História Savior - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Yuri!!! on Ice
Personagens Christophe Giacometti, Lee Seung Gil, Otabek Altin, Phichit Chulanont, Victor Nikiforov, Yuri Katsuki, Yuri Plisetsky
Visualizações 150
Palavras 2.453
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Leiam as notas finais.

Capítulo 3 - Somebody


Fanfic / Fanfiction Savior - Capítulo 3 - Somebody

Yuri pensou em desistir diversa vezes durante o dia, mesmo quando a floricultura fechou mais cedo e Yuko lhe intimou a aparecer a noite; sua mente divagava entre desistir e ficar em casa mais uma vez ou tentar se divertir ao menos um pouco.

Assim que chegou em seu apartamento seguiu para o banho que esperou durante todo o dia, se viu pensando novamente no estranho que o seguiu na noite anterior, quase podia jurar que seu perseguidor era o misterioso rapaz da cafeteria, porém sabia estar enganado, definitivamente não podia ser o albino. Por fim não demorou para que estivesse pronto,  ainda faltavam alguns minutos para o horário marcado, portanto o japonês apenas trancou tudo e seguiu para o lugar novamente.

Logo que se aproximou o som da música chegou aos seus ouvidos, uma pequena fila se formava do lado de fora, logo no início dela estava Yuko.

— Haa eu sabia que você viria! — Um sorriso tomou conta de seu rosto e a garota logo tratou de agarrar o amigo e arrasta-lo para a fila.

— Não se anime demais, não vou ficar muito tempo.

— Você diz isso porque não encontrou alguma garota interessante ainda, espere só, é questão de tempo. — Takeshi sorriu ao abraçar o amigo e a namorada. — Se anime Yuri, tenho certeza que vai gostar, esse lugar é incrível durante a noite. 

Mais alguns minutos na pequena fila se passaram e a entrada finalmente foi liberada, dois homens absurdamente altos cuidavam da entrada revistando cada um dos clientes, Yuri se sentiu extremamente desconfortável, mas nada que não fosse comum em uma revista. Ao adentrarem o local ficaram boquiabertos, definitivamente irreconhecível, até mesmo de uma forma estranha, as decorações rusticas do dia davam lugar para luzes e refletores modernos, ao lado do palco Otabek era o Dj da noite, Yurio observava tudo de seu lado com uma taça com algum tipo de liquido fluorescente, tudo era deslumbrante demais para Yuri acreditar que aquele era o mesmo local que havia lanchado mais cedo no mesmo dia. 

Como um lugar poderia mudar tanto em apenas uma tarde? 

Garçons passavam segurando bandejas cheias de drinks de diversas cores exóticas, a música penetrou os ossos de Yuri e em poucos minutos já se soltava, saboreando de algumas bebidas e até mesmo se atreveu a tentar dançar com Yuko e Takeshi. Yuri se sentia liberto. Decidiu então explorar mais do local, dar mais privacidade ao casal de amigos e quem sabe encontrar de fato uma garota interessante. 

Passou por algumas mesas e pôde observar alguns casais que trocavam beijos e mordidas, o japonês jurou ter visto algumas gotas de sangue escorrendo dos lábios de um dos rapazes, porém é claro que não passava de imaginação. Ao passar cada vez mais entre as pessoas tudo se parecia exótico, olhos que brilhavam, dentes longos demais, um cheiro metálico no ar, a música se elevou e alguém esbarou forte demais em Yuri quase o derrubando, não foi ao chão apenas por ter sido segurado e puxado contra a pessoa em questão, assim que olhou para cima viu que não passava de Victor, o rapaz que havia confundido com seu perseguidor mais cedo, Yuri corou e se recompôs tratando de pedir desculpas mas a única coisa que recebeu foi um sorriso, o albino tratou de passar por ele e continuar seu caminho, o moreno quase se sentiu decepcionado se não fosse pelo pequeno bilhete que percebeu ter sido colocado em seu bolso.

"Me encontre nos fundos em 15 minutos. Por favor."

Yuri não conseguiu imaginar um motivo sequer para aquele encontro, só a idéia de ir até o estranho lhe dava arrepios mas não podia negar que ao mesmo tempo se sentia curioso. Precisava de uma bebida ou não iria ter a coragem suficiente para ir, por fim quinze minutos e três drinks se passaram e Yuri se viu seguindo o mini mapa atrás do bilhete que dava as instruções para os fundos. Disfarçou o máximo que pôde, ao passar pelas pessoas viu Yuko e Takeshi ainda juntos, não iriam sentir sua falta tão cedo então apenas continuou andando até o corredor dos banheiros, a última porta a direita foi onde o japonês entrou e se viu em mais um corredor porém menor e com apenas uma porta dupla realmente grande, assim que empurrou a porta e entrou se viu nos fundos do lugar, o barulho da música era quase nulo, era um lugar grande onde tinham diversos caixotes, uma moto estava parada na lateral e provavelmente pertencia a Otabek, o céu acima estava estrelado e uma brisa gelada fazia Yuri se arrepiar, se sentiu ainda mais ansioso quando viu o rapaz albino sentado em um dos caixotes o observando com um sorriso tímido no rosto.

— Você veio, Yuri.

O albino se levantou e sorriu ao se aproximar de Yuri, os olhos brilhavam e por alguns segundos Yuri conseguiu apenas observar a beleza do outro.

— Eu...Hm...Não quero ser indelicado mas como sabe quem eu sou? E porque me chamou até aqui? E quem é você?

— Wow, uma pergunta de cada vez Honey! Eu sou Victor Nikiforov, sei quem você é pois estou apaixonado por você e lhe chamei pois devo um pedido de desculpas. — Um sorriso tão puro e sincero tomou conta dos lábios de Victor ao dizer aquelas coisas que Yuri só podia presumir que tudo não passava de uma piada, era a única explicação.

— Espere, você o que? Como pode falar todas essas coisas embaraçosas tão...tranquilo. E porque me deve desculpas? Nós nem nos conhecemos.

— Eu devo desculpas pelo outro dia, por mais estranho que pareça eu realmente não queria te assustar.

— Pelo outro dia? Não me lembro de ter visto você antes. — Yuri suspirou e passou a mão pelos cabelos, nada daquilo fazia sentido, Victor não dizia coisa com coisa e sua memória não lhe ajudava a descobrir qual seria o pedido de desculpas, afinal nunca havia visto Victor antes, saia de casa poucas vezes e com o últimos acontecimentos nunca iria se lembrar. Foi entre esses pensamentos que os flashs tomaram conta da mente de Yuri, é claro, como havia se esquecido? Victor era o homem que o seguiu! Seu coração acelerou e foi inevitável dar alguns passos para trás.  — Foi você! Você me seguiu, subiu daquela forma assustadora até a minha varanda, como...como aquilo era possível? Pôr que me seguir e agora vir atrás de mim?

— Eu não sei porque fiz aquilo, sempre te olhei de longe quando vinha passar um tempo com Yurio e Otabek, e naquele dia eu te vi sair e simplesmente te segui, queria saber mais sobre você mas acabei passando dos limites, as vezes eu me esqueço que para as pessoas comuns essas coisas são medonhas.

— Pessoas comuns ? Qual é o seu problema ? — Yuri estava pronto para se retirar do local, assustado e sem entender absolutamente nada.

— Não, não por favor, apenas escute o que eu tenho pra falar.

Com um suspiro Yuri retirou a mão da porta e voltou a olhar para Victor, não entendia o motivo mas simplesmente não conseguia dizer não para o albino que o olhava de uma forma tão tristonha e esperançosa.

— Eu quero te pedir desculpas desde aquele dia, não tive a intenção de te assustar, apenas queria me aproximar e não tive a menor coragem, então acabei agindo daquela forma estranha. Eu... gosto de você. —  Um rubor coloriu as maças do rosto do mais alto enquanto falava, estava sendo honesto em suas palavras e Yuri não fazia ideia de como agir.  

—  N-Nani? Não diga coisas assim, nem ao menos me conhece! Se o problema era esse então está desculpado, apenas não me siga mais. Eu preciso ir —  Yuri tratou de se virar em direção a porta e se assustou ao ver o albino bloqueando a passagem, quase caiu para trás e se pôs a olha diversas vezes do lugar onde ele se encontrava segundos atrás e para a porta.  — COMO FEZ ISSO?

—  Fique para me ver hoje, Por favor! —  O albino se curvou em uma reverencia desesperada como um pedido —  Prometo que não vai se arrepender. —  O albino se endireitou novamente lançando um sorriso doce a Yuri. 

Sem mais palavras o japonês tratou de abrir a porta e se retirar o mais rápido possível, seu coração batia rápido demais e sua mente trabalhava a ma velocidade absurda. 

 —  O que foi isso? —  Suspirou ao ouvir a musica tocar seus ouvidos novamente, a sensação de surpresa e medo ainda era latente. Ouvir alguém se confessar de tal maneira para si,  nunca havia passado por nenhuma situação semelhante e a forma como aquele rapaz havia se movido de maneira sobre-humana o assustou. 

Yuri passou pelas pessoas buscando por Yuko e Takeshi, logo encontrou seus dois amigos que conversavam com um rapaz alto que trajava roupas exóticas, apenas um cardigan brilhante que deixava seu peito e abdômen expostos,  uma calça de couro justa e os olhos pintados com uma maquiagem brilhante e ao mesmo tempo discreta, era lindo. Porém assim que Yuri se aproximou do grupo os dois amigos e o rapaz o olharam e no mesmo instante ele notou, os olhos do novo integrante do grupo não eram normais, eles brilhavam, como um oceano repleto de purpurina e brilho, era hipnotizante e lindo, mas definitivamente nada normal. 

  —  Yuko, preciso de você, agora! —  Yuri não esperou a resposta da amiga e logo tratou de sair a arrastando para fora do lugar, passaram pelas portas já sentindo o vento gélido da rua. —  Era ele, o amigo de Otabek e Yurio, o rapaz de hoje mais cedo, Victor, era ele me seguindo! 

—  Como poe ter tanta certeza, Yu? —   A surpresa era visível no rosto da garota.  

—  Ele pediu através de um bilhete para ir até os fundos e eu fui, ele me pediu desculpas e... — Um rubor tomou as bochechas de Yuri o fazendo ficar sem graça. —  disse que fez aquilo pois está apaixonado por mim e sem pensar muito bem acabou me seguindo pois queria saber mais. Estou tão confuso, sinto tanto medo mas não tenho vontade de ir embora, ele me pediu para ficar e o assistir mas estou numa guerra interna. O que eu faço?  

—  Não quer nem ao menos tentar entender? Ele me parece tão doce.  — Yuko sorriu ao ver a forma como o amigo estava balançado. 

—  Tudo aqui me parece tão estranho, não notou nada diferente? Eles não parecem muito... —  Yuri pausou sua fala ao notar que a amiga esboçava um sorriso travesso nos lábios. 

—  Ainda existe muito o que não sabe, Yu. 

—  Nani? Do que está falando? 

—  Dê uma chance a sua imaginação, olhe bem, quem sabe não vai encontrar pessoas fantásticas aqui? Nós não estamos sozinhos neste mundo! Rápido, entre, não vou te deixar ir embora. 

A garota arrastou Yuri para dentro novamente, a música havia parado e o pequeno palco estava sendo preparado para receber a pessoa que iria cantar naquela noite, mais precisamente Victor. Poucos minutos se passaram e o albino tomou seu espaço, apenas um pedestal com o microfone e um lindo banco vinil permaneciam no palco, Victor se posicionou com o violão em mãos e de alguma forma seu olhar cruzou com Yuri, como se soubesse exatamente para onde olhar.

Yuri congelou no lugar em que estava ao cruzar seu olhar com Victor, seus instintos lhe diziam para ir embora o mais rápido possível porém algo lhe prendia ali.

Logo o som dos acordes do violão preencheram o local, poucos segundos depois a voz de Victor acolheu todos que estavam presente. Era linda, tão suave e acolhedora que Yuri se permitiu comparar a voz de Victor a algo vindo dos céus, seu corpo simplesmente não se movia e seus olhos permaneciam grudados no rapaz.

Victor por outro lado estava nervoso, sempre costumava cantar no pub do casal de amigos mas aquela noite em especial estava sendo difícil para ele, em um surto de coragem havia confessado sua admiração pelo japonês e lhe contado o incidente do dia em que o seguiu e assustou. Tudo naquela noite era feito por um propósito, minuciosamente planejado para que o moreno estivesse ali e sua melhor aliada era Yuko.

A melhor amiga de Yuri que por conhecer todos os seres sobrenaturais existentes ajudou Victor de bom grado, a garota era namorada de um dos lobisomens da cidade, Takeshi, ao descobrir o incidente e perceber o quanto o amigo havia se assustado com tudo aquilo lhe deixou sensibilizada e curiosa sobre qual rumo aquela história iria tomar, afinal ela sempre foi informada sobre as diferentes coisas desse mundo, ao contrário do amigo que nem sequer imaginaria algo semelhante. Foi desta forma que ela decidiu ajudar Victor, levar Yuri para o pub e deixá-lo até o momento em que Victor subisse ao palco.

E naquele instante ambos se encaravam.

A letra dizia tudo o que Victor precisava expressar, com toda sua força e voz o albino jogou tudo para fora sob o palco, os versos diziam e expressavam cada pequena angústia e medo do vampiro, sempre havia andado e vagado pela sua imortalidade sem se importar com sentimentos ou ao menos com as pessoas a sua volta, aos 257 anos Victor havia se cansado de existir, não restavam mais novidades para desbravar e muito menos situações que ainda não tivesse vívido, tudo era tedioso, até que ao sossegar e permanecer na cidade de seus amigos Yurio e Otabek, se deparou em um dia com os olhos puxados e o sorriso encantador do japonês, naquele momento, em frente aquela floricultura o albino percebeu que precisava de alguém, necessitava de alguém que fosse capaz de amar, e ainda mais que isso, queria se sentir amado.

Dia após dia Victor observou o japonês sem se dar conta de que estava se jogando em um abismo sem volta. O sorriso fácil, a expressão tão leve, a voz em tons sempre tão inconstantes que Victor podia ouvir a vários metros de distância, sentado na catando do café ele podia perceber cada pequeno detalhe. Sentia inveja, inveja de todos os casais que passavam por ele.

Sabia que precisava e queria alguém, mas queria alguém exatamente como Yuri.

Os acordes de violão se acabaram aos poucos, um silêncio reinou no lugar por alguns instantes, a intensidade dos versos ainda mexia com todos ali presentes. No momento seguinte Victor foi ovacionado.

Mas o que superou todas as palmas, gritos e euforia foi o sorriso singelo que estampava o rosto de Yuri antes do mesmo se retirar do lugar.


Notas Finais


Aqui estou eu mais uma vez, quero saber tudo o que acharam e espero ver vocês de novo. Beijinhos. Me perdoem por qualquer erro, ainda não consegui revisar.

Ps: A música do capítulo é Use Somebody - Kings of Leon


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...