História Say Something... - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroko no Basuke
Personagens Aomine Daiki, Kise Ryouta
Tags Aokise
Visualizações 29
Palavras 1.885
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OIEEE

Gente, acho que está mais do que óbvio que Aokise é o meu OTP favorito não e?

Pois bem, hoje eu tou meio deprimida e como não quero deprimir sozinha fiz uma fanfic, fiquem tristes comigo.

A música que me inspirou (alguns podem achar que não tem nada haver mas ok) foi a Say Something de Christina Aguilera e Great Big World, link nas notas finais (com legendas).

Boa leitura ^-^

Capítulo 1 - Eu te amo, Aominecchi


Fanfic / Fanfiction Say Something... - Capítulo 1 - Eu te amo, Aominecchi

Numa pequena ilha desconhecida por quase todo o mundo, uma horrível e trágica história de amor acontecia.

A escravidão é algo monstruoso mas que todos sabemos que existe. Mesmo naquele lugar lindo e calmo, onde não havia quase nenhum estrangeiro a visitar o local, a própria escravidão era praticada.

Tudo naquele lugar parecia muito com o resto do mundo porém, à cerca de 20 anos atrás uma nova lei foi colocada. Todos, até criminoso, escravo ou assassino, tem o direito à vida. Poderam ser castigados mas nunca condenados à morte!

Tudo estava perfeito se não fosse Edgar Kise que não concordava com a lei que seu pai implantara e por isso criou um novo local conhecido como: o museu da tortura.

Exatamente o que leu! O museu da tortura foi um terreno que Edgar especializou para, sempre que um criminoso, escravo ou assassino fizer algo que ele não goste, o indivíduo era colocado naquele lugar onde todos, e repito, todos tinham em posse armas de fogo e tentavam acertar o inocente dentro do círculo (bom, talvez nem tão inocentes).

E era exatamente isso que aconteceria...

Ryouta Kise tinha apenas 45 minutos!

Capítul Único-Say Something

Eu te amo, Aominecchi

"Diga alguma coisa, estou desistindo de voce

Eu serei o escolhido se você me quiser

Eu teria te seguido para qualquer lugar

Diga alguma coisa, estou desistindo de você"



O loiro corria pelas ruas enquanto lágrimas caiam dos seus olhos, aquilo não podia estar a acontecer, simplesmente não podia perder aquele garoto de pele escura e de cabelos azuis. Se lembrava bem como o conhecera.

Flashback On.

Um menino de pele branquinha e macia como a neve, de olhos dourados e brilhantes como as estrelas e cabelos loiros e sedosos, com apenas 5 anos já chamava a atenção de todos. Era filho do Imperador daquela ilha, normal chamar a atenção.

O pequeno estava comendo um pão com geleia quando viu entrando um guarda, atrás dele vinha uma mulher de pele escura e cabelos azuis, esta estava algema e parecia muito fraca pelos machucados em seu corpo. Atrás dela entrava um garotinho que teria a idade do loiro, também possuía pele escura e cabelos azuis que, na opinião do garoto loiro ao qual se chamava de Ryouta Kise, era o garoto mais lindo que já vira.

O garoto inocente com os olhos brilhando de felicidade pouso seu pão em cima da mesa e se aproximou do outro sorrindo.

- Olá! Você vai viver aqui? Quer ser meu amigo?- o loiro perguntou mas se assustou vendo que os olhos azuis não brilhavam, tinham perdido toda a esperança.

- Menino Kise, por favor, se afaste!- Ryouta desviou o olhar para o soldado, estava confuso.

- Po'que eles estão amarrados? Alguém fez mal a eles?- todos sabiam que o jovem de olhos dourados odiava violência por isso nunca lhe contaram sobre os escravos.

- Não! Eles se machucaram sem querer e nós vamos cuidar deles!- o soldado mentiu para o menino que todos amavam e soube que teve sucesso quando este sorriu.

- Então, quando você estiver bom a gente vai poder brincar!- agora o loiro sorria para o pequeno garoto algemado.

- Menino- o soldado fora interrompido.

- O que está acontecendo aqui?- todos olharam e viram Edgar Kise descendo as escadas em direção deles.

- Haaa papai! Eu posso ser amigo deste garoto novo? Po'favor!- o loiro dava pulinhos enquanto seu pai arregalava os olhou vendo que o tal garoto era filho de uma escrava.

- Eu estava a dizer ao seu filho o porquê de n- mais uma vez o Kise mais velho interrompe o soldado.

- o porque de poder sim! Claro que podes Ryouta, podes ter os amigos que quiseres! A partir de hoje esse garoto estará sempre contigo!- o loiro mais alto falou para o filho que sorriu para o seu novo amigo.

FlashBack off.

"E eu,

Estou me sentindo tão pequeno

Foi demais para a minha cabeça

Eu não sei absolutamente nada"

As lembranças eram como facas no jovem, de agora 16 anos, que corria pelas ruas como se sua vida dependesse disso, bom, era quase isso. Cada vez que seus pés tocavam no chão era uma lágrima que derramava, aquele garoto era importante demais para si, se lembrava muito bem da sua primeira vez que fora à mais ou menos dois meses.

Flashback On.

O jovem de pele escura atirara o jovem loiro contra a parede e iniciou um beijo feroz que era totalmente correspondido.

Os dois estavam sozinhos em casa e estavam no quarto de Ryouta, trancados.

Gemidos logo começaram a ser ouvidos quando Daiki, o jovem de pele escura, fez pressão com a sua coxa contra o pênis de Kise e suas mãos ásperas adentraram as vestes do menor.

Aomine foi descendo os beijos para o pescoço alvo do loiro que logo inclinou a cabeça para trás dando total intimidade para que o moreno fizesse o que quisesse consigo, estava completamente entregue, vulnerável, e estava a adorar isso.

Logo sentiu sua camisa cara ser rasgada e retirada de si. Olhou nas orbes azuis escuras do seu "amigo" e viu que estas agora estavam completamente negras como de um predador pronto para atacar sua presa, só conseguiu ver a realidade com o brilho de desejo que os seus olhos emitiam em relação ao seu corpo branco.

- Kise...- estremeceu com o sussurro rouco e mais ainda quando o resto de suas roupas foram retiradas e sua bunda apalpada o fazendo gemer.

- A- Aominecchi...huuum...- gemeu enquanto o outro lhe tocava sem pudor algum.

Marcas eram deixadas por aquele corpo todo exceto nas zonas que poderiam ser facilmente vistas.

Kise jogara Aomine para trás o fazendo sentar na sua cama e lhe retirou a roupa toda. Daiki nem estava prestando atenção no que acontecia consigo, estava ocupado demais olhando o corpo daquele loiro à sua frente se mecher como se fosse uma dança. Só perdeu a visão daquela beleza quando fechara os olhos ao sentir seu membro ser completamente engolido pela boquinha rosada do loiro.

Estava nu e nem tinha percebido e agora estava recebendo um Boquete daqueles, ainda por cima do filho do Imperador daquela ilha. Apesar de azar por ser um escravo, Daiki se sentia com muita sorte.

Quando se sentiu pestes a gozar puxou o loiro pelo braço e o deitou na cama lhe dando três dedos para chupar que logo o loiro o fez.

A visao do garoto de pele branca e olhos dourados chupando seus dedos era excitante para Daiki que logo começou a masturbar Kise com a mão livre.

Assim que achou que seus dedos estavam bem lubrificados tratou de os tirar da boca que tanto amava e logo colou os seus lábios aos do loiro, aproximou os dedos húmidos da entrava e ao introduzi-los de uma vez sentiu o quanto era apertada.

Ouviu Ryouta gemer de dor e sentiu lágrimas se juntando ao beijo, limpou-as com a outra mão e separou o beijo com um selinho.

- Já vai passar...- o moreno afirma e viu o loiro abanar a cabeça num sim silencioso.

Não demorou muito para Kise começar a rebolar contra os dedos de Daiki que logo tratou de preparar a entrada para algo maior, bem maior.

- Aominecchiii... Eu quero voceee....- ao ouvir aquele gemido delicioso, Aomine tira seus dedos de dentro do loiro e coloca seu pênis na entrada para depois o introduzir de uma vez.

Doer? Doeu! Mas não demorou nem 10 minutos para que gemidos ou gritos de prazer fossem ouvidos naquele quarto junto do ranger da cama.

Daiki penetrava com força e fundo, ao ponto de quase sair e entrar de novo levando Kise à loucura.

Foi uma tarde Incrível para ambos mas que ninguém, para além deles os dois, soube de tal coisa.

Flashback Off.

"E eu

Tropecerei e cairei

Ainda estou aprendendo a amar

Estou apenas começando a engatinhar

Diga alguma coisa, estou desistindo de você"



Distraído com os seus pensamentos acabou tropeçando e caindo no meio da rua. Arranhões e vários machucados agora faziam parte do seu corpo, suas roupas sujas e um pouco rasgadas nem pareciam tão caras assim.

Se levantou e continuou a correr pouco ligando para os olhares tortos que recebia das pessoas.

Não podia parar agora, estava perto, muito perto.

Perto do museu da tortura, perto do seu amigo de infância, perto daquele que nunca teve coragem de dizer as mesmas palavras que foram ditas para si.

Flashback On.

- Eu não quero que te cases com aquela tal de Satsuki!- um moreno emburrado fazia biquinho olhando o loiro.

- Pq? É uma ordem do meu pai!- o loiro olhava desinteressado para seu amigo.

- E aquilo não significou nada?- perguntou Daiki corando um pouco enquanto se referia ao sexo que fizeram.

- Claro que significou, mas você sabe que eu não vou ficar com você!- o loiro falou cabisbaixo.

- Kise...- Aomine se aproxima de Ryouta, muito próximo, perigosamente próximo considerando que a porta do quarto estava aberta e qualquer um poderia ver.

- Aominecchi...- Kise chamou pelo moreno ao sentir o mesmo segurar sua nuca com uma mão, enrolando os cabelos loiros nos dedos de tonalidade escura, e com outra mão segurar o queixo e o erguer um pouco.

- Eu te amo Kise...- e então Daiki se aproxima de Ryouta com a intenção de acabar com o espaço entre eles porém Edgar Kise acaba vendo o gesto do escravo.

- SEU FDP!- gritou o homem dando um soco na cara de Daiki fazendo Ryouta tapar a boca e impedir o grito que rasgara sua garganta.

Soldados logo invadiram o quarto e seguraram os braços do jovem de cabelos azuis e, antes de ser levado à força para o museu da tortura, seus olhos se cruzaram com os dourados que gritavam por medo e terror ao ver seu amigo ser espancado e levado para longe de si. O moreno sorriu e num pedido mudo sussurrou 'desculpa'.

Flashback Off.

"Me desculpe por não ter conseguido chegar ate você

Eu teria te seguido para qualquer lugar

Diga alguma coisa, estou desistindo de você"



Kise finalmente havia chegado ao museu, estaria feliz se não tivesse ouvido a voz do seu pai a dar permissão para atirarem.

Adentrou correndo na arena e viu Aomine machucado, provavelmente lhe deram uma surra para que não pudesse se desviar das balas. O som de tiros foi ouvido pelo loiro mas Daiki conseguia desviar de todas, pelo menos por enquanto.

Aomine notou a presença do loiro correndo em sua direção e arregalou os olhos, mais ainda quando foi beijado em frente a todos aqueles.

Podia ser perfeito momento, porém, todos sabemos o que aconteceu...

"E eu

Engolirei meu orgulho

Você é a pessoa que eu amo

E eu estou dizendo adeus"



Nem os gritos da senhora Kise, mãe de Ryouta, poderam parar os disparos. Kise foi atingido na lateral do estômago e Aomine atingido um pouco assim das costas. Ambos sabiam que iam morrer, era questão de tempo, segundo para ser mais exata.

- Kise... Pq...?- Aomine perguntou com as poucas forças que lhe restavam e, se surpreendendo de novo, Kise sorri, o som dos tiros haviam terminado e todos poderam escutar a resposta do loiro.

- Pq...Eu te amo, Aominecchi!- e com esta frase os dois corpos sem vida caiem no chão daquela arena.

Apenas os gritos de dor e desespero da mãe de Kise eram ouvidos.

"Diga alguma coisa, estou desistindo de você

E me desculpe por não ter conseguido chegar ate você

E eu teria te seguido para qualquer lugar

Diga alguma coisa, estou desistindo de você"



Um amor proibido, duas mortes, muitas dores...


"Diga alguma coisa, estou desistindo de você

Diga alguma coisa..."


Notas Finais


OIEEE

Então, eu sei que foi triste mas mesmo assim espero que tenham gostado!

Link: https://youtu.be/U8kMd2YoKUg

Chorem comigo 😭😭😭

Kisses de brigadeiro


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...