História Say ''I love u'' - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Exibições 25
Palavras 3.963
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi armys <3
Estão todos bem? Espero que sim >_<
Enfim, muito obrigada pelas 20+ favs, fico muito feliz e isso me dá muita motivação para continuar escrevendo :3 obrigada por todos os comentários também, eu respondo todos!
Enfim, espero que gostem do capítulo. Fiz com carinho.
Até as notas finais ❤

Capítulo 3 - Care


Fanfic / Fanfiction Say ''I love u'' - Capítulo 3 - Care

Taehyung

~8 dias depois~

 Não sei o que é descansar. Só sei que o show é daqui 6 dias e nós não vamos parar até que ele termine.

 A última vez que tive tempo livre foi quando eu e Jungkook fomos jantar juntos e eu nem sei quando poderemos repetir isso. Por mais que as coisas se acalmem depois do show já feito, aparece milhões de entrevistas e programas de TV para irmos. Claro que o fluxo de coisas para fazer diminuí, mas ainda assim continuamos trabalhando muito.

 Nossa programação para hoje seria apenas um programa de TV para participar, o que pra mim era a coisa mais fácil. Eles apenas faziam algumas perguntas sobre o novo álbum e sobre nossa vida pessoal. Era até que divertido.

 O programa será 14:00, mas tivemos que acordar cedo para ir na gravadora assinar alguns papéis e resolver algumas coisas que estavam faltando.

 Todos estavam exaustos dentro da van por causa dos dias anteriores e acordar cedo piorou nosso estado.

 - Vamos passar na cafeteria? - pediu Yoongi.

 - Não, hyung. Podemos atrasar com um compromisso que já marcamos. - falou Namjoon, sério.

 - Por favor, Moni. - Jin tinha uma cara pidona. Nem o cara mais frio - se lê Suga - conseguiria rejeitar.

 - Tá bom! - Rap Mon respondeu imediatamente com um sorriso bobo no rosto. Todos nós gargalhamos.

 Quando chegamos lá, todos desceram da van, menos Jungkook que estava dormindo. Parecia que seu sono estava pesado, ele deveria estar bem cansado, já que andou malhando alguns dias dessa semana também.

 - Devemos acordar o maknae? - perguntou Jimin.

 - É melhor deixarmos ele dormir. - J-Hope sugeriu.

 - É, mas se ele não tomar um café, a cara dele vai continuar inchada. - foi a vez de Namjoon falar. - Então, o acordem para que ele possa escolher seu café. - continuou.

 - Não, deixem Jungkook dormir. Ele parece estar exausto. Eu sei qual café ele gosta, posso pedir por ele. - eu disse simples, olhando o pela última vez e fechando a porta. Como ele conseguia parecer um anjo até dormindo de boca aberta?

 Me virei para os meninos e Suga contraía seus lábios, como se estivesse segurando um riso. Olhei para os outros e eles me olhavam com desconfiança, senti minhas bochechas queimarem. Apenas abaixei meu olhar e continuei andando em direção à cafeteria.

 Peguei um capuccino pra mim e um café gelado com chantilly para Jungkook, era o que ele mais gostava. Além disso, comprei brownie e cookies para nós dois. Quando terminei de pagar as coisas, esperei pelos meninos.

 O dia estava com uma brisa fria. Todos nós estávamos agasalhados, mas aquele vento fazia com que meu nariz ficasse vermelho e gelado.

 Entramos de novo na van e seguimos o caminho para a gravadora. Enquanto eu bebia, senti meu capuccino quente descer por minha garganta e toda parte de meu corpo se aquecer, dando aquela sensação gostosa.

 Eu estava do lado de Jungkook, que estava na janela. Seu corpo estava jogado contra a parede do carro e eu observava seu sono tranquilo com cuidado, prestando atenção em toda respiração que o mais novo dava. Em uma rotatória, seu corpo deslizou para mais perto do meu, fazendo sua cabeça encostar no meu ombro. Ele resmungou algo indecifrável e aconchegou mais na curvatura de meu pescoço. Encostei minha cabeça na sua e passei meu braço pelos ombros dele, fazendo com que ele se encaixasse mais em mim. Alcancei a orelha de Jungkook com minha mão e fiquei acariciando-a e brincando com os brincos que ele usava até o momento em que o carro estacionou em frente ao prédio.


Jungkook

 - Kook-ah. - ouvi alguém me chamando, imaginei estar sonhando. - Kook-ah. - mais uma vez. - JEON JUNGKOOK!

 Acordei assustado olhando ao redor e logo em seguida ouvindo as gargalhadas dos membros.

 - Poxa, finalmente. - disse Seokjin, ainda rindo. - Achei que teria que buscar um balde de água gelada.

 - Vamos, Jungkook. Já chegamos na BigHit. - disse Namjoon. - Não podemos atrasar.

 - Tudo bem, já estou indo hyungs. - bocejei e terminei de me espreguiçar.

 Cocei os olhos para ver se aquele sono passava, meu corpo estava dolorido. Arrumei minha touca e tateei o banco a procura de meu celular.

 - Está aqui, Jungkook. - disse Taehyung com sua voz grossa enquanto balançava o aparelho em suas mãos. Ele foi o único que me esperou para entrar na gravadora.

 - Ah! Obrigado, hyung. Achei que o havia esquecido em casa.

 - De nada. Está com fome? - disse me entregando uma sacola marrom um pouco pesada. - Tem brownie e cookies além do seu café com chantilly.

 - Uooooh! Tudo isso é pra mim? - eu perguntei boquiaberto.

 - Sim. - ele sorriu, fazendo com que seu eyesmile aparecesse. - Eu não sabia qual cookie você gostava, então peguei um de cada.

 - Eu gosto de todos, mas o melhor pra mim é o de gotas de chocolate. - eu disse sorrindo. - Obrigado mesmo, Tae.

 Então fomos em direção ao prédio para ir de encontro com os outros meninos. Eu sentia minha cabeça doer levemente mas achei que seria porquê acordei de súbito depois do susto que levei, então deixei pra lá.

 Terminamos o que precisávamos fazer e continuamos no escritório para esperar pelo Namjoon, ele havia sido convocado para conversar com nosso Manager.

 Jimin e Suga estavam tendo uma briga infantil e ao lado deles estava Hoseok, que assistia à um dorama em seu tablet. A boca dele estava um pouco aberta devido a sua concentração e de vez enquando saía alguns gritinhos um tanto quanto finos, o que era muito engraçado. Jin já parecia um pouco tenso, seus dedos estavam em sua boca e seu olhar estava fixo em um ponto qualquer da sala, estava claramente preocupado com algo. E tinha Taehyung, que estava do meu lado e não parava de balançar sua perna esquerda, como se estivesse tentando aliviar sua ansiedade. Eu só estava observando os meninos enquanto sentia aquela dor de cabeça aumentar cada vez mais.

 - Pronto, meninos. - disse Namjoon voltando para a sala com um sorriso fraco no rosto. - Podemos ir embora.

 - Namjoonie! - exclamou Jin, levantando e o abraçando forte. - Você demorou.

 - Vamos voltar para o apartamento, precisamos nos arrumar para a entrevista. - o líder continuou falando, enquanto acariciava os cabelos do loiro que estava em seus braços.

 Terminei de me arrumar e fui esperar pelo os outros na sala de estar enquanto eu mexia no meu celular e respondia as mensagens que já estavam lá há dias. Eu realmente odeio responde-las, só o faço quando é importante ou de meu interesse.

 Ouvi passos descendo as escadas, levantei o olhar e vi o hyung mais velho passando a mão em seu cabelo enquanto com a outra mexia no celular. No mesmo instante, vejo Namjoon adentrando a sala, depois de sair do corredor que vai para seu escritório junto com algumas pastas em mãos, deixando-as no sofá onde eu estava.

 - Oh! Você já está pronto, não é, meu bem? - disse Rap Mon, levantando seu olhar para Seokjin.

 - Sim, sim. Por quê? Acha que está faltando alguma coisa? - disse o loiro olhando para seu próprio corpo, conferindo o visual.

 - Não é isso, Jin. É que precisamos conversar. - ele sorria suavemente, como se tentasse parecer firme. - Vem comigo. - ele entrou na cozinha.

 - Ai, meu Deus. O que foi agora? - ele tinha um olhar preocupado, mas mesmo assim seguiu o líder.

 Voltei o olhar para a tela de meu celular e continuei o que estava fazendo até o momento que ouço os dois conversando em uma altura suficiente para que eu entendesse algumas coisas.

 - O que aconteceu, Namjoon? - Jin parecia preocupado. - Foi a conversa de hoje cedo com o Manager?

 - Sim. - Namjoon parecia desanimado.

 - Qual era o assunto da conversa?

 - Sobre o Bangtan e a nossa influência sobre os fãs.

 - Tá, mas ele veio reclamar ou o que?

 - Na verdade, não foi bem uma reclamação. Foi mais ou menos um aviso.

 - Continua. - incentivou Jin.

 - Então, ele me disse que não tem problema nenhum em querermos permanecer juntos, sabe, namorando, mas teremos que evitar revelar isso aos fãs. Demonstrar carinho na frente deles nunca foi um problema, já que existe fanservice. Só devemos tomar cuidado.

 - Só isso? É por causa disso que ficou triste de uma hora pra outra?

 - Só!? Jin, se não soubermos como disfarçar vamos colocar nosso grupo em jogo e você fala só?

 - Namjoon, nós começamos a namorar antes mesmo do Bangtan ser planejado! Sempre soubemos esconder bem. Poxa, vai fazer 5 anos! Pra quê toda essa insegurança agora? - Jin estava nervoso.

 - Eu só queria que pudéssemos sair por aí da forma que nós realmente somos e não ter que evitar de fazer coisas que queremos. É pedir muito poder segurar sua mão em público? - Namjoon tinha uma voz fraca, parecia abalado com a situação.

 - Mas meu bem, não há motivos para ficarmos chateados agora. Sempre foi assim e vamos ter que conviver com isso se queremos continuar com o BTS. Em compensação, quando eles não estão vendo, fazemos mais coisas do que eles suspeitam. - Jin conseguiu arrancar um risinho de Namjoon e depois de ouvir essa frase, fiz uma careta e quase cheguei à me arrepender por ter começado a ouvir a conversa dos dois. - Nós vamos fazer compensar todas essas vezes que teremos que nos conter, ok?

 - Tudo bem. - Namjoon já parecia mais alegre.

 - Mas agora me diz. Por que ele veio com esse assunto tão repentinamente? - disse Jin abrindo a geladeira e pegando uma garrafa de água.

 - Ele viu uma hashtag #Namjin no Twitter como 3° lugar no dia que fizemos aquele último fanmeeting, lembra?

 - Ah! Meu Deus. - riu Seokjin. - Aquele que completamos um coração?

 - Esse mesmo. As fãs ficaram loucas!

 - Estou vendo. - ele pegou um copo e o encheu com água. - Viu? Os fãs apoiam. Não vejo problema em oficializarmos para eles.

 - Mas até que a gravadora está certa, Jin. A Coreia do Sul é ainda muito preconceituosa. Para conseguirmos encarar, teremos que ter força física e emocional, porque seria bem difícil de aguentar.

 - É, você tem razão. Temos muitos problemas já, não podemos procurar por mais. - Jin bebeu toda a água do copo.

 - Sim. - ouvi a voz de Namjoon ficar mais distante. - Mas eu também expliquei para ele que não poderíamos nos responsabilizar pelas ações das fãs. Às vezes elas só querem tornar as coisas reais.

 Eles falaram mais algumas coisas, mas foi baixo e eu não consegui decifrar.

 Eu estava boquiaberto com aquela conversa. Eu não imaginava que as coisas eram tão difíceis assim para eles. Antes eles já escondiam, só demonstrando amor em público raramente e isso porque escapava sem querer, mas agora estão correndo perigo se vacilarem demais.

 Isso me deu arrepios só de pensar em me conter com a pessoa que eu amo o tempo todo. Mas o que podíamos fazer? Somos idols, temos que viver duas vidas mesmo. A de frente para as câmeras e a por trás das mesmas.

 Voltei a mexer no celular para que não desconfiassem que eu estava ouvindo o que eles conversaram sem permissão.


Seokjin

 - [...] Às vezes elas só querem tornar as coisas reais. - falou ele enquanto eu ia até a pia deixar meu copo.

 - Sim, você está certo. - eu disse me virando e dando de cara com um Namjoon já com as mãos em minha cintura, me pressionando contra a pia.

 - Pois é, mas isso não importa agora. - seu olhar estava fixo em minha boca. - O que importa. - ele selou nossos lábios. - É que. - de novo. - Eu e você. - mais uma vez. - Vamos passar por tudo isso. - e de novo. - Juntos. - agora o beijo foi aprofundado.

 Fechei meus olhos e levei minhas mãos para a nuca de Namjoon, entrelaçando meus dedos nos fios rosa dele. Sua língua macia e molhada acariciava a minha com desejo.

 Paramos quando a falta de ar se fez presente e não pude deixar de sorrir. Eu adorava quando ele me beijava assim, me surpreendendo. Sempre saía os melhores beijos no meio dessas surpresas.

 Namjoon me puxou para perto de novo, só que para um abraço, onde o mais novo afundou seu rosto no meu ombro.

 - Não é? - ele perguntou abafado.

 - O que? - eu viajava em seu aroma.

 - Vamos passar por tudo isso juntos?

 - Claro que sim, meu amor! Sempre juntinhos contra as dificuldades. - ri soprado.

 - Rm rm. - alguém pigarreou. - Sem querer atrapalhar o casal, mas acho que já está na hora de ir. - J-Hope estava na porta, nos mostrando o relógio em seu pulso.

 - Meu Deus, ainda temos uma entrevista! - Namjoon desesperou. Eu e Hoseok gargalhamos. - Se atrasarmos, a culpa será do Seokjin.

 - MINHA!? Você que me beijou, mocinho.

 - Mas a culpa é de quem por eu ter te beijado?

 - SUA!

 - Nananinanão. Somente e exclusivamente sua. Ninguém mandou você ser irresistível. - Namjoon tinha um olhar malicioso, o que me fez corar.

 - Éeer, eu ainda estou aqui, pessoal. - Hoseok revirou os olhos.

 - Ué, e daí? Acha que vou ficar me contendo na frente de vocês? - Namjoon gargalhou forçado. - Vai sonhando.

 Nessa hora ele correu para onde eu estava e me pegou no colo, me levando até a sala enquanto eu me debatia e o mandava me soltar. Isso pareceu trazer mais prazer para ele, porque havia um sorriso ladinho em seu rosto.

 Os membros já estavam todos na sala nos esperando e começaram a rir quando viram o que estava acontecendo.

 - Idiota! Olhe só para meu cabelo! - eu disse.

 - Está mais do que lindo, Jinjin. - Namjoon disse bobo. - Agora temos que ir, não podemos enrolar mais.

 - Vamos descendo, Suga. - disse Jimin puxando o mesmo pela manga de sua camiseta. J-Hope os seguiu.

 - Você não vem, Taehyung? - eu perguntei. Taehyung estava com um olhar distante que logo se desfez quando ouviu minha pergunta.

 - Sim, sim. Vamos. - ele disse saindo pela porta.

 Nos aconchegamos dentro da van e fomos para a entrevista, eu não via a hora de sair de lá e ter o resto da noite para aproveitar.


Jungkook

 - Nos explique o conceito de vocês. - pediu o apresentador.

 Namjoon começou a explicar, mas minha dor de cabeça ficou tão insuportável que não consegui prestar atenção. Eu só focava em não demonstrar que eu estava passando mal, mas parece que não deu muito certo.

 - O que foi, Kook-ah? - sussurrou Taehyung do meu lado.

 - Eu não estou me sentindo bem, hyung.

 - O que está sentindo? - ele me olhou preocupado.

 - Minha cabeça está latejando insuportavelmente.

 - Aish! Quando acabar, eu te compro um remédio e você vai poder descansar.

 Eu assenti levemente, evitando fazer movimentos bruscos com minha cabeça. Eu só queria que tudo aquilo acabasse logo.

 - Aguenta firme só mais um pouquinho, Jungkook. - disse V hyung passando uma de suas mãos para meu ombro esquerdo, onde deu um aperto leve. - Está quase acabando.

 - Tudo bem, hyung.

~~~

 - 1, 2, 3. - contou Namjoon.

 - Obrigado, esse foi o Bangtan Sonyeondan. - falamos juntos e acenamos.

 Ouvi o alarme dizendo que as câmeras já havia sido desligadas. Suspirei fundo. Eu só queria minha cama.

 - Hyung. - chamei Namjoon. - Eu quero muito ir para o apartamento, minha cabeça está doendo e meu corpo está todo pesado. - eu disse, ainda sentado.

 - Sério, Kook? A gente ia na BigHit de novo entregar algumas coisas que eles me pediram e depois iríamos para um restaurante. Tem certeza que quer voltar?

 - Sim, Namjoon. Mal estou aguentando manter meus olhos abertos.

 - Vou chamar alguém para te acompanhar, ok?

 - Tudo bem. - eu reencostei na cadeira e fechei os olhos.

 - Taehyung-ah! Vem aqui. - quando o líder pronunciou o nome, um arrepio percorreu minha espinha. - V, Jungkook está passando mal. Tem como você voltar com ele e dá-lo algum remédio?

 - Claro, hyung! - respondeu o moreno.

 - Vamos levar a janta para vocês, tudo bem? - Namjoon disse. - Peguem um táxi e vão de volta. Logo estaremos em casa.


 Chegamos em casa e já me joguei no sofá. Taehyung foi para o corredor e abriu a porta da dispensa, voltou com uma caixinha cheia de remédios.

 - Vem, Jungkook. Vamos para seu quarto. - eu estava sentindo tanta dor que nem me preocupei em ficar envergonhado. - Parece que está com febre. - o moreno tinha um olhar preocupado enquanto pousava as costas de sua mão em minha testa.

 Ele me ajudou a subir as escadas e abriu a porta de meu quarto, logo em seguida me deitou na cama.

 Abriu a caixa e pegou o termômetro. 39°.

 - Meu Deus, Jungkook! - ele se assustou quando viu os graus.

 Taehyung saiu do quarto e voltou alguns minutos depois com um copo cheio de água. Pegou um comprimido e me deu.

 - Esse remédio vai te dar sono, mas é um dos melhores. - V hyung explicou.

 - Não tem problema, hyung. Está ótimo, obrigado.

 - Você precisa comer algo. O que quer?

 - Qualquer coisa está bom.

 - Vou descer para preparar. Se precisar de algo, me grita. - disse já fechando a porta.

 Eu fechei os olhos e respirei fundo, sentindo aquela dor terrível. Eu odiava me sentir assim, impotente.

 Fiquei alguns minutos na cama repousando até que me levantei e desci as escadas devagar. Fui direto para a cozinha onde encontrei Kim Taehyung mexendo algo no fogão.

 Me aproximei mais, deixando nossos corpos juntos. Minha mão estava na cintura dele e minha cabeça apoiada em seu ombro.

 - O-o que? - V estremeceu. - Não quis ficar no seu quarto?

 - Não é isso, eu vim aqui te ajudar.

 - Não precisa! - dava pra ver que ele estava desajeitado. - Eu já estou terminando mesmo.

 - Posso ficar aqui mesmo assim? - perguntei manhoso.

 - C-claro. Puxa uma cadeira da mesa.

 - Mas eu quero ficar assim, hyung. - o abracei mais forte, sentido ele arrepiar.

 - Tudo bem. - um leve sorriso formou em seus lábios.

 Fiquei ali o acompanhando em todos os movimentos que dava, até que a omelete ficou pronta. O cheiro estava incrivelmente bom e deduzi que o gosto também estaria.

 Puxei uma cadeira e me sentei. Taehyung foi no armário e pegou dois pratos e dois copos, já servindo o suco de laranja.

 - Pode ir se servindo. - disse tímido, colocando a panela na mesa.

 - Eu amo suco de laranja. É o melhor, ainda mais quando é natural. - falei.

 - É, foi o que eu imaginei. - Taehyung não olhou nos meus olhos, mas sorriu. - Por isso que fiz.

 Terminamos e a omelete estava incrível. Senti todo o carinho que o hyung colocou nela.

 Enquanto eu observava o mais velho terminar de lavar as louças, o sono chegou.

 - Está com sono, Jungkook? - perguntou V secando sua mãos no avental.

 - Sim, muito. - falei sonolento.

 - Então o remédio está fazendo efeito! - ele disse satisfeito. - Vem, vou te levar para a cama. - ele estendeu a mão e eu a segurei.

 Ele arrumou meu travesseiro e ligou o ar condicionado, eram 18:00 e eu suava. Talvez porque a febre esteja passando.

 - Prontinho. - ele disse, me empurrando de leve para que eu me deitasse na cama, eu nem tinha tirado meus sapatos. Ele se virou para ir embora.

 - Tae. - eu o chamei bocejando. - Onde você vai?

 - Vou ler lá na sala. - ele disse com a testa franzida.

 - Lê aqui. - pedi. - Não quero ficar sozinho.

 Juro, nunca tinha visto Taehyung tão vermelho como agora.

 - T-tá bom. - seu sorriso era tímido.

 Ele saiu do quarto e eu apaguei na mesma hora.

 Acordei melhor, sentindo meu corpo todo descansado e minha cabeça sem dor alguma. Achei meu celular do meu lado na cama e olhei as horas. 20:30.

 Taehyung estava sentado na poltrona que havia no meu quarto, ele a puxou para perto da cama, onde colocou seus pés. O hyung dormia inocentemente com o livro aberto em seu colo, estava aparente que pegou no sono enquanto lia. Estava muito fofo.

 Peguei meu celular e coloquei na câmera. Eu iria tirar uma foto dele para registrar.

 Clickei na tela para que a foto fosse tirada, mas não verifiquei se a câmera estava com som. Ele acordou com o barulho do celular e eu gargalhei.

 - Jungkook! Pode apagar agora. - ele fez um bico enquanto se levantava.

 - Não mesmo. - ele se aproximava de mim. - Se você der mais um passo, essa foto vai pro Twitter. - nesse momento ele congelou.

 - Sem graça!

 - Sou mesmo. - eu digo me levantando e arrumando minha camisa branca. - Isso aqui vai servir para várias chatangens. - balanço a tela do celular na cara dele, mostrando a foto recém tirada.

 - Apaga! - ele diz ficando na ponta dos dedos para alcançar o aparelho que eu levantei acima de nossas cabeças por causa da tentativa do mais velho de pegá-lo.

 - Desiste, eu sou mais alto. - eu ri debochado.

 Nesse momento Kim Taehyung desequilibrou na ponta dos dedos e quase caiu se não fosse pelo apoio que dei à ele, mantendo nossos corpos mais próximos e fazendo com que nossas bocas quase encostassem.

 Taehyung me olhava nos olhos, mas seu olhar logo desceu para minha boca. Eu me aproximei mais um pouco de seu rosto, mas parei quando ouvi a porta ser aberta.

 - Meninos, chega-. - Namjoon entrou e nos afastamos imediatamente. - Oh! Atrapalhei alguma coisa? - ele colocou uma das mãos na boca. Meu coração batia aceleradamente.

 - Não, hyung. - falou Taehyung, com vergonha.

 - Eu só vim avisar que já chegamos e trouxemos janta para vocês. - ele coçou o cabelo, sem graça.

 - Estou com fome mesmo, já vou descer. - Taehyung me olhou nos olhos rapidamente e saiu do quarto.

 - O que foi isso, Jungkook? - Namjoon perguntou quando V saiu do quarto, ele tinha um sorriso divertido nos lábios.

 - Nada, hyung. - eu desviei o olhar.

 - Certeza?

 - Absoluta. - voltei a olhar nos olhos do líder.

 - Sei. - ele me olhou malicioso e eu corei. - Vem, vamos descer. - ele me puxou para mais perto pelo ombro e eu sorri fraco.

   Descemos e nos reunimos com o restante do pessoal.

 Taehyung ficou bem longe de mim durante a noite, mal me olhava. Mas eu o entendia, eu também fiquei com vergonha, afinal, querendo ou não um clima surgiu naquele momento e, talvez, minha vontade era ter seus lábios nos meus.


Por que você está com tanto medo de ser amado?

Eu estou bem aqui perto de você, então, o que há para temer?

 Nosso amor é ordinário,

Mas não pode medir o seu valor. Consegue me ouvir?

Parece que nós estamos voando

Mas caindo ao mesmo tempo.

Mas, eu quero ir mais alto.

Eu quero voar mais alto.

Você tem que ver o final.

Então, não me solte e segure forte.

Eu irei aquecer o seu coração.

Eu irei colocar tudo no fogo por você.

Mesmo entre as incontáveis estrelas,

Você está nos meus braços.

Fly - GOT7


Notas Finais


Obrigada por chegarem até o final.
Tem IGOT7/ahgases aqui? :3 eu sou Mark biased e vocês?
Se tudo der certo, sexta saí capítulo novo >< amo vocês. Obrigada pelo carinho.
Comentem o que estão achando da fanfic, aceito opiniões construtivas.
Lembre-se volte lá em cima e olhem novamente a imagem do capítulo :)
Até a próxima, babies.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...