História Santo demônio - Capítulo 1


Escrita por: ~

Visualizações 247
Palavras 2.026
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Prólogo


"Há mais mistérios entre o céu e a terra do que a vã filosofia dos homens possa imaginar”

—William Shakespeare

 

Quando falam sobre céu e inferno, o que vem a sua cabeça? A maioria das pessoas consideram o céu um lugar onde os mocinhos vão parar enquanto o inferno é o local destinado aos vilões. Não que seja a definição perfeita ou oficial, convenhamos que era apenas um modo de fazer entender o que o senso comum diz sobre céu e inferno. Mas vamos repetir a pergunta mais uma única vez: Quando falam sobre céu e inferno, o que vem a sua cabeça?

A maioria das religiões e organizações religiosas, inclusive a maior parte das denominações cristãs, ensinam que as pessoas boas quando morrem vão para um tipo de paraíso, algum lugar no céu, que é geralmente descrito como um lugar de incomparável felicidade - o paraíso perfeito. Este é o ensinamento comum e as pessoas acreditam que uma vez lá, serão felizes para sempre. Já o denominado inferno na maioria das religiões cristãs é visto como um lugar onde o corpo de carne se une a alma e ficam vagando em sofrimento profundo queimando nas chamas, podendo se arrepender ou não de seus atos, porém uma vez no inferno, sempre no inferno.

O tão famoso “céu” tinha tantas regras para serem seguidas, eram formas e mais formas de ser um anjo perfeito, honrar ao par de asas que lhe foi concebido, ser fiel aos mandamentos que Deus de certa forma escreveu, ele não julgava as pessoas, longe disso. Deus é realmente uma luz intensa de amor e compreensão, isso não podemos alterar, mas antes de ter ter toda essa fama, ele continuava sendo o tão famoso Deus, mas ainda sim era falho, era imaturo em alguns momentos e por isso vivia acompanhado de sua melhor arcanja.

Antes mesmo das pessoas aceitarem toda a teoria de céu e inferno, estamos falando de uma época onde não existia o inferno, estamos falando sobre um tempo que apenas existia o céu. Onde apenas as almas boas tinham um rumo enquanto as outras… Bom as outras vagavam por aí tendo o sonho de conhecer um dia o tão falado plano de Deus.

Uma das principais regras do céu era a negação de qualquer tipo de relação sexual, afinal de contas eram anjos e não iriam necessitar disso, sexo era algo carnal, sexo era algo humano e eles não tinham mais essa necessidade, o sexo, a necessidade de se relacionar sexualmente é algo do corpo de carne, dos humanos, então anjos não tinham tais vontades. Então, sexo é proibido.

O único problema era que talvez, a melhor arcanja de Deus fosse ligada demais ao mundo dos humanos, da mesma forma que o mencionado estava se desapegando dos costumes se adequando à nova vida, aquela onde não necessitavam de nada além de seus próprios corpos de luz.

Como a arcanja, também conhecida como Park Aimee em sua vida foi uma francesa com raízes coreanas, quando morreu preferiu manter as características de quando era viva e como era uma das primeiras a chegar ao céu, logo foi acolhida por Deus, no começo ela estava assustada, não sabia onde estava e nem como tinha chegado ali, queria saber onde estava seu filho, seu marido e até mesmo seu cachorro, mas bastou um tempo para entender que tinha falecido e graças a sabe-se lá o que deu sorte.

Aimee era muito ligada ao mundo material, por mais tempo que estivesse vivendo no mundo do céus, não importava se estava ali há dias, meses, anos, décadas ou séculos, apenas era apegada demais, e isso fazia ela necessitar de algumas coisas proibidas demais no mundo do céu. A arcanja era bonita e ela sabia muito bem disso, sabia exatamente da beleza que carregava no corpo, no rosto e por mais que anjos não necessitem de relações carnais, não admitir sua beleza seria um insulto.

Com ciência da beleza que Aimee carregava ela fazia questão de afetar seu maior alvo, que por coincidência era o próprio Deus, nossa, o que os outros anjos pensariam dela se soubessem seus pensamentos pecadores? Não gostaria nem ao menos de ver o que poderia acontecer, não que algum sentimento ruim esteja envolvido, longe disso, anjos são proibidos e restritos a qualquer tipo de sentimento ruim.

Quando Deus cedeu às suas provocações acabaram entre lençóis brancos gemendo extremamente baixo enquanto praticavam algo pecaminoso escondido, ninguém poderia saber disso, era errado, imagine só se os anjos descobrem que o exemplo que eles seguem foi contra a própria lei?

Depois daquilo Aimee não era mais a arcanja preferida de Deus, ela foi rebaixada a simples anjo, sem nenhum título mais especial, e isso tinha a machucado de uma forma inimaginável, quando Deus lhe rebaixou a anjo, quando ele disse em uma reunião que tinha escolhido um novo anjo para ser seu arcanjo direito, era como se tivesse atravessado uma lança envenenada no peito da Park.

Aquilo doía, oh, como doía, a pobre ex-arcanja não imaginava que suas atitudes fossem lhe dar de consequência um rebaixamento. Se fosse assim ela nem mesmo teria tentado alguma coisa, só pra que não perdesse o posto de arcanja direta. Pois bem, agora era simplesmente anjo.

Como se não bastasse apenas ser rebaixada de posição, Aimee começou a ter enjoos constantes, ficar mais cansada que o normal, querer comer muito para vomitar mais da metade mais tarde, a Kim tinha se descoberto grávida, e como se não bastasse apenas isso, ela não sabia que anjos engravidavam.

— Senhor? — A voz suave, digna de uma arcanja, uma pena que não fosse mais, ecoou o ambiente e logo o homem alto direcionou seu olhar a ela. — Tenho algo a lhe comunicar.

— Tem a palavra. — Sorriu, e por mais que não fosse o mais sincero sorriso, era bonito, e luminoso. Deus em si era pura luz.

— E-Eu trago uma notícia importante, creio que queira saber sobre. — Gaguejou miseravelmente, o homem de luz apenas fez um sinal para que ela continuasse. — S-Senhor eu… estou carregando em meu ventre seu primogênito.

Aparentemente nem mesmo Deus sabia que anjos engravidavam, foi algo de surpresa para ambos, mais para Deus que para Aimee, a anjinha estava tão feliz, poxa ela estava grávida! Anjos não engravidavam!

— Aimee. — O homem disse, o simples tom de voz do mesmo fez a anja congelar, não tinha qualquer sentimento ruim na voz, ela apenas parecia mais grave. — Infelizmente eu serei obrigado a cometer tal ato.

— Que ato, meu senhor? — Ela indagou receosa enquanto abraçava o próprio corpo coberto por uma camisola branca.

— Isso nunca aconteceu antes, porém eu serei obrigado a te expulsar de meus domínios. — Aimee congelou, ouviu um estalar de dedos e logo suas asas tinham sumido, céus o que estava acontecendo? — Sugiro que arrume suas coisas, você tem até o amanhecer para partir.

Se Aimee achava que não tinha como piorar estava enganada, porque em um momento não era mais arcanja e em outro sequer participava do céu, é ela tinha sido expulsa às escondidas por Deus, logo depois de contar sobre a gravidez, para todos os anjos ela teria morrido.

Era um crime, aquela criança de uma hora para outra se tornou um fardo grande demais para segurar sozinha, ela não iria conseguir carregar um bebê sem um amparo de todos, mas teria que ir embora, e foi isso que fez, porém antes disso sua alma estava com uma mancha negra em seu coração, tinha deixado de ter a alma livre de sentimentos ruins.

Aimee saiu dos reino dos céus, como foi mandada, sua alma já não era mais livre de sentimentos ruins, a mancha negra se alastrava a cada vez que  ela se afastava, os sentimentos ruins corroendo sua alma de uma forma inimaginável, e o feto sentia todas essas mudanças ocorrendo, não que fosse alterar alguma coisa, ela estava tão irada com sua expulsão do céu que não pensava em nada além dela mesma e todo seu ódio.

A – agora – ex-arcanja vagueou por alguns meses pela terra fazendo humanos cometerem pecados, desviando suas almas do caminho divino, aquele era um de seus passatempos favoritos, era tão boa a sensação que ela sequer sabia descrever, porém Aimee não tinha um lar fixo, e era completamente acostumada com coisas simples de uma casa, dormir na cama quente todas as noites, as refeições na mesa, ter os luxos e caprichos, coisa que não tinha mais.

Ao mesmo tempo que o azar estava ao seu lado, por uma única vez a sorte pareceu lhe abraçar, Aimee encontrou um vasto terreno subterrâneo, vazio, apenas algumas almas sem rumo estavam ali vagueando, então ela teve a brilhante ideia de tornar esse terreno seu lar.

Porém vale ressaltar que seu ódio por qualquer coisa que venha do “reino do céus” e isso estava consumindo todo o seu ser, Aimee estava se tornando algo irreconhecível com uma aura extremamente negativa. E partindo do momento que ela tornou aquela terra seu lar, o ambiente passou a mudar.

Com o passar do tempo aquilo não era mais uma terra vaga, Aimee foi transformando aquilo em seu próprio império, e se Deus queria o bem de todas as almas, ela queria o contrário, e não ligava para aquele bebê em seu ventre, ele tinha feito ela ser expulsa do céu, ele tinha feito Deus a tirar do posto de Arcanja.

O ódio fez uma transformação em seu corpo, seus cabelos adquiriram uma coloração vermelho sangue, seus olhos foram ficando negros até o momento em que tal cor tomasse toda sua orbe, o corpo tinha temperaturas extremamente altas, suas asas queimaram no fogo se tornando apenas plumas chamuscadas.

E claro que todas essas transformações afetavam ao feto que ela carregava em seu ventre, o feto sentia todo o ódio direcionado a si, e se ele iria nascer um anjinho, depois disso não seria mais a mesma coisa, transformações até mesmo físicas foram feitas no corpo do feto o tornando um híbrido de demônio e anjo.

Mas não era um demônio qualquer ou um anjo qualquer, ia muito além disso, o feto era poderoso demais para o mundo pelo simples fato de que era um híbrido de Deus e do próprio Diabo.  

Aimee não tinha apenas se tornado a arcanja caída, como também tinha de tornando o próprio demônio mudando completamente as coisas no planeta Terra. Agora Deus tinha uma competidora, as almas podiam ir para o inferno e para o céu, a vantagem para a ex-arcanja era que simplesmente os humanos era ridiculamente manipuláveis e o inferno lotou-se de almas em um piscar de olhos.

E ela não apenas manipulava os humanos utilizando o próprio corpo, ainda grávida, como também tinha o prazer de lançar “rezas” a Deus zombando de sua criação de fácil manipulação.

Os humanos são tão ridiculamente patéticos, nunca pensam duas vezes antes de cometer qualquer ato que seja, eles são induzidos para o lado ruim com muita facilidade. O céu tinha milhares de regras para serem seguidas à risca enquanto o inferno simplesmente não tinha regra alguma, a única imposta era obedecer Aimee.

O inferno cresceu de uma forma tão rápida que logo Deus foi informado de tudo aquilo, foi informado que sua própria criação estava indo contra os princípios criados por si, soube que a maioria dos humanos estavam se deixando levar pelo pecado, se levar pela diversão momentânea, se enfiando em vícios e lógico que isso o deixou muito chateado, mas ele simplesmente não podia interferir em suas escolhas, porque os humanos tinham o livre arbítrio para escolher.

Pelas turbulências frequentes de ser governante do inferno, o feto acabou nascendo aos auge de seus oito meses, em um momento em que anjos e demônios estavam constante guerra porque uma hora Deus se enfezaria por ter uma competidora, bom, ele enviou seus anjos para que acabassem com isso, e nesse meio tempo que Aimee deu a luz.

Aimee não só deu vida a criatura mais poderosa de todos os tempos, como também de uma arma mortífera.

Aquele bebê era a sua chave para sucesso, era seu jeito de conseguir realmente superar Deus em alguma coisa.

O híbrido recebeu o nome de Park Jimin.

 


Notas Finais


Eu deveria estar atualizando, deveria terminar de escrever oneshots para postar, mas eu estou aqui postando jikook nova e cheirosinha. Esse plot não tem muito a ideia de focar completamente nos jikook porque envolve muita coisa, anjos e demônios e intrigas + coisas do tipo, envolve guerras, umas torturas ali e outras aqui, mas no final vai ser top

Eu realmente espero que vocês gostem desse plot kdnokndkon ele é muito delícia e o próximo capítulo é quando as coisas começam a acontecer, começam, foco nessa palavra: começam.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...