História Ressler & Keen - Say Something - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Blacklist
Personagens Donald Ressler, Elizabeth Keen, Personagens Originais, Raymond "Red" Reddington, Tom Keen
Tags Donald Ressler, Elizabeth Keen, Fbi Agents, Keenler, The Blacklist
Visualizações 47
Palavras 951
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Andei sumida né!? Quase que não volto. Enfim,mais um pra vocês. Quem puder comentar pra me incentivar a continuar eu agradeço.

Capítulo 11 - Promessas


Fanfic / Fanfiction Ressler & Keen - Say Something - Capítulo 11 - Promessas

~ Dias depois ~


Maya

_Você deveria ter falado com alguém amor - ela estava apreensiva com a história que Ressler havia contado,fazia alguns dias que ele acordara confuso,ela explicara que já estava ali há cinco semanas depois da explosão,  navabi estava bem e em casa e já já ele estaria também.

_Eu precisava de tempo querida,tinha que pensar em alguma coisa - ele estava sentado na cama com o olhar perdido - Agora vou ser preso.

_Calma,eu vou estar com você, não se preocupe - ela segura sua mão o confortando

Ele se levanta com dificuldade ainda sentindo dores mas preferiu não tomar remédios para não ter uma recaída logo agora que estava curado do vício,a puxa pela cintura e a envolve em um abraço apertado sentindo seu perfume doce.

O mesmo perfume que Audrey costumava usar.

De repente veio as lembranças,os sorrisos,os cabelos delicadamente caramelizados beijando seu rosto enquanto passeava na casa do lago,os abraços,beijos e o teste de gravidez...

Ressler se afasta de Maya com os olhos em lagrimas,tenta esconder mas ela percebe.

Ela se aproxima e seca seu rosto delicadamente com um lenço,segura sua mão esperando o que estava por vir.

_Desculpa querida - ele fita o chão constrangido por tamanha falta de respeito com ela - Seu perfume... Audrey costumava usar.

Mais uma vez as lágrimas descem o fazendo se sentir um lixo

_Ta tudo bem - ela as seca novamente mas dessa vez o beija - Se quiser eu paro de usar.

_Não,de jeito nenhum querida - ele a encara - Eu tenho que aprender a conviver com isso,já é passado - novamente ele tem aquele olhar perdido.

Ela sabe como ele se sente. Já passou por isso,perder a pessoa que mais ama no mundo.

Queria guarda-lo em seu coração, protegê-lo, aparentava estar tão frágil.


Ressler


Você é tão importante pra mim querida,não faz ideia do quanto me faz bem.


Ele a olhava profundamente dividido entre se perder no azul de seus belos olhos ou se ajoelhar e implorar para ela não deixá-lo jamais. Porém optou pela primeira.

Tinha que parecer durão, não poderia deixar transparecer que estava quebrado por dentro,sozinho e com medo como uma criança em uma noite de trovões encolhido embaixo da cama esperando que alguém o salvasse.

Ficaram se olhando, sabiam que partilhavam da mesma dor. A perda. Um precisava do outro,como Romeu precisava de Julieta.

Ele pegou uma mecha de seus cabelos prateados e pôs atrás da orelha,ela sorriu e segurou sua mão junto ao rosto ainda molhado pelas lagrimas que havia caído quando partilhavam da dor.

_Eu te amo - ela sussurra - Para sempre. Vamos formar uma familia linda e você será muito amado.

Ouvir isso foi como um soco no coração,quanto tempo ele esperara para ouvir essa frase de alguém?

Novamente as lagrimas desceram,mas dessa vez foi de felicidade.

_Eu também te amo querida - Ele a puxa pra um abraço beijando sua testa - Você é tudo o que tenho. E tudo o que quero pra sempre. Prometo te amar a cada segundo da minha vida.


Maya


Por favor não vá embora,não posso passar por isso de novo.

Ela pensava enquanto o abraçava

_Amor tem que tomar seu remédio,já está na hora - Ela se afasta

_Não precisa - ele fala nervoso lembrando do passado - Não estou com dor.

_Tem certeza? - ela o estuda de baixo a cima

_Sim querida,estou bem - da um passo atrás tomando cuidado para não fazer uma careta - Viu?

Antes que pudesse responder Maya fica tonta e cambaleia procurando apoio

_Maya - Ressler a pega no colo - Querida responde.

_To bem,é a pressão - sorri fraco procurando os olhos de Ressler

_Você não parece bem,está palida - ele a coloca sentada na cama - Vou chamar um médico.

_Eu sou médica amor - ela ri da cara de bobo dele - Eu to bem,juro.

Ele a inspeciona julgando se está realmente bem ou não.

_Tá, mas fica ai sentada - Sorri enquanto se junta a ela na cama.

Já faz algum tempo que fico tonta sem motivos.

Perdida em pensamentos só se da conta de que está acompanhada quando Ressler delicadamente bate em seu rosto.

_Querida,estão chamando seu nome - Ele fala quando ela volta a si.

Doutora Wills por favor compareça à sala de emergência...


Uma voz anuncia nos alto falantes espalhados pelo hospital

_Eu tenho que ir amor - dá um beijo rápido e foge porta a fora antes que ele a proibisse de sair naquele estado.


Ressler


Só falta agora ela estar com alguma doença incurável pra completar a desgraça.

Se levanta e vai ate a janela e observa as crianças correndo no parque ao lado do hospital

Será que algum dia terei a sorte de ser pai?

Mais uma vez lembra do teste de gravidez de Audrey,fecha os olhos em busca de lembranças dela tentando ao máximo estender o tempo perdido que não passou com ela.

Encosta a cabeça no vidro. Os planos de terem filhos,passar o natal com a familia dele junto com a dela na casa do lago.

Ah,a casa do lago...

Se eu tivesse chegado a tempo lá, ela ainda estaria viva. E talvez com filhos... Uma familia,tudo o que mais quero. Chegar em casa e receber um beijo da minha esposa e muitos abraços das crianças.

_Chega! Audrey é passado. Eu a amei mas agora amo a Maya,agora tenho que ter planos com ela.

Ele sai da janela e procura suas roupas,vê a mochila em cima da poltrona. Pega elas e troca ali mesmo.

Ainda colocando a camisa ouve batidas à porta.

_Agente Ressler? - um homem de terno entra no quarto - Sou o detetive Amaro e essa é sargento Benson. Nós vamos interrogá-lo sobre a morte de Hitchin.

_Claro - Ressler  sabe que ali é o fim da sua carreira. Nem chegaria a ser um diretor... Mas teria Maya.


"O amor não começa na palavra,começa no olhar. 

Palavras são passageiras,olhares duram a vida inteira"

                      

                              -Desconhecido


Notas Finais


Bom,espero que gostem.
Talvez o próximo ainda sai semana que vem.

Bjs 😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...