História Say Yes - Capítulo 18


Escrita por: ~ e ~hiver

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Chanbaek, Hunhan, Kaisoo, Sulay, Texting
Exibições 301
Palavras 1.351
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 18 - 18 - narração


— Kyungsoo!  — Exclamou quando o baixinho se jogou em sua cama no mesmo momento em que disse que estava indo embora. Ora, ele iria embora ou iria ficar parecendo um morto em sua cama? Chanyeol tinha coisas para fazer, como esperar Baekhyun. — Sai da minha cama seu maldito mal amado.

— Mal amado é você vara de cutucar estrela. — Resmungou o menor ainda na cama. — Qual o motivo de tanta afobação? Não é como se o Baek nunca tivesse vindo aqui.

— É que... — Coçou a nunca em nervosismo. Não queria contar para o Kyungsoo o motivo, mesmo esse já sabendo o motivo era bem complexo admitir em voz alta. — é diferente dessa vez.

— Puta merda, você vai perder o bv? — Kyungsoo sentou na cama em um pulo. — Finalmente meu pai amado!

— Pai amado? — Chanyeol sabia que o fato dele ser um satanás, mas até onde sabia o menor estava longe de ser religioso.

— Cale a boca moleque. — Kyungsoo sorriu ficando em pé na cama chamando Chanyeol mais para perto. O maior deus alguns passo receosos, mas se sentiu aliviado quando o mais novo apenas colocou as mãos em seus ombros. — Tão orgulhoso de você. Nem vai precisar mais bater uma assistindo hentai.

— Você é um péssimo amigo. — Comentou baixinho.

— Se você perder o cabaço também, por favor, me avise — Kyungsoo desceu da cama com um grande sorriso. — Irei fazer uma festa para comemorar.

— Estou com vontade de matar você agora.

— Estou com vontade de bater na sua cara todos os dias, mas não é por isso que realizo tal ato. — Kyungsoo desceu as escadas em pequenos pulinhos sendo seguido pelo Park.

— Como Jongin gosta de você mesmo? — Perguntou para o menor que o olhou com os olhos grandes e de aparência inocente. Só aparência.

— Cuido dele e gosto dele. — Kyungsoo deu um sorriso malicioso. — E tem outros fatores também.

— Poupe-me dos detalhes, quero prevalecer minha mente pura. — Chanyeol fez uma careta e o mais novo abriu a porta para sair.

— Você puro é um ótimo pervertido. — Kyungsoo se virou para sair e deu de cara com Baekhyun. — Chegou cedo. — Comentou para o outro. — Espero que consiga andar amanhã.

— Não sou como você Kyung. — Baek deu um sorriso doce. — Todos os dias você mal consegue sentar e reclama de dor durante as aulas.

O mais novo deu de ombros e saiu acenando.

— Vocês dois deveriam fazer uma competição de quem expele mais veneno. — Chanyeol comentou puxando o menor para dentro e fechando a porta.

— Onde está sua irmã? — Perguntou o mais velho enquanto andava pela casa a procura da Park.

— Você veio aqui ver a Yoora ou eu? — Chanyeol se sentiu um pouco ofendido.

— Não se preocupe amor, tem Baek para todos. — Sorriu travesso antes de gritar. — Park Yoora!

— Não acredito que ira dar atenção logo para a pessoa que me espancou hoje. — Chanyeol se jogou no sofá.

— Você está muito carente. — Baek fez uma careta e escutou passos na escada.

— E eu não te espanquei Chan. — Ouviu a voz da irmã. — Baek!

— Ainda dói. — Murmurou.

— Você é dramático demais para um poste. — Falou Baekhyun.

— Cale a boca gnomo de jardim. — Resmungou o maior.

— Como você gosta dele? — Perguntou Yoora olhando para o irmão no sofá.

— Nós temos a tendência de fazer umas merda na vida. — Comentou simples e deu de ombros.

— To sobrando aqui e sendo atacado ainda. — Chanyeol se levantou e começou a subir as escadas e não demorou para o menor o seguir.

— Chan? — Chamou o mais velho e foi ignorado quando o maior entrou no quarto sem olhar em seu rosto. — Não me ignore orelhudo da... — O menor perdeu a fala totalmente ao entrar no quarto.

Park Chanyeol sem camisa, sentado todo largado na cadeira da escravinha com a cabeça jogada para trás. Por Deus, ele queria apenas sentar no colo do outro e fazer tudo o que tinha em mente durante todo o tempo em que gostava do maior.

— Se quer me matar você fala seu coreano desgraçado! — Exclamou o menor.

— O que? — O maior levantou a cabeça confuso. — Você está bem?

O menor revirou os olhos. Ele tinha ido ali por um motivo e se não fosse o inconveniente na chegada — Kyungsoo — e a vontade de ver a irmã do maior ele já teria feito tudo o que tinha para ser feito e talvez até mais.

Caminhou meio irritado e meio ansioso e sentou no colo do maior com as pernas em cada lado do mesmo.

— O-o q-que...? — Chanyeol não sabia o que fazer e queria se matar. Não é como se ele fosse Bv ou até mesmo virgem como dissera Kyungsoo, mas era Baekhyun ali em seu colo.

— Chan eu vim aqui por um motivo, você sabe disso. — Baekhyun se moveu levemente no colo do Park. — E não adianta fugir, você também provocou e quer isso.

Park franziu as sobrancelhas. Baekhyun estava certo, e por Deus, o ter em seu colo o deixava com vontade de fazer muitas coisas.

Colocou as mãos na cintura do menor e o puxou enquanto se inclinava para frente e finalmente colando seus lábios no do menor. Ele estava tão ansioso que nem esperou muito para aprofundar o beijo. O menor se remexeu em seu colo e levou as mãos para a nuca de Chanyeol, puxando levemente os cabelos do mesmo.

O beijo era um tanto quanto afoito, principalmente com o menor rebolando em seu colo o fazendo ter total consciência de que logo teria uma eração no meio das pernas. Não seria problema se estivessem sozinhos, mas não estavam. Mesmo com sua irmã no andar de baixo não queria dizer que eles teriam total sossego.

Desceu os beijos para o pescoço alvo que suspirou baixinho. Se soubesse que Baekhyun beijava tão bem teria feito isso na primeira oportunidade, afinal, chances não faltaram.

O Byun desceu as mãos pelo corpo descoberto do maior sentindo os lábios do mesmo maltratar a pele de seu pescoço. Quando começou a gostar do amigo nunca pensou que necessitaria tanto dele, ainda mais agora que sabia o quanto Chanyeol podia ser maravilhoso.

Sentiu as mãos de Chanyeol ir descer mais e apertar sua bunda fazendo ambos terem um leve atrito entre seus membros semi despertos. Eles queriam tanto ter um ao outro naquele momento que nem mais se importavam com nada, nem mesmo com a possibilidade de alguém aparecer.

Chanyeol voltou a beijar o menor mais intensamente enquanto apertava cada parte do corpo do outro enquanto sentia as pequenas mãos puxarem novamente seus cabelos.

— Chanyeol! — Ouviram uma voz estridente chamar no corredor e pararam os beijos, mas se mantiveram na mesma posição. — O que eu disse sobre a louça ser sua hoje?

— Não acredito que você falou para eu vir até aqui e nem mesmo lavou a louça primeiro. — Baek falou divertido ainda no colo do mais novo.

— Não me julgue. — Chanyeol sorriu e Baekhyun teve a certeza que era aquele sorriso mais lindo que já vira em sua vida. — Estava ansioso.

— Ainda se paga de hétero. — Comentou o menor rindo em seguida da cara do Park.

— Você é terrível.

— Sou — Baek sorriu e se aproximou do ouvido do maior. — Ainda mais em outros momentos. — Moveu o quadril levemente ganhando um gemido abafado do maior.

— Se minha mãe não me matasse agora eu poderia fazer muitas coisas com você Byun. — Sorriu apertando a cintura do mais velho.

— Talvez outro dia. — O menor saiu do colo do outro e sorriu. — Acho que irei conversar com sua irmã agora sabe.

Chanyeol arregalou os olhos.

— Você nem ouse!

O menor saiu do quarto ainda sorrindo e Chanyeol o seguiu.

— Só mais uma coisa. — O menor deu alguns pulinhos e o maior nem fez questão de abaixar apenas para provocar o outro. — Colabora comigo seu bocó. — Chutou a perna do Park que abaixou olhando para a perna dolorida e logo após sentiu as mãos do menor em seu rosto o erguendo para poder encara-lo . — Feliz aniversário adiantado. — E o beijou novamente.

Baekhyun poderia passar o resto da sua vida beijando Chanyeol se não fosse mãe do maior o chamando e Yoora dando uns gritinhos próximo dos dois observando a cena.


Notas Finais


como o cap são uns dias antes do aniversário do Chan o Baek disse "Feliz aniversário adiantado."

FELIZ ANIVERSÁRIO PRO MEU BOLINHO DE AMOR PARK CHANYEOL AAAAAAAAAAAAAAAAAAAA AMO TANTO EU VO MORRE PUTA MERDA CHANYEOL É TÃO LINDO MARAVILHOSO EU QUERO ME JOGAR NO CHÃO AMORZINHO DA MINHA VIDA

desculpa eu sou muito chanyeol biased sim


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...