História Sarrada - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias SHINee
Personagens Jinki Lee (Onew), Jonghyun Kim, KiBum "Key" Kim, Minho Choi, Suga, Taemin Lee
Tags 2min, Alguém Me Ajuda, Crack!fic, Idiotices, Kibum Buchudo, Menino Vei Do Buchao, Vrá
Exibições 87
Palavras 1.077
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Famí­lia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


KEY ON

Capítulo 17 - Cala essa boquinha


Como se não bastasse meus meu quarto mês esperando um filhote do Jonghyun, estava cada vez ficando mais difícil de esconder a barriga. Tive que comprar um monte de regatas por aí, me virar do jeito certo para não enlouquecer por conta dos hormônios causados em mim.

Lembro do dia em que eu e Jinki estávamos no shopping e um grupinho nos parou e disse:

- Kibum oppa... Por que está com essa barriga? - Uma das meninas (que não, com certeza não estava bem vestida) perguntou me olhando de cima a baixo. Ainda bem que eu estava de óculos pois meus lindos olhinhos estavam chorosos aquele dia. Jonghyun disse que iria ir para o Blue Night e ele já tinha um novo projeto. Inspiration. Não gostei, mostrou demais as partes do meu homem. - Não me diga que...

- Ele está com verme. - Jinki já encheu a boca para responder pir mim, me deixando com a maior vergonha. Passou um braço pelos meus ombros e sorriu (um sorriso bem idiotinha) - E bem, ele comeu demais... Jonghyun alimentou muito o nosso estilista...

- Sério? - Vi as meninas rirem envergonhadas, olhando umas as outras. A história do verme ainda não saiu da minha cabeça. - Então... Kibum e Jinki oppa... Poderiam autografar aqui?

- Claro querida. - Falei pegando a revista e uma caneta que ela havia me entregado e assinei.

Quando saímos de lá, quase espanquei Jinki por que ele disse que estou com verme.

E ah, mais uma coisa. Eu só iria descobrir o sexo do meu bebê quando ele nascesse. Sei lá, eu sabia que era desnecessário mas... Era o meu desejo. É estranho, eu sei que é mas por isso que eu pedi ao meu belo primo para guardar esse segredo e não contar a ninguém. Se fosse possível até Jonghyun não saberia, pois se ele soubesse estaria morto.

- Ahm... Você não está se arriscando demais saindo com essa barriga aqui e ali Kibum? - Taemin perguntou sussurrando. E eu bem, estava comendo. Minha vida era comer, eu amo comer, tudo resumido na minha vida é comer. Ou seja, marcamos nós dois para irmos ao cinema enquanto Jonghyun travalhava no estúdio em seu novo projeto ou até na rádio junto com as fãs, mas só sei que qualquer dia desses irei lá novamente. - Digo, já está crescendo.

- Acho que não. - Olhei para ele, tirando o grande pote de pipoca da mão dele e botando nas minhas pernas. Ele rolou os olhos bebendo o refrigerante e voltando a olhar para o telão em nossa frente. Era um filme de terror, e eu como sou muito cagão pra isso não queria ir, mas Taemin disse que iria comprar um sorvete pra mim logo que saisse então aceitei... A verdade é que eu já alcancei vários high notes desde que entrei nesse troço, tô doido pra tirar minha bunda da cadeira. Juro que estou sentindo ela ficar quadrada. - Ninguém percebeu ainda. Eles pensam que estou comendo muito por causa de Jonghyun... Não há nada de errado.

- Você é que pensa. - Arqueei as sobrancelhas voltando ao filme. Mas ao  mesmo tempo apareceu uma mulher na frente da câmera com o rosto todo deformado e falando várias coisas. Eu gritei, gritei mais alto que o resto das pessoas e acabei me agarrando ao braço de Taemin mais uma vez. - Você está me deixando surdo.

- Cala essa boquinha. - Rolei os olhos me afastando dele. - Mas Tae, não vi nada de errado ainda. Quero dizer, ninguém e nem a mídia perceberam algo diferente em mim em relação ao meu bebê... Umas semanas atrás eu fui na rádio de Jonghyun mais uma vez e bem... As fãs nos perguntaram se queríamos ter filhos e-

- Vocês responderam que sim, eu sei. - Ele interrompeu pegando uma mão cheia da pipoca. - Mas tenha cuidado hyung. Você sabe que desde aquela época em que eu era magrelo me preocupava com você e te protegia também. - Vou nem rir por causa do magrelo - E bem, agora já estamos crescidos e você é mais velho que eu.

- Eu sei minha loira irritante... - Falei lhe olhando sorrindo. Ele fez o mesmo mas com a cara fechada. Senti ele passar a mão por minha bochecha, logo fazendo um leve carinho. - Sei que se importa comigo e eu com você... E ainda continuo, vendo suas coreografias e danças, vejo que meu garotinho cresceu e me sinto orgilhoso por fazer parte da história da minha criança. - Vi um sorriso se formar em seu rosto. - E você sempre continuará sendo minha criança, hm? Não se preocupe meu bebê, você também continuará sendo só meu.

E bem, fizemos um gesto que fazíamos desde adolescentes. Esse tipo de gesto era só dar um selinho um no outro e depois nos separar. Não me pergunte, vivemos na lama desde moleques e sempre vivíamos fazendo isso. 

#~#

Se algum dia um amigo te levar para o cinema e depois dizer que vai te comprar comida, vá com ele. Pois digo que é ótimo e vale muito a pena.

- Vamos Tae, já está tarde... - Falei manhosamente puxando o mesmo até o carro no estacionamento. Ele  estava só mexendo no celular, mas eu estava com sono e queria dormir. E em questão de segundos já estávamos na estrada indo em direção a minha casa, por que TALVEZ ele iria dormir lá. - E eu tô com sono. - Deitei meu corpo no banco de passageiros ficando de costas para ele. 

- Vocé é muito chato, credo.

- Cala boca você.

- Vem me fazer calar a boca hyung.

- Você está dirigindo.

- Tô nem aí.

- Seu testudo.

- Calango humano.

- O quê? - Perguntei virando a cabeça para ele. Vi ele olhar para trás me olhando com aquele sorrisinho idiota. - Eu não sou calang-

E BAQUE

EITA

ALGUMA COISA CAIU NO CHAO

MEU CORAÇAO ACELEROU

MEU PAI, O QUE NOS FIZEMOS

E o pior foi que eu cai de cara no chão do carro. Que dor horrenda.

Me levantei resmungando palavrões e Taemin já havia saído e estava na frente do carro, paralisado com alguma coisa no chão. Ele nem se mexia. Abri a porta do carro, saindo para fora e fiquei ao seu lado. 

Ninguém estava na rua, mas um corpo estava em nossa frente. E quem eu menos pensava em ver novamente, apareceu.

Shin Sekyung estava desmaiada em nossa frente.

E isso só bastou que minha pressão baixasse, eu matei ela. Eu matei ela.

E de repente, tudo ficou escuro.


Notas Finais


NAO ME MATEM HAHAHAHAHA
VCS VIRAM O TAE TA TAO FOFINHO
ESSE MOMENTO TAEKEY YAY


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...