História Save Me - Jikook (Em correção) - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Hard Lemon, Jikook, Jimin Ativo, Jimin Supremo, Jimin Top, Jungkook Passivo, Jungkook! Bottom, Kookmin, Lemon, Romance, Slice Of Life, Smut, Taeseok, Vhope, Yaoi
Visualizações 2.153
Palavras 1.861
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fluffy, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OI NEGADA-SAAAAAN!
Como prometido, aqui estou eu postando essa att. Lembrando q o capítulo está menor q o normal pq ele faz parte de um só q foi dividido em partes! E aliás, terá o Uma Boa Pessoa Pt.3, q é o fim da sequência (N O FIM DA HISTÓRIA). Então, as coisas estão começando a se esclarecer, no próximo capítulo vão se esclarecer bem mais. Kkkkkkkk e tb vou dar uma surpresinha docinha pra vcs. Espero q gostem de fic sabor limão...🌚🌚🌚👌👌👌sei q gostam.
Boa leitura🌈❤

Capítulo 29 - Uma Boa Pessoa Pt.2


        Jungkook(?)’s P.O.V

Naquela noite eu senti medo de Jimin, vê-lo em tal estado me fez estremecer de medo por alguns instantes. Contudo, o que eu vi naquele beco não foi nenhum monstro como a maioria das pessoas provavelmente pensaria, na verdade, Jimin não poderia ter sido mais humano do que foi.

De primeira, só pude enxergar o ódio e a raiva de Jimin, apenas quando ele se virou para mim que fui capaz de ver o desespero, a vergonha e a necessidade de ser perdoado. Então eu menti, disse para ele que não tinha visto nada, pensei que dessa maneira Jimin não se sentiria mal por mim, porém ele soube da mentira no exato momento que eu a contei, seu rosto dizia para mim que sabia.

O caminho de volta para casa foi tenso, nenhum de nós dois quis falar. Estávamos passando por mais uma daquelas situações bizarras quando o silêncio incomoda e ao mesmo tempo conforta, em outras palavras, escolhemos o silêncio por falta de opção melhor.

- Quero tomar um banho, você… você quer vir comigo? - Eu perguntei baixinho à Jimin assim que adentramos o quarto cujo a luz permanecia apagada, deixando um clima sombrio pairar confusamente pelo ar.

Seus olhos cansados fitaram os meus, esses mesmos preocupados e naquela cena dramática continuamos imóveis ao admirar um ao outro.

- Por que? - Jimin pronunciou-o de tal forma que esse único “por que” poderia soar como inúmeros diferentes significados, demandando inúmeras diferentes respostas.

Pensei bem na minha escolha de palavras antes de o responder, afinal eu não sabia o que ele queria escutar. Respirei fundo e optei por lhe devolver uma resposta puramente sincera quanto aos meus próprios sentimentos.

- Porque eu quero te dar um pouco de carinho. - Apertei minhas mão juntas, entrelaçando meus dedos um no outro por nervosismo, contudo não me permiti desviar os olhos dos de Jimin por nada.

- Por que? - De novo ele veio com a mesma pergunta, usando o mesmo tom e me inquietando da mesma maneira.

- Porque eu te amo. - Respondi sem dúvidas ou hesitações, aquilo era a maior certeza que eu tinha sobre mim naqueles últimos tempos.

Meus sentimentos por Jimin pareciam ser a única coisa clara na minha vida, também pareciam ser só o que eu precisava e o resto poderia ser deixado para trás.

- Não diga isso com tanta confiança. Você nem sabe quem você é, como pode ter certeza do que sente? - Jimin estava claramente frustrado.

- Não precisamos continuar com isso. - Continuei a falar, agora era possível escutar o tremor e o nervosismo em minha voz. - Quem eu já fui não é mais importante, eu ainda sou eu e tudo que preciso é de você. Eu tenho você do meu lado, Jimin, não preciso de nada mais.

- Mas eu preciso. - Ele disse sentando-se na cama e olhando para o chão em seguida.

Eu resolvi que não iria o perturbar mais, talvez eu não tivesse o direito de dizer que o amava e nem sabia disso. Com a cabeça atolada desses tipos de pensamentos, deixei Jimin no quarto e me dirigi ao banheiro, fechando a porta sem trancar. Me despi com a vontade de um cadáver e entrei no box que ficava do lado contrário da banheira.

Liguei o chuveiro e a água começou a escorrer, porém ela não lavava-me tão profundamente quanto eu desejava. Meus músculos relaxavam-se com o calor, meu corpo se livrava da sujeira e enquanto isso meu coração permanecia uma bagunça, não havia jeito de lavar o medo para fora dele.

De repente me assusto com o som da porta do banheiro se abrindo, o vidro do box estava todo embaçado, apenas pude enxergar o contorno de um aparente Jimin nu se aproximando. Logo ele entra pelo box sem mais nem menos, fazendo aquele espaço parecer pequeno e colando nossos corpos juntos. Eu estava para dizer algo, quando ele me interrompeu com um abraço carinhoso, desisti de falar qualquer coisa e somente retribui o abraço, enterrando meu rosto no pescoço dele.


Narrador P.O.V

Na noite passada tudo que Jimin queria de Jungkook era que estivesse próximo, não estava querendo nada mais do que um abraço do rapaz pela primeira vez desde muito tempo. Mesmo nus, molhados e colados um no outro, Jimin não conseguia se sentir excitado naquele momento, sentiu-se estranho por isso. Dentro de seu peito sentia um desejo lhe bagunçar a alma, porém, era um tipo diferente de desejo, não sabia o que era, entretanto aquilo lhe fazia sentir-se como se fosse uma boa pessoa no fundo.

Jungkook adormeceu tão fácil em seus braços depois. Jimin não teve essa mesma facilidade, passou quase a noite inteira acordado, assistindo o mais novo fazer caretas devido aos pesadelos que obviamente estavam o perturbando. O sol não estava nem perto de dar sinal de vida ainda quando Jimin perdeu a paciência com sua própria mente, não suportava mais ficar um segundo parado. As perguntas em sua cabeça não o deixavam em paz, bastava que ele fechasse os olhos para que voltasse a ouvir a voz daquele homem no beco dizendo coisas sem nexo. Jimin tentava a todo custo juntar as peças, entretanto nada lhe parecia encaixar naquela história.

Com muito cuidado para não acordar o rapaz que dormia, o mais velho levantou-se da cama e pôs-se a escolher alguma roupa para vestir, tudo sem fazer um mínimo barulho. Ele voltaria para aquela boate e teria mais respostas, não importando o como faria isso, coisa que já lhe desmanchava a sensação de ser uma boa pessoa.

Parou em frente ao beco sujo e escuro que há poucas horas atrás esteve espancando um homem por informações, faria tudo de novo se fosse preciso, nada iria lhe impedir de conseguir o que queria. Adentrou o lugar barulhento que cheirava a sexo, bebida e drogas já sentindo nojo de tudo e de todos que ali se encontravam. Era impossível que uma criança feito Jungkook frequentasse um local desses.

- Com licença, você sabe onde posso encontrar a pessoa responsável por essa boate? - Jimin perguntou à um dos seguranças.

- Quer falar com o Sr. Guilty? - Respondeu com outra pergunta.

- Sim, se ele for o dono deste lugar. - Disse seriamente, Jimin passava uma imagem elegante e refinada para qualquer um que lhe olhasse.

- Me siga. - O segurança foi breve.

Jimin seguiu o homem alto e forte até uma porta em um canto mais afastado do recinto, longe do barulho e da movimentação. O segurança bateu na porta e alguns segundos após ela se abriu bruscamente, revelando um homem baixinho, velho e de cabelos grisalhos vestido em um terno não tão caro.

- O que foi?! - O velho disse rispidamente, ajeitando um botão desabotoado na sua camisa social amassada.

- Este homem deseja conversar com o senhor. - O segurança respondeu pacientemente, virando-se de lado para que o velho pudesse ver Jimin atrás dele.

- Você não seria Park Jimin? - Disse o senhor grisalho com olhos arregalados em surpresa.

- O próprio. - Respondeu sem esboçar um mínimo sorriso.

Logo, o velho olhou para trás, dentro de sua sala e passou as mãos pelos cabelos secos.

- Vadia, a gente continua depois. - Disse para uma stripper que simplesmente levantou-se de onde estava e saiu pela porta, dando uma boa encarada maliciosa para Jimin que simplesmente a ignorou. - Sr. Park, pode entrar, sinta-se à vontade.

Assim que ambos estavam sozinhos na sala, Sr. Guilty sentou-se na cadeira atrás de sua mesa e Jimin permaneceu de pé, mesmo depois de ser convidado a sentar-se pelo mais velho.

- O que um playboy milionário veio fazer na minha boate? - Sr. Guilty indagou. Seus pés estavam jogados sobre a mesa, algo que Jimin encarou como uma forma ridícula de exibicionismo. Aquela sala não tinha nem metade do luxo que o banheiro do seu escritório tinha, simples assim.

- Eu vim por informação. - Disse o mais novo com calma, sem quebrar o contato visual com o velho a sua frente, demonstrando tremenda confiança. Jimin era de fato intimidador.

- Até mesmo informação tem preço… Não que isso seja um problema para você. - O velho coçou a própria nuca, sorrindo como quem acabou de ganhar na loteria.

- Não sou idiota. - Jimin tirou um bolo de dinheiro do bolso do seu paletó e o mostrou, fazendo o sorriso de Sr. Guilty alargar-se. -

- O que você quer saber? - Perguntou o homem ajeitando-se apropriadamente na cadeira.

- Min Yoongi. Esse nome te lembra alguma coisa? - Sua voz soou mais grave que o habitual.

A face de Sr. Guilty tornou-se surpresa, logo após apoiou o próprio queixo em uma das mãos como quem está pensativo.

- Hum, esse nome não me é estranho. - Fez uma pausa e segundos depois estalou os dedos no ar ligeiramente. - Mas é claro! Min Yoongi era um pirralho que trabalhou aqui por um tempo há uns anos atrás, não me lembro exatamente quando.

- E-ele trabalhou aqui? - Jimin engoliu em seco, sua testa se franziu e seu maxilar tensionou-se. - Então ele era stripper? - Quase engasgou ao pronunciar a palavra “stripper”.

- Não, o garoto foi nosso DJ por alguns meses. - O velho respondeu dando de ombros.

Naquele exato instante Jimin queria urrar em comemoração e quebrar alguma coisa tacando-a contra a parede. O alívio foi tão imenso que não haveriam palavras boas o suficiente para descrevê-lo, porém ainda havia muito para entender naquela história e Jimin precisava manter o foco. Esfregou o rosto com as duas mãos e respirou fundo.

- Ele claramente não trabalha mais aqui, o que houve? - Jimin perguntou, ocultando seu desespero por baixo de uma feição dura e ameaçadora.

- Na verdade eu não sei exatamente o que houve. - Respondeu com descaso. - Ele estava tendo um caso com um cliente aqui da boate até onde eu sei, pouco depois ele sumiu. Sabe, ele não deveria ter se envolvido com um traficante, mas o loirinho não perdia uma chance. - Sr. Guilty soltou uma gargalhada alta.

- Espera, você disse loiro? - Jimin se aproximou do velho, apoiando suas duas mãos sobre a mesa entre ambos.

- Sim, ele vivia pintando o cabelo de rosa e outras mil cores, mas da última vez que nos vimos ele estava loiro. - O velho deitou as costas na cadeira e olhou para Jimin com a cabeça um tanto tombada para o lado, como se tentasse entender o que ele queria. - Olha, não vou dizer mais nada se não me entregar o dinheiro antes.

Jimin jogou o bolo de dinheiro em cima da mesa com desprezo pelo velho e então o encarou nos olhos.

- Preciso que me responda uma última coisa. - Afirmou. Sr. Guilty então assentiu com a cabeça em resposta. - Esse é Min Yoongi? - Jimin mostrou a tela de seu celular ao velho.

- Não, não. Esse não é o Yoongi, mas eu conheço esse rapaz. - Tomou um tempo para pensar e novamente estalando os dedos no ar pareceu recordar-se. - Jungkook! Isso mesmo, Jeon Jungkook. Como fui quase me esquecer dele? Os pirralhos moravam juntos, Yoongi sempre chegava aqui com ele do lado e era a mesma novela toda a vez. O rapaz se recusava a ir embora até Min Yoongi o expulsar.





Notas Finais


ENTAUM? TÃO UM POUCO MAIS ALIVIADAS? TÃO MORRENDO? TÃO GRITANDO? TÃO QUERENDO MAIS? AS TEORIAS ESTÃO BATENDO?🌈❤🌈❤😂😂😂
Logo logo eu posto mais gente, aaaaaaaaai Jinsuiiiis, essa fic tá quase nos seus finalmentes. Não vou mentir, acho q em cerca de três capítulos ela vai chegar ao final🌈❤ Mds galeran!
Ah, eu quase forgot de dizer q eu queria fazer algo especial para quando chegar nos 500favs. Eu pensei q vcs poderiam me fazer perguntas (todo tipo de q vcs quiserem saber sobre mim) e eu vou responder na maior sinceridaden aqui. O q vcs acham? Se quiserem podem sugerir outras coisas🌈❤
BJOS NAS BUSANFAS E ATÉ LOGUIN👌

Sigam-me nas redes sociais:

Twitter: @DiwaModeOn

Snapchat: laysedb

Facebook: @diwamodeon

Instagram: @diwamodeon


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...