História SAVE ME (Vkook - 2 temp.) - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Hoseok, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Namjin, Namjoon, Rap Monster, Seokjin, Suga, Taehyung, Taekook, Vkook, Yoongi, Yoonmin
Exibições 281
Palavras 1.085
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 12 - 12. recomeço


— Tem certeza que está pronto para vê-lo Tae? — Tia Jess me olhou ansiosa.

— Sim, estou, mas como é que ele está? — Deixo meu casaco pendurado atrás da porta. — Alguma melhora?

— Ah, sim, ele passou a se lembrar de algumas coisas, Kelsey ligou para ele ontem à noite, ela vai passar o fim de semana com o pai — disse sorrindo e me abraçando rapidamente. — E você, como está querido?

— Bom, estou indo do jeito que dá — crispo os lábios, tornando-os uma linha fina.

Ela me encarou por uns instantes e sorriu outra vez, bagunçando meu cabelo.

— Leve isto para ele, sim?

Se virou para pegar algo, que descobri ser um copinho com pílulas e outro maior com água. Subi as escadas devagar, finalmente depois de todo esse tempo iríamos conversar em paz. Bati de leve e ouvi um "entre" fraco, abri a porta dando de cara com Jungkook de costas para mim enquanto encarava a janela.

— Jungkook — o chamei sentindo minhas mãos tremerem levemente e o coração acelerar.

Ele se virou sorrindo, como era bom ver aquele sorriso outra vez.

— Você! — Se aproximou e tomou de minhas mãos os remédios. — Obrigado.

— Como você está Jeon? — Fecho a porta atrás de mim.

Ele se sentou na cama e trouxe os joelhos para perto do peito, inclinando a cabeça para o lado levemente.

— Eu me lembro de você, Taehyung, não é? Somos primos, de consideração digo, você é adotado — bateu a mão ao seu lado para que eu me senta-se. — Sonhei com isso esta noite.

E com isso eu ganhei o meu dia, ele estava se lembrando.

— É... Sim, você está certo — me sento ao seu lado, pegando o seu caderno de desenho que estava ali próximo aberto no desenho da borboleta que estava recriando no outro dia. — Ficou lindo.

— Aquele dia... Você me perguntou por que eu estava desenhando isso de novo, eu já tinha desenhado isso antes? — Apontou para o desenho curioso. Bom, se eu tivesse perdido a memória também iria querer saber.

— É, você desenhou isso para mim, disse para que eu guardasse com segurança.

— E você guardou?

— Guardei.

Jungkook ficou me encarando por um tempo até que se lembrou de tomar os remédios.

— Um tal de Yoongi veio aqui mais cedo — murmurou voltando a se sentar.

— Sério?

— Sim, nós conversamos, ele é bem legal. E um tal de Jimin veio ontem, ele é muito animado, não é? — Passou as mãos pelo cabelo. — Não conseguia ficar sem se mexer um segundo sequer — e riu alto.

— Você quer sair um pouco? Quero te levar a um lugar — deixei seu caderno encima do criado-mudo.

— Bom, se a minha mãe deixar, ela anda bem grudenta nesses últimos dias — balançou os pés feito uma criança, tão fofo.

Depois de muita lábia e algumas expressões desconfiadas ela cedeu, o que me rendeu muitas recomendações e cuidados que deveria tomar. Humpf, como se alguma das vezes em que saímos juntos eu não cuidasse dele. Mandei uma mensagem para os meninos e saímos de casa.

Andamos por alguns quarteirões até chegar onde ele costumava se encontrar com os outros para pichar paredes. Quando chegamos todos já estavam lá, Hoseok e Yoongi disputavam uma partida de basquete enquanto Jimin gritava palavras de encorajamento para o namorado, causando uma careta em Hoseok, que achava que Jimin o estava o azarando. Jin e Namjoon conversavam sentados no sofá velho.

— Tae! — Ouvi Jimin gritar e toda a atenção foi voltada para nós. — E Jungkook?

— Oi — Jungkook falou assim que nos aproximamos deles.

— Como você está Jeon? — Jin se levantou para examina-lo de perto. — Sente algo? Alguma dor? Taehyung encheu o seu saco? Às vezes ele pode ser bem chato, sabe?

Fiz uma careta para o Jin.

— Ya! Não queime o meu filme! — O cutuquei levemente no peito.

— Eu estou bem — Jungkook riu achando graça nas palavras de Jin. — Eu me lembro de você, Seokjin, nos conhecemos quando nos esbarramos em um corredor da universidade e você quase me matou por ter derrubado seus papéis. Já você... — se virou para o Hoseok. — Não me lembro de você.

Percebi que o Hoseok se esforçou para não deixar o sorriso morrer ali mesmo, na cara dura. Jungkook olhou em volta, parando seu olhar no grafite que havia feito de mim.

— Se lembra daqui Jungkook? — Jimin perguntou.

— É... Me lembro de algumas coisas.

Seus olhos brilharam e ele se aproximou parecendo curioso, então levou a mão a cabeça e arfou, fechando os olhos com força.

— Jungkook? — Perguntei preocupado.

— Taehyung... — murmurou devagar, passando a mão pelo desenho. — Eu era malvado com você quando éramos menores. Você veio morar conosco pois seu pais iriam viajar... Mas então o seu pai faleceu e você voltou para casa, e nós brigamos, mas não me lembro o por quê.

Todos nós o olhávamos boquiabertos e confusos. Pisco devagar, tentando digerir o que havia acontecido.

— É, você está certo, sobre tudo — digo quando ele volta a me encarar.

— Isso doeu um pouco — ele riu esfregando a cabeça. — Mas então, o que vocês fazem para se divertir? Aqui está ficando tedioso — um bico se formou em seus lábios.

— Nós podemos ir no Coffe Club comer alguma coisa — Namjoon se manifestou quando percebeu que ninguém iria dizer nada.

— Me parece uma boa ideia — Jeon sorriu.

[...]

— Você se divertiu? — Perguntei enquanto voltávamos para a sua casa.

— Sim — ele chutou uma pedrinha que estava no caminho. — Eles são legais, não me espanta saber que éramos amigos.

— É, eles são legais, mas também são muito mais que isso, eles são a nossa segunda família — digo o olhando nos olhos. — Nós contamos tudo uns aos outros, tudo, nós confiamos uns nos outros de olhos fechados. Sempre.

Ele ficou calado por uns instantes encarando o chão e parecendo pensativo.

— Eu tento, sabe? — Diz baixinho, como se me confessasse um segredo. — Tento me lembrar, mas não consigo, me deixa um pouco chateado. Sonho com lembranças aleatórias todas as noites e isso me frustra às vezes.

Passo o braço por seu ombro, o abraçando.

— Eu sei que está sendo difícil para você, mas saiba que estamos aqui, principalmente eu. Pode contar comigo para tudo. Não se cobre tanto Jungkook, tudo tem a sua hora, até para se lembrar das coisas.

— Você tem razão — me apertou contra seu corpo por conta do frio. — Vou tentar não me cobrar muito.

— É assim que se fala — rio bagunçando seus cabelos. — Vamos andar mais rápido, antes que a tia Jess tenha um ataque do coração por você não estar em casa a essa hora, já escureceu faz tempo.


Notas Finais


esse capítulo era para ter saído antes, mas tive alguns imprevistos, então vou postar outro amanhã

bjus


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...