História Save me - Imagine - Capítulo 50


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Exibições 88
Palavras 1.079
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Pra vcs me amarem mais .... ou odiarem! 🌚💚

Capítulo 50 - Uncertain destination


Fanfic / Fanfiction Save me - Imagine - Capítulo 50 - Uncertain destination

  Dois dias ...
  Narradora On ...

   Decepção? Angústia? Raiva? Estes são os melhores sentimentos que você sentia no momento. Por que?
   ______ e Yoongi caminhavam pisando nos azuis da calçada evitando o branco, essa era a coisa mais 'divertida' que fazia em dois dias.
  Faltou ma faculdade e ficou amuada em casa, Yoongi sempre aparecia te alegrando com as piadas que não sabia contar e isso a divertia. Com seu jeito dorminhoco ao qual se encostava e dormia.
  Mas no dia de hoje, no maldito dia de hoje ele finalmente te convenceu a sair de casa, você estava contente, sempre estava contente ao lado dele.
  - Como se sente? - ele estava melhor por você finalmente sair de casa
  - Eu me sinto triste mas não como se fosse morrer, me sinto só,não, não só mas perdida. Se eu não o amasse tanto - você apontou pro próprio coração - não sorria tanto.
  - Dói como um amor não correspondido - ele suspirou frustrado - você acha que é mais doloroso ser amada e traída ou não ser correspondido do meus jeito?
  Você pensou e o olhou triste - Ser amada e traída, sabe um amor correspondido pode não ser amor ou então dependendo a pessoa pode até ser correspondida quem sabe. - eu estou tão magoada.
  Ele segurou em sua mão como se transmitindo amor e companheirismo, amizade, todo sentimento bom que pudesse apenas por esse contato.
  Você sem malícia entrelaçou os seus dedos nos deles, caminhavam em silêncio mas um silêncio bom.
  Mas então viu uma das piores cenas,  Tae e Lin aos beijos, você queria correr e chorar, queria ir até lá e bater nos dois, chorar, gritar ou então apenas se encolher no chão abraçando suas pernas e permanecer assim até o fim do mundo, o apocalipse, seja por zumbis, terremoto, tsunami e até ets ...
  Yoongi percebeu o que acontecia e apertou sua mão como te incentivando a não fazer nada, você engoliu seco, nem saliva havia mais em sua boca, sua garganta travara.
  Seus olhos ardiam pelas lágrimas que segurava, mas não seria fraca, não sucumbiria a for e se mostraria fraca para eles.
  Ergueu sua cabeça e apertou firme a mão de Yoongi, colocou um sorriso amplo e bem falso, sempre soubera fingir sorrisos e não seria novidade alguma fazer novamente.
  Olhou para ambos sorriu de lado falsamente, arqueou uma das sombrancelhas. Lin se agarrou a cintura de Tae e sorriu, já ele parecia perdido e triste.
  - Olha amor, seu amigo Yoongi. - ela parou o mesmo.
  Amor? Amor? Amor? Amor!
  Que nô na garganta que vontade de chorar.
  - Pra você é Min Yoongi, vadia.
  Lin se fez de ofendida - Amor não vai fazer nada?
  Suga a olhou com desdém, ele transmitia frieza, nem ao menos esperou reação ou resposta, se colocou a andar e você como estava com os dedos entrelaçados no dele o seguiu mas não só por isso, por também querer sair dali.
  Ambos pararam a uma distância não muito grande do outro casal - Suga? - você o olhou nos olhos - Eu acho que ele nunca me amou, eu nunca terei alguem que realmente me ame, você acha que é bom viver?
  - Não fale bobagens, eu te amo, seus pais te amam, seus amigos, viver é ter decepções até mais que felicidade. Não existe felicidade, não plena o que existe são momentos felizes.
Você quebrou a distância entre ambos e quebrou o contato dos olhos um do outro o fechando, nem ao menos pediu passagem, metendo a língua no maior, sua mão automaticamente foi para a nuca dele, o puxando.
  Quando se separaram estavam ofegantes, você então se deu conta do que fez e sentiu suas bochechas se esquentarem e arregalou os olhos - Me-me desculpe .. Eu.. Você.. Beijei.. Não era minha intenção, você falou e eu o beijei, você parecia, eu, gostei, então, desculpe, - falava entre pausas gaguejando.
  Ele riu e em um movimento juntos a boca de ambos, explorando com rapidez e urgência a boca dela. Novamente se separam ofegantes, você desviou os olhos para o lado sorrindo e se deparou com Tae os observando ao lado de Lin, imediatamente parou de sorrir e se virou para Suga.
  Ele percebendo que você estava tensa pegou em suas mãos e a levou dali, enquanto você pensava se era certo beijar seu melhor amigo, se sentir bem com isso era bom, se não era um erro e principalmente ficar com o amigo de seu ex, não ex namorado mas ex noivo.
    Ele te levou para uma praça ali perto, ambos se sentaram - Suga? - você o chamou, ele parecia tenso.
  - Me desculpe - ele suspirou.
  - Por que? - você parecia confuso.
  - Por te beijar - seu olhar não tinha expressão alguma.
você riu - quem te beijou primeiro foi eu, eu quem deveria te pedir desculpas mas não vou, não me arrependo, me deu vontade e te beijei - você riu ainda mais - não sei desde quando fiquei tão descarada. Vou até te confessar que os únicos momentos que não penso em Tae é quando estou com você.
   Você o abraçou - Você é estranha.
  - Olha quem fala - mostrou a lingua para ele - até uns minutos atrás eu queria chorar e socar a cara dos dois traíras mas agora confesso que queria te beijar de novo.
  Ele então não perdeu tempo, sem sequer exitar a beijou, a trazendo mais perto de si, explorando sua boca e sentindo seu gosto, a garota que ama e que abriu mão mas que agora pelo menos um pouco ele a tem.
  O destino incerto de ambos, o amor que talvez agora ele poderia ter, o futuro realmente é uma caixinha de surpresas reservando o que menos imaginamos e nos surpreendendo cada vez mais.
  Os dois passaram o dia juntos aos beijos naquela praça e depois em sua casa, nada além de beijos mas o sufiente para despertar o que o coração guarda bem lá no fundo. E no fim do dia já não sentia todos aqueles sentimentos ruins e não foi um maldito dia, não tanto, apenas aquele pequeno momento maldito, regado de outras horas melhores.

  
 
   Narradora Off



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...