História Say Something - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Luna Valente, Matteo
Tags Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli
Exibições 411
Palavras 908
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa noiteeeeeeeeeeeee
Obrigada pelos comentarios, favoritos e aos que acompanham
desculpa qualquer erro

Capítulo 28 - Eu aceito - Penúltimo capitulo


Fanfic / Fanfiction Say Something - Capítulo 28 - Eu aceito - Penúltimo capitulo

Karol on

Karol: Não papai, por favor.

Pai: A decisão já esta tomada – ele me encarou serio e ali vi que não ia mudar sua opinião

Sai correndo para meu quarto e me joguei na minha cama, chorava de soluçar minha mãe veio e colocou minha cabeça em seu colo e começou a fazer carinho.

Mãe: Calma minha menina, tudo vai da certo.

Karol: Eu sei que quando ele fala não nunca volta atrás – falei com a voz embargada

Mãe: Mas agora pode ser diferente, eu vou conversar com ele

Karol: Se ele entendesse o quanto eu amo Ruggero, sei que sou nova, mas eu sei que é amor – pensei nos nossos momentos juntos – eu nunca senti o que sinto por ele por mais ninguém, ele faz minhas pernas bambearem, meu coração disparar e minhas mãos soarem. Quando olho nos seus olhos me perco me levando para outro mundo onde só existe nos dois – fiz uma pausa – Sabe quando você beija a pessoa ou abraça e sabe que aquele é o seu lugar?Que você não se encaixaria nenhum outro? – ela concordou com a cabeça – Eu me sinto assim com ele, quando estamos juntos nunca a tempo ruim e mesmo que role uma discussão não demora nem 10 segundos – sorri de lado – o sorriso dele é combustível para meu, se ele ta bem eu também to e se ele não esta é como se meu coração fosse cortado ao meio, sei que tenho muito a viver, mas esse tempo eu só vejo ele ao meu lado, nos dois caminhando juntos enfrentando tudo, se eu perder ele eu perco um pedaço meu, mesmo continuando a viver sem ele eu nunca estaria completa. E eu só queria que meu pai entendesse isso – suspirei pesado ainda chorando

Mãe: Ai minha filha se eu pudesse o faria entender por que eu sei o quanto vocês se amam, quando se veem seus olhos brilham um para outro e o sorriso bobo que logo aparece, vejo vocês perderem a fala – ela falou com a voz embargada – você sempre guardou tudo nesse seu coraçãozinho, nunca foi de demonstrar muito, mas quando esta com Rugge você é transparente, eu gosto dessa Karol e eu acho que ninguém iria contra se vê o que vejo – ela fez carinho no meu cabelo.

XX: Então é amor mesmo? – era meu pai na porta que nos encarava com os olhos cheios de água – eu achei que era apenas um capricho bobo, mas vendo vocês falando agora vejo que não é – sorriu de lado – eu não acho certo, mas se for para sua felicidade eu vou começar a achar a partir agora, eu te amo minha filha e só quero seu bem – eu sai correndo e pulei em seu colo, essa era a melhor noticia que recebi

Karol: Eu não acredito, te amo te amo – dei vários beijos em suas bochechas

Mãe: Falei que podia acontecer esse milagre – desci do seu colo e minha mãe o abraçou

Pai: Mas o quero aqui hoje – eu concordei com a cabeça

Mãe: Vou no mercado comprar as coisas do jantar me acompanha amor?

Pai: Claro vamos

Karol: Vou ligar para ele – o sorriso não saia do meu rosto

Mais tarde...

Eu já tinha ligado para Rugge e resolvido tudo, minha mãe já tinha preparado o “jantar especial” como dizia ela, eu estava uma pilha de nervos mesmo sabendo que meu pai tinha aceitado o namoro não conseguia a calma necessária, estava me encarando no espelho gostava do que via, um vestido branco com detalhes verdes colado ao corpo, estava com uma leve maquiagem e cabelos soltos, a companhia tocou e meu corpo arrepiou.

Ruggero on

Karol me ligou falando que o pai dela tinha pedido para que eu fosse aquela noite na casa deles, eu estava um poço de nervos, parecia que ia enfartar a qualquer momento. Eu contei ate 200 antes de bater na sua porta, quando bati logo ela foi aberta pela sogra turbo.

ST: Boa noite, entre – ela deu espaço para me passar.

Rugge: Boa noite sogrinha – mas quando virei dei de cara com pai de Karol me encarando, eu gelei.

Karol: Rugge – me virei e encontrei Karol maravilhosa vindo do seu quarto

Rugge: Oi amo... Karol – sorri para ela e virei para meu sogrão- Boa noite senhor

Pai de K: Boa noite Ruggero – falou serio, gelei – podemos conversar?

Rugge: È...È..claro – estava quase caindo duro no chão

ST: Vamos me ajudar na cozinha minha filha?

Karol: Vamos – ela veio ate mim – fica calmo, ele não vai te matar – sussurrou no meu ouvido e beijou meu rosto.

Elas saíram e ele pediu que eu sentasse no sofá na sua frente, sentei e sua expressão continuava seria.

Pai de K: Então meu jovem quando Karol me falou eu achei que isso era loucura e não concordei – eu arregalei os olhos e meu coração doeu – mas ao ouvir conversar com a mãe vi que ela gosta de você de verdade – eu sorri – e ao ver seu olhar quando ela chegou me fez ver que Caro estava certa, você também esta apaixonado por ela e pela felicidade da minha filha eu aceito esse namoro, mas se magoar ele já sabe ne rapaz?

Rugge: Nunca faria isso com ela, a amo demais – ele levantou.

Pai de K: Bom então – ele sorriu – agora vem ca me da um abraço – levantei e o abracei

Um pequeno ser correu ate nos e nos abraçou também

Karol: Nunca estive tão feliz 


Notas Finais


Comentem, favoritem e continuem acompanhando


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...