História Save Me (Taekook) ABO - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Abo, Bts, Jungkook, Shortfic, Taehyung, Taekook, Vkook
Visualizações 461
Palavras 1.563
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi gente!

Muito obrigada pelos comentários e favoritos, fiquei realmente feliz! Bom, como prometido, aqui está mais um capítulo.

Espero que gostem!

Capítulo 3 - Esperança


Fanfic / Fanfiction Save Me (Taekook) ABO - Capítulo 3 - Esperança

Eu estava na área reservada aos funcionários, no fim da loja. Troquei as roupas do café para as que usei durante a manhã e peguei meus poucos pertences novamente. O alfa de antes, Jeongguk, disse que iria me aguardar na porta dos fundos, por onde saio. Ainda não acredito que ele ficou me esperando esse tempo todo.... Eu nem vou poder ir para outro local além de casa.

Fui em direção a saída traseira do café e quando abri a porta vi Jeongguk escorado na parede em frente. Assim que me viu ele lançou um sorriso em minha direção, retribuí sorrindo levemente para o mesmo.

–– Obrigado por esperar, mas por que isso? – Perguntei enquanto fechava a porta atrás de mim.

–– Apenas queria falar mais com você! Quer ir em algum lugar?

–– Eu não posso.... Tenho que ir direto para casa.

Novamente, antes que ele pudesse responder algo, minha marca começou a arder fortemente. Fechei os olhos com força, tentando me concentrar em outra coisa que não fosse a dor. Coloquei a mão por cima da marca num gesto automático de proteção, embora inútil. Isso não passou despercebido pelo alfa a minha frente, infelizmente.

–– Tem certeza? Eu acho que seu alfa não vai se importar...

–– Bom... – Pensei durante alguns segundos na probabilidade de Jaebum estar em casa e se voltaria para a mesma ainda hoje – Acho que posso ir. É improvável que ele volte para casa hoje...

–– Eu vou te levar para um lugar legal. – Ele sorriu, mas notei pelo seu olhar que ele estava incomodado com a situação e queria claramente falar sobre o meu “alfa traidor”. Ele respeitou minha privacidade, fico grato por isso.

Começamos a andar lado a lado na rua em uma conversa animada. Ele me levou até o outro lado do café, onde ele tinha um carro estacionado. Ele abriu a porta para mim e eu entrei no mesmo, agradecendo seu ato simpático.

Quando deu a volta no carro e sentou-se ao meu lado, reparei que ele fechou os olhos por breves instantes, concentrado. Ele parecia tentar controlar-se de algo, se eu fosse chutar diria ser meu cheiro. Eu não consigo sentir nada pelo cheiro dele, apenas acho-o normal por conta da marca. Ele consegue sentir meu cheiro, assim como deve conseguir sentir um pouco do cheiro de Jaebum em mim por ser meu alfa. A marca me impossibilita de sentir seu cheiro verdadeiramente e ser afetado por este. É uma pena, eu realmente gostaria de saber que cheiro Jeongguk deve ter...

Após aparentemente conseguir concentrar-se o suficiente para ignorar meu aroma, ligou o carro e começou a conversar animadamente comigo mais uma vez. Eu observava pela janela o trajeto. A escuridão junto de algumas estrelas cobria o céu, e era possível ver várias luzes dos postes espalhados pela rua. Apesar de estar confortável no carro, sabia que a temperatura lá fora estava fria. Ainda bem que vim bem vestido para o frio hoje de manhã, pensei.

Quando o carro parou, Jeongguk rapidamente desceu do mesmo enquanto eu retirava o cinto de segurança. Olhei para a janela do carro e vi o alfa ao meu lado, abrindo a porta para mim. Não consegui evitar sorrir um pouco com seu gesto, ele parece ter modos e ser alguém simpático. Agradeci novamente e saí do carro, no qual ele fechou a porta e trancou o veículo em seguida.

–– Você vai gostar, aqui é bem bonito. Eu gosto de vir aqui de vez em quando. – Ele disse enquanto caminhava ao meu lado em uma praça com pouca iluminação e movimento de pessoas.

Caminhávamos lado a lado numa trilha que havia ali, rodeados por árvores e algumas flores. Andando um pouco mais, chegamos em um banco rodeado de flores maravilhosas. Era um local bem colorido devido a diversidade de flores presentes. Mais à frente era possível ver grades feitas por madeira, que impediam as pessoas de caírem. Chegando perto, vi que havia um lago enorme no local, deixando-o ainda mais belo. A luz provinda da lua contribuía para deixar o local ainda mais mágico, visto que havia pouca iluminação de postes na área. Eu estava maravilhado com a beleza do local, poderia dizer que meus olhos estavam brilhando – e talvez realmente estivessem – pois Jeongguk olhava para mim com um sorriso bobo no rosto, observando cada reação minha.

–– Aqui é lindo... – Comentei ainda atônito com a beleza do lugar.

–– Sim, muito lindo. – Ele disse com um sorriso bobo, me deixando incerto se ele realmente estava falando sobre o local em que estávamos.

Ficamos sentados no banco que havia ali, em um silêncio confortável. Ficamos assim por alguns minutos, apenas curtindo o clima agradável que o local em si emanava.

–– Posso ir te ver no café mais vezes? – Ele perguntou, quebrando o silêncio.

–– Sim.... Acho que somos amigos agora, certo?

–– Sim... – Ele não parecia muito feliz com isso.

–– Você tem um ômega? – Perguntei curioso.

–– Um ômega? – Ele riu soprado – Mais ou menos, eu acho.

–– Entendo. Ele não vai ficar meio chateado por você estar aqui comigo? – Perguntei receoso, não queria causar algum mal-entendido entre ele e seu ômega.

–– Não, ele está aqui comigo nesse momento. – Sorriu.

–– O que?

–– Você sabia que os instintos dos alfas escolhem o seu par ideal? Aquele a quem o alfa vai ser eternamente fiel. – Ele disse, repentinamente.

–– Não.... Acho que já ouvi falar, mas não entendo muito bem isso.

–– Eu vou te explicar. – Virou-se no banco em minha direção, olhando melhor meu rosto – Todos os alfas possuem instintos, certo? Como saber se uma pessoa está mentindo, se está escondendo algo, se está nervosa, chateada, feliz, enfim. – Assenti – Entre tantos instintos que possuímos, um deles nos mostra a pessoa a qual estamos destinados. É como se mesmo sem a marca, já pertencêssemos aquele ser que nosso instinto marcou e declarou como nosso dono. – Ele me olhou com um sorriso bobo – Quando os instintos de um alfa avisam que aquela é a pessoa, você não tem o que fazer. É uma questão de tempo até você estar completamente apaixonada e entregue a esse ser. Nosso objetivo é conquistar essa pessoa e fazê-la nos amar também, visto que diferente de nós elas podem perfeitamente ter e pertencer a outra pessoa. Alfas nunca serão verdadeiramente felizes ao lado de qualquer pessoa se não aquela a quem os instintos escolheu.

–– Nossa... – Comentei surpreso com tanta informação – Isso deve ser difícil para vocês. Seus instintos já escolheram alguém?

–– Já.... Hoje mesmo. – Sorriu.

–– Hoje? Enquanto você estava no café? – Perguntei curioso.

–– Sim. É o chamado “amor à primeira vista”. – Riu.

–– Wow, você foi falar com essa pessoa?

–– Sim, estou aproveitando a luz do luar em um local muito bonito neste momento com ela. – Sorriu bobo em minha direção.

O que?

Mas eu não posso.... Ele nunca seria feliz ao meu lado. Jaebum jamais permitiria isso. Isso me fez pensar.... Será que Jaebum já encontrou alguém que ativou seus instintos também? Se sim, o que ele faria? Como eu ia ficar? Eu quero me ver livre dele, mas e se ele quisesse me matar apenas para retirar a marca e assim marcar seu verdadeiro ômega? Isso me deixa assustado...

–– Mas eu já sou marcado.... Eu não posso te fazer feliz. – Respondi.

–– Eu sei, mas você pode sim me fazer feliz. – Ele pareceu ponderar suas palavras, até que se pronunciou novamente – Eu percebi que você não quer falar disso, mas por favor, se seu alfa te trai, por que você não faz o mesmo? Por que está com ele?

Engoli em seco. O que eu vou dizer? Ele disse que seus instintos me escolheram.... Eu sou dono do coração dele? Algo assim? Então ele não iria me fazer algo ruim, certo? Acho que posso confiar nele, talvez...

–– Se eu fizer o mesmo, ele saberia. Se ele souber que o traí, me espancaria até a morte ou quase isso. Nem quero imaginar o que iria me acontecer, sinceramente. Estou com ele porque sou um idiota. – Respondi ainda relutante.

Jeongguk me encarou por alguns segundos, provavelmente pensando sobre o que eu havia dito. Ele então aproximou-se e me abraçou, deixando-me sem reação devido ao gesto repentino.

–– Eu não deixaria ele te machucar. – Sussurrou – Eu prometo te proteger dele. – Disse por fim, determinado.

Eu não sei se foram as palavras que ele disse ou a convicção e determinação com que as disse, mas algo em mim se aqueceu. Como se eu finalmente pudesse chorar sem medo, porque finalmente haveria alguém ali comigo para me dar um ombro. Como se eu finalmente estivesse seguro, apenas com suas palavras. A certeza de que haveria alguém tomando conta de mim me fazia relaxar como há muito tempo não o fazia. Eu deveria ter medo e desconfiar dele, mas algo em mim me dizia que este alfa não estava mentindo ou brincando comigo, como Jaebum fizera. Eu sabia que poderia confiar nele. Eu vou confiar nele.

Então, comecei a contar minha história para Jeongguk. Sobre como conheci Jaebum e o porquê de eu ser marcado por ele. Como eu vivo atualmente e o que sofro em suas mãos, assim como tem sido há quase três anos. A cada palavra que eu dizia, Jeongguk parecia querer sair correndo dali e voar no pescoço do alfa que me fez isso, e apesar de esse tipo de reação ser algo que me causaria medo, eu estava feliz. Me sentia finalmente seguro. A esperança que me impedia de cair, cresceu.


Notas Finais


Desculpem pelo capítulo ser mais curtinho hoje!

Espero que tenham gostado. Amanhã tem mais ♡

Beijos da Tatty ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...