História Say My Name - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Tags Nalu
Visualizações 400
Palavras 1.712
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus amores *-*
Mais uma vez mil desculpas pela demora, eu pretendia postar bem antes mas infelizmente não deu mesmo :/
Mais enfim, lembrando que a Lucy é a narradora novamente ^^


Boa leitura!

Capítulo 21 - Capítulo 21


Fanfic / Fanfiction Say My Name - Capítulo 21 - Capítulo 21

 Ainda de olhos fechados, eu ouvia sua respiração pesada ao meu lado, e eu não sabia se ficava feliz, ou se me desesperava por isso, eu não queria encarar ele agora, mas ao mesmo tempo eu queria poder abraça-lo e fingir que nada daquilo estava acontecendo.
    Abri meus olhos lentamente, e por conta do susto e dos remédios eu ainda estava muito atordoada e mesmo deitada eu estava com muita tontura.
    Ficamos nos olhando por um bom tempo, eu queria perguntar e falar tantas coisas, mas a única coisa que saiu, foi a mais idiota.
    Suspirei e senti uma forte dor no peito mas a ignorei.
    - Vamos ficar bem? - sussurrei.
    - Eu não sei - ele sorriu tristemente.
    Engoli em seco.
    - Não vamos falar sobre isso agora, está bem - ele suspirou.
    Não tinha certeza se deveria perguntar, mas eu precisava saber.
    - Sting, como ele está? - perguntei angustiada.
     Ele suspirou.
    - Ele vai ficar bem, não corre nenhum risco, mas está com muitas fraturas - ele disse calmamente.
     Suspirei.
     - Lucy - Virgo entrou bruscamente no quarto.
    - Virgo - sorri para ela.
    - Seu pai está vindo, ele está muito preocupado - ela acariciou meu rosto.
    - Droga - suspirei.
    - O senhor Eucliffe também já deve estar a caminho - ela disse enquanto ajeitava meu travesseiro.
   Conforme minha conversa com a Virgo ia fluindo, eu ia me sentindo cada vez pior eu sentia o olhar de Natsu sobre mim.
    Depois de um bom tempo em silêncio, ele suspirou.
    - É melhor eu ir, já está ficando tarde e a Lucy precisa descansar - ele sibilou.
    Assenti tristemente.
     Ele se aproximou e beijou minha testa.
    - Eu volto amanhã - ele sorriu.
     Ele ficou me olhando por longos segundos depois saiu do quarto.
    Suspirei.
    Apertei meus olhos para reprimir a vontade de chorar.
    - É melhor você descansar Lucy - Virgo também beijou minha testa depois se sentou na poltrona ao lado da cama.
    Fiquei durante longos minutos olhando para o vazio até meus olhos se fecharem.
    Eu não sei por quanto tempo passei dormindo, acordei com meu pai entrando no quarto.
    - Lucy - ele entrou bruscamente.
    Abri meus olhos lentamente e fiquei olhando para ele se aproximar com cautela.

Eu tentei conter as lágrimas, mas elas começaram a escorrer sem parar.
    - Desculpa pai - solucei.
    - Não pense nisso agora, está bem - ele colocou meu cabelo atrás da minha orelha.
    - Com licença - Virgo sorriu, depois se retirou.
    - Porque eu faço tudo errado pai, o que tem de errado comigo - sibilei.
    - Não tem nada errado com você Lucy - ele suspirou.
   Enxuguei minhas lágrimas com uma das mãos.
    - Você só é impulsiva e cabeça dura, igualzinho a sua mãe - ele sorriu

Continuei tentando conter as lágrimas, mas elas eram muito insistentes.
     Suspirei.
    - Eu fiquei tão preocupado, nunca mais faça isso comigo - ele sorriu tristemente.
    - Pai - choraminguei.
    Ele segurou minha mão.
    - Você é tudo que eu tenho Lucy, se eu te perder também - ele engoliu em seco.
    - Não acredito que é a nossa primeira conversa de verdade e eu estou em uma cama de hospital - forcei um sorriso.
    Ele suspirou.
    - Pai eu quero ver o Sting - sibilei.
     Ele arqueou as sobrancelhas.
    - Ele vai ficar bem querida, o senhor Eucliffe já deve estar com ele, só descanse - ele disse calmamente.
     Suspirei novamente.

 - Durma - ele acariciou meu cabelo.
    Fechei os olhos mas continuei acordada por um longo tempo.
    - Te amo - ouvi meu pai sussurrar depois de beijar minha testa.
    Também te amo pai.
    No outro dia quando acordei, quem estava na poltrona era Virgo.
    - Bom dia, trouxe roupas para você - ela sorriu.
    - Bom dia, onde está o meu pai - murmurei.
    - Ele não estava se sentindo muito bem - ela disse tristemente.
    Assenti.
    - Quero ver o Sting, preciso vê-lo - murmurei.
    Ela suspirou.
    - De novo com isso, conversei com a enfermeira e ela disse que você já pode se levantar, mas não deve fazer nenhum esforço - ela disse, enquanto me ajudava a me sentar.
    - Por mais quanto tempo eu vou ter que ficar aqui - sibilei.
    - Por pelo menos cinco dias - ela murmurou.
    - Cinco dias - grunhi.

Ela me olhou com reprovação.
    - Droga - respirei fundo.
    
     ...

    Dois dias já tinham se passado e Sting continuava na mesma, as meninas vieram me visitar e levei uma bronca daquelas, em especial da Levy que já estava com os nervos à flor da pele, até o pai de Sting passou aqui mas eu estava dormindo e Virgo só me contou depois.
    Natsu também veio me ver nesses dois dias, mas ele evitou qualquer contato físico.
    Até agora, eu estava sentada com os pés para fora da cama, olhando para o nada quando ele chegou.
      Ele sorriu, e se aproximou.
    - Tudo bem - ele disse enquanto segurava minha mão, cabisbaixo.
    - Eu estaria melhor se tirassem essa coisa da minha perna - suspirei.
    Ele riu.

    Ficamos em um silêncio perturbador durante um longo tempo.

    Ele respirou fundo.
    - Não é a hora mais apropriada pra isso mas não posso ficar mais adiando - ele murmurou.
    Engoli em seco.
    - É melhor a gente dar um tempo - ele disse olhando nos meus olhos.
    - N..Não - Sussurrei.
    - Lucy vamos acabar nos desgastando assim, eu entendo seus motivos... Eu quero entender... - ele suspirou.
    - Natsu - tentei engolir o choro.
    - Se continuarmos assim vai ser pior, vamos acabar em mais brigas - ele segurou meu rosto.
    Fechei meus olhos e ele me beijou demoradamente, depois de interromper o beijo ficamos nos olhando por um breve momento, e ele se afastou.
    - Tudo bem por aí - Virgo entrou no quarto.
    Natsu confirmou com a cabeça.
    - Eu preciso ir, qualquer coisa é só me ligar - ele me olhou mais uma vez depois saiu.

Virgo e o meu pai que também foi me visitar naquele dia me disseram que era o melhor no momento.
    Em nenhum momento eu chorei na frente do meu pai, mas quando ele saiu não consegui mais me conter.
    - É tudo culpa minha - eu choraminguei, enquanto Virgo acariciava meus cabelos.
    - Aprendemos com os nossos erros, é só um tempo Lucy acredito que nesse tempo você vai saber o que deve fazer - ela disse calmamente.
    Eu chorei tudo que eu não havia chorado ainda naquela noite.
    No outro dia acordei e não havia ninguém no quarto, o tempo parecia estar nublado e estava muito frio.
    O único som que se ouvia, bem baixinho, era do rádio na mesinha ao lado da minha cama.

 


Come up to meet you, tell you I'm sorry
You don't know how lovely you are
I had to find you, tell you I need you
Tell you I set you apart


 

(Vim para te encontrar, dizer que sinto muito
Você não sabe como é amável
Tinha que te ver, lhe dizer que preciso de você
Dizer que te escolhi)


 

Tell me your secrets and ask me your questions
Oh, let's go back to the start
Running in circles, coming up tails
Heads on a science apart

 


(Conte-me seus segredos, faça-me suas perguntas
Oh, vamos voltar para o começo
Correndo em círculos, lançando a moeda
De cara numa ciência à parte)


 

Nobody said it was easy
It's such a shame for us to part
Nobody said it was easy
No one ever said it would be this hard
Oh, take me back to the start


 

(Ninguém disse que seria fácil
É uma pena nos separarmos
Ninguém disse que seria fácil
Mas também não disseram que seria tão difícil
Oh, me leve de volta ao começo)


 

I was just guessing at numbers and figures
Pulling the puzzles apart
Questions of science, science and progress
Do not speak as loud as my heart


 

(Eu só estava analisando números e figuras
Montando o quebra-cabeças
Questões da ciência, ciência e progresso
Não falam tão alto quanto meu coração)


 

Tell me you love me, come back and haunt me
Oh, and I rush to the start
Running in circles, chasing our tails
Coming back as we are


 

(Diga-me que me ama, volte e me assombre
Oh, e eu corro para o começo
Correndo em círculos, nos ocupando à toa
Voltando a ser como éramos)


 

Nobody said it was easy
Oh, it's such a shame for us to part
Nobody said it was easy
No one ever said it would be so hard
I'm going back to the start


 

(Ninguém disse que era fácil
É uma pena nos separarmos
Ninguém disse que seria fácil
Mas também não disseram que seria tão difícil
Eu estou voltando para o começo)


 

Depois do almoço Virgo veio e passou a tarde toda comigo, mas depois ela precisou ir embora e eu fiquei o restante do dia sozinha.
    Já passava das nove da noite e estava chovendo muito e como de costume os corredores estavam vazios, enquanto eu saia escondido do meu quarto, andei devagar pelos corredores por conta da minha perna e fui até o quarto de Sting, Virgo já tinha me dito o número de seu quarto.
    Suspirei.
    O senhor Eucliffe estava ali parado olhando pela janela, mas não desisti e entrei.
    - Lucy - ele se assustou.
    - Desculpe, mas eu precisava vê-lo - sussurrei.
    Ele assentiu.
    Sting estava com faixas por todo o corpo, havia uma máscara respiratória em seu rosto, e tubos de soro conectados em seu braço.
    Suspirei.
    - Sinto muito, a culpa é toda minha - abaixei a cabeça.
    - A culpa não é de ninguém, Sting sempre andou como um doido com essa moto - ele suspirou.
     Assenti.
    Ouvi meu celular apitar, o retirei rapidamente da minha jaqueta que eu tinha colocado por cima de um vestido simples.
    - Com licença - eu disse, saindo do quarto.
     Era uma mensagem da Cana, ela tinha me enviado uma foto.
    Respirei fundo, para conter a vontade de jogar meu celular longe.
    Ela me enviou uma foto da Lisanna abraçando o Natsu no corredor do colégio na maior cara pau.

    Na legenda dizia  “ de hoje “


Notas Finais


Postei e sai correndo, ou melhor fui dormir :v
" A males que vem para o bem " é a única coisa que tenho a dizer 🙊
A música do capítulo é da Coldplay - The Scientist ❤
👉 Link: https://youtu.be/RB-RcX5DS5A

Até o próximo capítulo meus amores, muito obrigada por todo apoio e pelo carinho é realmente gratificante ❤ beijos ;3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...