer seu pai quando o homem passou por si.

Pai, você não pode fazer isso, DongMin precisa de seu apoio.— O homem apenas congelou, suspirando pesadamente sem encarar o pequeno.

SanHa, não pronuncie este nome nessa casa.— Ele cuspiu suas palavras o mais friamente possível, voltando a subir os degraus.

[...] 

DongMin estava em pânico. Por conta da gravidez, ele acabou se tornando mais sentimental. Seus olhos estavam vermelhos de tanto chorar. Talvez, não seja ele a decepção de sua família, e sim seus pais que nem ao menos lhe apoiaram. Bem, sua mãe não falou nada, apenas virou as costas e seguiu o marido. Ele sabia que não poderia hesitar, precisavam pensar em si e no seu bebê. Ele não sabia do que seu pai era capaz.

Ele saiu de casa sem se despedir de ninguém e nem mesmo pegou seus pertencentes. Agora ele tinha apenas uma missão: Acha aonde dormir pelo menos nessa noite. Para seu azar, a temperatura estava baixa e ameaçava chover. Lee apenas caminhava pelas ruas desertas, tentava pensar em algo. 

E não demorou muito para a chuva começar. DongMin não tinha ainde se proteger, todos comércios estavam fechados nesse horário da noite, e as ruas estavam extremamente vazias. Ele tenta se cobrir com as mãos, mas pouco adiantou. Em instantes ele já estava totalmente molhado. 

—Merda!— DongMin resmungou, acelerando os passos para encontrar algum refúgio. Mas para sua surpresa, pingos pararam misteriosamente, Lee estava confuso até virar para trás.

MoonBin caminhava pelas ruas com seu guarda chuva, caminhava de volta para sua casa até avistar uma figura conhecida. Ele parecia desesperado, e Moon não teria coragem de deixar Min daquele jeito. Ele caminhou até o mais novo, protegendo ambos da chuva. 

No momento que Lee se virou, percebeu seu rosto milímetros longe do mais velho. Seu coração falhava algumas batidas apenas por sentir aquele hálito nostálgico. Os olhos de ambos se encontraram e aquilo seria uma perfeita cena de filme se DongMin não tivesse empurrado MoonBin.

Fique longe de mim.— Esbravejou, mas logo se arrependeu ao sentir as gotas geladas bater contra seu corpo novamente. 

Eu estou apenas te ajudando, ingrato.— MoonBin resmungou, protegendo o mais novo novamente. —Aliás, o que você faz na chuva? deveria voltar para casa.— Moon sussurrou como se estivesse conversando com uma criança, mas logo percebeu o desconforto de Lee

—E-eu não posso voltar para casa.— Lee deixou seu lado orgulhoso de lado, em situações como essa ele não poderia pensar apenas nele.

O que aconteceu? Está fugindo de casa?— Ele arqueou uma sombrancelha, dando um sorriso que mexia com Lee.

—Pare de ser idiota, eu fui expulso.—Lee falou como se fosse a coisa mais óbvia do mundo.

MoonBin nada falou, apenas envolveu o corpo do mais novo com seus braços e começou andar em passos curtos, mesmo percebendo que Lee hesitava no começo.

Eu não sou um gato de rua para você me levar aonde quiser sem satisfações.— Lee resmungou novamente, pensou em se afastar mas aquele abraço estava tão aconchegante que nem mesmo teve coragem para se mexer.

Você é como um filhote, precisa ser protegido.— Bin sussurrou, deixando um suspiro longo escapar e assim continuando o caminho para seu apartamento com um Lee chocado em seus braços.











Notas Finais


O próximo capítulo vai ter muito Binwoo aaaaguardem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...