História Say Something - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Luna Valente, Matteo
Tags Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli
Exibições 382
Palavras 1.074
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boaaa noiteee
Obrigada pelos comentarios, favoritos e aos que acompanham
Desculpa qualquer erro e se não ficou bom

Capítulo 31 - Epilogo - Parte Dois


Fanfic / Fanfiction Say Something - Capítulo 31 - Epilogo - Parte Dois

Karol on

Flashback on

Valu: Qual foi o resultado? – ela estava ansiosa

Karol: Positivo – estendi o teste para ela

Valu: Não creio vou ser tia – ela pulava e batia as mãos – quando vai contar pro Rugge?

Karol: Não sei, tenho medo – sentei na cama.

Valu: Medo de que? Para de bobeira, tenho certeza que ele vai te apoiar.

Karol: Sera?

Valu: Você ainda duvida? – eu sei que ele nunca iria me abandonar, mas mesmo assim o medo me dominava.

Flashback off

Sinceramente eu ainda tinha medo da reação dele e das outras pessoas, não sei se iam aceitar muito bem, ainda mais meu pai. Não importa o que eu vou passar pela frente irei proteger essa nova vida que crescia em mim, eu mesmo sem ver já o amava, alisei minha barriga sorrindo, hoje seria o dia que contaria para Ruggero.

A porta foi aberta revelando Carol, ela falou que o show começaria em minutos, sai com ela e fui cantar.

Mais tarde naquele mesmo dia eu e Ruggero chegamos ao seu apartamento cansados, já era de madrugada, passaria noite la.

Rugge: Vou ir tomar um banho e dormi – ele seguiu para o quarto e eu fui atrás, ele entrou e viu a caixa na cama – Que caixa é essa? Para mim? – me encarou e eu afirmei com a cabeça

Ele começou a abrir e tinha outra caixa, e outra, e outra, ele me olhou confuso e gargalhando.

Rugge: Ta querendo brincar comigo? – me olhou e eu neguei com a cabeça – ele voltou a tirar as caixas que iam diminuindo quando chegou à ultima meu coração acelerou e então ele abriu e não consegui ver a reação dele, quando fui para frente para ver, ele virou com sapatinhos brancos de bebe na mão, sorrindo – Não poderia receber noticia melhor meu amor – as lagrimas desciam pelo seu rosto e eu sorri ao lembrar do sonho que eu tive anos atrás – Eu não acredito, vamos ter um bebe – me pegou no colo e começou a me girar pelo quarto – você sempre me faz o homem mais feliz do mundo

Karol: E Você me faz a mulher mais feliz do mundo, eu não acredito que um fruto do nosso amor esta crescendo em mim – o abracei e depois nos deitamos juntos na cama – Mas sabe eu tenho medo de como as pessoas vão reagir

Rugge: Fica calma, eu sempre vou estar aqui ao seu lado.

2 meses depois

Já estava no quarto mês de gestação, a barriga já aparecia um pouco então a essa altura todos já sabiam, juro que quando meu pai ficou sabendo quase enfartou e teve que esperar pelo menos uma semana para começar aceitar a ideia, minha mãe quase falta baba em cima da minha barriga, ela, Valu e Carol se puderem vão toda semana ao shopping comprar as coisas para o bebe, não vejo precisão nisso tudo, já chega a ser um exagero. Os fãs nem se fala foi um surto geral na internet, eles são tão queridos e sempre nos apoiando em tudo, são maravilhosos.

Agora estava deitada numa maca esperando o medico para primeiro ultrassom, Ruggero parecia mais nervoso que eu, ele andava pela sala sem parar.

Karol: Amor calma, vai furar um buraco no chão – gargalhei

Rugge: Esse medico que não chega

Karol: Relaxa – o medico apareceu e Ruggero parou o encarando

Medico: Cheguei, pronta mamãe? – ouvir aquilo fez meu coração acelerar, e me fez perceber que eu ia ser mãe

Karol: Sim

Medico: Vou passar um gel na sua barriga vai sentir ele gelado – ele começou o procedimento, senti algo gelado na minha barriga, mas emoção era tanta que nem me importei,logo ele começou a mexer na minha barriga e a imagem apareceu na tela ao nosso lado– então esse pequeno ser é o bebe de vocês - ele apontou para tela onde mostrava nosso bebe, era tão pequeno, mas mesmo assim dava para o ver, meus olhos encheram de água e Rugge parou ao meu lado apertando  minha mão – vamos ouvir o coraçãozinho? – concordei com a cabeça – e logo o som de batidas suaves de coração tomaram a sala, eu deixei que as lagrimas caíssem pela minha face, era maravilhoso aquilo tudo, olhei para o meu italiano e o mesmo estava em lagrimas, ele selou os meus lábios – agora vamos ver se da para ver o sexo do bebe? – ele mexeu mais um pouco e estava apreensiva – O bebe ta com a perninha fechada, acho que só no próximo ultrassom mesmo – meu rosto murchou.

 Rugge: Tudo bem, só de ouvir seu coraçãozinho e o ver, foi maravilhoso.

Karol: Sim sim

2 meses depois

Estavam todos na nossa nova casa, sim Ruggero tinha comprado uma casa linda e enorme, falou que com a chegada do nosso bebe o apartamento seria pequeno, nessa parte tive que concordar, mas não achava necessária uma casa daquele tamanho, mas não fui contra ele também. Então todas as nossas famílias e amigos estavam ali numa mini festa para revelar qual era o sexo do bebe, tinha descoberto aquela semana e decidi manter segredo.

Valu: Anda rápido que a madrinha aqui ta louca para saber o sexo do pequeno

Agus: E o padrinho também, já enrolaram demais – Sim tínhamos chamados os dois mais a Carol para serem padrinhos do bebe

Rugge: Calma, que nem eu sei, ela escondeu de todos – sorri

Karol: Ta bom, vamos cortar o bolo – nos posicionamos atrás do bolo e pegamos a espátula

Todos: UM, DOIS , TRES – E cortamos, quando saiu era um glacê rosa e o sol bateu no meu anel fazendo a lua brilhar e quase me cegar  – UHUUUUL

Karol: Uma princesinha – Rugge me selou

Rugge: Eu nem acredito que vamos ter uma menininha – ele falava todo bobão – Já to avisando que não quero nenhum menininho se engraçando pro lado dela

Agus: Isso mesmo, ninguém toca na minha afilhada.

Carol: Ate parece que a menina vai morrer solteira – bufou

Avôs: Se depender de nos, vai sim. (pai da Karol e do Rugge)

Karol: A menina nem nasceu e já ta assim, esses homens estão demais.

Mike: Pode ficar sossegados que daqui a pouco eu e Valu vamos ter um menino, e já fazemos casamento dos dois – ele recebeu um tapa da Valu e outro do Ruggero – Aiiiii

Rugge: Minha filha vai virar freira se for preciso – gargalhei

3 meses depois

Chegou o grande dia que eu ia dar a luz à pessoa mais importante da minha vida. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...