História Save Me - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford
Tags 5 Seconds Of Summer, 5sos, Auto-mutilação, Brigas, Colegial, Depressão, Inimigos, Melhores Amigos
Exibições 106
Palavras 1.302
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi, oi... Eu estou me dedicando muito a essa fic, espero que gostem, e tenham uma ótima leitura...

ELENCO PRINCIPAL:

Katherine Marie Satterlee - Birdget Satterlee
Haylee Louise Campbell - Ashley Benson
Ammy Elisabeth Johnson - Danielle Campbell
Alex Satterlee - Cameron Dallas
Lauren Satterlee - Amanda Schull
Luke Robert Hemmings
Calum Thomas Hood
Ashton Fletcher Irwin
Michael Gordon Clifford -

Capítulo 1 - Você é um idiota, Hemmings...


Fanfic / Fanfiction Save Me - Capítulo 1 - Você é um idiota, Hemmings...

                                                                                     Notas iniciais elenco

"Ela é uma cicatriz, ela é uma ferida, ela é um sofrimento que você causou. Havia vida, havia amor, e agora está desaparencendo" - 5 Seconds Of Summer, Broken Home

P.O.V. Katherine Marie Satterlee

1 ano antes

Minha cabeça girava. Doía. Não apenas fisicamente, mas por dentro. Isso estava de destruindo. Eu não aguento mais, tenho que acabar logo, tenho que me juntar a eles. As lágrimas escorriam sem parar, aquela lâmina se encontrava em minha pequena mão, e logo na pele, a rasgando, a partindo. O sangue escorria, enquanto eu fazia os cortes maiores, mais fundos e dolorosos. Minutos antes, havia tomado alguns comprimidos, vários na verdade, misturados com grandes doses de bebida. Minha cabeça ainda girava, enquanto sentia o sangue se esvair de minhas veias. 

Senti meu corpo se chocar contra o chão, senti tudo se apagar. Senti a vida se esvaindo. Pisquei meus olhos, com a visão turva, a última vez, a tempo de ver, e ouvir, um grito, assim como a claridade, provavelmente vinda da porta, invadir o local. Assim acabei. Tudo virou uma escuridão inimaginável. 

1 ano depois

Como se sente hoje, Katherine. - Solto um riso nasalado, ele não havia mesmo me perguntado isso.

- A mesma merda de sempre. Não é como se a porra da minha vida houvesse estado diferente nesses últimos tempos Stainfield.- Sorrio de maneira falsa para o homem alto, careca e magro a minha frente. 

O mesmo abaixou os pequeninos óculos de grau que usava sob os olhos para enxergar provavelmente alguma anotação que fazia em sua prancheta.

- Entendo que não quera estar aqui, entendo que seja difícil, e eu entendo que esteja mal, mas as vezes é melhor se abrir com alguém... Será melhor...- Ele falava de forma pacienciosa, o que me deixava um tanto irritada. Eu detestava estar aqui.

Nada contra Stainfield, meu psiquiatra, mas eu não gostava desse lugar. Não gosto das medicações e das pessoas, mas aqui estou eu, tudo por culpa de uma fraqueza que cometi, e me persegue até hoje.

- Não fale como se entendesse, você não entende. Esse só é seu maldito trabalho, fingir que se importa, quando sinceramente, não se importa. E eu já vou, se me da licença.- Peguei minha bolsa, o vendo soltar um suspiro baixo. 

Sai pela porta, passando pela recepção, onde a mulher gorda, a recepcionista, lixava suas unhas. As pessoas são falsas, assim é o mundo, e talvez esse seja um dos motivos que me enfraqueceram e me levaram a tentar me matar. Logo eu estava fora do grande prédio. Eu andava pela rua de forma tranquila, sentindo a brisa do vento gélido contra a minha pele, observando as pessoas: Uma mulher com sua filha, as duas pareciam rir de algo. Pareciam felizes. Soltei um baixo suspiro, nesse momento ouvindo meu celular tocar. O peguei rapidamente do bolso de trás da minha calça skinny preta, vendo assim o nome de Ash brilhar na tela. Pelo menos isso, uma pessoa que me faz bem.

Olá Irwin.- Sorri, assim como senti fazer ao outro lado da linha telefônica.

Olá Satterlee. Já está em casa?

- Estou a caminho... Passa lá daqui a... 15 minutos.- Estreitei os olhos, pensando no tempo que estipularia para que ele estivesse. 

Okay. Nos vemos em 15 minutos Little Bear.- Sorrio ao ouvir seu apelido, no qual ele mee chamava desde quando eramos pequenos. 

Desliguei a chamada, voltando a andar. Antes do tempo previsto por mim, dentro de uns dez minutos, estava entrando em casa. Consegui sentir o cheiro de queimado invadir minhas narinas, provavelmente tia Lauren tentando se acertar com o fogão. Péssima ideia. Certa vez quase botou fogo na casa, ela não era boa nisso de maneira alguma. Passo pela cozinha e lhe dou um beijo no rosto, vendo a mesma sorrir.

Após a morte dos meus pais, ela havia ficado com minha guarda e a de Alex. Ela fazia seu máximo para ser uma boa tia, eu via isso. Lauren tem apenas 28 anos. Ela é linda. Sempre foi como uma segunda mãe. As vezes acho que sou como um empecilho, ela se dedica demais a nós e ao trabalho, e por isso acaba com pouco tempo para si mesma. 

Meu irmão mais velho tem 21 anos. Ele é uma pessoa boa, porem acabou fazendo coisas um tanto erradas, escolhendo alguns caminhos errados, como drogas e bebidas. Alex é lindo e inteligente, tem muito potencial, mas infelizmente não liga para isso, está ocupado enchendo a cabeça de drogas, em busca de algum fio de felicidade que fosse. Sabia que isso acabava com ele, ele sofreu tanto quanto eu. Quando todos nós.

Subi para meu quarto aceleradamente. Deixai sob a mesinha do computador minha bolsa, me jogando na cama em seguida, enquanto encarava o teto. Eu deixei meus pensamentos voarem, mas em alguns minutos sou interrompida por um garoto cacheado adentrando meu quarto, me fazendo sorrir abertamente. Ele anda até a cama e se joga em cima de mim, me abraçando e fazendo eu o abraçar.

- Como foi?- Sabia que ele se referia a consulta, nos ajeitamos na cama e eu o olhei.

- Eu praticamente mandei ele a merda, e depois sai do consultório sem autorização.- Dei de ombros, o vendo gargalhar.

- Meu deus. Por isso eu te amo.- Ele balança a cabeça.- Já viu seus novos vizinhos?- Perguntou apontando com a cabeça para o lado atrás de mim, onde estava minha janela, provavelmente indicando que ali era a casa onde morariam.

- Não, não vi. Quem são?- O olhei atentamente, vendo o mesmo começara gargalhar.- Que for Irwin, tá com algum problema?- Arqueei a sobrancelha e ele riu mais.

- Não, é só que... Seus novos vizinhos são os Hemmings.- Meu semblante ficou sério de imediato. Balancei a cabeça e dei um tapa em seu braço.

- Não se brinca com uma desgraça dessas, Ash... Agora falando sério, quem são?- Ele riu mais ainda.

- Eu estou falando sério. Olha lá o loiro oxigenado.- Ele apontou com a cabeça para a janela.

Voltei meu olhar para a mesma, onde vi o maior idiota do mundo, alias, do planeta. Luke Robert Hemmings NÃO pode ser meu vizinho. Nós nunca nos demos bem, ele é simplesmente insuportável, e eu poderia dizer "Nossa, eu nem o conheço, deveria o dar mais uma chance", mas eu o conheço. Nos conhecemos quando eu tinha 6 anos e ele 9. Eu era nova na escola, ele era mais velho e insistia em implicar comigo. Certa vez cortou meu cabelo e me deixou chorando pelo ocorrido por quase uma semana, enquanto ria. Acabou que o Hemmings rodou algumas vezes, resultado de matar aula, provavelmente para comer alguma vagabunda por ai, ou ficar bêbado com os amiguinhos dele.

Vi o louro olhar pela janela, maldição, a vida não gosta mesmo de mim, não é? A janela de seu quarto ficava de frente para a minha, a exatamente uns 15 centímetros de distância. Assim que ele parou seu olhar em mim, deu um sorriso, aquele maldito sorriso. Ele abriu a janela e se apoiou na mesma, ainda me olhando.

- Kath, minha nova vizinha... Estava com saudades? Bem, eu estava.

- Você é um idiota, Hemmings.- Proferi as palavras, enquanto soltava um sorriso de maneira falsa.

Andei até a janela, fechando o vidro e em seguida a cortina. Esse garoto me tira do sério com apenas uma palavra. Soltei um baixo suspiro e voltei a cama, onde Ash ainda ria. Dei um tapa na barriga do mesmo, e ele soltou um gemido baixo de dor.

- Sabe que não pode ficar para sempre com a janela fechada, não é?- Riu. Cruzei meus braços logo abaixo dos seios, arqueando uma das minhas sobrancelhas, lhe lançando um olhar desafiador.

- Quer ver?


Notas Finais


E ai? O que acharam? Eu não sei se ficou bom, mas eu estava tipo, bem animada mesmo para postar sajdijsdfijdsjfjds
Comentem o que acharam, é muito importante, e para quem lia Help Me, comentem qual você preferiram, Help Me ou Save Me...

Eu amo vocês, e obrigada a cada um que dedicou seu tempo a ler, beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...