História SAVE ME (Vkook - 2 temp.) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Hoseok, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Namjin, Namjoon, Rap Monster, Seokjin, Suga, Taehyung, Taekook, Vkook, Yoongi, Yoonmin
Exibições 552
Palavras 1.192
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ei, como estão vocês? Estão bem?

Então, é! A segunda temporada de Save Me está começando!

Ansiosos?

E para você que encontrou isso aqui aleatoriamente, digo que não precisa necessariamente ter lido a 1ª temp, mas eu recomendo ler porque talvez algumas coisas fiquem meio confusas se você não a leu. A 1ª temp está acessível no meu perfil, leiam. Agradeço.

Espero que gostem, fiz com carinho e demorei um pouquinho para escrevê-la. Ou seja, boa parte dos capítulos já estão prontos e vou posta-los aos poucos.

Bjus...

Capítulo 1 - 01. onde está você?


Fanfic / Fanfiction SAVE ME (Vkook - 2 temp.) - Capítulo 1 - 01. onde está você?

Eu tremia. Minhas mãos ainda estavam sujas de terra, assim como meu rosto e roupas. Eu estava cansado.

Uma pasta amarela foi jogada na mesa da sala de interrogatório onde eu me encontrava, pulei de susto sem perceber a aproximação do policial. J-Hope me olhou cabisbaixo.

— Kim Taehyung e Jung Hoseok... — o policial se sentou em uma cadeira defronte à nós. —... Vocês andaram aprontando demais. O que pensaram que estavam fazendo quando descobriram aquilo? Deveriam ter ligado para a polícia de imediato. E se algo tivesse acontecido? Já não basta o amigo de vocês...

Mordo o lábio inferior tentando inutilmente conter algumas lágrimas.

— Ele não estava lá... Por que ele não estava lá? — Sussurro. — Ele prometeu.

— Tae... — Hobi sussurrou entrelaçando os dedos nos meus.

— Bom, podem começar a falar o que aconteceu — as palavras do policial saíram de forma dura. — Desde o começo. 

[ a l g u m a s   s e m a n a s   a n t e s ]

— Pare com isso — rio tentando afastar suas mãos. — Jungkook! Você é uma criança que cresceu demais.

As cócegas ficaram menos intensas até se tornarem carícias castas direcionadas ao meu rosto. Sorri fechando os olhos e me entregando a aquela sensação extasiante.

— Tae... — Jungkook sussurrou próximo ao meu ouvido. — Você tem que ir agora.

O encarei sorrindo de lado.

— Eu estou indo — abro a porta do carro. — Nos vemos amanhã na festa do Jimin?

— Espero ansioso... — trouxe o lábio inferior entre os lábios de forma provocativa. Pus um pé na calçada e senti sua mão agarrar meu pulso, impedindo-me de sair do carro. — Espere...

— Uh? — O olhei ansioso.

Fui puxado para um beijo, seus lábios tomaram os meus num ósculo quente e desejoso, há tempos não nos beijávamos assim, e sentir Jeon Jungkook dessa forma faria com que qualquer um perdesse o pingo de sanidade que ainda restasse em si. Jungkook era uma droga e eu era um viciado sem recuperação.

— Você tem que ir Tae... — Ele quebrou o beijo, me deixando atordoado por uns instantes. — Ou a sua mãe irá me matar por não ter te devolvido quando prometi.

— Você sabe que... Ela não vai ficar chateada se eu me atrasar por míseros quinze minutos — digo em meio a um suspiro com minha mão adentrando por debaixo de sua camisa.

— Taehyung, eu quero te dar algo.

— O que? — O vejo se esticar por cima do meu colo, abrindo o porta-luvas e tirando de lá uma folha dobrada. — O que é isso?

— Não — impediu-me de desdobrar a folha. — Faça isso quando estiver sozinho.

— Por quê? — Franzo o cenho trazendo o papel de encontro ao meu peito.

— Só faça o que peço, tudo bem? — Baixou o olhar parecendo desolado por uns instantes.

Franzo ainda mais o cenho. Jungkook andava estranho já fazia uns dias, o que estava me deixando curioso, o que estava acontecendo?

— Jeon — murmuro pondo minha mão em sua bochecha, o mesmo descansa o rosto em minha palma, parecendo ligeiramente cansado —, o que está acontecendo? Você andou estranho a semana inteira. Eu fiz algo de errado? Você sabe que pode me dizer qualquer coisa.

— Tae... Aconteça o que acontecer — suspirou se afastando de minhas carícias —, saiba que eu te amo, muito, nunca duvide disso está bem?

Meu queixo foi ao chão. O que antes era uma simples suspeita agora era uma certeza, e dentre todas as certezas que eu tinha em relação à Jungkook aquela era a pior de todas, agora eu tinha certeza de que algo nada bom estava acontecendo a ele.

— Cacete! — Agarro seus pulsos trazendo-o para mais perto. — Jeon Jungkook, você vai me dizer o que está acontecendo agora mesmo!

— Você tem que ir — tira gentilmente minhas mãos de seus pulsos. — Amanhã conversaremos e você poderá me perguntar qualquer coisa. Prometo que vou responder a todas as perguntas, mas agora você deve ir. Eu te amo.

— Tudo bem — suspiro derrotado. — Eu também te amo.

Vejo os aros das pupilas de Jungkook mudarem de cor, tonando-se ainda mais escuros. Odiava quando escondiam coisas algo de mim, me sentia traído e deixado de lado, o que não era diferente do que estava sentindo agora. Seus olhos se encheram de lágrimas, ultimamente essas mudanças de humor do Jeon estavam me deixando cansado e confuso.

— Você não está bem.

— Por favor, vá Taehyung , não torne as coisas mais dolorosas do já estão.

— Você quer terminar? É isso? — Agora quem estava prestes a chorar era eu.

— Não! Taehyung, não! Não é nada disso... — Agora afagava minhas costas num abraço apertado. — Eu te amo, e nunca vou deixar! Eu prometo.

— Eu também te amo, mas você anda me deixando tão confuso! E-eu não aguento toda essa carga emocional.

— Guarde isso está bem? — Fechou minha mão envolta do papel agora meio amarrotado. — Vá, sua mãe está te esperando.

Ainda confuso deixei o carro com um último olhar intenso do Jeon direcionado a mim. Limpo as lágrimas sentindo o vendo frio me envolver, minha respiração tornava-se visível, dissipando-se no ar feito fumaça. Ouço o carro dar partida e logo o mesmo desaparece por uma esquina.

Ainda parado ao meio fio desdobro o papel devagar e com as mãos trêmulas. Uma borboleta se fazia presente no centro do desenho, ao fundo manchas aquareladas eram uma explosão de cores se contrastando com a borboleta azul numa perfeita harmonia.

{...}

— Onde está Jungkook? — Jimin gritou por cima da música alta. — Pensei que viriam juntos!

— Eu também pensei. Mas ele não apareceu para me buscar! — Dei um gole pequeno na bebida, sentindo meu corpo esquentar.

— Estranho! — Jimin encarou um ponto fixo no chão parecendo pensativo.

— Vou ligar para ele — aviso.

Contorno todos os corpos suados na pista dança e saio, o quintal estava silencioso, sem ninguém por perto, as pessoas estavam mais interessadas em beber até cair ao invés de respirar um pouco de ar fresco. Cato celular no bolso de trás da calça, discando o número que eu sabia de cor.

Tocou uma, duas, três, quatro vezes e a ligação caiu na caixa postal "Oi, aqui é o Jungkook, não posso atender no momento, então deixe uma mensagem, respondo mais tarde." Liguei outras quatro vezes, mas o mesmo não me atendia. Franzo o cenho resolvo ligar para sua casa, três toques foram o suficiente para alguém resolver atender.

— Alô?

— Tia Jess?

— Ah, oi Taehyung, aconteceu algo?

— Onde está o Jungkook? Ele não apareceu para me levar à festa do Jimin — chuto uma pedrinha para longe. — Posso falar com ele?

— Taehyung... — sua voz agora parecia preocupada e tensa. — Taehyung diga que está brincando e que ele está aí com você!

— Não estou brincando...

— Taehyun faz três dias que ele não aparece aqui, achei que ele estivesse com você!

Uma aflição tomou conta de mim.

— Como assim três dias?! Ele eu estava com ele ainda ontem! Ele não foi para casa? Então para onde é que ele estava indo?

— Eu realmente não sei Taehyung, mas aqui ele não está.

Deixei o celular cair no chão vendo flashes rápidos da nossa conversa da noite anterior invadir meu campo de visão.

"— Aconteça o que acontecer saiba que eu te amo."

"Jeon Jungkook, onde está você?".


Notas Finais


Iai! Como estão vocês, hum?

Até que enfim apareci, aleluia irmãos, oremos para o santo Yoongi

Gostaram do primeiro capítulo? Onde acham que está o Jungkook? Ainda há muitas coisas para acontecer

Vejo vocês no próximo capítulo, comentem o que acharam, se estão ansiosos... e não esqueçam de votar <3

bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...