História SAVE ME (Vkook - 2 temp.) - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Hoseok, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Namjin, Namjoon, Rap Monster, Seokjin, Suga, Taehyung, Taekook, Vkook, Yoongi, Yoonmin
Exibições 274
Palavras 1.457
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 15 - 14. lembranças


Estava assistindo um filme de terror na Netiflix enrolado em alguns milhões de edredons pelo frio que fazia, eram três da madrugada daquele mesmo dia e chovia forte contra a janela, eu tremia de medo. Estava tentando esquecer a lembrança do beijo do Jeon na noite passada de qualquer jeito, até que para isso tivesse que assistir a um filme de terror e morrer de medo por dentro.

A campainha tocou na hora do clímax e eu pulei de susto, caindo da cama no chão duro e frio. Gemi. Que droga, quem é que estava a essa hora perturbando os outros?

Desci as escadas resmungando e xingando tudo e a todos a um raio de 5 quilômetros de distância. Abri a porta dando de cara com um Jungkook completamente encharcado e tremendo de frio, seus dentinhos de coelho mordiam o lábio inferior com força.

— Jungkook?

— Vai me convidar para entrar ou vai ficar me olhando feito um pateta e me deixar morrer no frio aqui fora? — Perguntou impaciente e eu o puxei para dentro ainda surpreso.

Fechei a porta o olhando confuso.

— O que você está fazendo aqui a essa hora? Está chovendo, e se pegasse uma... — fui interrompido por um espirro forte vindo dele — gripe. Vamos subir e trocar essa roupa molhada antes que...

— Taehyung — me interrompeu outra vez —, cale a boca.

O olhei ainda mais confuso, será que ele havia batido a cabeça em algum lugar?

Fiquei ainda mais confuso quando ele se jogou encima de mim, envolvendo seus braços em meu pescoço e beijando-me. Agora sim eu estava preocupado, o que tinha dado nele?

O afastei com os olhos arregalados em surpresa.

— Eu me lembrei Tae, eu me lembrei de você, de nós — disse com um sorriso encorne no rosto.

A única reação que tive foi sorrir de volta e selar nossos lábios num ósculo repleto de desejo e sentimentos que eu vinha reprimindo a muito tempo. Sem me importar em ficar encharcado também puxei-o pelo cintura, colando nossos corpos. Senti sua língua acariciar a minha e então depositar pequenos selos por todo o meu rosto, conseguindo arrancar de mim uma risada.

— Eu senti tanta a sua falta — sorri beijado a ponta de seu nariz —, você não faz ideia.

Ouço outro espirro vindo dele e vejo suas bochechas se tornarem rubras, fungou.

— Vamos trocar todas essas roupas.

O puxei pela mão para o andar de cima e procurei mudas de roupas para nós dois, entregando-o uma delas, só o que eu não esperava era que ele começaria a trocar de roupa na minha frente.

Desviei o olhar para a tela do notebook, corando, voltei a me ajeitar debaixo das cobertas e abri um espaço para Jungkook deitar entre meus braços e foi isso o que fez depois de vestido.

Cheirei seu pescoço, como eu sentia a falta daquele perfume doce, eram tantas as emoções que se passavam por mim naquele momento que não seria possível expressar com palavras.

— Hyung, eu não quero assistir esse filme de terror! — Reclamou depois de um tempo.

— E o que você quer assistir Kookie? — Pausei o filme, o olhando.

— Nada, quero a atenção do meu namorado — disse com uma voz manhosa e fechou a tela do notebook, deixando-o encima de escrivaninha.

Vi seus olhos brilharem quando se sentou em meu colo pondo os joelhos um em cada lado do meu corpo. Senti minhas bochechas arderem quando ele começou uma longa rebolada naquele lugar, lá mesmo, bem encima.

— O que você...? Ah...! — Gemi fechando os olhos com força. — Jungkookie...!

— O que foi Tae hyung? — Abri os olhos, encarando aquela carinha de falsa inocência.

— N-não faça iss...! Ah — suspirei fechando os olhos outra vez.

Se o que Jungkook queria era me deixar louco, então estava conseguindo com êxito.

Seus lábios percorreram a pele do meu pescoço até alcançar minha orelha, passando a sussurrar coisas obscenas e deixar mordidas em meu lóbulo.

— Você gosta disso hyung? — Sussurrou outra vez, agora parando de se movimentar, para então agarrar a barra na minha camisa puxando-a para cima e a jogando em um lugar qualquer do quarto.

— O que você... Kookie! — Seus lábios hábeis começaram a descer pela extensão do meu abdômen.

— Eu só quero brincar um pouco — disse como se fosse a coisa mais óbvia do mundo.

E aquilo foi como a gota d'água para mim, pois agarrei seus pulsos e inverti as posições, me deixando por cima. O encarei mordendo os lábios em expectativa.

— Você quer brincar Kookie? — Passei a língua por sua clavícula assim que me livrei de sua camisa, arrancando dele um gemido arrastado. — Então vamos brincar.

Forcei meu quadril contra o seu, simulando estocadas enquanto mordia seu pescoço de leve. Passei as mãos por suas coxas definidas e apertei sua bunda, e que bunda. Enganchei meus dedos na barra da calça do pijama, o puxando para baixo junto à sua boxer sem enrolação e tendo a preciosa visão do corpo do Jeon completamente desnudo, e eu quase desmaiei de tesão ali mesmo. O ouvi gemer por se ver livre de todos aqueles tecidos e antes que sua mão encontrasse seu pênis completamente desperto segurei-o pelo pulso.

— Você não pode gemer alto Kookie, minha mãe está no quarto ao lado — digo iniciando uma movimentação lenta em seu membro com a mão livre. — Fique quieto.

Ele concordou com a cabeça arqueando as costas quando minha língua alcançou sua glande, para então descer por toda a sua extensão. Minha boca contornou seu pênis, descendo e subindo devagar para poder me deliciar com a expressão de Jungkook, ele revirava os olhos agarrando ora meus fios, ora meus ombros enquanto que mordia a outra mão procurando conter os gemidos que se tornavam cada vez mais intensos. Se ele continuasse daquele jeito daqui a pouco seriamos pegos, pus minha mão destra por cima da sua, assim abafando seus gemidos ainda mais.

Parei com os movimentos quando senti meus fios serem puxados com mais força, deixei minha boca de sua glande com um estalo alto, recebendo um gemido indignado de desaprovação vindo dele. Ri de sua expressão incrédula e lhe estendi dois dedos, que ele dispensou e começou a se preparar sozinho. Jungkook definitivamente queria me deixar louco. Quando toda a tensão de meu pênis preso pelo tecido da calça que pedia por atenção se tornou dolorosa me livrei de todos aqueles panos, suspirando alto em alívio e pela visão maravilhosa de um Jungkook se tocando e mordendo os lábios. Aquilo era um pedaço do paraíso na terra. Segurei seus pulsos outra vez assim que pus a camisinha, prendendo-os acima da cabeça. Me posicionei em sua entrada e alcancei seus lábios, beijando-os fortemente para tentar desviar sua atenção da dor que estava sentindo enquanto me afundava cada vez dentro dele.

— Hyung... — gemeu sôfrego.

— Shiii — deixei outro beijo em seus lábios —, vai passar, você vai ver. Confie em seu hyung.

Comecei a me movimentar devagar quando o Kookie se moveu a procura de mais contato, passando os braços por meu ombros. Nossos gemidos e suspiros se misturavam pelo cômodo silencioso e a todo o custo tentava contê-los de todas formas, mas que me parecia impossível, então só taquei o foda-se quando ouvi Jungkook deixar um grito escapar quando consegui roçar sua próstata. Prendi suas pernas envolta de minha cintura procurando conseguir ir mais fundo e passei a estoca-la com força e rapidez, vendo Jeon se contorcer debaixo de mim com o rosto rubro pelo esforço que fazíamos, eu não devia estar diferente. E pelos gemidos que soltava não estava longe de chegar lá, não deu outra, depois de mais algumas estocadas e algumas carícias em seu pênis até então negligenciado ele chegou antes de mim. Eu precisava muito gozar. Aumentei a força e depois de um chupão que recebi do Jeon na pele sensível do pescoço me desfiz, o corpo inteiro entrando em estado de puro êxtase.

— Porra Jungkook... — ofeguei recuperando o fôlego e saindo de dentro dele. — Você deixa louco sabia?

Ele riu baixo e selou seus lábios aos meus.

— Acho que precisamos de um banho — mordeu o meu lábio.

Vi sua pele brilhar pela camada de suor que o cobria e concordei.

— Pode ir indo na frente, eu vou trocar esse cobertor que sujou — rolei para o lado, tendo uma visão ampla da maravilhosa bunda do Jungkook e seu cabelo bagunçado em uma confusão pós-foda. Afundei meu rosto no travesseiro para tentar conter meu riso alto de felicidade.

Depois de termos tomado banho e trocar os lençóis da cama, estava começando a amanhecer. Aninhei o Jeon em meus braços quando uma corrente gelada do ar-condicionado que eu havia ligado percorreu o quarto.

Ter Jungkook entre meus braços enquanto o mesmo dormia era a melhor sensação que havia sentido em toda a minha vida.


Notas Finais


Olha eu aqui com um lemonzinho básico meia-boca.

É o segundo lemon que já fiz, deem um desconto ❤️ o primeiro que está na minha outra fic, Troublemaker, vão ler... ou não, aí fica no critério de cada um.

Mas o Kookie se lembrou do Tae, é o que importa não é?

Esse foi penúltimo capítulo, estou morrendo aqui 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...