História Save Me - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor, Anjo, Anjos, Bangtan Boys, Bts, Drama, Jimin, Park Jimin, Romance, Universo Alternativo
Visualizações 53
Palavras 1.270
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Misticismo, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Visual Novel
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi minhas delícias! Voltei com mais um cap!

Obrigada pelos quase 30 favoritos!! AAAAAAH estou muito feliz!
E muito obrigada por darem sua opinião e comentarem o que estão achando da história até aqui.
Vocês me deixam muito contente com isso, de coração 💗

Sem mais delongas, boa leitura!
Até as notas finais!

Capítulo 14 - Os dois lados


Fanfic / Fanfiction Save Me - Capítulo 14 - Os dois lados

Dei dois passos para trás quando Jin veio em minha direção, cruzando a porta de meu apartamento. 

 - O que você está fazendo aqui? - perguntei, embora já soubesse a resposta. 

 - Pelo visto seu querido Jimin já contou sobre mim, não é mesmo? É uma pena, ele com certeza omitiu grande parte da história. - ele fechou a porta atrás dele e andou rumo ao meu sofá, sentando-se. - Mas eu sou um cara legal, e te contarei tudo de verdade. 

 - Saia daqui por favor. Eu não quero saber. Não quero ter nada a ver com você. 

 - Mas nós somos primos, princesa. Está renegando sua família? - ele perguntou sarcástico com um sorrisinho cínico e enjoativo em seus lábios. Eu queria socá-lo agora mesmo. 

- Eu não te conheço. Não me importa o que somos, isso não muda nada. - Eu agora o encarava com a expressão mais seria que podia. Juntei força e coragem do além e continuei respondendo. - Se você não sair agora eu vou chamar o Jimin. 

 - Nossa, que surpreendente. Quantos anos você tem, princesa? 23, creio eu. Estou certo? - fiz sinal de positivo com a cabeça - Muito bem. Sabe que parou de envelhecer aos 20 anos, né? Podemos aparentar ter a mesma idade, pois todos paramos de envelhecer aos 20, mas eu tenho pelo menos uns 3 mil anos a mais que seu guardião. O que me faz bem mais experiente, e forte que ele. Então acho melhor você se sentar e me ouvir direitinho. 

 Ele não estava brincando... E eu não esperava que estivesse. Só de pensar que ele podia fazer algum mal a Jimin, senti meu peito doer em protesto. Me movi lentamente sentando-me no outro sofá, de frente para ele. O coração batendo mais rápido do que o desejado. Minhas mãos tremiam tanto que tive que apertá-las sobre minhas cochas com força. Não queria parecer fraca aos olhos de ninguém... Principalmente aos meus próprios. Eu tinha que fazer alguma coisa, afinal de contas eu ERA alguma coisa. Eu não daria a Jin o que ele queria. 

 - Bem, estou ouvindo. - eu disse com calma. 

 - Muito bem - ele começou - Acho que já sabe o que quero de você. E porcamente devem ter te contado os meus motivos para isso. Mas sinto informa-la que provavelmente não te disseram a real verdade. 

 - Não estou entendendo. 

- Seu querido pai sempre foi o herdeiro do trono real. Enquanto o meu, era desprezado e ignorado pelo resto dos céus. Faz ideia do que ele passou durante todo esse tempo? 

 Não respondi. Ainda não fazia sentido tudo aquilo. 

 - Meu pai nasceu sem o dom para liderar os céus. O que é uma estupidez tremenda analisarem isso por conta de sangue! - Jin continuou e agora cuspia as palavras com aparente raiva na voz. - E obviamente, isso foi passado para a sua geração seguida. No caso, eu. E isso não mudaria, até você nascer. A filha mais velha, a primogênita de Metatron me daria a chance que tanto esperei de recuperar o que nos foi roubado por julgamento errôneo! Casando com você, a herdeira real, terei finalmente a chance de governar como seu marido e rei. Dando assim toda a vida e direitos que roubaram de meu pai! 

 Entao era isso. Jin queria casamento para vingar a exclusão de seu pai do trono. Ele acha que a forma que o rei foi nomeado, é totalmente equivocada. Não era um pensamento egoísta. Mas infelizmente eu estava naquele meio todo. E eu teria que dar um jeito de mudar isso. 

 - Você acha justo eu pagar por isso tudo sendo que só fui nascer milhares de anos depois? - perguntei agora olhando em seus olhos. - Não acha que está destapando um buraco para tapar outro? 

 Vi sua expressão amenizar por frações de segundo. Se eu continuasse, talvez conseguiria chegar até ele? 

 - O que eu acho é que você pouparia toda a provável guerra que virá, se simplesmente se rendesse e se casasse comigo sem resistência. - ele respondeu antes que eu continuasse. 

 - Então você realmente acha justo que eu pague. Se eu sou sua família, como você diz, acha certo mesmo me forçar a casar contigo? - ele me olhava intensamente. Não esboçou nenhuma reação, apenas continuava me olhando nos olhos. - Não acha mais inteligente nos juntarmos e fazermos um mundo melhor? Sei lá, eu cheguei agora nisso tudo. Até ontem eu era total ignorante sobre o assunto. Não vou deixar que me leve dessa forma sem nem sequer lutar. E eu digo lutar da minha maneira. 

 Eu já não sabia mais o que estava dizendo. Dada a falta de conhecimento que eu tinha sobre a personalidade de Seokjin, eu ainda tinha um longo caminho a percorrer. Mas agora, de fato, eu tinha descoberto uma opção a mais além de violência e guerra. Eu poderia conquista-lo e tentar, ao menos, mudar sua cabeça. Os sinais estavam ali, bem na minha cara. 

 - O que quer dizer? - ele agora parecia interessado. 

 - Não é necessário nada disso, Jin. Mesmo porque, eu ainda estou lutando comigo mesma para descobrir como controlar todo meu poder novamente. Eu não sou de utilidade nenhuma para você. - ele franziu o cenho - Não por enquanto... E quando eu conseguir, você não precisa agir dessa maneira. Se eu sou a herdeira como você diz, eu darei um jeito de mudar isso. Eu não quero brigar. E sei que no fundo você também não. 

 Jin analisava cada palavra que eu dizia. Vi em seus olhos uma pequena fagulha de esperança e compaixão. Ele não era de todo mal, certo? Eu não queria acreditar nisso. Quando abri minha boca para continuar, seu rosto se contorceu em puro ódio, e em um movimento súbito ele se levantou. 

 - Você não sabe nada sobre mim! Não finja que é o que não é! Você e seu pai são iguais. E isso nunca vai mudar. Então eu terei que mudar por mim mesmo. - ele se virou na direção da porta. -  Eu tentei ser legal, mas você não quis me ouvir. Então espere pelo pior, Yun Ja Eun. 

 Jin fechou a porta num estrondo me assustando. Em seguida soltei a respiração que nem havia notado que prendia, e escorreguei no sofá. O alívio me consumia, e eu agora suava debaixo de meu casaco. 

 - Okay, isso foi bem louco. 

 - Quem estava aí? - Hae Soo apareceu por trás de mim na porta do nosso quarto. 

 - Era... Seokjin. - eu agora olhava para o chão. 

 - O cara mau?? O que ele queria? 

 - Me ameaçar... - eu agora tinha que fazer uma escolha. - Hae Soo, eu vou pedir demissão. 

 - O QUE? Ficou maluca? - ela me olhava incrédula se movendo devagar pela sala. 

 - Minha vida nunca mais vai ser a mesma. Eu não sou mais a mesma... Vou agora à empresa, entregarei o trabalho da semana pronto, e pedirei demissão. 

 - E como iremos nos manter?? Eun, ainda temos uma vida aqui, esqueceu? 

 - Eu tenho economias no banco. Aquela para a viagem de férias... Da pra segurar. Mas Soo, entenda. Se tudo isso tomar o caminho que acho que vai tomar, é provável que eu não continue nesse mundo. 

 - Amiga... Não diga isso. Não quero que vá. - Hae Soo veio em minha direção me abraçando. - O que vai ser de mim sem você aqui? 

 Meu peito doeu só de pensar em ter que ir embora. Mas pelo visto, ficar não era mais uma opção.  


Notas Finais


E foi isso! Desculpem pelo capítulo pequeno, mas consegui mostrar o que queria nele. O próximo será do ponto de vista do Jimin! Até amanhã 💗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...