História Say No... To Love? - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Hyung Won, I'M, Joo Heon, Ki Hyun, Min Hyuk, Personagens Originais, Show Nu, Won Ho
Tags 2won, Hyungwonho, Jookyun, Showhyuk
Visualizações 41
Palavras 558
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura ❤️
Até as notas finais.

Capítulo 3 - Devo falar?


Hyungwon sempre levou aquela vida meio entediante.

Acordava, ajudava a mãe na padaria e quando a noite chegava, o mesmo ia trabalhar no restaurante, após o expediente acabar ele voltava para a casa e desmaiava na cama.

Essa era a rotina de Hyungwon.

Há quatro anos.

Não podia reclamar muito, pois por mais monótona que sua vida fosse, ela era boa.

Sua mãe sempre fora muito amorosa consigo e nunca deixou lhe faltar nada. Ele nunca teve nenhum contato com o pai e também nunca perguntou do homem para a mãe, afinal sua ausência nunca fez diferença à Hyungwon.

Em seu trabalho sempre foi muito respeitado e tratado bem, apesar de ser um simples garçom.

E nesse exato momento era lá que se encontrava Hyungwon, passeando entre as mesas com uma bandeja ou com os carrinhos de comida.

Naquele restaurante ele servia pessoas realmente importantes: políticos, famosos, empresários, e outras pessoas igualmente especiais.

–Hey, Hyungwon! – Disse Kihyun, que ficava na recepção atendendo os clientes que chegavam para fazer as reservas, quando o Hyungwon passou por perto. – Ficou sabendo que precisam de alguém para trabalhar como faxineiro aqui?

–Não. – Respondeu olhando para os lados, vendo se alguém precisava de seus serviços.

–Vou falar para Changkyun, o que acha?

–Péssimo, vocês vão ficar mais grudados, só vai faltar vocês se sentarem em uma das mesas e terem um jantar romântico sobre a luz de velas. – Falou segurando a risada ao que via seu amigo corar violentamente.

–O q-que v-você…

–É sério isso? Está na cara que você gosta dele.

–Não gosto! Somos só amigos, tá?

–Legal, vou fingir que acredito. – O sininho foi tocado o que significava que os pratos de alguma mesa estavam prontos. Despediu-se rapidamente de Kihyun, que ainda tinha as bochechas vermelhas, e direcionou-se ao seu dever.

🌈🌈🌈

Ele estava novamente a caminho de casa, passando pelas ruas escuras e vazias, até que um pensamento o assombrou.

Será que aquele rapaz estava bem?

Por quê eu estou pensando nisso?

Justo ele que sempre torcia o nariz quando via alguém alterado por essas substâncias, ou que dizia ver esses tipos de pessoas como uma raça que estraga o planeta e que deveria ser exterminada… Justo ele estava se preocupando?

Faltava apenas alguns passos para chegar ao beco, e pela segunda vez, Hyungwon escutou os soluços desesperados do loiro.

–Hey… – Hyungwon disse com a voz falha.

Hyungwon não sabe em que momento teve coragem de entrar alí e falar com o rapaz, que tinha a mesma posição de quando se encontraram pela primeira vez, costas coladas à parede e braços agarrados aos joelhos.

–Hey! – Começou novamente, só que com a voz mais firme. – O que houve?

–P-por quê se i-importa? – Gaguejava enquanto secava as lágrimas com a manga da blusa fina que usava.

–Não me importo, só fiquei curioso. – Respondeu o outro, porém sabia que era mentira afinal ele estava um pouco preocupado mas nunca iria admitir.

–E-eu não consigo a-arranjar um t-trabalho. – Respondeu e depois deu um pequeno sorriso. –Acho q-que é p-pela região onde m-moro.

Por que você gagueja tanto?

–Isso é realmente algo ruim, mas não desista. Logo você arruma um emprego. – Hyungwon disse normalmente até se lembrar da vaga de faxineiro no restaurante. –Mas do que você quer trabalhar exatamente?

–Q-qualquer emprego honesto.

Será que devo falar algo?

–Bom… É isso aí… Não desista, ok?

Hyungwon se levantou e como da última vez, foi embora largando um loiro extremamente confuso para trás.


Notas Finais


Eae turmadinha do mal.

O Hyungwon é muito mal, eu hein, vou fazer ele pagar por tratar o Hoseokinho assim gente, pode deixar.

Queria perguntar : Vocês shippam mais Changki ou Jookyun?

Beijos de Purpurina 🌈
Titia Clary.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...