História Santuário - A Saga do Colegial - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Afrodite de Peixes, Aiolia de Leão, Aioros de Sagitário, Aldebaran de Touro, Camus de Aquário, Dohko de Libra, Geist de Serpente, Hades, Hilda de Polaris, Hyoga de Cisne, Ikki de Fênix, Julian Solo, June de Camaleão, Kanon de Dragão Marinho, Kanon de Gêmeos, Kiki de Áries, Marin de Águia, Mascára da Morte de Câncer, Miro de Escorpião, Misty de Lagarto, Mitsumasa Kido, Mu de Áries, Pandora, Personagens Originais, Saga de Gêmeos, Saori Kido (Athena), Seiya de Pégaso, Shaina de Ofiúco, Shaka de Virgem, Shion de Áries, Shiryu de Dragão (Shiryu de Libra), Shun de Andrômeda, Shun de Virgem, Shunrei, Shura de Capricórnio, Thetis de Sereia
Tags Cavaleiros Do Zodiaco, Saga Do Colegial, Saint Seiya Colegial, Santuário
Exibições 123
Palavras 3.312
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


E aí, pessoas? tudo bom?
eu tive que deixar em sigla o nome do capítulo pq ele é enorme. sim, eu tenho complexo de fall out boy em 2008 / panic! at the disco em 2008 / nomes gigantes em títulos

mais uma vez, mil perdões pelo atraso na postagem. por isso que eu queria começar a postar só quando estivesse pronto, sabe? mas aí ia demorar 47 anos.
e a parte o Aioros está bem curtinha, mas juro que o negócio vai ficar melhor (melhor pra gente, pior pra ele, hehehe)

um grande abraço!

Capítulo 5 - A.C.Q.T.E.T.F.d.C.O.o.M.N.e.B.D.U.L.N.e.M.M.e.T.


“Aquele Capítulo Que Tem Em Toda Fanfic de Colégio Onde o Mais Novinho e Bonzinho Dá Uma Lição No Maior e Malvadão e Talz”

 

 

 

Lá estava ela.

Ajeitando a minissaia do uniforme de líder de torcida, com uns pompons na mão.

Eu olhei um pouquinho só, porque ela virou rápido na minha direção e se juntou ao grupo de meninas, bem no fundo da quadra.

 

Era isso, eu ia mostrar todo o meu potencial. Todo! Durante muito tempo fiquei sem me mostrar, vocês sabem, pra não assustar ninguém. Mas agora ela veria o que eu tenho de especial!

Agora eu sou um atleta!!

 

- Olá, rapazes! - A Sra. Yao veio nos receber. Na quadra era eu e mais uns 5 moleques. Nenhum deles era páreo pra mim!

Tirei a blusa do uniforme e fiquei só com a regata do grupo, não ia derreter naquele Sol de fritar ovo no asfalto... Nem ferrando! Eu ia ficar feio, não podia ficar feio!

Dei uma checadinha novamente pro grupo de meninas. Agora ela rebolava pra frente e pra trás e eu nem ouvi a professora falar direito.

- ... Vamos treinar mais cem metros e... – Aquela reboladinha tava me matando, pelos céus! Comecei a sentir a asma antes mesmo de correr!!!

Falando em asma, fui ver se ainda estava com a minha bombinha no bolso. Ufa! Ninguém mandou nascer podrão. Sortudo era o Saga, que não precisava correr para conquistar a sua garota...

 

Meu nome é Kanon Giannopoulos, filho de blá blá blá... O Saga já deve ter falado tudo. Provavelmente ele contou a história do jeito dele! Ele sempre me fode quando tem a chance. Tenho certeza que ele não comentou que era malucão e tinha problemas de ansiedade. Também tenho certeza que ele não comentou que curtia uma menina e ela peidava pra ele! Ah, que seja. Ele não é o meu problema.

Meu objetivo era outro... Era a loirinha que tava rebolando lá longe.

 

Um apito me tirou a concentração e eu comecei a correr como um condenado. Caramba, aqueles idiotas corriam que nem gente grande! Tipo aquelas velhas do GTA quando a gente dá um tiro!

Corri e corri e corri e cheguei perto dela... Aquelas madeixas loiras... E os olhos azuis... Alguns dizem que ela é o Milo de saia, eu não ligo... Não ligo pra fama que ela tem, não ligo pros caras falando as coisas que ela faz, não ligo pra nada!

O nome daquela dama era Thetis Kirsten Jensdatter, cacete, que nome complicado! Ela é dinamarquesa e gostosa, muito gostosa, não é a toa que geral come essa menina com os olhos.

- Vamos, Kanon! Acelera! – A professora gritou e eu percebi que estava com o corpo quase virado pra trás.

Ok, tudo bem, talvez correr não fosse uma boa opção para as aulas extracurriculares... Eu podia escolher basquete, mas não curto aquele corpo-a-corpo meio gay. Podia escolher vôlei também, mas é igualmente gay. Aqueles caras empinando a bunda... Nah! Sem contar que eu teria que ficar na quadra coberta do Santuário, com o professor Aioros. Essa não era a minha intenção, não mesmo!

- Olha por onde corre, imbecil! – Um moleque veio que nem o Sonic pra cima de mim, trombando comigo. Ele tinha um cabelinho verde e uma cicatriz enorme cortando o olho esquerdo.

Fui parando um pouco, já não aguentava mais, talvez desmaiasse com a falta de ar...

 

Por Zeus, eu ia morrer!

 

Encostei na grade que cobria a quadra, tossindo que nem um cachorro abandonado. A Sra. Yao veio perguntar se tava tudo bem.

É, é, tá tudo muito bem sim, eu só estou meio que morrendo!!!!

 

- Kanon, se quiser parar um pouco, não será um problema... Tudo bem?

- Na... Não... Não prec... Não precisa não... – Eu peguei minha arma secreta e aspirei umas 7 jatadinhas de remédio. Caraca, agora ninguém me segura!

- Não faz isso não, você tá doido?? Vai ter um ataque cardíaco! - Ela falou, mas eu saí correndo do mesmo jeito. A Thetis tinha parado para olhar. – Kanon!!!!!

Eu não ia fazer feio! Pisei no acelerador mental e corri feito um maluco!

Isso mesmo, pode me chamar de Kanon, The Flash!

 

Passei o primeiro babaca, depois o segundo, depois o terceiro... Cheguei no caolhinho e ooopps, sem querer dei uma ombrada nele. Ele espatifou que nem bosta no chão.

Foi mal, amigo!

Um apito longo fez todo mundo parar de correr. Ah, não! Agora que meu coração tava que nem uma britadeira?!

- Kanon, você não pode derrubar o Isaak assim!

- Eu?!? Eu não derrubei ninguém! Ele caiu sozinho!

A professora ajudou o projeto de pirata e aproveitei pra olhar pra trás, a Thetis ainda estava virada pra minha direção. Melhor, ela estava comentando algo com as amiguinhas.

Sabe o que isso significa? Isso mesmo, que ela tinha reparado em mim!

- Vamos dar uma pausa de 5 minutos, ok?!? – A Sra. Yao falou.

Andei pra arquibancada e tomei um pouco de água para me refrescar. Olha que nome lindo: Thetis Kirsten Giannopoulos. Ou Thetis Giannopoulos Jensdatter. Imagina os filhos?! Seriam obras primas! Junta a minha beleza, a beleza dela, pronto... Explosão de beleza!

 

Não, eu não tô apaixonaaado, apaixonado... É que ela é muito bonita, muito mesmo. Eu já tinha aproveitado bastante com as meninas da CEGRES, não vou mentir. Também já fiquei no grupo dos góticos, dos nerds, dos estrangeiros, apesar de não ser estrangeiro... Já fui dos Conselhos de química, literatura, matemática, já fui do teatro... Meu último grupo foi o de música, responsável por trazer essa bela mulher. Ela sempre foi muito apegadinha a um babaca qualquer aí, quer dizer, ele não é um qualquer, é um maluco chamado Julian Solo e ele é o maior mafioso da escola, porque tem dinheiro pra cacete e geral baba ovo nele.

Uma coisa nós temos em comum, eu e Saga: o ódio incomum pelo imbecil do Julian Solo.

 

Por favor, não me julgue por ser assim, tão doidão. Não consigo me segurar! Sou um rapaz sedento de curiosidade e gosto de saber sobre várias coisas e conhecer pessoas e fazer novas amizades e...

É.

Na verdade, eu sou meio perdido.

Meu irmão já sabe o que fará na faculdade, e é muito inteligente, já eu... Não sei direito.

 

Vi Thetis e o grupinho irem para o vestuário feminino, cara, eu daria tudo para ser uma mulher agora. Quer dizer, epa, não, calma aí! Só uns minutinhos! Não pra sempre e... Bom, deixa quieto!

Corri mais um pouco, dessa vez fiz de forma amigável, só pra treinar mesmo. Peguei minha blusa e me preparei para voltar pra casa.

Antes, passei pela quadra coberta e dei um tchau de longe para o professor Aioros. Ele tem quase a nossa idade e conhece quase todo mundo aqui do CEGRES!

 

 

***

 

 

- Tchau, professor Aioros!

Estava recolhendo as bolas de basquete pela quadra quando ouvi alguém chamar meu nome. Virei e lá estava Kanon, apressado pra chegar no vestuário masculino.

- Tchau! – Ele parecia animado com alguma coisa, não sei. Desde quando conheço essa molecada, todo o ano é uma confusão diferente.

 

Bom, ahn... Oi! Meu nome completo é Aioros Philemon, sou filho de Iouros e Magdalene Philemon. Nasci e cresci na Grécia, porém pretendo juntar uma grana e viajar pelo mundo, se tudo der certo. Tenho um espírito aventureiro, podemos colocar dessa forma. Meu irmão mais novo, Aioria, está no último ano com a mesma turma, já conheço quase todos eles faz tempo. O mais legal, com certeza, é o Shura; ele já trabalha e ajuda a sustentar a casa, não mede esforços pra conseguir o que quer. Queria que meu irmão fosse um pouco como ele, mas Aioria está naquela fase de pensar somente em como ficar fortão pra atrair as meninas. Às vezes ele é meio... Babaca, entende?

 

Meus pais são divorciados. É uma história complicada. Meu pai nunca foi um marido muito bom, traiu minha mãe diversas vezes e com várias mulheres, até porque ele sempre viajou muito a serviço... Um dia minha mãe se encheu disso. Eles quebraram o pau feio e meu pai decidiu ir embora, meteram advogados no meio da situação toda, a separação foi complicada mesmo. Eles só assinaram os papéis ano passado, quando minha mãe ficou com a casa definitivamente e uma pensão gorda do meu pai. Mamãe nunca precisou muito do dinheiro do papai, quer dizer, meus avós maternos são de família bem abastada... Acho que foi mais pela vingança, entende o que eu quero dizer?

Durante um tempo minha mãe precisou de ajuda psicológica porque começou a beber que nem uma louca. Todos os dias, sempre, em qualquer ocasião, ela bebia. Chegou a tomar uns remédios prescritos. Meu pai está em outra cidade da Grécia, e faz muito tempo que a gente não se fala. Eu sinto falta do meu pai, às vezes.

 

Estou lecionando no CEGRES há quase um ano, fiz o meu estágio aqui e consegui um emprego logo depois de me formar. Ah, eu já meio que conheço quase todos os professores, os coordenadores, não foi difícil entrar. Eu gosto muito do Santuário!

 

- Essas crianças são beeem competitivas, você não acha? – A nova professora veio me ajudar com alguns colchonetes que estavam espalhados num canto da quadra. Ela é chinesa e muito bonita. Seu nome é Yu... Yu-alguma-coisa. Mas todos chamam ela de Sra. Yao.

- Ah, sim! Você não sabe as maluquices que eles fazem aqui nas quadras... Mas, independente disso, você está gostando?

Ela sorriu e acenou com a cabeça, não sei dizer bem se isso era um sim ou um “tanto faz”.

- Pelo salário que a gente recebe, acho que dá aguentar.

Demos risada. Ela contou algumas coisas que aconteceram durante o dia e, enfim, nada do que ela me disse era muito anormal. Adolescentes, bem... São adolescentes? Não fazem muita coisa pensando de forma racional.

 

Voltei pro meu carro e joguei minhas coisas no banco de trás. Arranquei um coraçãozinho de papel do para-brisa dianteiro. Se eu descobrir o engraçadinho...

 

Liguei meu Audi e olhei novamente o estacionamento todo do Santuário antes de acelerar.

- Olá, olá, queridos ouvintes da rádio Alpha-Beta-Gama FM! Agora, vamos ouvir um clááásico dos anos 80... “Hot For Teacher”* da banda Van Halen!

- Isso! Eu adoro essa música! – Aumentei o volume pra curtir o som. Na hora pensei em dar uma passadinha na loja pra ver o Shura, mas acho melhor deixar pra outro dia. Ele deve estar muito ocupado mesmo lá, faz um tempo que não aparece...

 

 

***

 

 

- Hey, hey! Cuidado com isso daí!!!

- Ah, desculpe! – Guardei a minha katana, antes eu estava fazendo alguns movimentos com ela e acabei de alterando de alegria. – Muito obrigado, senhor Shura. Você não sabe como eu estou feliz...

- Não tem de quê. Quer dizer, se você me prometer que não vai sair matando ninguém por aí, ¿vale? – Ele deu risada e eu aproveitei para rir também.

- Não, não vou matar ninguém, eu prometo! Isso vai contra os meus princípios do Jiu-Jitsu...

- E, por favor, não me chame de senhor. Eu tenho 17 anos só.

- Ah... Desculpe novamente! – A gente se despediu e eu agradeci mais uma vez a gentileza de Shura. Saí em direção ao ponto de ônibus para ir até o shopping encontrar minha namorada, a Shunrei. Nós vamos assistir um filme hoje...

 

Sun-Li Shunrei é a minha namorada e até mais do que isso, é o amor da minha vida. Nos conhecemos desde pequenininhos. Minha família é bem grudada na família dela, acho que meu pai conheceu o pai dela já tem uns anos, algo assim. Não quero e nem imagino outra menina para a minha vida. Shunrei é perfeita! É uma menina firme nas atitudes, e linda! Sempre me ajuda com algo para fazer e tudo mais... Eu estou na classe 1B e ela está na classe 1C do Santuário.

Estou muito feliz em encontrar ela hoje, quero mostrar logo como ficou a minha katana. Sabe, eu procurei algumas outras lojas aqui pela Grécia, mas ninguém queria me ajudar... Todo mundo achou que eu ia matar alguém! Jamais! Não consigo machucar nem mesmo uma formiga. Meu mestre sempre me ensinou que devemos ser justos e bondosos com todos e eu sigo seus ensinamentos à risca. Não teria coragem de machucar ninguém!

Quer dizer, só se alguém se metesse no caminho da minha família ou de Shunrei.

 

Bom, sobre a minha família... Meu pai se chama Sakurai Takahiro e minha mãe se chama Sakurai Mizuki. Eu me chamo Sakurai Shiryu, aliás... Esqueci de falar. Somos uma família japonesa que viveu na China e migrou para a Grécia. É meio bagunçado, eu sei, mas minha família é muito importante para mim!

Viemos porque meu pai recebeu uma boa proposta de emprego aqui, antes mesmo do meu nascimento. Ele é um bom advogado. O que quero fazer na faculdade? Sabe, está cedo pra decidir um curso. Gosto de Direito, como o meu pai... Talvez seja um advogado também... Minha mãe trabalhou numa estação de rádio no Japão mas, hoje, ela cuida da nossa casa. Mamãe e Shunrei são muito amigas.

Fora o Santuário, me dedico também ao Jiu-Jitsu, uma das artes marciais do meu país.

Quando entrei na escola, confesso... Foi bem difícil me enturmar. Sou um rapaz meio tímido e isso não me ajudou muito... Fiz amizade com os irmãos Horikawa, Shun e Ikki, e gosto muito deles. Depois veio o Furuya Seiya, também japonês e é bem amigo mesmo! Ele é primo do Jabu e também da Marin, e a Marin é uma menina do segundo ano. Vejamos... Ah! Ontem entrou mais um menino na classe, e ele é russo. Tá meio complicado de entender algumas coisas que ele fala, mas a gente se esforça pra juntar ele no grupo...

- Shiryu! – Desci do ônibus e abracei Shunrei, e depois nos beijamos... – Você demorou, onde estava?

- Eu fui buscar minha katana! – Tirei a espada das costas, mas não da bainha, vai que alguém acha que eu sou louco... – Lembra daquele rapaz que te falei?

- Lembro! – Começamos a andar pelos andares do shopping, pra chegar no piso do cinema. – Foi ótimo ter achado alguém para afiar a sua katana... Seu mestre vai ficar contente!

- Acho que sim...

- Shiryu, nós podemos tomar um sorvete? Tô morrendo de calor!

- Claro!

 

Andamos e paramos num stand do Mc Donalds.

- Boa tarde! Moça, por favor, eu quero um sorvete de chocolate!

- Tudo bem. Mais alguma coisa?

- Shiryu? – Ela me perguntou. Eu olhei os sorvetes, só tinham três sabores: o de baunilha, o de chocolate e o misto...

- Ahn... Não sei... Eu queria o de chocolate... Mas queria o de baunilha também...

- Pede o misto, Shiryu.

- Mas daí vai ser os dois juntos, e eu não quero os dois juntos...

 

 

...

...

...

 

 

- E então? – A moça do stand me perguntou novamente.

- Me vê dois de chocolate, moça. – Shunrei disse. Sorri e ela fez uma cara esquisita pra mim. Sabe, eu prefiro que ela já peça as coisas logo, é mais fácil...

 

Enfim, nós fomos para a fila do cinema.

- Vamos assistir esse, o que você acha? – Shunrei estava apontando para um filme meio romântico, ela gosta dessas coisas.

- Por mim, tudo bem.

- Ah, mas tem esse outro... – Era um de animação. Ela também gosta dessas coisas de desenho e tudo mais.

- Por mim, tudo bem.

- Tá, mas qual você prefere?

- É...

 

 

...

...

...

 

 

 - A gente assiste o primeiro, vai.

 

~~

 

- Ai, Shiryu! Que filme lindo!!! – A gente saiu da sala de cinema, confesso que senti um pouco de sono no meio do filme. Mas nunca que eu ia falar isso pra Shunrei, claro que não. Eu gosto quando ela fica feliz! Ela comentou várias outras coisas enquanto a gente andava... Prefiro deixar ela em casa, em segurança, e depois vou direto pra minha.

Já estava anoitecendo, mas era uma noite muito bonita. Atenas é um lugar muito lindo, com suas paisagens, a praia e tudo mais.

 

- E quando eles se beijaram, nossa, foi tão emocionan... HEY! MINHA BOLSA!

De repente, de um jeito muito rápido, vi três vultos passarem e um deles quase arrancou o braço da Shunrei, levando a bolsa e correndo para o final da rua.

- PERDEU, PERDEU!!!!!!

- HEY! VOLTA AQUI! – Eu gritei. – Fica aqui!!! Fica AQUI, tá bom!?! – Falei para ela e comecei a correr atrás dos moleques, infelizmente não consegui pensar em outra coisa nessa hora. Um deles tinha o cabelo bem arrepiado, era o mais alto. O outro tinha moicano e um outro com o cabelo um pouco maior. Eles usavam jaquetas de couro. O maior olhou de relance pra mim e mostrou o dedo do meio, eles deram risada. Meu sangue ferveu na hora!!!

- SE FODE, PLAYBOY!!!

- VOLTA AQUI!!!

A avenida estava quase que deserta, apenas algumas pessoas viram o que estava acontecendo. Eles entraram numa rua pela esquerda e eu segui. Depois vi os vultos de novo para a direita, não sei bem se era realmente os meninos ou visão minha, mas decidi seguir. Quando percebi, era um beco sem saída...

Não tinha ninguém além de mim.

 

Eu estava ofegante e em alerta, comecei a olhar pra todos os cantos, era um beco muito escuro. Ouvi uns passos atrás de mim...

- Que vacilão do caralho! – Virei e os três tinham me encurralado perto de uma lixeira que tinha ali.

- Me passa tudo, vai!!!! O celular, tira esse tênis aí! – O de moicano falou.

- Por favor... – Coloquei as mãos para cima. Me arrependi totalmente de ter corrido atrás deles, confesso. Nem é tanto por mim... – Olha, eu não quero machucar ninguém, só me dá a bolsa de volta, eu juro que não dou queixa.

- HAHAHAHAHAHA... Cazzo, não me faça rir!!! – O maior disse e eu vi um pequeno punhal na mão dele. – Você é um merda!!! Te arregaço que nem um sushi, seu bosta!

Ele veio pra cima de mim com o punhal e, bem... Ele atacou de baixo para cima, eu consegui usar o punho pra barrar o braço dele... Peguei o cotovelo e torci, para as costas dele, a faca acabou voando...

Creio que tenha sido violento demais. Ouvi um estalo, acho que foi algum osso quebrando...

 

- AAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHRGGGGHHHHH!!!! AAAAHHHH, MAS QUE PORRA É ESSA????? – Ele começou a gritar e eu aproveitei pra chutar a faca longe... O braço do menino estava meio torto... – MEU BRAÇO!!! AARRRRGHHHH AAAAHHH!

- FODEU!!!! Corre, corre!!!! – Os outros dois jogaram a bolsa no chão e foram embora do beco, e ele ainda gritava. Vi a Shunrei chegar um pouquinho depois.

- SHIRYU!!! Você tá bem?!?

- AAARRHHHH SEU FILHO DE UMA PUTAAAAA... MALEDETTO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

- Shunrei, por favor... Eu acho que acabei quebrando o braço do rap...

- FIGLIO DI PUTTANA!!!! VOCÊ ME PAGA, SEU JAPA DE MERDA!!!!

- SHIRYU!!! – Ela começou a gritar também. – O QUE...

- Por favor, Shunrei, fique calma!

- VOCÊ É UM BOSTA!!!! EU TE ODEIO!!!! MEU BRAÇO, VOU TER QUE AMPUTAR MEU BRAÇO!!!!

- Olha, me desculpa, tá legal? Eu vou chamar uma ambulânc...

- NÃO!!!!! ME DEIXA AQUI, VA BENE???? ME DEIXA AQUI PRA MORRER! EU VOU MORRER!!! MEU BRAÇO!!!! AAARRGHHHHHH!!!

- Shunrei, por favor, chama uma ambulância!

- SHIRYU, O BRAÇO DELE!!!

- E-eu, eu sei... Ele...

- SEU IMBECIL!!! TE QUEBRO NA PORRADA!!!

- SHIRYU!!! SHIRYU!!!!!

- P-por favor, Shunrei... Chama a políci...

- ME DEIXA, SEU BOSTA!!! – Ele ainda tentou cuspir em mim.

- Tá, t-tá... Tá! Tchau!!! E... E não roube mais ninguém, ouviu?!?! - Peguei a mão da Shunrei e andei rápido até o final do beco, ela estava branca como uma vela!

 

Eu não acredito!!! O que é que eu fui fazer?????????


Notas Finais


Van Halen – Hot For Teacher: https://www.youtube.com/watch?v=2OlAx4Dok38 (gente, melhor dica do que vai acontecer do que essa música eu juro q não consigo dar UAHESUHAESUHUEH)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...