História Saturno é azul - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 9
Palavras 1.469
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Musica: Dance,Dance - Fall out boy.

Capítulo 4 - Vassouras e esfregões.


   Hanna

Levantei meu capuz rapidamente, colocando a guitarra de lado.

- Boa noite - Falei rapidamente, antes de subir para meu quarto.

Eu só... Ainda não estava pronta.

*************

Havia se passado dois dias dês do meu "acidente", estávamos convivendo bem, não falávamos muito mas falávamos, estávamos indo bem.

Até que... Eu explodi.

- OK, JA CHEGA! - Gritei, saindo do banheiro - MENINOS DA BANDA SATURNO SAIAM DE SEUS QUARTOS AGORA! - Gritei, chamando os demais, que a principal apenas colocaram a cabeça para fora.

- AGORA! - Gritei novamente, fazendo todos saírem correndo de seus quartos.

- Me digam... Que aquilo não é uma cueca esquecida atrás do vaso sanitário! - Exclamei apontando para o banheiro, batendo meu pé no chão.

- Ok, não é - Respondeu Victor.

Juro que queria matar aquele baixista.

- Oh! Então o George estava aí - Disse Joe, indo pegar sua cueca.

Balancei a cabeça, enojada.

- Já chega! Vamos limpar essa casa! - Falei e em seguida todos começaram a rir.

- Desculpa azulzinha mas... Nós não limpamos e não vai ser uma inquilina que vai nos obrigar a isso - Falou Pedro, cruzando os braços.

- Há não? Então, se amanhã vocês acordarem com o cabelo raspado... A culpa não será minha - Falei, passando pelos mesmos, indo em direção a escada.

- Você não ousaria...- Disse Pedro, com temor.

- Quer testar? - Perguntei, o olhando pelo ombro - Eu sei onde vocês dormem - Falei, e pude ver os demais tremerem.

Desci as escadas.

- EU VOU CONTAR ATÉ CINCO! E SE NENHUM DE VOCÊS DESCER, EU VOU ARRANCAR FIU POR FIU DA CABEÇA DE VOCÊS! - Gritei, os ameaçando - UM - iniciei a contagem.

O primeiro a descer foi Pedro, com as mãos na cabeça.

- DOIS! - Continuei, o segundo a descer foi Joe, com sua cueca com mofo na mão - TRÊS! - Agora foi a vez de Victor descer calmamente pela escada, ficando ao lado de Joe - QUATRO! - E nada de Lui descer, ok, vamos apelar - E DE BRINDE EU DESFIO TODAS AS SUAS BOINAS - Gritei, e então, apenas vejo um vulto descendo pela escada e quando vejo, Luís estava ao lado de Victor, abraçando sua boina.

- Cinco - Disse por fim, sorrindo para os mesmos, que estavam com belas carrancas no rosto - Vocês são tão bonzinhos - Falei, apertando a bochecha de Joe.

- Primeiro, o material de limpeza... Aonde ficam? - Perguntei, todos se olharam, como se eu estivesse falando grego.

- Nos não temos isso aqui - Respondeu Joe, ajeitando os óculos.

Gargalhei.

Mas nenhum deles me acompanhou.

- Vocês estão falando sério? - Perguntei, assustada, céus, achei que eles estavam brincando - Não tem nada de limpeza aqui?! - Perguntei.

Todos negaram com a cabeça.

Suspirei.

Por que não me mandaram para um chiqueiro logo?

- Ok, Luís, você vem comigo, vamos comparar o material - Falei, passando pelos mesmos.

- Por que eu?! - Exclamou o mesmo.

- PORQUE EU JÁ ESCORREGUEI EM SEIS CAMISINHAS USADAS QUE ERAM SUAS! - Gritei, já na porta, o fazendo rapidamente ficar ao meu lado.

E Victor, Joe e Pedro começaram a rir.

- Vocês pensam que se livraram? - Perguntei, fazendo eles pararem de rir no mesmo instante - Vocês iram recolher todo o lixo da casa, começando pela sala - Falei, estava para abrir a porta quando lembrei, não estava com minha máscara, apenas com o capuz.

Olhei para os lados e vi bonés pendurados ao lado da porta, peguei o vermelho vinho.

E então, sai com Luis, precisava comprar logo esse material.

*********

Estava andando com o carrinho pelo mercadinho que era próximo do conjunto dos meninos, pedindo para Luis pegar os materiais, sim, eu só estava passeando e dando ordens.

Parei em frente da sessão de descartáveis, pegando alguns pratos.

- Hanna, olha só - Luis me chamou, virei para o mesmo que estava com dois copos um em cada mamilo - Bem Katy Perry não acha? - Perguntou, sorrindo.

E sinceramente, não consegui conter a gargalhada, nunca fiquei tão feliz. Ainda bem que o mercadinho está quase vazio.

- Então os boatos são falsos - Falou Luis, colocando os copos de volta no lugar, vindo agora para meu lado.

- Que boatos? - Perguntei, sem entender.

- Eles dizem que você não sabe sorrir - Falou o mesmo, se apoiando no carrinho.

- E também dizem que eu sou uma bruxa, por isso não mostro meu rosto - Falei, fazendo Luis rir pelas narinas - É sério, as teorias que tem sobre mim são bem loucas.

- Posso imaginar... - Disse Luis, enquanto andávamos pelo mercadinho - Tem que ler as fanfics que fazem sobre nós - Disse Luis, antes de pegar uma das coisas que estava na lista.

- Quem disse que já não vi? Shippo muito - Falei, fazendo o mesmo arregalar os olhos.

- Você shippa? - Luis parou no meio do caminho e eu continuei andando.

- ESPERA, HANNA, VOCÊ ME SHIPPA COM QUEM? - O mesmo gritou, tentando me alcançar.

Eu apenas ri e o deixei para trás. Tá que eu ia entregar meu shipper preferido.

**********

- CHEGAMOS! - Luis gritou ao entrar na casa, cheio de sacolas, eu não estava muito diferente.

Olhei ao redor e pude ver que a sala estava mais "limpa", pelo menos não havia sacos de salgadinho pelo chão.

- Ok meninos, temos menos de 24 horas para limpar a casa e deixar ela um brinco - Disse, andando de um lado para o outro - Joe e Pe... Rex vão limpar os quartos - Disse olhando para os menos que assentiram - Luis lavará o corredor e os banheiros - Disse, entregando um detergente para o mesmo - E eu e o Victor ficaremos com a cozinha e a sala - Falei e Victor assentiu - Alguma pergunta?

Luiz levantou o braço.

- Por que eu vou ter que limpar os três banheiros sozinho? - Perguntou, indignado.

- Você quer mesmo que fale das suas camisinhas espalhadas pelo banheiro de novo? - Perguntei, batendo a vassoura no chão.

Ele apenas negou com a cabeça.

- Estão prontos meninos?! - Perguntei.

- Não senhora! - Responderam os mesmos, fazendo continência.

- Foi o que imaginei... Vão! - Falei.

Eu e Victor fomos primeiro para a cozinha e nossa, que fedor.

- Sério, como vocês conseguem? - Perguntei, ajeitando o boné em minha cabeça.

Victor levantou a sobrancelha.

- Esse boné...

- Há, eu peguei antes de sair, você sabe, pra não ter que subir de novo - Falei.

- Ele é o meu boné da sorte - Falou Victor indo em direção a pia.

Merda.

- Se você quiser eu tiro, não tem problema, juro - Falei, já pronta para tirar o boné, não sabia ao certo, mas não queria ter que discutir com ele.

- Não precisa - Disse o mesmo, lavando a louça acumulada na pia - Ele fica bom em você - Disse, de costas pra mim.

Senti meu rosto arder... Será que ainda era das queimaduras?

E quando vejo, surgi um pequeno sorriso em meus lábios.

Ainda bem que ele estava de costas.

Fui pegando algumas das panelas sujas, deixando perto de Victor.

Estava muito chato.

- Há, vamos animar isso aqui - Falei, indo até a sala, pegando meu celular o conectando na caixa de som.

Escolhi uma das minhas músicas favoritas do Fall out boy.

- She says she's no good with words, but i'm worse, barely stuttered out, a joke of a romantic stuck to my tongue.And weighed down with words too overdramatic - Voltei cantarolando para a cozinha, enquanto passava o pano no chão.

Olho de relance para Victor e o mesmo mexia os quadris de um lado para o outro de uma maneira engraçada.

Comentário aleatório: Ele tinha belos glúteos.

- SE ALGUÉM DESLIGAR O SOM EU NÃO ME RESPONSABILIZO PELOS MEUS ATOS! - Ouço Pedro gritar no andar de cima.

Nos fazendo rir.

Não demorou a Luis entrar na cozinha, cantarolando a música, enquanto brincava com o pano, qual ele bateu na bunda maravilhosa de Victor.

- Overdramatic, tonight it's: it cant get much worse vs. no one should ever feel like - Cantou ele, pegando mais detergente antes de correr de Victor, que acerta a esponja no mesmo.

- Dance, dance we're falling apart to half time. Dance, dance and these are the lives you love to lead dance, this is the way they'd love if they knew how misery loved me - Cantamos todos em alto e bom som, era possível ouvir Joe batucando nos móveis da casa e Pedro batendo os pés no chão.

Nunca fiquei tão feliz pela casa deles ser mais isolada das demais.


Notas Finais


Comentem ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...