História Saranghae. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags 2sah, Fluffy, Jeongguk, Kim Taehyung, Taekook, Vkook
Visualizações 72
Palavras 3.050
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Musical (Songfic), Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


IAI SEUS PURO
Turu bom com vocês? Comigo turu ótimo, amém.
Estou aqui com uma nova fluffyzenha para minha senpai, crusha das crusha, lindja e poderosa e dizer amo muito, muito e muito ela.
Espero que goste desta pequena fic, senpai, fiz com muito carinho (e demora, vale lembrar qq), entoa aproveite hein.
Aos demais, importantes óbvio, espero que apreciem também essa vkookzenha.
Até depois, meu amores, tia Chany ama vocês <333

Capítulo 1 - Único - Eu te amo.


Fanfic / Fanfiction Saranghae. - Capítulo 1 - Único - Eu te amo.

"Eu vou seguir esse caminho

Que tem o seu cheiro

Tenho uma certa certeza

Posso sentir isso quando coloco meus fones de ouvido"

[...]

-xXx-

Com certeza você tem aquela pessoa que te faz ver estrelas sem ser em um sentido malicioso, apenas olhando aqueles pontinhos brilhantes durante noites a fio enquanto a chamada de voz rolava ou até mesmo a de vídeo. Devem pensar para si mesmos “cara, como sou sortudo em ter este ser comigo” e é óbvio que vão dizer algo assim, afinal, é a pessoa que vocês amam!

Eu tenho alguém assim e como o amo! Céus... Eu realmente sou muito sortudo por tê-lo comigo. Eu faria de tudo para ver aquele sorriso quadrado e também suas atrapalhadas brincadeiras que sempre acabava com Taehyung caindo no chão e este falando o quanto é crianção e eu apenas concordo com isso.

Olhava as horas pela décima vez naquele dia. Eu estava cansado de ficar naquele aeroporto à espera do voo para Busan. Se fosse por mim, já estava lá a muitos meses atrás, mas como eu era uma pessoa muito ocupada, não poderia fazer isso.

Suspirei em alívio quando anunciaram que meu voo sairia naquele momento. Estava com saudades de Busan; dos amigos que estavam lá; enfim, de tudo que envolvia Kim Taehyung.

Andei em direção ao portão e entreguei minha passagem a moça que ficava naquele ponto. Ela conferiu o mesmo e me entregou novamente aquele documento. Limitei-me a respondê-la com apenas um sorriso sem mostrar os dentes e segui em direção à aeronave. Me acomodei em um dos assentos e fechei os olhos aproveitando aquele momento.

— Só mais algumas horas, Jeongguk... — disse a mim mesmo.

"Oh querido, por que você está tão longe?

Não consigo me acostumar com a sua ausência

Sabe, parece que falta algo aqui dentro

Eu só quero ficar com você para sempre

Triste realidade de que só posso te ver

Através desse smartphone está me perseguindo"

Como não estava fazendo nada produtivo, me peguei relembrando os momentos felizes vividos por mim e Taehyung. Era cômico ver como nos envolvemos de uma forma tão inusitada e até mesmo aproveitadora. Cada segundo foi importante para ambos; foi mesmo, com toda certeza.

Sorri abobado quando me recordando que lhe dei um apelido que o chamava daquela forma até os dias de hoje; a forma como seus olhos se fechavam graciosamente ao sorrir; suas bochechas mesmo pequeninas que me dava vontade de apertar só para vê-lo sem graça com tal atitude; tinha o fato de suas atitudes de criança, mas mesmo assim, nunca abandonar aquele jeito gentil que lembrava um garoto apaixonado de colegial.

Outra coisa também que gostava bastante no meu amado era como ele ficava uma graça quando ficava com ciúme e agia como uma criança birrenta. Eu apenas ria com isso, mas no fundo eu ficava feliz que ele tinha aquele tipo de sentimento, afinal ele me amava e eu o amava mais ainda.

"Vou suportar a solidão

Por não poder estar com você

Hoje, ao contrário do meu pensamento

O tempo passa

E eu fico ansioso"

Eu estava nervoso para chegar logo em Busan para poder dizer "finalmente ao seu lado", mas as sensações que a distância dele me causava, me deixava inseguro e temeroso.

Será que meu hyung estava bem? Ficou doente durante esse tempo que estive fora? Será que ele estava sentindo minha falta como eu estava sentindo a dele? Será? Essas minhas perguntas, sem quaisquer respostas, estava a deixar-me paranoico e com medo de algo de ruim tenha acontecido ao meu Taehyung enquanto estive ausente.

"Estamos embaixo do mesmo céu

Em que enviei um sopro

Rezando para que nossos corações

Continuem juntos hoje também"

O que eu mais queria era poder abraçá-lo e dizer "estou finalmente ao seu lado, hyung", mas parecia que as horas não passavam e só me deixava mais ansioso para poder vê meu namorado. Eu iria enlouquecer a qualquer momento. Naquele avião, a única coisa que pairava em minha mente era o quanto o amava e quantos "eu te amo" iria dizer ao vê-lo novamente.

Observar pela pequena janela as nuvens passarem pelas asas do transporte aéreo só me faziam lembrar o quanto Taehyung era fofo na maior parte das vezes; o quanto poderia ser delicado quando mexia com o que lhe mais doía. Ele era um ser adorável. Por isso o amava com todo o meu coração.

"Tudo para você

Não precisamos de uma resposta

Pois tudo está nesse seu sorriso

Mesmos estando separados sempre

Nossos corações estarão ligados para sempre"

Por mais que a ansiedade falasse mais alto dentro de mim, eu poderia contar com a esperança de poder vê-lo, abraçá-lo, encher de beijos e elogios, bajulá-lo até quando meu humor se estourasse e fechasse a cara e ele dissesse "eu te amo até com essa cara emburrada". Eu estava ferrado nesta vida, mas pelo menos tinha conseguido me apegar a alguém que valesse a pena e que ficasse comigo sempre. Em meus momentos bons e também ruins.

De tanto viajar por meus pensamentos de garotinhos apaixonados, senti o avião pousar e logo a aeromoça pediu para que aguardássemos até que fosse solicitado nossa saída do transporte.

Eu suava frio, estava muito ansioso para encontrar Taehyung depois de tantos meses longe. Será que ele sentia o mesmo? Será que ele sentia minha falta? Foram seis meses longe dele.

A mulher pediu para que desembarcássemos do avião. Assim o fiz. Desci do transporte aéreo e segui em direção ao desembarque e fui em direção a saída do local em que estava. Vasculhei com os olhos cada cantinho daquele lugar com a esperança pulando em meu peito, prestes a saltar pela mesma a qualquer segundo.

Assim que bati os olhos no portão de saída, vi um certo moreno com cabeleira avermelhada me fitar com um sorriso quadrado carregado em seus lábios. Não neguei um sorriso e sorri de volta de orelha a orelha. Apertei meus passos e assim que estava próximo o suficiente do meu amado, pulei em direção ao seu pescoço, seguido de um abraço de segurar o fôlego.

— Eu senti tanto sua falta, Jeongguk-ah… — disse rente a minha orelha.

— Desculpa não ter vindo antes, hyung. — apertei mais ele em meus braços. — Eu também senti muito a sua falta.

— 'Saeng, me diga que não vai viajar mais. Fica comigo? — Nos afastamos e ele me fitava com aqueles olhinhos em estilo meias luas. — Por favor, dongsaeng…

— Desta vez, vim para ficar, hyung. — disse depositando um leve selar em sua bochecha. Ele sorriu, deixando assim, seus olhinhos bem fechados. A coisa mais linda nele.

— Taehyung? — O chamei baixo, quase num sussurro.

— Hm? — murmurou me fitando um pouco confuso.

— Eu te amo. — Seus olhos castanhos brilharam e ele sorriu com as bochechas um pouco coradas.

— Eu também te amo, Jeongguk-ah.

"[...]

Acreditamos um no outro, então vamos fazer o amor brilhar sendo, nós mesmos

Impecáveis como uma flor de cerejeira

Tudo para você

Não precisamos de uma resposta

Pois tudo está nesse seu sorriso

Verdade

Mesmos estando separados

Nossos corações estarão ligados para sempre"

-xXx-

"Talvez

Meu amor não é adequado para as regras modernas

Pessoas dizem

A juventude é muito curta

Devemos mostrar se existem sentimentos

Mas isso não significa que eu não tenho a coragem de dizer eu te amo

Quando eu segurar você em meus braços

Eu realmente não quero sejamos separados

Você acredita?"

-xXx-

Depois de chegarmos no apartamento, acabamos por ambos tomarmos banhos e cada um caçar alguma comida naquela casa que estava mais escassa que minha vontade de andar depois de uma viagem cansativa. Suspirei me sentando no sofá e esperando um milagre divino vir de Kim Taehyung para me arrumar algo para comer. Acabei por dormir naquele estofado. Sentia apenas meu corpo ser carregado em estilo noiva e minha cabeça ser encostada a um perfeito e confortável travesseiro. Despertei depois com um cheiro característico de Taehyung ao meu lado também em um sono profundo.

Sorri e toquei seu pescoço de leve, sentindo seus pelinhos se eriçarem de leve pelo toque repentino. Eu já disse que o amo? Se não, eu o amo, mais que tudo alias. Ele era a maior jóia na minha coleção de bijuterias e que jamais trocaria em um leilão, nem mesmo por uma quantia alta de dinheiro. Meu amor por este rapaz com alma de criança é mais puro e sem sentido, porém, nós nos entendemos, com estranhezas ou não.

Vale lembrar que, naquele instante, observando o rosto sereno como a de um anjo, só me fazia querer amá-lo ainda mais, não no sentido do ato sexual ou algo assim e sim no sentido de protegê-lo como alguém realmente importante para mim. Vê-lo tão vulnerável daquela forma me fazia querer protegê-lo sempre com todas as minhas forças. Nãos deixaria que ninguém o machucasse ou magoasse. Se alguém ousasse tal coisa, óbvio que ficaria irritado e tirou satisfação com a pessoa.

Tê-lo ao meu lado era a sensação mais preciosa que eu poderia sentir. Era algo realmente especial, não tinha como descrever algo assim; não tinha como descrever por palavras e sim com atitudes. Todos os dias dizer "Eu te amo" e depois beijar-lhe ambas as bochechas em forma de carinho e ele apenas sorrir para mim com suas bochechas levemente coradas e seu sorriso encantador. Era algo realmente bonito, ao menos para mim.

Vê-lo assim, querer protegê-lo e dizer que o amaria todos os dias da minha vida era algo que realmente gostava de fazer e que gostaria muito mais. Não importava quantas vezes brigássemos por algo bobo como  um controle idiota de TV ou por conta de um último salgadinho no pacote. Nada disso importava! O que importava era tê-lo ali ao meu lado sempre e sempre!

Apertava-me o coração todas as vezes que discutimos por coisas fúteis como o ciúmes ou o estresse do dia a dia de nossas vidas fora do apartamento. Era algo realmente triste quando ficávamos sem trocar algumas simples palavras dizendo o quanto aquilo foi horrível e estávamos errados quanto aquilo, era realmente muito ruim, por um motivo realmente inútil.

Entretanto, ainda tinha também a parte boa: sempre que estávamos brigados, procuramos nos reatar o quanto antes. Mesmo que aquilo que ocorreu minutos atrás nos afeta, sempre vamos tentar mudar aquilo.

Sempre que o admirava enquanto dormia ao meu lado, lembrava-me da forma que nos conhecemos. Foi algo um tanto bizarro. Lembrava-me como se tivesse sido ontem que trocamos algumas mensagens aleatórias sobre casamento — estanho não? — e do nada ele havia me pedido em um. Eu não soube como reagir. Claro que na época foi algo totalmente fora de cogitação, mas quem sabe daqui uns tempinhos — curtinhos espero — algo assim não aconteça?

Também me perguntava todos os dias porque Taehyung não tinha entrado em minha vida antes. Tudo parecia mais fácil ao lado dele. Tudo era mais "suportável" ao lado dele. Praticamente tudo que se resumia em Kim Taehyung era mais agradável. Vendo-o dormir ao meu lado era realmente mais agradável. Tê-lo ao meu lado era ótimo, não tem nem como reclamar. Afinal, eu o amava acima de tudo. Eu ama Kim Taehyung acima de qualquer coisa existente neste mundo e ninguém mudaria este fato.

"O calor do amor continua

Ainda há tempo para tudo

Avançando lentamente mais perto de seu coração

Lendo o seu mais profundo segredo

[...]

Você diz

Você está com medo de perder o verão, antes que aconteça

O que você não sabe

Meu verão chegou por causa de você"

-xXx-

"Na escuridão, eu fecho as portas e em silêncio sinto-me impotente

O palco mudou, certamente deixou uma reflexão de arrependimento

Você silenciosamente me deu muito, porém nunca mencionou isso

Eu tomei coragem e abri meus olhos mais uma vez"

-xXx-

Já havia se passado algumas semanas, para ser mais exato, duas semanas que eu havia chegado de viagem. O castanho depois de um tempo resolveu tirar um tempinho do trabalho, ao menos um final de semana — diga-se de passagem, um feriado prolongado —, para viajar. Como eu sou um ótimo namorado — ou quase isso — não acatei. Queria ficar a todo custo em casa, porém, o hyung insistiu para viajarmos para algum canto e neste caso foi o Brasil. O que aconteceu? Eu aceitei, óbvio — que não. No final das contas acabei tendo que ceder e arrumar minhas malas.

O celular marcava 20h em ponto, o avião já estava pronto para levantar voo. Peguei minha bagagem e segui até o portão de embarque. Com meu passaporte em mãos segui até o local e entreguei o mesmo a pessoa que verificava a documentação. Ao meu lado estava meu namorado, Kim Taehyung, o ser humano que me obrigou a todo custo para essa viagem.

Não poderia dizer com todas as letras que estava feliz com isso, mas como ele fez de tudo para me arrastar com ele, não poderia negar isso a ele. Peguei meu passaporte após a verificação e embarquei junto ao Kim e nos acomodamos aos assentos. Estava com um bico contrariado nos lábios. Eu realmente estava bem melhor em casa comendo porcarias e tomando toddynhos adoidado, mas claro que Taehyung ia mudar isso, mas para quê? Nunca decidiu algo assim tão rápido.

Dispercei ao observar as nuvens dar os ares da graça. Que irônico, não? A vista do céu de um avião era realmente algo apreciável. Fechei os olhos, sorrindo para a janela ao meu lado. Ao lado oposto estava meu namorado, apoiando a mim para dormir, como sempre. Fiquei durante a viagem toda apenas observando a janela com suas diversas nuvens de algodão branco. Depois de mais ou menos duas horas de viagem, consegui sentir o avião pousar em terra firme. Suspirei aliviado. Estava ansioso para um banho quentinho e relaxante. Para melhorar, teria que acordar a bela adormecida ao meu lado. Mas estava tão adorável daquela forma que seria melhor deixá-lo assim.

— Taehyung… — Chamei baixinho, cutucando suas bochechas, fazendo com que este fizesse uma careta mínima.

— Para com isso, Jeongguk… — Murmurou tentando virar novamente e dormir.

— Nós já chegamos no Brasil, hyung. — Digo baixo.

— ‘Tá, e daí? Eu estou com sono. — Resmungou baixo.

— Olha aqui, hyung, foi você que me arrastou para essa viagem, então faça o favor de tirar essa bunda dessa poltrona e sair em direção aquela porta ou te jogo dessa coisa em três, dois… — Nem precisei terminar e ele levantou, dirigindo-se o mais rápido que pode a porta do avião.

— Isso tudo é medo? Eu hein. — Faço um bico e sigo em direção ao ruivo que me esperava já em terra firme.

— Que calor todo é esse? Senhor, é isso que os brasileiros passam? — O rapaz tirou a blusa de moletom. — ‘Tô fora, pego meu frio e vou-me embora. — Reclamou fazendo menção de subir as escadas para voltar ao avião.

— Larga mão de ser mole, hyung. — Puxei o rapaz pela camiseta e este voltou fazendo cara feia. — Culpa sua. — Sorri satisfeito e comecei a andar em direção ao lado das bagagens.

— Eu te odeio.

— Com certeza. — Revirei os olhos rindo do rapaz e logo passei pelo desembarque.

Caminhou as pressas atrás de mim rindo em seguida pelo feito. Estávamos cansados da viagem e ainda era de manhã no Brasil, deixando nossos relógios biológicos totalmente desregulados. Suspirei em alívio ao sentar no banco do táxi, o Kim logo ao meu lado sorriu com aquele típico quadrado desenhado. Sinceramente, eu amo esse meu hyung.

Acabamos por chegar no ontem que havíamos reservado antes de viajarmos sem problemas algum e nos hospedamos normalmente. Minha vontade era de me jogar naquela cama de casal, mas estava todo grudento por conta do calor do local.

— Hyung, como liga esse negócio aqui? Está calor demais. — Perguntei referindo-me ao ar-condicionado.

— Me dê aqui, ‘saeng. — Entreguei o controle à ele e em cinco minutos o quarto já começava a dar efeitos de frio. Que delícia.

Quando eu ia entrar no banheiro para tomar um bom banho, vejo Taehyung me chamando para janela que por sinal dava para uma bela de uma vista. Sorri largo, olhando o mar e tocando o vidro de leve. Era realmente muito lindo, mesmo com aquele calor todo.

— Hyung… — Chamei o ruivo baixinho.

— Hm? — Murmurou em resposta.

— Por que me chamou para viajar justo no Brasil? — Olhei o dito cujo que sorriu largo para mim.

— Porquê quero lhe fazer um pedido e creio que só será possível com nós dois aqui. — Segurou minha mãos e ajoelhou-se. — Jeongguk, aceita um crianção que o ama mais que tudo nesta vida como seu futuro esposo? — Tirou uma caixinha vermelha do bolso da calça, mostrando-me o objeto que tinha dentro: uma aliança prateada com um fio de ouro, simbolizando compromisso.

Devo confessar a vocês que não soube o que responder. Parece que tinha cinco anos novamente e que deveria ser alfabetizado outra vez. Senti meus olhos arderem e minhas mãos tremerem de emoção. Taehyung estava me pedindo em casamento!

— E-Eu… — Não conseguia responder. Fugia tudo da cabeça e da boca. Como diria minha mãe: está na ponta da língua, mas não escorrega para falar.

— Gukkie? — Me chamou novamente estranhando meu silêncio e seu sorriso sumia aos poucos.

— Eu aceito! — Disse de uma vez, deixando minhas mãos agarrarem as semelhantes do Kim e este erguer-se e tomar-me em um beijo calmo e romântico.

Logo nos separamos e ele colocou uma das alianças em meu dedo e logo fiz a mesma coisa com ele, depositando um pequeno beijo.

— Eu te amo, Jeongguk.

— Eu também te amo, hyung. — O abracei, sorrindo de forma terna diante dos acontecimentos.

Eu amava Kim Taehyung como amava o calor e este me amava como amava o frio. Deste modo, creio que podemos nos completar de várias formas. Entre sorrisos e abraços, tristezas e angústias, desilusões e sonhos, cada uma dessas questões nos aproximou ainda mais do que acharíamos e com isso, permaneceríamos para todo sempre, um ao lado do outro.


Notas Finais


Foi isso, amores
Senpai, espero que tenha gostado e me perdoe por ter sido tão curtinha T-T
Obrigada a todos e pela capenha da maroa em cima da hora skksksksks perdoa filhota
Enfim, è apenas isso mesmo.
Até a próxima, meus anjos. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...