História Save Me? - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Big Bang
Personagens D-Lite (Daesung), G-Dragon, Seungri, T.O.P, Taeyang
Tags Bigbang, Romance
Exibições 12
Palavras 1.103
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fluffy, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Capítulo Doze, disponível.
Desculpa a demora, estive ocupada por causa da escola. Mas agora estou de férias e me dedicarei mas as minhas fanfics...
Espero que gostem.
Boa leitura!

Capítulo 12 - "Preciso de conforto, pois estou assustada..."


Fanfic / Fanfiction Save Me? - Capítulo 12 - "Preciso de conforto, pois estou assustada..."


Tentei me levantar, assim me deitei novamente. Meu corpo inteiro doía tanto que parecia que eu não iria mexe-lo por algum tempo, mas talvez seja só o efeito dos remédios que injetaram em mim.

Como sou teimosa, tentei me levantar novamente, mas desta vez eu consegui me sentar na cama do hospital. É agora! Vou tentar ficar de pé, ao fazer este ato, eu caí no chão de tanta fraqueza que eu sentia nas pernas.

- Porra…

Resmunguei um palavrão como forma de minha frustração, ao tentar me levantar de novo. Caí de novo…

- Porra, porra, porra…

Uma pessoa abriu a porta do quarto do hospital e vi Dong entrando com um sorriso no rosto para enfermeira e depois este mesmo sorriso desapareceu ao me ver no chão do quarto.

- Kwan! O que está fazendo aí no chão?

Ele me pegou na cintura para me ajudar a levantar e me levou para a cama que em pouco tempo eu estava deitada lá. Bufei em forma de reprovação para Dong, já que eu não queria ficar no hospital.

- Eu queria ir embora, se você não percebeu.

Falei irritada, eu odiava hospitais, não importa qual for e quem estiver nele ou se eu estiver. Eu não aguento ficar muito tempo nos hospitais, eu não sei por que mas me traz uma sensação ruim.

- O médico disse para você ficar e descansar, caso aconteça algo de novo.

Dong respondeu enquanto ajeitava os lençóis da cama em que eu permanecia lá. Depois o olhei com raiva e ele riu.

- Você me lembra de quando éramos adolescentes… Você sempre foi assim.

Ri baixo, eu tinha poucas lembranças de minha adolescência. Mas eu ainda me lembrava de momentos que tive com Dong.

- Eu estou bem, quero voltar…

Fiz bico para Dong e ele olhou meio estranho para mim, depois riu. E fez sinal com a cabeça, afirmando enquanto ria.

- Okay, okay. Tentarei falar com o médico…

Assim Dong saiu do quarto, me deixando sozinha naquele quarto totalmente branco e pequeno. Isso me dava arrepios… Enquanto Dong estava fora, comecei a brincar com as pontas do meu cabelo. Até que comecei escutar sons estranhos, sons de facas sendo afiadas...

- O-O que é isso?

Perguntei para mim mesma, falei baixo pois pensava que poderia ser alguém do lado de fora do quarto.

"Sookkie… É apenas a Omma, querendo brincar de Esconde-esconde."

Me assustei com o som bizarro que eu escutava, eu implorava à mim mesma que aquilo acabasse mas isso não acabou tão cedo. Assim o barulho começou a ficar mais alto e estava cada vez mais perto.

"Sookkie, ela vai nos achar… Se esconda!"

Desesperada, tentei sair de cima da minha cama o mais rápido possível mas acabei caindo no chão. Gemi de dor, com dificuldade me levantei e saí do quarto, correndo pelos corredores do hospital, o impressionante era que ninguém me via correndo.

O engraçado era que o ambiente estava mudando, parecia que eu estava indo para outro lugar. O corredores brancos do Hospital, estava se tornando corredores de uma casa confortável. Eu já tinha visto esses corredores, eram da minha antiga casa, a casa de quando eu era criança, olhei para baixo e vi que eu usava um vestido rosa e rodado e meu corpo tinha diminuído. Eu estava delirando de novo?

"Sookkie, corra mais rápido! Ela está perto, se esconda no porão."

Corri o mais rápido que eu podia, chegando no final do corredor e nele tinha umas escadas que levavam pro porão. Comecei a subi-las, ao chegar lá em cima, me deparei com um porão velho, cheio de coisas velhas nas quais nunca tinha visto na vida.

Eu as observei com cuidado, a poeira estava muito densa ali, estão espirrei.

"Sookkie, não faça barulho. Pule dentro daquele buraco."

Saí procurando um buraco no chão no porão, onde vi um não muito fundo, mas dava para se esconder nele. Quando estava prestes a pular dentro daquele buraco, uma mão segurou meu pulso.

- Achei você!

Gritei e fechei os olhos com força. Senti outra mão me puxar pela cintura.

- Kwan! Está louca? Quer morrer?

Abri os olhos e vi JiYong me segurando com um olhar preocupado e raivoso. Olhei em volta e me vi no terraço do Hospital. Como eu havia chegado lá?

- Kwan, você quase pulou… O que está acontecendo com você?

Ele me fez olhar nos seus olhos e eu o abracei, para a surpresa dele. Eu o tinha abraçado.

- Por favor... Me deixa longe dela, não deixe ela me machucar.

Falei, escondendo meu rosto em seu peito e o abraçando cada vez mais. Eu estava assustada e eu não ligava mais se eu o odiava, eu só queria que alguém me protegesse.

- Vamos descer… Você deve estar em estado de choque.

JiYong desfez o abraço e pegou em minha mão e me tentou me levar até a saída mas puxei minha mão de volta. Ele me olhou confuso.

- Eu não quero voltar lá para baixo…

Falei para ele, tentando segurar minhas lágrimas.

- Por quê?

Ele perguntou se aproximando de mim, até ficar a minha frente.

- Por que ela está lá embaixo e quer me machucar.

Falei como um sussurro, eu queria não chorar na sua frente. Eu estava lutando contra isso e estava ganhando. Ele se aproximou de mim e me abraçou.

- Não se preocupe, ninguém vai te machucar comigo por perto.

Ele me deu um abraço tão confortável e acolhedor que me fez fechar os olhos e cochilar tranquilamente. Foi a primeira vez que eu dormi bem depois que soube que tinha Esquizofrenia.

Eu odiava demais JiYong, mas às vezes eu esquecia deste detalhe. Eu estava em uma situação tão extrema, que isto parecia sumir da minha cabeça e ele ser o meu conforto.

Senti sendo colocada sobre algo muito confortável, uma cama. Abri os olhos e percebi que estava em meu quarto, me virei em direção à porta e JiYong saindo por ela.

- Obrigada.

Falei para ele, antes que ele saísse, ele parou e se virou para mim.

- O quê você acabou de dizer?

Ele falou em um tom de deboche que isso acabou me estressando.

- Vá se foder, Tarado. Talvez você goste!

Falei irritada e me virei, ficando de costas para ele. Escutei sua risada e a porta se fechando.

Como ele pode ser tão idiota? Esse tipo de reação da parte dele, fazia com que meu ódio por ele só aumentasse.

Me levantei e peguei dentro da cômoda um estilete. O fitei.

- Dizem que isso alivia dores… Será que é verdade mesmo?


Notas Finais


Agora que estou de férias, tentarei trazer mais capítulos. Disse que vou tentar...
Obrigada por ler.
Espero que tenham gostado.
Até a próxima.
Kissus doces 😘💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...