História Save Me - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), TWICE
Personagens J-hope, Jihyo, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Gay, Jihyo, Jikook, Jimin, Jungkook, Namjin, Namjoon, Taehyung, Twice, Vhope, Yaoi
Exibições 96
Palavras 1.672
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 13 - Thirteen


Fanfic / Fanfiction Save Me - Capítulo 13 - Thirteen

Jimin andava um pouco apreensivo ao lado de Taehyung enquanto seguiam para a casa de Jungkook. A ideia de ajudar seu hyung o agradava, porém, a ideia de ter que convencer Jeon a algo não. Eram coisas totalmente diferente. O querer e o fazer acontecer. E o ruivo tinha medo de ambos. Ainda mais quando era ligado a Jungkook.

Ele teria que convencer alguém a fazer faculdade, e quando se trata de uma pessoa que é trancada em seu próprio mundo a coisa fica mais difícil ainda. Convencer Jeon Jungkook poderia ser igual iniciar uma nova guerra mundial. Mas poderia também não ser, se Jimin usasse as palavras certas , claro.

O ruivo suspirou ao avistar a casa de hyung, já elaborando o que falaria para o mesmo. Até sentir Taehyung cutucando seu braço p fazendo erguer a cabeça para encara-lo.

- Não fica nervoso Jiminnie...O Jungkook não morde.

- Não morde, mas grita e pode dar foras com a língua divina que ele tem.

- Ele não é doido a esse nível..Vai por mim. - Falou Taehyung sorrindo quadrado. - E também, eu tenho certeza que você vai conseguir convencer ele.

- Eu já não tenho essa certeza...

- Vai Jiminnie! Você tem o dom de ajudar Jeon Jungkook!

O ruivo acabou por rir daquilo. Claro que era verdade que Jimin ajudaria seu hyung no que ele precisasse. Mas ter um dom para realmente conseguir ajuda-lo era exagero. Bem, talvez.

Jimin não ligava de se machucar no final, sabendo que ao menos havia ajudado alguém. Poderia ser estranho, mas o que ele podia fazer? Dependendo da pessoa, o ruivo daria sua vida para salva-la.

E seu pai está em primeiro lugar nessa lista, por que no fundo, a única coisa que Jimin deseja é que aquele câncer se transportasse para ele apenas para não ver seu pai sofrer.

Ao parar na frente da porta da casa de Jungkook, o ruivo soltou outro suspiro e fechou os olhos mas logo os abriu de novo.

- E é aqui que nos despedimos! - Falou Taehyung e Jimin arregalou os olhos.

- Espera! Você não vem comigo? - Indagou o ruivo e Taehyung riu.

- Nananinanão. Isso é trabalho seu, Park Jimin! Me deixa fora disso.

- Mas foi você que deu a ideia hyung! Por favor! - Implorou o Park fazendo bico.

Essa carinha de bebê pode até derreter meu coração, mas não meu cérebro. Boa sorte Jiminnie! - Falou Taehyung dando uma piscadela e indo embora pela rua.

Jimin respirou fundo. A única luz - cujo o nome é Kim Taehyung - que o ruivo tinha havia acabado de o trair amargamente. E agora havia só ele, e sua cabecinha cheia de questões sem respostas e de idéias mirabolantes que não iam passar de ideias. Bem, nem todas.

O Park tomou coragem e bateu na porta de uma vez. Ele já estava lá de qualquer forma, ir embora só iria adiar aquilo levando em conta que Taehyung com certeza irá o obrigar à voltar ali.

A porta logo se abriu e um fio de medo passou pelo corpo de Jimin, deixando seus pelos eriçados. Jungkook estava com uma expressão monótona e uma xícara nas mãos que apenas pelo cheiro Jimin reconheceu ser erva cidreira.

- Hm, Jimin sem o poste ambulante que milagre. - Falou Jungkook dando espaço para o ruivo entrar.

- O poste ambulante me abandonou, hyung.

- Bem a cara do Taehyung aprontar uma dessas. - Falou Jungkook dando de ombros e de depois apontou para a xícara. - Você quer?

- Ah, não não. Eu preciso falar uma coisa com você. Na verdade, perguntar e falar. - Falou o ruivo e Jungkook franziu o cenho.

Jungkook conseguia ver estampado na testa de Jimin que ele estava nervoso. O que não era uma coisa muito normal, então uma corrente de preocupação passou por seu corpo.

- Jimin, aconteceu alguma coisa com seu pai?

- Uh? Meu pai? Não não, meu pai está bem. Bom, não acho que posso dizer bem, então, ele está respirando. - Falou o ruivo passando a mão entre o cabelo.

Jungkook suspirou se recusando a contrariar. Era a verdade. Não podia dizer que ele estava exagerando se sabia que a verdade. Era errado, e mais errado ainda se o próprio Jimin sabia a realidade.

- Qual faculdade você gostaria de fazer?

Jungkook encarou o ruivo um tanto surpreso com a pergunta. Fazia bastante tempo que não pensava naquele assunto. Sem contar que não sabia exatamente o que gostaria de cursar.

- Por que a pergunta?

- Só para saber..E eu avisei que queria perguntar e falar. - Falou o ruivo e Jungkook bufou revirando os olhos.

- Nunca escolhi exatamente o que queria. Sempre tive dúvida entre música e psicologia..Era só isso que queria perguntar? - Respondeu Jungkook.

Jimin riu e negou com a cabeça. Acabou por lembrar de quando Jungkook disse que as pessoas diziam que ele tinha voz para cantar, e se castigou por não ter lembrado disso antes.

- Por que gosta de psicologia?

- Agora não sei. mas antes era porque eu gostava de ajudar as pessoas.

- Hoje você não gosta mais? - Continuou o ruivo.

- Gosto, mas não todas. Seria estranho um psicólogo recusar um paciente por que não aceita o que ele quer dizer.

- Talvez seja por isso que deveria fazer psicologia. Para ajudar a si mesmo a entender o problema dos outros e até mesmo os seus..

Jungkook parou para pensar por um estante. Ele sempre gostou da parte de ajudar uma pessoa com apena uma conversa, pois tinha realmente pessoas que só precisavam daquilo. Uma conversa, ou até um abraço. E talvez até ele mesmo só precisasse daquilo, só não sabia ainda se realmente queria ou até de quem queria.

Jeon sabia muito bem que a psicologia não se resumia em apenas conversas e coisas do tipo. Já havia procurado sobre o assunto a um tempo, e tudo em torno daquela profissão o deixava interessado e até um pouco animado.

E então, Jungkook voltou finalmente para realidade e encarou Jimin antes de abaixar o olhar novamente.

- Não acha que eu estou muito velho para fazer faculdade agora?

- Você não tem 60 anos hyung. Ainda esta na casa dos 20, e nunca é tarde demais para aprender.

- O que eu vou ganhar com isso? Em sabe tudo? - Falou Jungkook revirando os olhos e indo para a cozinha e Jimin o seguia.

O mais alto começou a lavar a pequena xícara que antes estava preenchida pelo chá de erva cidreira, enquanto o ruivo se encostou no batente da porta o encarando com um sorriso no rosto com uma resposta na ponta da língua.

- Eu pensei que você era inteligente o bastante para saber que quando se termina uma faculdade, você ganha um diploma.

Jungkook não aguentou e desatou a rir. Riu tanto que seus olhos lacrimejaram, antes de finalmente se virar para trás e encontrar Jimin com um sorriso no rosto.

- Não é como se eu ligasse para um diploma.

- Mas eu ligo. Não faça isso pelos outros, ou por que eu estou pedindo, faça por si próprio hyung..

- Jimin...

- Promete que vai pensar? - Pediu o Park. - Por mim vai..

Jimin conseguia ver claramente no rosto de Jungkook a confusão que estava sua mente. Talvez ele tivesse usado as palavras erradas, mas dentri de si ainda tinha a confiança de que tinha falado tudo certo.

A mente do moreno processava tudo aquilo, enquanto o silêncio rondava o cômodo. Jimin estava pronto para dizer algo e voltar atrás naquele assunto quando viu Jeon erguer a cabeça com um pequeno sorriso no canto dos lábios.

- Certo, eu prometo pensar "por você".. - Falou fazendo aspas com os dedos e Jimin riu. - Mas se der errado depois, saiba que eu vou te culpar.

- Não vai dar errado hyung, porque você tem capacidade para fazer o que quiser é só você querer. - Falou Jimin sorrindo.

- E novamente eu me pergunto se você tem realmente 17 anos..Já pensou em escrever um livro? - Falou Jungkook enquanto voltava pra sala e Jimin riu.

- Claro! O nome seria, tutorial de vida para pessoas problemáticas! Que tal? - Brincou o ruivo.

- Eu iria ser o primeiro a comprar, pode ter certeza.

O ruivo riu e em seguida suspirou ao tirar o celular do bolso e ver as horas. Estava ficando tarde, e sua mãe iria para casa naquela noite. Ou seja, não podia demorar.

- Hyung, eu preciso ir embora. - Murmurou o ruivo.

- Tenho certeza que o desgraçado do Taehyung não vir de buscar, então eu te levo, não tem problema. - Falou Jungkook indo buscar um casaco e Jimin bufou.

- Eu posso ir embora sozinho, já sou bem grandinho não acha? Eu sei me virar.

- Grandinho só se for a idade mesmo, porque de tamanho não é. E lide com o fato de que você ainda é uma criança, porém tem 17 anos. - Falou Jungkook colocando o casaco e novamente o ruivo bufou.

- Você está igual minha mãe, credo. - Falou o ruivo fazendo careta.

- Engraçadinho, agora vamos.

[ ... ]

Jeon levou o ruivo para casa, e quando voltou para a sua tomou um banho e se jogou na cama.

Ficou pensando nas palavras de Jimin por um bom tempo enquanto encarava a teto, até que por fim suspirou e alcançou o seu celular que estava na mesinha ao lado da cama e foi a procura do contato de Kim Taehyung sabendo que o mesmo rapidamente o responderia.

J: Taehyung, preciso que me faça um favor amanhã

T: pede antes que eu marque algo

T: sou uma pessoa ocupada querido

J: haha vai sonhando Tae

J: enfim, vc tem que chamar o Jimin tbm

T: hmmmm...

J: nem começa

T: posso saber para o que??

J: eu quero que...

J: vcs vão comigo na faculdade amanhã...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...