História Save me - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ansel Elgort, Emilia Clarke, Shailene Woodley, Theo James
Personagens Emilia Clarke, Theo James
Tags Drama, Romance, Suspense
Exibições 3
Palavras 1.677
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Meu povo, esse é o ponto inicial da história. Eu já escrevi uma boa parte dela e foi a fanfic que mais gostei de fazer até agora. Espero o retorno de vocês pra soltar os próximos... Foi feito com muito amor e carinho. Espero que gostem!! Por favor, favoritem e comentem pra que eu saiba que o esforço está valendo a pena. Muito obrigada desde já, princesaaaaas!

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Save me - Capítulo 1 - Prólogo

Ando pelos corredores do sexto andar nervosa. Não dava pra creditar que depois de anos esperando eu finalmente vou ganhar um caso meu. Só meu! Não vou ser tão idiota a ponto de falar que não estou com um pingo de ansiedade, ou talvez... Medo. Mas não quero pensar nisso agora. Eu vou me sair bem, eu preciso.

- Senhorita Maya o Sr. Harry te aguarda a terceira sala da segunda direta. – “É agora. Tudo vai ficar bem, você foi preparada muito bem pra isso.” Repeti isso inúmeras vezes para mim mesma.

A cada passo dado meu estomago revirava. Parei em frente à sala do Harry; durante três anos eu havia sonhado com aquele momento. Todos por aqui possuem certo medo dele, eu não. Na verdade o meu maior “medo”- se é que posso usar essa palavra - é do que me aguarda lá dentro. Bato de leve na porta e ouço sua voz fria pedindo para que eu entre.

- Com licença. O senhor pediu que me chamassem, aqui estou eu. – Foi à única coisa que consegui falar. Soou um pouco idiota, mas fazer o quê né?

- Sente-se senhorita Scarlet. – Ele diz sem tirar os olhos de alguns papeis espalhados por sua mesa. Faço o que ele pediu enquanto ele retoma sua fala finalmente se virando pra mim. Ok, confesso que aqueles olhos meio grandes demais encarando você é meio constrangedor. – Suponho que você já sabe o motivo pelo qual esta aqui não é mesmo? – Balanço a cabeça em confirmação da sua frase e ele prossegue. – Primeiro preciso que você seja sincera comigo, se achar que não consegue, não tenha receio em falar, agora caso resolva aceitar devo me assegurar que você não desistirá. A não ser que algo de muito grave aconteça com você. – Cada palavra dele, dita pausadamente enquanto me encara, parece uma tortura. - Vou precisar que fique 24 horas por dia totalmente empenhada no seu trabalho. – Novamente concordo com a cabeça.

Ele me estende uma pasta, pego com firmeza pra não deixar transparecer o meu nervosismo. Abro curiosa pra saber o que me espera e fico boquiaberta ao saber o que vou enfrentar.

- Acho que você já ouviu boatos sobre o caso. – Claro que ouvi, dentre essas duas ultimas semanas não se fala em outro assunto. – Bom, você é a mais nova da equipe, o que é um fator necessário para que ninguém suspeite de nada que esta acontecendo. Jovem, bonita, inteligente, esperta... Aparentemente perfeita para o caso. Alem do mais, você vem se superando a cada desafio proposto pra você. Agora é a sua hora de mostrar se realmente é tão boa quanto o seu pai foi. – Folheio algumas paginas do relatório, o caso é realmente assustador. – Preciso alerta-la senhorita Scarlet que, caso você se saia bem, não nos restará dúvida alguma a seu respeito e podemos dizer que basicamente você terá um futuro incrível pela frente. Empresas brigando pra te-la nos casos, fama e dinheiro. Mas... Se você der uma escorregadinha de nada, quase imperceptível, todos esses anos de estudo e treinamento serão jogados no lixo. – Engulo a seco. – Preciso resolver algumas coisas agora. Você tem meia hora pra me dar uma resposta concreta sobre a sua decisão. – Ele sai catando algumas coisas em cima da sua mesa enquanto fala. – Tudo o que você precisa saber tem nesses papeis, se tiver alguma duvida pode perguntar ao Brian, ele saberá te responder. Boa sorte. – Falando isso ele saiu. Simples assim, virou as costas e me deixou lá, com aquela bomba em minhas mãos, a partir de agora eu tinha duas escolhas: Ou assumir a responsabilidade e arriscar “desativar essa bomba”, ou posso simplesmente passa-la adiante para o próximo mais capacitado e corajoso do que eu.

                                                                               ***

Caminho depressa ate a minha sala, antes passo rápido e pego um café pra me ajudar a digerir tanta informação. Todos me olham curiosos, querem saber o que aconteceu, mas ainda assim me comporto normalmente. Finalmente chego em minha sala, tranco a porto e suspiro. Ainda um pouco nervosa vou em direção a minha mesa e arrasto alguns dos papeis  de outros casos que eu analisava para o lado - agora eles não são prioridade - os mesmos dão lugar a uma pasta e um copo de café. Sento em minha cadeira e esfrego minhas mãos nos olhos me preparando para o que me aguardava. Dou um gole no café quente e abro a primeira folha. Theo James... Nada mal, pensei. Na verdade nunca simpatizei muito com ele, mas se faz tanto sucesso algo de bom ele deve ter, afinal o cara é tão famosos a ponto de ter uma psicopata matando de forma brutal uma a uma, todas as garotas as quais já tiveram algo com o ator.

 Uma garota morta, uma flor amarela ao lado e um bilhete com um código de números. Tudo o que temos. Nenhum rastro de sangue, nenhum fio de cabelo, nenhuma digital... Nada. Tudo foi friamente calculado pela assassina.

A primeira sortuda foi à famosa modelo Cloe Denilly que passou apenas uma noite com o Theo, uma noite que custou a sua vida. Tudo o que sabemos é que após voltar de uma das suas reuniões empresariais a garota sumiu do nada e apareceu dois dias depois... Morta. Uma flor amarela em sua mão direita e um bilhete. Todas as três garotas mortas ate agora foram apagadas e encontradas da mesma maneira com um tiro atravessado na cabeça e sinais de tortura, ainda assim nenhuma digital da suspeita foi encontrada. Ah, sabemos também que o psicopata se trata de uma mulher pois em todos os casos encontramos um código e uma frase que varia a todo novo bilhete, frases amorosas e crueis. Com minha experiência deduzo que a assassina se trata de uma mulher que não teve o que queria: ele.

“Nome completo: Theodore Peter James Kinnaird Taptiklis

Nascimento: 16 de dezembro de 1984 (30 anos)

Nacionalidade: Britânico

Ocupação: Ator

Altura: 1,83 m

Detalhes: Mais conhecido como Theo James, o ator que nasceu no sudeste da Inglaterra é muito conhecido pelo seu papel como Quatro no filme da serie divergente. Ele também é formado em filosofia.“

Tenho apenas treze minutos para tomar a decisão que pode mudar a minha vida. O Harry costuma ser pontual e direto. Preciso ter uma resposta concreta firmada em minha cabeça antes que ele me chame e eu seja forçada a tomar uma decisão por impulso como sempre faço. Liguei meu notebook e abri em uma das centenas paginas que falavam sobre o Theo, todas continham as mesmas informações. Depois de ver sua historia, decidi pesquisar as fofocas sobre sua vida pessoal. Nos últimos dias o seu nome é um dos mais falados em Hollywood, apesar da mídia abafar o caso o maximo possível as pessoas sempre acabam descobrindo algo e espalhando por ai sem dar a mínima para as consequências desse ato. Descobri que ele é muito mais reservado do que imaginava, quase nada sobre seus relacionamentos amorosos era encontrado em sites, o que me leva a ter um pensamento um pouco precipitado mas lógico... Seja lá quem for essa assassina, ela esta muito mais próxima dele do que imaginamos.

- Scarlet – Brian apareceu na porta da minha sala ajeitando o óculos. Ele era o típico perfil do que chamamos de... puxa-saco.- Harry pediu pra que a senhorita me acompanhasse.

- Já pedi pra parar de me chamar de senhorita Brian. Apenas Scarlet ok? – Fingi seriedade e ri um pouco da sua cara assustada.

- Esta bem senhori... Scarlet. – Ele pigarreou um pouco antes de pronunciar o meu nome.

- Tudo bem, vamos. – Falei com um sorrisinho no rosto enquanto trancava a sala e pensava em qual decisão seria a melhor a ser tomada.

                                                                              ***

- Então Scarlet, pensou a respeito da proposta? – Resmunguei um “hurrum” pra ele. – E chegou a uma decisão final?  - Eu definitivamente odeio a mania do Harry de falar com as pessoas sem encara-las diretamente, parece que não somos bons o suficiente para merecer a sua completa atenção.

- É... Quando eu posso começar? – Sorri pra ele, mas acho que soou nervoso demais, não muito diferente do estado que eu me sentia naquele momento.

- O mais rápido possível. – Ele sorriu vitorioso para mim e caminhou apressado ate a sua mesa onde pegou uma papelada e pôs em minhas mãos. - Eu preciso que você assine aqui, aqui e... Aqui.  – Ele falou apressado enquanto corria os dedos mostrando os lugares onde eu deveria assinar. - Infelizmente eu não vou poder te fornecer mais informações agora porque estou muito atrasado, me perdoe. – Enquanto ele falava mais rápido do que um comentarista de jogo de futebol e assinava freneticamente os papeis, eu tentava acompanhar as suas palavras digerindo cada informação. - Mas... O Brian esta ai pra te ajudar a organizar tudo o que for necessário. Vou pedir pra que comprem a sua passagem, preciso que você me passe o melhor horário pra que você possa viajar amanhã.

- Mas a-amanhã? – Merda, gaguejei.

- Sim, amanhã. – Ele sorriu friamente. – Algum problema com o horário senhorita Scarlet? – Sua voz pareceu ameaçadora, como se quisesse me amedrontar, me fazer sentir... Incapaz.

- Ah, claro que não, é só bobagem minha. – Falei puxando os papeis e os assinando pra evitar que ele percebesse o meu nervosismo.

- Então é isso. Tenho certeza de que, assim como seu pai, você fará um excelente trabalho. – Harry estendeu suas mãos pra mim como sinal de acordo.

- É, com certeza farei. Obrigada pela confiança senhor Harry. – Apertei firmemente suas mãos.

- Espero não me decepcionar. Qualquer coisa ligue para um desses números. Ate mais Scarlet. – Ele me entregou um cartão com três números distintos, pegou sua pasta pelas mãos caminhou em direção a porta e antes de sair parou e me encarou, como se fosse uma despedida.

- E não irá. Ate mais Harry. – Depois de lançar um pequeno sorriso para mim ele partiu pelos corredores. Por um momento achei que aquilo tudo seria realmente muito bom pra mim.

Theo James, me aguarde.


Notas Finais


Meu povo, esse é o ponto inicial da história. Eu já escrevi uma boa parte dela e foi a fanfic que mais gostei de fazer até agora. Espero o retorno de vocês pra soltar os próximos... Foi feito com muito amor e carinho. Espero que gostem!! Por favor, favoritem e comentem pra que eu saiba que o esforço está valendo a pena. Muito obrigada desde já, princesaaaaas!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...