História Say Something - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Luna Valente, Matteo
Tags Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli
Exibições 391
Palavras 1.058
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boaaaa tardeeeeeeeeeee
Desculpa não postei ontem por falta de tempo mas hoje para compensar vai ter mais que um capitulo
Desculpa qualquer erro
E obrigada pelos comentários, favoritos e aos que acompanham
QUASE 100 FAVORITOS, MTOOOO OBRIGADAAAAAAAA

Capítulo 25 - Gravida ou não?


Fanfic / Fanfiction Say Something - Capítulo 25 - Gravida ou não?

Karol on

Depois da ligação da minha mãe eu me despedi do Ruggero e fui para casa, eu estava com medo do meu pai não concordar com meu namoro, ele era sistemático e achava que tudo ainda tinha que ser como na sua época, para ele já era difícil me ver beijar em novelas mesmo que a maioria eram selinhos, imagina namorar alguém mais velho do que eu e eu de menor, o mesmo também sabia que Rugge namorava com Candelária e moravam juntos ate pouco tempo, em pensar nisso tudo chorei no colo da minha mãe ela tentava me acalmar falando que era para ter fé que o coração do meu pai ia amolecer.

Depois de me acalmar eu fui tomar banho e jantar, antes de dormi conversei com meu italiano ficamos uma hora ou mais ate o sono começar a incomodar e ter que me despedi dele, não demorou muito para me adormecer.

Aquela noite sonhei com varias lembranças de Candelária e Ruggero, ela falando que estava grávida, seu beijo com Rugge, quando ele falou  que amava ela e que se casaria com a mesma se precisasse. Mas a ultima parte do sonho foi a pior, vi Ruggero e Candelaria sorrindo felizes com um bebe no colo, acordei chorando e suada, tentava controlar minha respiração. Eu me lembrei de um sonho que tive um tempo atrás quando o moreno tinha em suas mãos sapatinho de bebe e falava que era a melhor noticia que ele poderia ter recebido. Meu choro só aumentou fazendo minha mãe entrar desesperada pelo quarto e me abraçou ate que eu me acalmasse e contasse tudo para ela, e como era esperado tinha a mesma opinião que Rugge mesmo ela tentando por na minha cabeça que aquilo tudo era mentira eu ainda tinha medo, muito medo.

2 Dias depois.....

                                                                                                                             

Ruggero on

Eu consegui um medico de confiança e ele nos atenderia hoje, queria logo resolver essa questão e provar que Candelária só estava blefando. Karol não queria falar, mas sabia que isso estava a afetando muito a fazendo ficar triste, eu não aguento ver minha pequena sofrer ainda mais por uma mentira sem cabimento dessas. Nesse momento estávamos encostados no meu carro enquanto discutíamos.

Karol: Não acho necessário eu ir, esse é um momento seu e dela – falou a ultima frase com a voz embargada.

Rugge: Você é minha namorada e tem que estar comigo, alem do mais quero te provar que ela esta mentindo.

Karol: E se ela não tiver? Não penso que ela seja tão baixa assim

Rugge: Meu amor você acredita demais nas pessoas, eu também pensei que ela não poderia ser assim, mas infelizmente o destino me passou uma rasteira e me fez enxergar ao contrario – alisei seu rosto – já esta na hora, vamos? – fiz biquinho

Karol: Sabe que isso é golpe baixo? Tudo bem eu vou – sorri e selei nossos lábios

Entramos no carro e pelo caminho cantávamos iguais dois loucos, pelo menos aliviou um pouco o nervosismo, não demorou muito e já estávamos na porta do meu antigo prédio, liguei para Candelária descer, mas nada da mesma atender liguei por mais algumas vezes e nada, decidimos então subir como o porteiro me conhecia deixou eu ir, quando chegamos la a porta estava serrada, estranhei e senti medo por alguém ter entrado e machucado Candelária, entramos não tinha sinal de que nada foi roubado ou que tinha alguém ali na casa

Karol: Ruggero – falou nervosa

Rugge: O que? – olhei para direção onde ela olhava e vi Candelária desmaiada, Karol saiu desesperada para ver o que tinha acontecido e eu fui atrás.

Karol: Ela ta desmaiada, mas parece que não tem nenhum machucado.

Rugge: Não parece que alguém entrou aqui não

Karol: Sera que ela passou mal?

Rugge: Não sei

Karol: Vamos tentar acorda-la

Rugge: Não, vamos ao medico já aproveita que a consulta ta marcada – Karol concordou com a cabeça.

Quando abaixei para pegar Candelária meu pé chutou algo, então peguei o frasco, era um produto forte que se você cheirasse faria você desmaiar na hora, eu não acredito que ela teve coragem de fazer isso? Acha que com isso não a levaria a consulta? Estava muito enganada, quando acordasse teria uma surpresa.

Dei o frasco para Karol e peguei a ruiva no colo, a baixinha me olhou confusa e falei que no caminho a explicava, descemos e pus Candelária no banco de trás e logo já estávamos indo em direção ao hospital e tentei explicar o que eu suspeitava para Ka.

Karol: Ruggero isso pode ser para outra coisa, seria doença se ela fez isso tudo, eu não acredito que um ser humano é capaz disso.

Rugge: Disso e muito mais, meu amor isso ai é a prova ela armou tudo para não ir à consulta.

Karol: Para que tudo isso? Eu achei que ela tinha sofrido algum atentado, quando a vi ali tive medo, ela não pode brincar assim com as pessoas – ela parecia perdida

Rugge: isso só mostra que ela não esta grávida e fez tudo isso para esconder.

Karol: É difícil pensar nessa hipótese

Rugge: Mas é a verdade meu amor, infelizmente é a verdade – Ka se escorou na janela do carro ainda confusa, alisei sua mão – vai ficar tudo bem meu amor – ela deu um meio sorriso

5 minutos depois estávamos na clinica, entrei com a ruiva nos braços e não demoraram a anteder a mesma. O medico veio ate mim

Doutor: O senhor é o Ruggero ne?

Rugge: Sim senhor

Doutor: Veio aqui para saber se a senhorita esta grávida? E por que ela chegou desmaiada?

Rugge: Sim, quando fui busca-la em seu apartamento e ela estava assim – peguei o fraco da mão de Ka – e encontramos isso – o entreguei e ele analisou

Doutor: Hmm... ta bom, vou la ver a paciente e volto com noticias

Rugge: Esta bom, obrigada – sentei no sofá e puxei Karol para sentar ao meu lado, a abracei.

Karol: Eu estou com medo –sua voz estava embargada, me doía ver ela assim

Rugge: Minha pequena tudo vai se resolver – beijei seus cabelos – nada vai nos separar – puxei seu rosto delicadamente para cima e dei um beijo caloroso nela a mesma correspondeu. Ficamos ali trocando carinho por um bom tempo ate que ouvimos um pigarro e o medico já estava la.

Doutor: Então já tenho o resultado.

 


Notas Finais


Comentem, favoritem e continuem acompanhando <33


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...