História Sanguinary Time (Nirvana) - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Date a Live, Doctor Who, Fairy Tail, Grand Chase, Harry Potter, Hunter x Hunter, Kotoura-san, Os Imortais, Yandere Simulator
Personagens Hisoka, Mirajane Strauss, Personagens Originais, Uno, Veigas Terr, Zero Zephyrum
Tags Assassinos, Crossover, Hisoka, Morte, Romance, Universo Alternativo, Uno, Veigas, Yandere, Zero
Visualizações 11
Palavras 1.535
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Então Corujas >.< Aqui está mais um cap de Sanguinary Time, dessa vez eu consegui escrever, apesar de ter enrolado muito e estar achando que está uma bosta :/ Mas espero que gostem >.<

Capítulo 8 - Capítulo 8


Nirvana on

 

         Acordei, e senti uma dor em minha cabeça, ao olhar para os lados, vi que estava no meu quarto, e isso me fez ficar completamente desanimada, então eu me sentei na cama, e ouvi a porta sendo aberta, e vi o Veigas ali.

Veigas: Que bom que acordou Nir.

         Eu fiquei apenas encarando ele, o que o deixou sem graça, provavelmente ele queria que eu falasse algo.

Veigas: Quer comer alguma coisa?

         Fiz que não com a cabeça, e ele pareceu meio chateado por eu não ter falado nada, então ele veio até mim e me abraçou.

Veigas: Por favor, fale comigo – Outro silêncio – Ta bom... Eu vou te deixar sozinha...

         Ele saiu do quarto, e eu comecei a olhar para a janela, não sei quanto tempo fiquei ali parada, só sei que já deveria ser pelo menos umas 11 horas, só sei que ainda é de manhã, se não o Veigas já teria vindo aqui novamente.

         Enquanto eu estava distraída olhando para a janela, ouvi a porta sendo aberta de novo espero que não seja o Veigas novamente...

Aiko: Oi Nir!

Eu: Aiko?!

         Fiquei surpresa por ela estar aqui, não esperava por isso.

         Ela entrou no quarto e fechou a porta, e veio até a minha cama, se sentando do meu lado.

Eu: O que você está fazendo aqui?

Aiko: Queria te perguntar uma coisa, e o Kaze permitiu, então eu to aqui.

Eu: Pergunte logo.

Aiko: Se um dia você pudesse se tornar imortal, você iria querer?

Eu: Claro! Por que essa pergunta?

Aiko: Bem... O Stigma me falou como... E me deu uma dica por onde começar a procurar.

Eu: Você vai fazer isso por mim?...

Aiko: Claro! Podemos nos conhecer a pouco tempo, mas... Nós somos melhores amigas!

Eu: Obrigada...

Aiko: De nada, agora eu tenho que ir, estou indo para Calnat.

Eu: Tchau, espero te ver novamente logo.

Aiko: Eu também espero, quando eu voltar, vamos fofocar algumas coisas.

Eu: Né?

         Nós começamos a rir, mas tivemos de parar por conta dos meninos invadindo o meu quarto.

Kaze: Estão rindo feito hienas.

Aiko: Que, que tem? Deixa agente ser feliz ué.

Veigas: Sinceramente... Por que você deixou ela vir aqui?... Ela podia ter matado a Nirvana da última vez.

Kaze: Eu não consegui dizer não.

Aiko: Ele não consegue dizer não para mim.

Veigas: Nem mesmo isso cara...

Kaze: Hehehe...

Eu: Tchau Aiko.

Aiko: Tchau Nir!

Kaze: Tchau pra vocês.

         Eles saíram da casa, e eu fiquei no meu quarto, encarando o Veigas e o Uno, o primeiro a se incomodar com o silêncio foi o Uno, que saio do quarto indo em direção ao do Veigas.

         A reação do Veigas ao silêncio, foi diferente, ele veio até mim e se sentou do meu lado.

Veigas: Está com raiva de mim?

Eu: Claro, você aparece e fica achando que virou o meu dono.

Veigas: Você sabe perfeitamente bem que o que ela fez foi irresponsável, vocês podiam ter morrido nessa missão.

Eu: Mas não morremos.

Veigas: Isso porque eu e o Kaze fomos atrás de vocês.

         Fiquei sem dizer nada depois disso, então foi ele que nos salvou... Eu estou me sentindo uma retardada.

Veigas: Vai voltar para o silêncio?

Eu: Talvez.

Veigas: Quer fazer alguma coisa?

Eu: Vamos para a guilda?

Veigas: Fazer o que lá?

Eu: Quero usar a sala de karaokê da Aiko.

Veigas: Somente depois de comer alguma coisa.

Eu: Ta bom...

         Me levantei e fui para a cozinha, ele me entregou um pacote de pão de mel, que droga... Ele descobriu a minha fraqueza.

         Eu aceitei de bom grado o pacote, e comi quase metade dele, eu teria comido mais, só que ele pegou o pacote da minha mão.

Veigas: Você é uma louca, para ter comido quase que o pacote inteiro.

Eu: Metade não é quase o pacote inteiro.

Veigas: Bom saber que você gosta de pão de mel.

Eu: Amu!!

Veigas: Mu. (N/A: Se manjarem vão entender o que eu quis dizer hehehe)

Eu: Idiota.

Veigas: Não sou idiota.

Eu: É sim.

Veigas: Não sou não.

Eu: Se não é, então devolve o pacote pra mim.

Veigas: Não devolvo não.

Eu: Te odeio.

Veigas: Mas me ama.

         Quando ele disse isso, eu sai da cozinha, para esconder o meu rosto, que provavelmente deve estar vermelho. Corri para o meu quarto e me joguei na cama, tampando o meu rosto com o travesseiro e logo senti alguma coisa em cima de mim.

Eu: Sai.

Veigas: Não.

         Ele tentou tirar o travesseiro do meu rosto, mas eu segurei, ele começou a apertar os meus seios, e eu acabei sentindo mais vergonha ainda.

Eu: Para...

Veigas: Me faça parar então.

         Eu joguei o travesseiro na cara dele, e quando vi, o mesmo estava dando uma risada de vitória.

Veigas: Alguém está morta de vergonha.

Eu: IDIOTA!!!

Veigas: Não precisa gritar, eu estou bem aqui do seu lado.

         Ele tampou a minha boca, antes que eu acabasse falando mais alguma coisa.

Veigas: Vamos logo para a guilda ta?

         Ele saiu de cima de mim, e saiu do meu quarto, eu peguei uma calça jeans clara, com uma camiseta de manga comprida branca e vermelha. Tomei um banho rápido e me vesti, logo o encontrando na sala.

Veigas: Pronta?

         Eu não dei bola para ele, e fui direto para a porta, mas ele me parou antes que eu abrisse.

Veigas: Não sai daqui antes de uma coisa.

Eu: Vai pro inferno Veigas.

Veigas: Não quero.

         Ele me prensou na parede, ele começou a me beijar, enquanto eu tentava o empurrar.

Eu: Para com isso!

Veigas: Sem graça... Mas eu não irei parar.

         Ele começou a dar chupões em meu pescoço e a mordê-lo, logo começou a apalpar os meus seios... Eu tentei empurrá-lo novamente, mas a desgraça não queria sair.

Veigas: Deixa de ser chata.

Eu: O chato aqui é você.

         Ouvimos um barulho de porta, e vimos o Uno ali, eu percebi que Veigas havia abaixado a guarda e o empurrei, pegando as chaves dele e voltando correndo para a porta, a abrindo no desespero. Sai correndo pela cidade, eu nem sabia novamente onde eu estava, mas tentei fazer o meu caminho até certos lugares, então... Eu vi uma coisa que me assustou, o céu estava vermelho... Só que durante o dia... Comecei a entrar em desespero, até que senti alguém pegando a minha mão, olhei para o meu lado e vi o Veigas, e ele estava olhando para o céu também...

Veigas: Esse é um dos fortes, acho melhor você ir para a guilda, talvez a Mira possa lhe proteger por enquanto, eu e o Uno iremos cuidar disso.

         Ele me levou até a guilda, e me deixou nos cuidados da Mira, então saiu...

Mirajane: Um demônio fazendo essas coisas durante o dia... Onde será que isso vai acabar parando...

Eu: Não faço a mínima ideia...

Mirajane: Vamos arranjar alguma coisa para nos distrair?

Eu: Eu quero ler alguma coisa... Ou cantar...

Mirajane: Vamos então?

Eu: Vamos!

         Nós descemos as escadas e fomos até a sala de karaokê da Aiko, então ficamos pensando no que cantar... Eu fiquei confusa em qual música escolher, mas no final... Eu acabei escolhendo Sorriso Resplandecente.

 

Sorriso Resplandecente - Dragon Ball Z

 

Seu sorriso é tão resplandecente
Que deixou meu coração alegre
Me dê a mão pra fugir desta terrível escuridão

Desde o dia em que eu te reencontrei
Me lembrei daquele lindo lugar
Que na minha infância era especial para mim

Quero saber se comigo você quer vir dançar
Se me der a mão eu te levarei
Por um caminho cheio de sombras e de luz

Você pode até não perceber
Mas o meu coração se amarrou em você
Que precisa de alguém
Pra te mostrar o amor que o mundo te dá

Meu alegre coração palpita por um universo de esperança
Me dê a mão a magia nos espera
Vou te amar por toda minha vida
Vem comigo por este caminho
Me dê a mão pra fugir desta terrível escuridão

Lembra, foi aqui que um dia eu deixei
Um grande tesouro pra te lembrar
Mesmo que um dia eu cresça
Meu amor nunca terá fim

Quero saber, que galáxia você quer desvendar
Se me der a mão, contigo eu irei
A qualquer destino que esconde esse céu azul

Mesmo assim, eu só quero lembrar
Que tudo o que eu guardei foi desejo de amar
Mas hoje eu sou esse alguém que vai te mostrar o amor
Que tenho pra dar

Meu alegre coração palpita por um universo de esperança
Me dê a mão a magia nos espera
Vou te amar por toda minha vida
Vem comigo por este caminho
Me dê a mão pra fugir desta terrível escuridão

 

         Depois que terminei de cantar, a Mira foi, e ficamos cantando até o Veigas com o Uno voltarem, e parecia que eles não tinham sofrido nenhum arranhão.

Veigas: Vamos Nir!

Eu: Ta bom... Tchau Mira!

         Saímos da guilda, e eu estava quase desmaiando de sono... Quanto tempo eu fiquei lá dentro?...

Veigas: Você está bem?

Eu: To com sono...

Veigas: Vem cá.

         Ele me pegou no colo, e foi andando comigo em seus braços, eu acabei dormindo no caminho...


Notas Finais


Espero que tenham gostado >.< Agora aqui vai ser apenas semana que vem >.<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...