História Satiríase: Amor ou Prazer? - Capítulo 45


Escrita por: ~

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza, Dakota Fanning, Ian Somerhalder
Personagens Dakota Fanning, Ian Somerhalder
Tags Amor, Colegial, Dor, Drama, Prazer, Sadomasoquismo
Exibições 150
Palavras 1.239
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Colegial, Crossover, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiiee minhas lindas cheguei com mais um cap, vocês terão muitas surpriseeee nos próximos cap😇👌👌😘 entauum quero que vocês minhas safadenhas do meu lindo corii desfrutam de cada emoção e decepções tamem né? eu espero que gostem saslindas e bjooss do pai Ian

Capítulo 45 - Acertos e Condições...Começo ou Fim do Sadomasoquismo?


Ele levanta-se da cadeira e vai até o criado mudo

― abra a boca. Eu faço o que ele diz, ele coloca um comprimido e me manda engolir.

― o que aconteceu? Digo sentindo uma dor de cabeça horrível

― não se lembra? O bar, o cara, a bebida, o porre. Cada vez que ele falava vinham na minha cabeça todos os flashes da noite anterior, e isso me dava mais dor de cabeça ainda.

― airr, Ian estou morrendo de dor de cabeça, posso descansar um pouco mais? Digo deitando na cama

― sei o que está precisando, da mesma coisa que de ontem à noite, que papelão em senhorita Fanning, que papelão. Ele vem até a cama puxa o lençol e me pega pelo braço.

― aii, Ian o que está fazendo? Ele me leva até o banheiro, e liga o chuveiro saindo uma água bastante fria quase me matando de frio

― é disso que precisa, disso e uma boas cintadas. Ele me olha como se estivesse se vingando

― porque está fazendo isso? Falo me tremendo devido a água fria

A única coisa que ele diz é ― não quero que faça isso de novo

Ele sai. Depois que tomei o meu banho forçado, saio sem jeito e ele continua no quarto. Vejo uma roupa em cima da cama

― veste. Ele aponta pra roupa

― onde está a minha roupa prefiro vesti-la

― isso não é possível, ela estava suja de vomito. Ele diz sério

Olhei como uma boboca pro lado, pegando a roupa. Eu a visto, e ele continua me olhando com esse olhar de reprovação

― porque me olha? Pergunto tímida

― eu te fode tão gostoso pena que não lembra. Ele diz sem demonstrar culpa

―arr, eu não acredito, você se aproveitou de mim, eu disse que estava te dando um gelo. Faço drama

― não eu não me aproveitei de você, se eu não tivesse ido te buscar naquela boate talvez estivesse em uma cama totalmente desconhecida. Ele briga comigo

― mesmo que fosse não tinha nada haver com você, não terminamos? Na verdade não dá pra terminar o que nunca se começou. Ele pega meu braço com força

― não fale besteiras, se eu me encontrar com aquele cara de novo eu não sei o que poderá acontecer, tudo isso é culpa sua...

― você discuti comigo apenas por causa de uma conversa com um cara que não deu em nada, e você? Aposto que nunca dormiu só durante esse nosso rompimento. Tiro meu braço de sua mão

Um silencio reinou nessa hora, ele parece ter algo pra me contar. Ele caminha de um lado pro outro agitado.

― eu não fiquei com ninguém. Ele diz

Encruzo os braços não suportando mais as mentiras dele

― aconteceu apenas uns beijos, Emily uma amiga minha ela me deixou uma mensagem, eu estava tentando... Tentando partir pra outra, mais não aconteceu nada por que...

― por quê?

― porque eu não parava de pensar em você, ta bom. Ele diz fazendo uma cara “eu não queria isso”

― acha mesmo que acredito? Me viro de costas ― não senti falta de você

POV. IAN VOLTA A DOMINADOR

Ela pensa que me engana, rum, eu sei que ela me deseja...

― é mesmo? Pois ontem à noite, você me disse no meu ouvido que chorou todo o tempo em que estivemos longe. Ela cala

― i-isso não é verdade, eu senti alivio de você, dormi tranqüila todos os dias, falei isso porque estava fora de mim. Ela fala gaguejando ― eu vou embora, você não poderia ter feito isso comigo, sabe que eu não queria mais isso com você, e mesmo assim faz isso com eu completamente fora de mim. Ela faz gesto de sair, mais eu pego em seu braço

― espera eu ainda não disse que terminamos.

― o que quer senhor somerhalder? Ãm?

― quero falar sobre o quarto. Ela me encara, ficando com um olhar magoado

― pensei que essa conversa estava encerrada, não temos mais nada o que dizer.

― temos sim, quando eu te liguei ontem e ouvi aquela barulheira toda eu enlouqueci, e você acabou desligando o maldito telefone na minha cara. Percebi um sorriso disfarçado dela ― minha vontade era de ter dado em você uma surra de cinto mesmo, pensei muito ontem enquanto você falava coisas sem sentido, e o motivo pra te comer ontem foi porque...

― porque? O que quer me dizer?

― não quer que eu o feche? Digo saindo do quarto, e ela me acompanha. Vamos até o quarto vermelho.

Pego a chave em meu bolso e tranco o quarto vermelho, e entrego a chave pra ela

― toma. Meu coração dói só de fazer isso

Ela fica surpresa, muito surpresa mesmo, ela não acredita ― porque está fazendo isso Ian?

― eu tenho muitas maneiras de castigá-la sem precisar desse quarto, não adianta fica com o quarto se quem eu quero chicotear quer me deixar, mais quero que saiba que mesmo que eu o feche, não vou mudar minha maneira de agir, eu posso fazer que você sinta todos os melhores prazeres sem entrar nesse quarto.

Ela não estava acreditando, Dakota me abraça bem forte.

― eu não acredito que vai fazer isso. Eu tiro ela do meu abraço

― mais eu tenho algumas condições também... Quero que abra mão do seu sonho de psicóloga, seu único trabalho é cuidar de mim e se dedicar a mim, viverá debaixo do meu nariz, será apenas minha, fará tudo o que eu mandar

― o que? Ela me olha confusa

― é isso mesmo, será minha mulher, e o quarto vermelho está fechado não é isso que queria? Faço chantagem

Ela me olha triste do nada ― isso não é justo, sabe que psicologia é minha vida.

― não sua vida sou eu, é essa minha condição, o quarto vermelho também é muito importante pra mim e eu vou fechá-lo por sua causa

Ela encruza os braços e pensa um pouco. ― e o que eu farei daqui pra frente?

Me aproximo dela e entrelaço minhas mão sobre sua cintura ― vai cuidar de mim, acha pouco? Sinto seu cheiro beijando seu pescoço. Sussurro no ouvido dela ― vou realizar meu desejo de te foder em cada canto dessa casa, vou te fazer ir no céu e voltar pra mim... Ouuw Dakota você me faz ter um orgasmo só de a olhar, não se queixe estou fazendo o que você pediu, tudo o que sentir daqui pra frente será por causa da sua escolha

POV. SAM

Acordo do meu sono rápido, com alguém batendo na porta, sento sobre a cama coçando os olhos, e me levanto logo abrindo a porta

― que droga, tudo foi por água baixa você é um estúpido sabia disso? Diz ela sentando sobre o sofá

― por sua culpa eu sujei minha barra com a policia você que é a estúpida por aqui.

― não vou desistir do Ian nem que para isso aquela vadia tenha que morrer, aquela bala era pra ter sido para aquela idiota mais o Ian resolveu dar uma de herói, Dakota vai morrer ela tem que morrer, eu vi Ian primeiro que ela e não aceito rivais... Ela diz com ódio

Eu fico calado, se ela soubesse que eu atirei em Ian por conta própria talvez ela virasse uma fera...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...