História Sasuke in real Life - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Karin, Kiba Inuzuka, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Festas, Hentai, Naruto, Romance, Sasusaku
Visualizações 118
Palavras 2.708
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi oi gente!!! Finalmente consegui voltar a postar! 💙 Me perdoem por esse atraso, esses dias não consegui tempo, mas como disse não vou largar a fic.
Enfim, boa leitura xoxo

Capítulo 34 - 9- Sasuke Uchiha


Eu estava cada vez mais furioso. 

O que ele pretendia com isso? Trazer Karin aqui? 

— O que ele acha que está fazendo? — Perguntei exalando raiva em minha voz. 

— Calma. — Suplicou a jovem de cabelos rosados ao meu lado. — Você não vai fazer nada Sasuke, ainda mais aqui, na frente de todo mundo que você trabalha, a imprensa está aqui, ignora isso.

Ouvi atentamente suas palavras procurando ao máximo me acalmar. 

Ela tinha razão, não poderia perder a cabeça, não aqui, não agora. Todo o meu pessoal está presente, incluindo Iruka, não poderia vacilar desse jeito.

Talvez seja esse o plano dele, que eu perca a cabeça como aconteceu em meu apartamento hoje à tarde, mas não irei dar este gostinho para ele novamente. 

Respirei fundo tentando controlar-me, puxando Sakura para junto de mim. Ela me ajudava com isso e estava aliviado por tê-la ali comigo.

— Por favor. — Pediu.

— Tem razão, ele não merece minha atenção. — Disse apertando-a mais forte junto de mim. — Hoje é um dia importante, ele não vai estragar.

Sakura ao meu lado sorriu doce e me deu um leve abraço juntando-se a mim me drogando com seu aroma. 

Não demorou muito para que o casal se aproximasse, então respeirei fundo e tentei me controlar de todo jeito. 

— Mantenha a calma. — Sussurrou. 

— Olá irmãozinho. — Disse ao se juntar a nós. 

Sua ironia era notável e estava me deixando mais puto que nunca, porém não daria este gostinho a ele de perder a paciência, não de novo. 

— Karin... — Disse forçando-lhe um sorriso amarelo. — Que bela companhia você arrumou. 

Em silêncio absoluto ela analisou Sakura da cabeça aos pés com repulsa nos olhos.

— Pena que não posso dizer o mesmo. — Disse direta. 

O que ela estava pensando ao falar assim de Sakura? 

Meu sangue ferveu como nunca. 

Esse era o plano de Itachi? Fazer Sakura se sentir mal? Pois não iria funcionar. 

Envolvi a cintura da jovem Haruno a acariciando carinhosamente. 

— Nós dois sabemos que é em meus braços que você queria estar, Karin. — Disparei tentando conter a raiva.

Ambos nos encararam silenciosos e a ruiva se encolheu ao ouvir minhas palavras.  

Ah onde foi parar aquela marra toda?!

Ri internamente convencido. 

— Agora se me derem licença, tenho convidados para receber. — Disse apenas exalando deboche em minha voz, puxando Sakura pela mão. 

Caminhamos calmamente até o centro do salão onde o casal sumiu de nossa vista, o que me deixou mais aliviado. 

Itachi sabia bem como me tirar do sério e estava cansado disso.

— Você se controlou bem. — Disse a jovem de cabelos rosados acariciando minha mão que a segurava. 

— Você me ajudou. — Disse quando fui presenteado com outro meigo sorriso.

Adorava quando sorria, me trazia uma paz que não sentia desde a infância, me sentia leve apesar de estar muito nervoso.  

Caminhamos até uma mesa vazia, onde nos sentamos silenciosos. 

Meu estômago estava embrulhado, o medo de Itachi aprontar algo me dominava. 

O que ele queria aqui? Estávamos anos sem nos ver, por que agora? Na minha festa? 

Meus pensamentos me perturbavam de tal forma que mal conseguia dar atenção a Sakura e aos convidados que vinham nos cumprimentar.

Precisava me acalmar. 

— Você está bem? 

— Estou. — Respondi tomando inúmeros goles de champanhe.

Talvez álcool me ajudasse a acalmar meus nervos.

— Ele não vai fazer nada Sasuke, se acalme.

— Eu estou calmo.

— Sei que não está. 

Tomei mais um gole quando vi ambos passarem por nós e se sentarem algumas mesas depois. 

Desviei o olhar tentando ignorá-los, sentindo o olhar desconfortante de Karin em minha direção. 

O que ela queria? 

— Acha que ela gosta de você? — Perguntou Sakura tirando-me a distração. 

Cocei os olhos impaciente. 

— É o que me dizia, mas não consigo entender, se isso fosse realmente verdade, porque veio com Itachi?

Talvez tenha vindo com ele como desculpas para me ver ou então era só mais uma oportunista querendo dar o golpe em Itachi assim como tentou dar em mim.

— Depois que ela ligou para a empresa, você retornou?

— Não. — Respondi cruzando as mãos sobre a mesa.

Não podia beber muito, precisava me controlar. Não queria decepcionar Iruka, muito menos Sakura, que confiava em mim. 

— Acha que era isso que ela queria falar?

— Provavelmente. — Respondi respirando fundo. — Karin é uma vagabunda interesseira, tenho certeza que nunca gostou de mim, só queria meu dinheiro, se ela está com Itachi, algo ele prometeu a ela.

— Será?

— Não duvido. 

Finalizando o assunto, a rosada pousou a cabeça sobre meu ombro, quando ouvi uma voz conhecida me chamar.

— Kakashi! — Exclamei animado. — Quanto tempo não nos vemos!

Kakashi era um dos que trabalharam para o meu pai na época em que começou a empresa. Eram grandes amigos e sempre viviam juntos. Sempre gostei dele desde quando era novo e vinha visitar as Indústrias Uchiha's para conhecer o local.

O dei um forte abraço sentindo um breve alívio por vê-lo, quando notei Sakura se levantar.

— Onde vai? — Perguntei rapidamente pousando a mão sobre seu ombro despido.

— Vou ao banheiro.

— Ah claro, mas antes me deixe te apresentar um velho amigo meu e de meu pai, Kakashi. — Disse animado. — Ele trabalhou muitos anos quando meu pai era presidente, mas teve que se aposentar quando assumi o cargo. — Lamentei. 

— É a idade. — Brincou. 

Sakura deu uma risada baixa timidamente. 

— Muito prazer. — Disse estendendo a mão junto de meu velho amigo. 

— Essa é minha namorada, Sakura Haruno. — Apresentei sorridente. 

Como era bom dizer aquilo. 

— Prazer foi todo meu senhorita Haruno. — Disse apertando-lhe a mão. — Ela é muito bonita Sasuke, parabéns. 

Imediatamente a jovem rosada se encolheu timidamente corando rapidamente ajeitando o vestido.

— Vejo que herdou o bom gosto de seu pai. — Brincou.

Rimos juntos de seu comentário e achei graça pôr Sakura estar mais vermelha que nunca.

Ficava incrivelmente linda quando sua pele atingia um tom rosado nas bochechas, combinando com seus cabelos que agora se encontravam enrolados em um grande coque.
Como também sua bunda ficará mais tarde, depois da festa, quando receber inúmeros tapas nela.

— Com licença senhores, preciso ir ao toalete. — Disse tirando-me a distração se retirando.

Dei espaço para que passasse enquanto a observei sumir em meio aos convidados. 

— Então Sasuke, como andam as coisas?

— Tudo ótimo, nunca estivemos tão bem.

— Soube que seu irmão está na cidade. — Disse coçando a cabeça. 

Apenas o encarei silencioso. 

— Acha que trará algum problema?

— Eu espero que não. — Disse sério virando uma taça de champanhe que peguei de um garçom que passava com uma bandeja. — Ele está aqui agora, não sei o que pretende. 

— Ficou louco Sasuke? Trazê-lo aqui? Você sabe como ele é. 

— Eu sei Kakashi e já estou nervoso suficiente. 

— Não, tudo bem, me desculpe. 

— Não se preocupe, Neji e Shikamaru estão aqui junto dos outros, pedi que Temari os chamasse para garantir. — Disse colocando a taça vazia sobre a mesa. — Não poderia arriscar, não com Sakura e Iruka presentes. 

— Ele vendeu mesmo a MIP para você? 

— Sim, depois de alguns meses de negócios, ele finalmente cedeu. Disse que estavam no auge e tudo mais. 

— Isso não te intrigou? — Perguntou tomando um gole de sua taça. 

— Por que me intrigaria?

— Vocês não estavam a meses nisso? Por que agora ele simplesmente vendeu?

— Deve estar velho e cansado, anos que vem comandando essa editora, não tem filhos, para quem deixar tudo?

— É, tem razão. 

Passei o olho pelo salão a procura de Sakura, que ainda não havia voltado. Talvez esteja retocando a maquiagem ou algo assim. 

— E Sakura? — Perguntou afastando-me de meus pensamentos. — Como a conheceu? Desde que te conheço nunca vi com uma mulher. 

Ri achando graça de seu comentário. 

Apenas nunca encontrei uma que valesse a pena, até agora. 

— Bom, ela veio até a minha empresa para uma entrevista de emprego. Nos conhecemos melhor, quando notei uma coisa estranha sempre que a via. Não sabia descrever.

— Sabe o que é isso meu jovem? Paixão.  

— Nunca me senti assim.

— Ainda me lembro da primeira vez que me apaixonei.

— E era bom?

— Era ótimo, leve...

— É exatamente o que sinto por Sakura.  

— Fico feliz. 

— Eu também. — Disse sorridente. — Falando nela, tem um bom tempo que ela saiu, será que aconteceu algo?

— Se acalme Sasuke, ela está bem.

— Bom, com Itachi presente é melhor não arriscar, volto já. 

— Tudo bem.

— Aproveite a festa! — Exclamei me retirando rapidamente caminhando em direção ao banheiro quando avistei a jovem Haruno que vinha em minha direção pisando com força no chão. 

Suas feições não estavam nada boas. 

O que havia acontecido?

Ela se dirigiu para o lado oposto que eu estava o que me deixou mais intrigado, quando corri em sua direção, tentando para-la. 

— Ei, ei, ei... — Chamei segurando seus ombros a encarando. — O que houve naquele banheiro?

Em silêncio, ela me fitou raivosa, dirigindo o olhar até o banheiro, de onde Karin saía irritada batendo os pés caminhando em direção a Itachi, que estava parado perto da mesa de drinks conversando com um de meus acionistas. 

Imediatamente deduzi que ela havia falado algo para Sakura, o que me deixou mais puto que nunca. 

— O que ela te disse? 

— Nada que eu já não soubesse. — Disse com a voz chorosa afastando minhas mãos dela e caminhando para fora do salão. 

A encarei caminhar quando corri em sua direção. 

Estava decepcionado.

Por que Sakura se deixou ser atingida por alguém como a Karin? 

Ela se dirigiu até o jardim nos fundos da casa, onde mamãe tinha um balanço branco de cordas onde sentava toda manhã para ler seu jornal e tomar uma xícara de café preto sem açúcar. 

Me lembro de sempre me sentar à sua frente na grama e admira-la enquanto lia a página de notícias. 

Então voltei para realidade ao notar a jovem se sentar no mesmo encarando o chão.  

— Sakura. — Chamei em vão. — O que você tem? — Insisti. 

Ela levantou o olhar triste para mim, porém continuou silenciosa. Agachei à sua frente assim como fazia com mamãe e a fitei equilibrando-me em suas pernas.

— Seja lá o que a Karin tenha falado para você, você sabe que não é verdade.

— E como você sabe o que ela disse?

Eu conhecia Karin como ninguém e sabia do que ela era capaz. Provavelmente deve tê-la ofendido com inúmeras palavras de baixo calão. 

— Bom, para você ter saído daquele banheiro querendo explodir a terra, suponho que coisa boa não foi.

Ela me encarou mais uma vez sem dizer nada, o que já estava me deixando nervoso. 

Vamos Sakura, converse comigo.

— Ela me disse que eu não era a garota certa para você. — Disse com a voz trêmula me fitando chateada. 

— E você acreditou mesmo nisso? — Perguntei acariciando suas pernas e mais uma vez fui respondido com silêncio absoluto. — Sakura, eu já não te expliquei isso? A Karin é venenosa, ela queria estar comigo não com Itachi, ela queria ser o centro das atenções e ficando comigo era isso que ela tinha, mas nunca a apresentei a ninguém, nem meus amigos de trabalho, muito menos para paparazzis. — Disse tentando acalma-la. — Você é a primeira mulher que é clicada ao meu lado, você é a primeira mulher que eu apresento como minha namorada, tem como você entender isso? Eu tô com você porque você é diferente. 

Ela me fitou mais uma vez silenciosa. 

Estava perdendo a calma. 

E se ela resolvesse se afastar de mim? Esse pensamento me deprime.

— Entende isso, por favor. — Supliquei. 

Não iria deixa-la ir embora, não tão fácil. 

— Eu entendo. — Sussurrou levantando-se devagar. 

Me levantei junto dela, parando à sua frente.

— Você é diferente. — Sussurrei em seu ouvido ao abraça-la.

Correspondendo ao ato de carinho, ela respirou fundo. 

Precisava mostrar a ela que ela era diferente. Então iria mostrar o Sasuke que ninguém nunca viu nem conheceu de verdade.

— Vem comigo. 

— Aonde vamos? — Perguntou curiosa dando-me a mão. 

A guiei até a escadaria principal, toda feita de mármore como mamãe gostava. Subimos devagar e paramos no último degrau, encarando todo aquele imenso corredor com inúmeros quadros e portas.

Imediatamente vagas lembranças impregnaram meus pensamentos.

— Você percebeu que este salão é de uma mansão não é? — Perguntei sorrindo contente por estar ali e com ela.

— De fora deu para notar, mas por quê?

— Era aqui que eu morava com meus pais. — Respondi parando em frente a porta onde era meu antigo quarto.

— Você morava aqui? — Perguntou fascinada.

Apenas abri a porta e a deixei entrar. A mesma encarava todo o cômodo com os olhos brilhantes e arregalados, como se me enxergasse inteiramente por dentro.

— Vem.

Acendi a luz e a observei caminhar pôr todo meu quarto fitando todos os mínimos detalhes. 

Estava me sentindo vulnerável, ninguém nunca havia invadido meu espaço tanto assim, nunca.

Sakura encarava tudo encantada como se pudesse ver dentro de minha alma escura. Me senti completamente despido. 

— Esse era seu quarto? — Perguntou analisando as poucas fotos que tinha pregadas num grande quadro na parede. 

— Sim, era.

— Esses eram seus pais? 

Apenas balancei a cabeça indicando que sim. Não gostava muito de falar sobre meu passado.

— Sua mãe era bem bonita. — Disse passando os dedos sobre as fotografias.

— Assim como você. — Disse acariciando seu rosto trazendo seus lábios para junto dos meus.

Nos beijamos lentamente, percorrendo minhas mãos por todo seu corpo até pousa-las sobre sua fina cintura, sentindo suas mãos nervosas em minha nuca.

Imediatamente meu pau se enrijeceu. Precisava tê-la, agora.

Subi minhas mãos em direção ao fecho de seu vestido, que se encontrava nas costas, quando a senti hesitante.

— Sasuke... — Sussurrou enquanto beijava seu pescoço. — Seus convidados estão lá em baixo te esperando.

Ignorei seu comentário totalmente, beijando-a continuamente. 

Que se fodam meus convidados, precisa fodê-la, agora!

— Eles podem esperar. — Disse intensificando os beijos virando-a de costas para mim. 

Continuei a beijar seu pescoço nu, apoiando-a sobre a cama, deixando sua bela bunda empinada para mim.

Que vista maravilhosa. 

Abri o fecho do vestido que caiu no chão rapidamente, deixando-a somente com uma única peça íntima. 

Acariciei suas costas a alisando devagar, tirando-lhe a calcinha de renda preta, ficando inteiramente nua para mim.

Imediatamente abri o cinto da calça e a abaixei revelando minha ereção.

Precisava de camisinha.

Olhei no bolso da calça suplicante para que eu tivesse lembrado de pôr uma lá.

Quando a encontrei, imediatamente a vesti, penetrando-a logo em seguida.

Porra!! Como isso era bom!

Entrava e saía rapidamente, me deliciando inteiramente. 

Ela era tão gostosa!

Lhe distribui inúmeros tapas enquanto a penetrava mais rápido e mais forte. 

Queria vê-la gozar.

Continuei com meus movimentos rapidamente. 

Vamos Sakura, goze.

Ouvia seus gemidos baixos que eram como músicas para meus ouvidos quando a ouvi gritar, atingindo ao orgasmo se contraindo.

Gozei então logo em seguida, saindo devagar de dentro dela. 

Sakura sentou-se na beira da cama  tentando regular a respiração falhada, enquanto retirava a camisinha, vestindo-me novamente. 

Agachei pegando suas peças do chão a aguardando se vestir também. 

Sua respiração estava pesada, assim como a minha.

Essa mulher era incrível. 

Enquanto a esperava se vestir, peguei a foto que a jovem de cabelos rosados havia tirado do quadro, pregando-a no mesmo novamente. 

A encarei com o olhar vazio me recordando daquele dia, que fomos para o central parque onde sempre íamos todos os meses lanchar juntos.

Foi quando fui pego de surpresa, sentindo Sakura abraçar-me por trás. 

Voltei a encarar as fotografias acariciando suas mãos que me envolviam.

— Você sente falta deles não é?

— Todos os dias. — Lamentei. 


Notas Finais


E então???? O que acharam? Gostaram? Continuo? Sugestões? Vamos lá gente, falem comigo!! hahahahha Beijosssss 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...