História Sarang Haeyo - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jimin, Policial, Romance
Visualizações 13
Palavras 1.661
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu não sei se está bom, se está legal mas eu trouxe mais um capítulo, desculpe pelos erros e boa leitura.

Capítulo 5 - Capítulo 4


Fanfic / Fanfiction Sarang Haeyo - Capítulo 5 - Capítulo 4


Seguimos na direção que vinha o grito, em um beco escuro um homem mascarado tentava abusar de uma mulher. 

- Jimin e ele. - S/n sussurrou, levei a mão até a parte de trás da calça e segurei minha arma- ei você! solta ela. - S/n disse ao homem que estava usando uma máscara de borracha e ele a encarou. - já disse para soltar ela. - ela fez menção de se aproximar mas há segurei. 

- O que pensa que vai fazer? - a olho sério e ela se solta da minha mão, eu poderia puxar a arma e atirar mas ele poderia matar a vítima já que ele está a segurando, então deixei S/n tentar se aproximar e tentar desarmá-lo, ela chega um pouco mais perto e tenta golpear o cara, mas acaba sendo cortada no antebraço pela faca que ele segurava, saco minha armar arrependido por ter deixado ela se aproximar. 

- Droga! - ela grita e cai sentada no chão o homem sai correndo e eu me aproximo das duas. - vai atrás dele Jimin! - assenti correndo com a arma em punho e sai correndo na direção que ele foi, corri por mais algumas ruas e o encontrei em um beco.

- Parado se não eu atiro. - ele parou com as mãos pro alto, me aproximei devagar, mas ele jogou a faca para cima de mim, só deu tempo de desviar, ele se pendura no muro e eu disparo mas ele consegue fugir

- Droga! - passo a mão no cabelo e volto correndo para onde S/n estava.

Chegando no local vejo uma ambulância e um aglomerado de pessoas em volto, corro até a ambulância e vejo S/n sentada na porta da ambulância recebendo atendimento. 

- Você está bem? - ela levanta o olhar e sorrir ao me ver ali.

- Estou sim, conseguiu pega-lo? - nego e ela sorri para me confortar, olho para seu braço e ela segue meu olhar. - não foi nada grave.

Me aproximo dela e ela abraça minha cintura com o braço que não estava machucado, coloco as mãos no pescoço dela e a faço me olhar.

- Jimin eu estou bem. - ela sorriu ladino, como ela sabe que estou preocupado? Se algo acontecer com ela não sei vou suportar, será que estou me apaixonando? - Jimin? - a olho e ela sorriu se levantando. - eu juro que estou bem, segundo ele. - ela aponta para o médico. - Nem vai ficar cicatriz. - o médico assentiu sorrindo e eu a olhei, selei meus lábios nos dela num selinho demorado. 

- Temos que falar com a vítima. - disse antes que ela toca-se no assunto do selinho, ela pisca algumas vezes e assenti.

Caminhamos até o carro, destravei as portas e ela senta no banco do carona, coloco o meu cinto e olhei para S/n, ela estava tentando tirar a jaqueta, solto meu sinto e viro na direção dela para ajudá-la.

Tiro um braço e depois o outro, olho para ele e percebo o quão próximo estamos, olhei para seus olhos e lábios. 

- Gomawo - ela diz me tirando do transe.

- Nada! - volto a minha posição colocando o cinto de segurança e dando partida no carro. 


[...]


Depois de ver que a vítima teve ferimentos leves e colher seu depoimento e repassar para delegacia, fui deixar a S/n em casa, parei em frente ao seu prédio.

- Chegamos! - disse e me virei para olhá-la, sorri ao ver ela com a cabeça encostada no vidro do carro dormindo. 

Tirei meu cinto e sai do carro dei a volta no mesmo e abri a porta do passageiro com cuidado para ela não cair, segurei sua cabeça e destravei o cinto de segurança, coloquei a jaqueta em seu colo e a peguei no colo, fechei a porta do carro e travei as portas.

Entrei em seu prédio com ela no colo e pedi dessa vez para que o porteiro abrisse o apartamento dela, seguimos juntos até o andar que ela mora e o porteiro abre o apartamento, agradeço e ele vai embora, entro em seu apartamento com ela nos braços.

Olho para o sofá e depois para ela, caminhou até um pequeno corredor e parou em frente a uma porta e do lado de outra, opto pela porta da frente e acerto, entre a colocando na grande cama de lençóis brancos e ela geme de dor quando seu braço ferido toca na cama.

Suspiro pegando uma coberta branca que estava sobre a cama e a cubro, faço um afago em seu cabelo e saio do quarto deixando a porta aberta, caminho até o sofá e me sento.

Estou com sono mas minha cabeça está cheias de pensamentos, não sei porque tive tanto medo dela estar mal, não sei porque a beijei, não sei porque meu coração bate feito um louco em meu peito quando ela está por perto ou simplesmente quando sorri, suspiro e passo a mão no rosto, encosto minha cabeça no encosto do sofá e fechei os olhos lembrando do nosso beijo na boate, um sorriso involuntário surgiu em meus lábios, “ e Jimin acho que está gostando dela”.

Não sei em que determinado momento eu dormir sinto alguém me cutucar, abro os meus olhos lentamente e me deparo com um par de coxas na minha frente, sento correndo e vejo S/n com uma blusa que ia até metade de suas coxas e cabelos molhados.

- Bom dia! - ela sorriu e caminhou até a cozinha, me levantei e a segui, me sentei em um dos brancos que ficava próximo a bancada que separava a sala da cozinha. 

- Desculpa acabei pegando no sono. - apoiei a cabeça na minha mão e fechei meus olhos. 

- Tudo bem, só acho que Yoora não vai gostar de saber que você dormiu no meu sofá. - abri meus olhos confuso e ela colocou uma caneca de café na minha frente. 

- O que Yoora tem a ver com isso? - pergunto antes de bebericar meu café. 

- Ela não é sua namorada? - cuspi o café e ela coloca a mão na boca. 

- Yoora não é minha namorada. - digo quando ela se aproxima para secar a bancada. - Quem te disse isso? - a olho. 

- A própria Yoora. - ela deu de ombros. - e o que ela anda dizendo pela delegacia. - passo as mão pelos cabelos os puxando para trás. 

- Isso não é verdade! - digo me levanto do banco ao qual estava sentado. 

- Bom isso não é da minha conta. - ela diz colocando as canecas na pia e dando a volta na bancada. - e não quero me meter na briga de vocês dois.  

- Não há briga, porque nem um casal somos. - seguro seu pulso. - S/n e sério ela não é minha namorada. - ela me olha e sorri. 

- Eu acredito em você Jimin. - ela se aproxima e eu observo seus movimentos. - não se preocupe. - ela se vira para ir embora mais eu a puxo chocando assim nossos corpos. - Jimin? 

- Shh. - rocei meus lábios nos seus e a beijei, não vou segura mas a minha vontade de beijá-la, suas pequenas mãos tocam meu rosto e eu envolvi sua cintura com meus braços. 

- Não sei se isso é certo ou não, mas não vou mais me controlar. - disse entre os beijos e ela assentiu sorrindo. 

- Temos que ir para delegacia. - ela disse quando comecei a beijar seu pescoço. 

- Tudo bem. - suspiro. - vai se trocar. - ela me deu um selinho e saiu correndo para o quarto. 


[...]


Depois de deixar ela na delegacia passei em casa rápido e troquei minha roupa, voltei o mais rápido que consegui pois recebi uma mensagem da S/n dizendo que o chefe queria nos ver.

- S/n ? - a chamei assim que a vi sair da sala de evidências, ela se virou e me olhou abrindo um grande sorriso. - está indo para sala do chefe? - ela assente e eu me aproximei para beijá-la.

- Aqui não Jimin. - ela me empurra sorrindo, sorri concordando.

caminhamos juntos até a sala do chefe juntos, acho estranho por não encontra Taehyung no meio do caminho, mas ao abrir a porta vejo o mesmo sentado em uma cadeira de cabeça baixa, provavelmente bebeu todas.

- Que bom que chegaram. - o chefe disso chamando a atenção de todos para nós dois. - bom eu chamei vocês aqui para parabenizar os dois por essa madrugada.- Yoora me olhou com o cenho franzido e foi aí que notei sua presença na sala. - embora não tenham conseguido capturar o assassino e a S/n ter se machucado vocês fizeram um ótimo trabalho salvando a vítima. 

- Obrigada chefe! - dissemos em uníssono. 

- E acho que foi uma boa idéia unir os dois. - ele disse e eu concordei mesmo recebendo um olhar feio de Yoora. - bom se tudo correr bem até o final do expediente eu convido a todos, para comer carne em minha casa. - Taehyung que estava quieto até o momento assoviou e todos nós rimos. 

Saímos da sala do chefe e meu braço foi segurado por algum, olho para meu braço e para pessoa que me segurava, ao fundo vejo S/n e Tae me olhando, maneio a cabeça para os dois eles vão andando. 

- O que foi Yoora? - disse tentando controlar minha irritação, afinal não quero ser grosso com ninguém. 

- Porque estava na boate com ela? - não segurei e acabei gargalhando. 

- Yoora eu sou solteiro e vou à boate com quem quiser, entendeu? - coloco a mão na cintura e a olho. 

- Mas Jimin… - a interrompo.

- Yoora entenda uma coisa eu não gosto de você, eu sinto muito. - beijo sua testa e sai dali deixando Yoora no meio do corredor. 

Espero que ela entenda de uma vez por todas e pare de inventar coisas para todo mundo da delegacia. 


Notas Finais


Jimin não conseguiu pega-lo e ficou chateado pela S/n ter se machucado.

Espero que tenham gostado, não? ! Tudo bem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...