História Saving You, Saving Me - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Hybrid, Jikook, Kookmin, Namjin, Yoonseok
Exibições 289
Palavras 1.321
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


GENTE CUMASSIM 70 PESSOINHAS FAVORITARAM MANO?
Eu juro que ainda morro do coração, THANK YOU SO MUCH PESSOINHAS! AMO VOCÊS!
Adivinha quem não sabe fazer lemon e está constrangida de estar postando isso? Eu mesma \o/
Enfim, espero que gostem, fiz essa limonada com carinho e amor ok?

Capítulo 5 - Protegendo


Pov’s Narrador

Yoongi era somente segurado pelas mãos quentes de Hoseok, senão certamente cairia. O menor foi levado ao quarto pelo maior, este não se importando em se molhar ou molhar a casa no processo. O híbrido em um ato impensado puxou o outro para um beijo afoito e cheio de sentimentos desconhecidos de ambos, o calor voltando a se fazer presente. O loiro se agarrou a camisa que o castanho usava tentando retirá-la, Hoseok ajudou o pequeno no ato e apertou as coxas pálidas daquele gato enquanto sua cauda se agitava em todas as direções, ansiosa.

Quando finalmente chegaram ao quarto, Hoseok jogou com cuidado Yoongi na cama não se importando em molhá-la partindo para mais um beijo. As garras do híbrido arranhavam o abdômen do maior causando uma dor prazerosa no mesmo. Mas não era ele quem necessitava de prazer naquele momento.

Atacou o mamilo esquerdo com a boca e massageava o direito com os dedos. Mordiscava, lambia, chupava, assoprava e retornava a fazer o mesmo, mas com o direito. Yoongi se contorcia de prazer e segurava os lençóis da cama com toda a força possível. Os gemidos que mais pareciam miados manhosos que escapavam da boca do pequeno aumentavam ainda mais o deleite de Hoseok, que também estava louco para dar e receber prazer com o híbrido.

Tão submisso, tão sensível, pensava Hoseok.

Yoongi não conseguia pensar e nem formular uma frase sequer, só queria sentir mais daquilo. E quando seu dono parou com o ato em seus mamilos, levantou-se da cama e pulou no colo de Hoseok, o que fez o mais baixo soltar um miado agudo e o outro gritar pelo susto e pelo prazer.

—Se-seokie...

—Yoonie, você está tão necessitado...

Hoseok mais uma vez deitou Yoongi na cama e, sem aviso algum, colocou o falo de Yoongi inteiro na boca. O híbrido mais uma vez soltou um miado agudo e puxou os fios de cabelo do maior pedindo por mais daquela sensação. Hoseok sugava a glande, arranhava a extensão com os dentes e engolia até a base, enquanto Yoongi apenas impulsionava seu quadril para frente e puxava os fios do couro cabeludo do mesmo.

E quando estava perto do ápice, Hoseok parou. Yoongi gemeu de frustração, mas foi surpreendido com um beijo calmo e lento. Sentimentos e sensações eram transmitidas e eles não precisavam de nada mais naquele momento. Foi quando Hoseok começou a penetrar o híbrido devagar.

Híbridos expeliam lubrificante natural, mas seria mentira dizer que aquilo não havia doído. Yoongi não estava acostumado com aquele volume membro de si e Hoseok limpava algumas gotículas de águas que caíram dos olhos do menor, tentando distraí-lo. Depois de algum tempo o garoto pálido tomou impulso e “cavalgou” no membro do maior, que impulsionava os movimentos com seu quadril e auxiliando o menor segurando em sua cintura.

Nenhum dos dois conseguia segurar os gemidos ou as sensações que sentiam. Nas estocadas finais Hoseok encontrou o ponto de prazer de Yoongi e este se desfez em um último miado, com as contrações das paredes internas e a pressão em seu membro fizeram Hoseok gozar logo depois.

Morrendo de cansaço, Yoongi desmaiou de sono. Hoseok sorriu com a cena e cobriu o pequeno com um lençol fino branco e dormiu ao lado do mesmo, sabendo que assim que o híbrido acordasse teria uma segunda rodada.

Afinal, ele ainda mais cinco dias de cio.

****-******

Enquanto isso, bem afastado do apartamento, Jungkook admirava Jimin, que olhava encantado para todas as lojas em que passavam. Já haviam comprado roupas, acessórios, sapatos e toucas (para esconder as orelhas). A única coisa que Jimin não queria de jeito nenhum era cuecas.

—Não vou usar isso, Kookie Hyung! Aperta a minha cauda!

—Mas Jiminnie, você não pode sair sem cuecas!

—Por favor, Kookie Hyung! Eu prometo não andar pelado pela casa e usar calças! — Fez sua melhor carinha de pidão e Jungkook cedeu.

—Aigoo, tudo bem Jimin! Mas terá que usar as calças! — Jimin sorriu fofo e deu um pequeno selar na bochecha de Jungkook, este sorriu.

—Tudo bem Kookie, agora vamos pra casa?

—Não — Jimin o encarou confuso e apertou sua mão. — Vamos a dois lugares. Um você vai gostar, e o outro vai adorar, vamos.

Jungkook guiava o menor por lojas e lojas, mas ainda não havia achado a que queria. Foi quando seu olhar focou no alvo.

—Jiminnie... Quanto de chocolate você aguenta comer?

Viu a feição de Jimin virar de confusa para extremamente feliz. Os olhinhos se tornaram riscos e um sorriso que o policial achava ser capaz de rasgar sua bochecha se risse ainda mais. A loja vendia todos os tipos de chocolate: Branco (o favorito de Jimin), preto, doce, ao leite, meio amargo, amargo (o favorito de Yoongi) e mais outras variedades.

—Kookie Hyung? Podemos comprar?

—Pegue o que quiser. E também vamos pegar mais alguns para levar para Yoongi e Hoseok. — Jimin concordou e pegaram várias caixas de chocolate. Saiu um pouco mais caro que Jungkook previra, mas não se importou e pagou tudo. O menor apressado e afobado como uma criança, não resistiu e abriu uma caixa pegando dois brigadeiros.

—Minnie, deveríamos comê-los em casa junto com os outros e — foi interrompido quando Jimin abriu sua boca e despejou um brigadeiro nela.

—Prometo que como só esse. O resto a gente divide em casa, certo?

Xertu! — Kookie falou com a boca cheia de brigadeiro e Jimin gargalhou do mais alto.

Aquele passeio seria perfeito. Se não fosse um empecilho.

Quando estavam voltando para casa, no meio do caminho Jimin pediu para Jungkook comprar sorvete para os dois. O mais alto assentiu se dirigindo ao senhor mais velho pedindo dois de morango e menta. Um ele iria entregar ao menor.

Mas somente as sacolas de compras estavam ali. Nenhum sinal do híbrido.

O policial percorreu o local inteiro e só parou perto de sua casa, em um beco escuro e fétido, de onde ouvia miados sôfregos e risadas maliciosas. Jimin estava ali.  

 —O gatinho está morrendo de medo, não está? Cadê seu dono que não vem resgatá-lo? — Um velho, gordo e careta estava molestando o menor que chorava chamando pelo nome de seu salvador. Jungkook não aguentou ver outra pessoa tocando em seu híbrido e chutou as costelas daquele ser asqueroso, que caiu se lamentando da dor.

—O dono dele está aqui, e nunca mais toque nele! Vem Minnie. — Jimin rapidamente pulou no colo de Jungkook chorando e agradecendo. Kookie limpava suas lágrimas e fazia carinho em seu cabelo confortando-o. — Vamos comer chocolate com o Yoongi e o Hoseok. Antes vamos ligar para a polícia e eles vão prender esse nojento. Agora precisamos pegar nossas compras de volta, certo? Ele não vai mais encostar um dedo em você.

—Kookie... Você é o meu dono?

Jungkook gelou com aquilo. Lógico que não era, Jimin era livre para fazer o que quiser.

—N-não, Minnie, e-eu — fora interrompido novamente por um Jimin lhe encarando sorridente.

—Você é sim meu dono! Você é diferente deles e eu gosto de ser o gatinho do Kookie, porque eu sei que ele não vai me machucar e vai sempre me defender, e eu darei amor e afeto ao meu dono Kookie!

Jungkook deu um suspiro (feliz?) e apertou ainda mais o pequeno em um abraço.

—Então eu sou o seu dono. E você é meu assim como eu sou seu, certo?

 —Certo!

E mais uma vez naquele dia, Jimin deu selinho em Jungkook. Mas dessa vez o moreno tomou uma atitude e não deixou o pequeno se afastar e eles permaneceram naquele selar demorado. Jimin sentia que o coração sairia pela boca não entendendo aquela sensação boa, e o maior novamente sentia as borboletas no estômago. Não queriam se afastar, mas estavam no meio da rua. Quando recomeçaram a andar, Jungkook fez uma pergunta mais direcionada para si próprio do que para o híbrido.

—Minnie, o que você está fazendo comigo, meu gatinho?


Notas Finais


Me desculpa se saiu (na minha opinião) uma bosta. Eu ainda tô aprendendo a arte da limonada, não me matem.
Beijos e até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...