História Satiríase: Amor ou Prazer? - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza, Dakota Fanning, Ian Somerhalder
Personagens Dakota Fanning, Ian Somerhalder
Tags Amor, Colegial, Dor, Drama, Prazer, Sadomasoquismo
Exibições 361
Palavras 1.634
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Colegial, Crossover, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Heyyyyyy meninaasss não me matem pela péssima cena de luta livre kkk , é que realmente não é meu forte só safadeza (brincadeirinha k) bom mais de qualquer forma espero que gostem né, e não ta lá muito grande. Boa leitura minhas safadenhas do Ian 😉😁😁😇👌

Capítulo 23 - Não mexe com a minha mulher...


― não temos mais nada pra falar, tudo o que era pra ser dito já foi, agora vai embora me esquece de uma vez

― essa história não pode terminar assim, eu preciso do seu perdão. Diz ele querendo me tocar

― não me toca fica longe de mim

De repente Sam chega à sala

― ah oi Ian. Diz Sam sem graça

Ian bufou com os lábios.

― ele de novo? O que ele faz aqui com você estavam só?

― não te interessa, vai embora, e Sam ao contrario de você ele me respeita.

Ele me olha com aqueles olhos azuis penetrantes que me davam vontade de o perdoar e me jogar nesses braços fortes dele.

― eu não vou, até você me perdoar

― você não ouvia ela cara vai embora, você deve ter feito alguma coisa muito grave pra Dake estar assim magoada. Diz Sam

― o que você quer com ela em? Fica fora disso ou então vai sobrar pra você

― eu não tenho medo de você, e só não aconteceu nada por causa que eu sei respeitar uma mulher

Ian agarra o colarinho da roupa de Sam e o começa a encostar na parede

― escuta não chega perto dela, ela já tem dono ta me ouvindo, se você tocar nela eu quebro a sua cara

― para Ian, vai embora daqui, larga ele

Eu batia nas costas dele, e ele estava deixando Sam quase sem ar

De repente Sam se solta dele e os dois começam a brigar. Ian acerta Sam machucando seu olho, mais Sam devolve no mesmo lugar fazendo sangrar o lindo lábio de Ian. Ian se enfurece e começa a socar Sam, eu estava desesperada vendo eles se matarem praticamente na minha frente.

― parem de brigar, pareeem agoraa. Eles continuavam se pegando

Ian é muito mais forte e estava batendo em Sam, mais o mesmo sempre revidava quando podia.

Eu tenho que fazer alguma coisa

Me escanchei nas costas de Ian e batendo nele, eles pararam afinal eles não queriam me machucar.

Sam passava a mão sobre seus machucados, e Ian passava os dedos em seus lábios olhando raivoso pro Sam

― quero que vocês saem daqui

― Dakota eu não te disse o que eu queria falar. Diz Ian

― sai daqui vocês. Grito

― me desculpa Dake. Diz Sam saindo enquanto eu segurava a porta

― precisamos conversar baby. Diz ele pegando em meu queixo e saindo

Fecho a porta, e sento no sofá, minha vontade era de sumir. Só o que me faltava agora o Sam e o Ian se pegando aqui. De repente minha mãe entra e estranha a casa está toda bagunça e pior com o vaso que ela mais gosta em cacos.

― meu deus Dakota passou um furacão aqui e eu não fui avisada?

― me desculpa, mãe, é que eu quebrei seu vaso sem querer. Menti

Ela coloca as mãos na cintura e diz

― quer dizer que você sai caindo em cima de tudo fazendo essa bagunça toda?

Não evitei e dei uma risadinha de leve, minha mãe me faz rir até quando não quero

― é que... Sam brigou com Ian

― o que? Porque?

― ciúmes, Ian é muito ciumento, e a gente terminou

― terminaram? Minha filha me conta as coisas de vagar por favor né

― eu me sinto perdida mãe, eu... Eu não consigo ficar longe dele, toda hora meu pensamento se encontra nele, mais o que ele me fez... Eu não posso perdoar o que eu faço mãe? Digo chorando e abraçando ela

― o que ele fez assim de tão grave?

― eu, eu não quero dizer

― seja lá qual for o motivo filha, seu coração é o único que te levará pro caminho certo...

― obrigada mãe, mais eu acho que o certo mesmo é mandar meu coração calar a boca. Sorrimos

[...]

P.O.V. IAN

Eu não sei o que aquele amiguinho da Dakota quer com ela, mais ele que não se meta com ela eu fico nervoso só de pensar ela nos braços de outro eu sou capaz de...De matar, eu tenho que fuder alguém.

Paro o carro e vejo uma sentada ela é loira poderei imaginar que ela seja Dakota, vou até ela e a chamo pra dar uma volta, fomos parar em um motel

Quando chegamos lá eu fui logo deitando ela e nos beijávamos, Dakota realmente tem um beijo único que eu sinto muita falta agora.

― eu vou te chamar de... Dakota

― Dakota? Mais meu nome é Elisa

― não importa quero te chamar de Dakota, agora senta logo vadia

Comecei a fuder ela, mais nada substitua Dakota nada.

― Dakota volta pra mim... No auge do prazer eu chamava pelo nome dela

Eu olhava pra essa estranha tentava voltar a ser o que eu era antes que não me apegava a ninguém, mais realmente o rosto angelical de Dakota não queria sair de maneira alguma da minha cabeça, eu não posso ficar transando com essa estranha e pensar em outra eu não consigo me concentrar.

― sai, sai, sai

― o que? Mais ainda nem terminamos. Diz ela

― já disse pra sair de cima de mim. Empurro ela

Começo a me vestir.

― posso te ligar? Eu me interessei por você. Diz ela

Dou uma risada

― claro que não

Eu saio e jogo o dinheiro em cima da cama

Paro em frente ao um bar e começo a tomar todas

P.O.V. DAKOTA

Estou no meu quarto escrevendo no meu diário, mais um capitulo deprimente, quer saber eu tenho que sair, eu não vou ficar aqui me lastimando eu vou até o parque. Tomo um banho e abro meu closet, me deparo com as roupas que Ian me deu, tenho que jogar tudo fora, quer dizer menos esse vestidinho preto eu amo ele, e vou sair com ele, afinal ele não vai se encontrar comigo mesmo. Depois que me vesti deixei meu cabelo solto mesmo, sair caminhando pelo quarteirão, de repente me esbarro em Sam.

― Dake

― Sam eu quero ficar em paz

― me desculpe pelo que aconteceu, é que seu namorado é muito esquentadinho

― ex

Falávamos enquanto andávamos

― Dake porque você não me dar uma chance? Apenas uma é só o que eu peço

― eu não to preparada pra outro relacionamento

― me deixa te fazer feliz, faz tempo que eu gosto de você. Ele diz tomando minha frente e me olhando tão bonito, começamos a se aproximar realmente irá acontecer um beijo, quando estávamos quase perto de se beijar paro um carro colocando esses benditos faróis na gente

― larga ela seu desgraçado. Diz Ian descendo do carro completamente bêbado

― Ian?

― qual é cara de novo?

― larga ela, Ian chega logo pegando em Sam, mais ele dessa vez está de desvantagem, pois está caindo de bêbado

Sam se controla pra não fazer covardia mais Ian não sai de cima dele.

― me desculpa Dake mais ele vai ter o que merece. Sam lhe da um soco, e Ian cai no chão

― Sam ele está bêbado. Eu sinto pena de Ian, caído ali machucado novamente

― deixa ele ai logo ele vai embora

― Dakota, não faz isso comigo eu... Eu te amo

Eu saía com Sam mais ao ouvir essa palavras parei, eu olhei pra trás e vi ele me olhando

― o que foi Dake vem.

― Sam eu preciso acabar logo com isso

― tudo bem, eu vou respeitar sua decisão mais lembra daquilo que eu te disse

Ele sai e eu me aproximo de Ian

― eu sempre queria dizer isso mais eu não queria dar o braço a torcer, eu te amo

― para você diz isso porque está bêbado na verdade caindo de bêbado... Não sabe como eu quis escutar isso, mais antes, muito antes de descobrir que você é um canalha cafajeste

― nem que seja, você na sabe a vontade que eu to de te possuir te amarrar e te chicotear. Ele dizia isso enquanto eu o ajudava a se levantar

― Você nunca mais vai fazer isso comigo, não teremos nunca mais nenhum envolvimento Ian

Eu não sei o que fazer ele não ta em condições de dirigir, por mais que eu o odeie, não posso deixar assim nesse estado. Eu o coloquei dentro do carro, e sai, eu irei levar ele pra casa.

[...]

Quando parei em frente a casa dele, respirei fundo achei que nunca mais iria por os pés aqui. Com dificuldades tirei ele do carro e ele se apoio em meus ombros. Subimos as escadas, e quando chegamos ao quarto dele, ele sentou na cama e me olhava ainda com seus lábios machucados, peguei o kit de primeiros socorros, e comecei cuidar do machucado, eu passava o algodão em seus lábios enquanto ele me olhava, seus olhos azuis imploravam pra uma chance, mais eu não liguei, ele pegou em minha mão

― quero você

― não... Eu não quero você

― quer sim. Ele me puxa pra cima dele, ficando em cima de mim.

― para, para eu só fiz isso porque faria com qualquer um me levanto o empurrando

[...]

Nem terminei direito de fazer o curativo e ele já dormiu. O posicionei melhor, tirei seu sapato, e depois sua roupa. Deixei somente de cueca, nossa seu corpo malhado, me lembrava das nossas noites de amor, e seu membro dava pra se ver claramente sobre a Box que ele usava. Só ele consegue despertar esse lado em mim, de... De excitação. De repente o celular dele toca, atendo.

― alô Ian sei que disse que queria que eu não te ligasse mais queria dizer que amei nossa tarde... Você é muito gostoso...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...