História Sans! Stay Determined (Correção) - Capítulo 53


Escrita por: ~ e ~KittyK_

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Flowey, Frisk, Mettaton, Papyrus, Sans, Toriel, Undyne
Tags Chara, Família, Frans, Frisk, Frisk X Sans, Genocide, Pacifista, Reset, Romance, Sans, Sansxfrisk, Spoilers, Undertale
Exibições 187
Palavras 2.736
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


CAPÍTULO NOVO
SEM TEMPO PRA FALAR
TENHO LUGARES PRA IR
E COISAS PRA ESCREVER

VÃO LER E TCHAU!

Capítulo 53 - Lute comigo!


POV Sans

Desci as escadas ainda com a kiddo grudada na minha cabeça, mas era a melhor escolha no momento, a não ser que eu quisesse acabar como poeira e agora pensando bem... Será que a Toriel pensou nessa casa só pra ficar de olho na gente? Caralho essa mulher é esperta! Mas eu tenho meus métodos, hehe.

Cheguei na sala onde estava minha mãe conversando com Toriel e Asgore, o resto ainda deveria estar trazendo as coisas deles.

- Heya. – eu disse, me aproximando do sofá. – Conversando muito ai?

- Claro, eu e sua mãe temos que colocar o papo em dia. – disse Tori.

Sendo parte do grupo de cientistas do meu pai, minha mãe também visitava o castelo e era bem próxima da rainha, até onde eu sei, eram melhores amigas, assim como meu pai era próximo de Asgore.

Ouvi passos apressados descendo as escadas e Frisk logo correu em nossa direção, quando ela chegou perto percebi que ela estava usando minha jaqueta, na verdade parece que cai melhor nela do que em mim e fica até bonitinho.

- Desculpa a demora, me distrai um pouco lá em cima. – senti meu rosto esquentar um pouco. – Cadê todo mundo?

- Oh, Undyne e Papyrus estão com Asriel e Chara no jardim, Alphys e Wing estão trazendo as coisas do laboratório pra cá e nós estamos só conversando mesmo. – explicou minha mãe.

- Hum... Acho melhor eu ir. – eu disse, andando em direção à porta.

Acontece que com quatro malucos lutando aleatoriamente lá fora, eu que não vou perder essa treta. Assim que sai já deu pra ouvir Undyne berrando com o Asriel sobre como ele deveria usar as facas... essa frase caiu muito mal.

- VAI RÁPIDO! – ouvi Undyne gritando.. – SE QUISER DERROTAR SEUS INIMIGOS VOCÊ TEM QUE IR MAIS RÁPIDO!

- ELE TA TENTANDO CACETE! – Chara... – DEIXA ELE EM PAZ!

Isso vai ser muito legal de ver! Pena que não trouxe a pipoca.

...

POV Frisk

Eu até iria lá fora com o Sans, mas eu não estou a fim de receber estreladas, facadas e lanças na minha cabeça, então vou ficar por aqui mesmo...

Me sentei ao lado de meus pais e me juntei a conversa, mesmo estando meio estranho a situação. Eu nunca fui de conversar muito com meus pais e eu nem mesmo conheço muito da Arial, então as coisas podem ficar meio... desconfortáveis.

- Então Frisk. – me virei para Arial e o sorriso dela imediatamente desapareceu. – Quais são suas intenções com meu filho?

Recuei um pouco e não pude evitar que a queimação preenchesse minhas bochechas. Eu fico tão constrangida quando invadem minha privacidade, ainda mais quando se trata da minha relação com o Sans. Eu sei que eu não devia, afinal todos já sabem que namoramos, mas é importante pra mim que os pais dele me aceitem, eu já sei que Gaster vai me dar um game over se eu magoar o Sans, então já estou andando na borda da linha.

Ela analisou meu rosto e vendo a minha expressão de espanto e um pouco de medo, abriu um sorriso e começou a dar risada da minha cara.

- Ohohoho, eu só estou brincando minha querida. Eu sei qual é a relação de vocês. – corei mais ainda. – e admito que achei muito fofo você ter mudado só por causa dele.

TA BRINCANDO? ELA SABE DOS RESETS TAMBÉM? Caralho, até agora não conheci ninguém da família dele que não soubesse dos resets, exceto Papyrus é claro. Suspirei aliviada e desejei que minhas bochechas parassem de corar, o que infelizmente, não aconteceu.

- Sabe Frisk, você me lembra um pouco de Dings quando estávamos na faculdade. – ela disse, sorrindo calorosamente.

- Pera, vocês o que?! – perguntei, espantada.

Eu sabia que eles tinham escolas no Underground, mas pelo meu conhecimento, Arial deve ter lá pela mesma idade da minha mãe e ela tem pelo menos 400 anos! Eles tinham faculdade há 400 anos atrás?

- Hum... Eu disse alguma coisa errada? Tori? – Arial começou a ficar inquieta.

- Oh, você não disse nada errado Ari, minha filha só não conhece muito sobre nossa história. – respondeu minha mãe, sorrindo. – Gorey, por que você não explica pra ela? Você sempre foi bom em contar histórias sobre nossa espécie.

- Tudo bem... Minha filha, nossa espécie vive há milhares de anos e nossa civilização sempre foi um tanto mais avançada que a dos humanos, por isso enquanto as pessoas da superfície continuavam lutando pela sobrevivência, nós passávamos nossos dias progredindo para ajudarmos uns aos outros e desenvolver nossa sociedade. – explicou meu pai.

- Outro aspecto que mostra como monstros são superiores. – ouvi uma voz falando no meu ombro, o que me fez pular de susto.

Soltei um gritinho involuntário e logo ouvi risadas. Me virei para trás e Chara estava morrendo de rir da minha cara, com lágrimas em seus olhos.

- CHARA! – reclamei, mas ela continuava rindo. – SUA FILHA DA MÃE! O QUE VOCÊ SEQUER ESTÁ FAZENDO AQUI?!

- Hahaha, ahh... Eu não rio assim há séculos. Respondendo sua pergunta, eu só estava entediada e resolvi ver o que vocês estavam fazendo. Em outras palavras, o comediante apareceu lá fora e não trouxe pipoca, vim aqui pra fazer e ouvi o papai contando a história de como monstros são superiores à humanos. – ela disse, sorrindo.

- Chara querida, não foi isso que eu estava explicando. – disse ele.

- Claro que foi! Pelo menos foi isso o que eu entendi da história. Enquanto os humanos perdem tempo se matando, os monstros se mantém unidos e melhoram sua civilização. Eu queria ser um monstro...

- Mas as almas humanas são mais fortes e você sempre teve um desejo por poder. – retruquei.

- Minha alma é poderosa e pertence ao Asriel, literalmente e figurativamente, e ele é um monstro, eu sou só um espirito semi-corpóreo encarnado da alma dele. – ela disse, desviando o olhar.

- Podemos só dizer que os dois lados são bons e seguir em frente por favor? – disse Toriel, parando a discussão que provavelmente seria seguida de tapas e chutes.

Eu e Chara ficamos quietas e desviamos o olhar, não fitando os olhos uma da outra. Ouvi minha mãe suspirar e a encarei, sua cara de desapontamento logo foi substituída por um sorriso amigável.

- Então minha querida, enquanto os humanos ainda criavam seus reinos, nós já tínhamos escolas lá embaixo. Na época em que perdemos a guerra, seu pai ainda não governava, quem governava era o pai dele. – disse ela.

- Opa, disso eu não sabia. – intrometeu-se Chara com um sorriso impressionado em seu rosto. – Continua ai mãe, ta esperando o que?

- Hehe, ok então. Seguindo A hierarquia o mais velho era quem comandava, no caso, o pai de Asgore. Infelizmente, o rei não pôde estar conosco quando viemos para o Underground.

- Então ele morreu? – concluiu Chara, com a voz rígida.

- CHARA! – protestei.

- O que? Eu só estou falando o que penso, ué.

- Meninas, quietas! – nos calamos na hora – Ahem, enfim, quando o próximo sucessor assumiu, Asgore decretou que ele começaria investindo em educação e desenvolvimento do local assim que chegamos em home.

- Continua sendo um nome péssimo. – comentou Arial, revirando os olhos e rindo um pouco.

- Hehehe, enfim, em alguns meses e em alguns casos semanas, tudo já estava construído, desde casas a escolas. Como ainda precisávamos ter mais conhecimento de nossas novas vidas, foram contratados professores, diretores etc. Até mesmo o pai de Gaster teve participação na escola.

- Sério?! – exclamamos eu e Chara, juntas. Toriel assentiu.

- Por essa eu não esperava. – comentou a fantasma, cruzando os braços e arqueando a sobrancelha. – Qual era o nome do cara?

- O nome dele era Semi, mas Sansy costumava chama-lo de vovô Semi – Arial pareceu ficar triste de um segundo para o outro – Ele... Não era lá uma das melhores influências pra ele...

Franzi a testa, duvidosa. Lancei um olhar á Chara e percebi que ela também parecia preocupada e curiosa, provavelmente estávamos pensando a mesma coisa.

- Arial, aconteceu algo entre você e o tal “Semi”? – perguntou Chara, mudando sua expressão de curiosa para temerosa. – Não precisa falar se não quiser.

- Eu adoraria contar... Mas eu preferiria discutir isso apenas com Frisk, se estiver tudo bem pra vocês. Eu não me sinto muito confortável falando dessas coisas com tanta gente olhando.

Chara hesitou, mas logo assentiu. Às vezes me espanta como ela mudou em tão pouco tempo, parece que foi ontem que nós ainda lutávamos pelo controle de meu corpo e pelo comando dos resets, fico feliz em saber que ela mudou, devo um grande agradecimento ao Asriel por isso.

Os três se levantaram e seguiram para a cozinha a comando de Toriel, que disse que precisava de ajuda para fazer mais tortas para que todos comessem mais tarde. Me voltei para Arial que entrelaçava os próprios dedos em seu colo e permanecia de cabeça baixa.

- Arial, não precisa contar se não quiser, eu entendo muito sobre passados conturbados e sei como é estressante relembrar tudo isso, então se preferir manter isso só para você eu... – ela me interrompeu.

- Frisk, não tem problema. Já que você e Sans estão determinados a ficar juntos, você tem direito de saber sobre essa história, apenas peço que prometa-me uma coisa. Não conte nada sobre isso para Papyrus e não toque no assunto com Sans, é tudo que lhe peço. – assenti, relutante. Ela suspirou. – Obrigada, é muito importante pra mim e acho que vai ser muito bom poder tirar esse peso das minhas costas.

...

POV Normal

- Bom Frisk, a verdade é que... Semi não gostava de mim, e fazia de tudo para me tirar de seu caminho. Quando eu e Dings assumimos o namoro ele foi a primeira pessoa a protestar, dizendo que não aprovaria tal relação, claro que WingDing me defendeu, mas ele continuou a nos incomodar. Ele costumava vir ao laboratório, dizia que viria “checar nosso progresso”, mas ele só vinha pra tentar convencer Wing a largar de mim, ás vezes chegando a me fazer pagar de tonta apenas pra ele se decepcionar comigo...

Frisk ouvia tudo atentamente, com uma expressão de espanto em seu rosto. Sabotagem era algo comum na vida de Frisk, mas a mesma não conseguia pensar em nenhum motivo pelo qual Semi seria tão mau com Arial sendo que a mesma era uma mulher tão boa.

- A gota d’água aconteceu quando tivemos o Sans, passaram-se pelo menos 3 anos quando recebemos uma visita dele, foi inusitado e o lugar estava uma bagunça então ele já chegou criticando tudo e quando ele colocou o primeiro olhar em Sans... Ele parecia que ia vomitar e aquele olhar me fez querer vomitar, é claro que eu tirei Sans de perto dele imediatamente e o levei para seu quarto, mas eu conseguia ouvir a discussão entre ele e WingDing de lá e não foi muito bonito... Assim que eles acabaram de discutir, Semi insistiu em passar a noite, já que não tinha nada para fazer e queria checar nossos experimentos.

Arial começou a franzir a testa e sentiu um aperto no peito, ela colocou uma mão sobre seu manto e apertou-o tentando minimizar o estresse. Frisk se aproximou de Arial e colocou a mão em seu ombro, a maior sorriu calorosamente.

- Como sempre, voltei aos meus experimentos e deixei Sans dormindo no quarto, contei para Wing que eu não estava gostando que Semi estava ficando em nossa casa e que acima de tudo, dormiria lá. Ele então sugeriu que eu passasse um pouco de tempo com Sans, já que eu geralmente me acalmava quando estava perto dele. Concordei e fui para o quarto, mas Sans não estava lá. Eu comecei a entrar em desespero e procurei em todos os lugares até que comecei a ouvir alguns choros vindos do banheiro, quando fui ver... Semi estava lá... Com suas mãos em cima do meu filho e ele... Ele... – Arial abaixou a cabeça, com uma lágrima escorrendo por seu olho. – Ele tentou matar Sans.

Aquela noticia chocou a Frisk, a garota de cabelos achocolatados nunca imaginou que o próprio avô de Sans tentaria fazer isso com ele. O pensamento de como deveria ter sido doloroso para Arial ver um membro de sua família chegar a quase morrer nas mãos do pai de seu marido, alguém que deveria cuidar do neto e não matá-lo fazia Frisk sentir como se tudo tivesse ocorrido com ela. A garota ia acudir Arial quando a mesma voltou a falar.

- Naquele momento parecia... Como se um pedaço de mim fosse arrancado bruscamente do meu peito e destruído na frente de meus olhos. Eu me esforcei tanto para que Semi pelo menos aceitasse minha relação com WingDing, mas ele realmente só queria me torturar. Imediatamente o ataquei e o afastei de meu filho, mesmo que estivéssemos no banheiro eu não hesitaria em ter que enfrenta-lo eu mesma para proteger meu filho. Mas Semi era mais forte do que eu e eu sabia disso, por isso eu simplesmente o ataquei, tomei Sans em meus braços e sai correndo em direção ao laboratório gritando por Gaster... Ele logo me acudiu e eu expliquei a situação, por um segundo achei que ele não fosse acreditar em mim mas ele me abraçou e me confortou.

Um sorriso se abriu no rosto de Arial, aliviando um pouco a tensão nos ombros de Frisk que soltou um leve suspiro. Ela estava muito aliviada que Gaster havia conseguido acreditar em sua esposa e não seria como aqueles homens de novela que pensariam que ela estava com ciúmes.

- Assim que eu contei tudo à ele, Gaster teve outra discussão com Semi, que acabou terminando e violência, mas eu mantive meu filho próximo à mim esse tempo todo. Mas... durante a batalha, eu pude ouvir todas as coisas de que Semi me chamou... “Víbora”, “trapaceira”, “desgraça”, “vagabunda”, “puta”, “vadia”... Traidora... Eu tentei ao máximo ignorar tudo isso mas eu simplesmente não conseguia entender por que ele me odiava tanto, mas não importava, tudo o que eu queria era que Sans estivesse seguro o que ele estava, infelizmente não pude impedir que as palavras me atingissem de certo modo. Wing expulsou Semi do laboratório e cuidou para que ele nunca mais voltasse, o que felizmente aconteceu já que finalmente pudemos descansar e voltar a trabalhar com nossos projetos normalmente, até hoje não faço ideia de onde ele está ou se ainda está vivo. Ás vezes... Eu temo que ele me ache e que fará mal á meus filhos novamente, eu não quero que eles se machuquem, mas eu também sei como ele era importante para WingDing e não posso deixar de me sentir culpada pelo desaparecimento dele...

Frisk viu o leve resquício de felicidade no rosto da mulher esqueleto se tornar novamente um olhar sério e depressivo, sem muitas opções ao seu alcance, a morena envolveu seus braços no pescoço da maior, confortando-a. Arial sorriu de leve e abraçou o pequeno corpo de Frisk contra seu tronco, aceitando sua resposta.

- Arial... Está tudo bem em se sentir assim, eu entendo. Mas naquela situação, você não tinha escolha. Não poderia simplesmente deixar que aquele homem saísse impune depois do sofrimento que causou à você. E não se preocupe, se ele voltar eu irei proteger Sans e Papyrus, assim como Gaster e você. Eu sou a embaixadora dos monstros afinal. – ela disse, tentando deixar Arial mais relaxada.

- Heh, obrigada Frisk. Com certeza Sans fez bem em escolher você para ser o amor de sua vida. – disse sorrindo. Frisk corou.

- O-obrigada...

A maior sorriu e bagunçou os cabelos de Frisk, que riu um pouco. Frisk estava satisfeita por ter conseguido que Arial desabafasse e tirasse o peso de suas costas. O momento das duas logo foi interrompido quando a porta foi chutada com força.

- ARIAL SKELETON! – gritou uma voz feminina esganiçada vinda da porta. – EU PRECISO DE RESPOSTAS!

- Oh, pois não Undyne?

- Um passarinho me contou que você já pensou em participar da guarda-real, isso é verdade?

- Claro que não... Eu participei da guarda real, até cheguei a lutar na guerra. – disse ela, orgulhosa. – Mas por que a pergunta?

Undyne se aproximou rapidamente da esqueleto, fazendo-a recuar um pouco. A mulher peixe agarrou seu manto e aproximou seu rosto do dela, com um brilho incomum em seus olhos.

- LUTE COMIGO!


Notas Finais


Ok... Conseguimos um pedaço do passado da Arial, passado da civilização monstro e estamos PRESTES A TER UMA DIVOSA LUTA ENTRE A EX-CAPITÃ DA GUARDA REAL E UMA DAS MAIS FORTES GUERREIRAS DA GUERRA ENTRE HUMANOS E MONSTROS! :3

Tem alguma teoria de por que o Semi odiava a Arial?
QUERO VER TEORIAS VOANDO NOS COMENTÁRIOS!

Não esqueçam de dar uma olhada nas minhas outras fics e one-shots:
GoldenTale (essa fic tem co-autora, então chequem as histórias dela tbm): https://spiritfanfics.com/historia/goldentale-6272306
It's Raining Somewhere Else: https://spiritfanfics.com/historia/its-raining-somewhere-else-6454973
(One) For All Eternity: https://spiritfanfics.com/historia/for-all-eternity-6325752
(One) Are You Okay?: https://spiritfanfics.com/historia/are-you-okay-6523130
(One) Jealous Much?: https://spiritfanfics.com/historia/jealous-much-6632096
(One) Sleepover: https://spiritfanfics.com/historia/sleepover-6654109

Pra quem ainda não está sabendo, eu estou pegando umas sugestões de one-shots de shipps não comuns no SS
Pode ser tanto pra postar como ideias que eu vou deixar guardada no meu pen-drive
Por enquanto eu tenho planejada ones de:
- Errorink (melhor shipp)
- NightCross
- Xclusiv
- SportShoes
- Gastrial
- Papyton
Se quiserem fazer uma sugestão, estou aberta pra tudo <3

Ah, a Kitty também tem um projeto assim, mas o dela aceita qualquer tipo de one, pode ser com ou sem hentai, ter ou não shipp, etc
Então passem no perfil dela caso queiram pedir alguma coisa também
e não esqueçam de ver as fics dela tbm, pq aquelas coisas são divinas :3
https://spiritfanfics.com/perfil/kittykm

See Ya ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...