História Say You Love Me (camren) - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren, Camren G!p, Lauren G!p, Norminah, Trolly
Exibições 499
Palavras 847
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei ...

Capítulo 5 - Capitulo 5


POV LAUREN

Domingo tudo ocorreu perfeitamente bem. Acordamos e tomamos café em meio a risadas, depois levei a pequena no parque e lá ela brincou até cansar... horas mais tarde levei ela pra casa e infelizmente quem nos atendeu foi o meu papai. Mas logo tratei de sair de lá. 

Segunda-feira passou rápida pois eu estava atolada de relatórios e uma visita ao juiz pra tentar recorrer a uma decisão de custodia, ainda bem que deu tudo certo.

Terça-feira liguei pra minha mãe se encontrar comigo pra podermos almoçar juntas, ela se abriu comigo sobre a situação e me pediu pra tomar conta da Taylor no sábado, pois ela teria uma conversa definitiva com Michael. Claro que para mim não seria nenhum incomodo cuidar da Tay. 

Quarta-feira cheguei pra trabalhar as dez da manhã, só iria ter um cliente à minha espera... depois saímos eu, Ally e Vero pra almoçar. Colocamos o papo em dia, contei a elas sobre meu pai e ambas literalmente ficaram de boca aberta. Vero contou que desde o dia do Pub estava conhecendo uma moça e que na hora certa apresentaria para nós. Ally contou sobre a noitada de sábado com o grupo de amigos, se me recordo os nomes eram Dinah, Shawn e Camila...ela mencionou que a menina, Camila, fazia algumas apresentações e na hora não teve como não me lembrar da dançarina... queria tanto vê- la só uma vez....  

O restante da semana passou tranquila, e já era sexta-feira... hoje combinamos de sair depois do expediente nada exagerado, apenas um barzinho pra socializar... como sempre iriamos no encontrar lá. Durante a parte da tarde eu me reuni com minha secretaria, Alexa, pra mudarmos alguns compromissos da próxima semana. Como eu iria viajar para Seattle remarquei algumas reuniões com o corpo de advogados, essas reuniões acontecem duas vezes por mês.  Enquanto a gente conversava não pude deixar de reparar o quanto Alexa é linda e simpática e por sinal muito bem casada, já que a mesma deixa bem estampado pra todos verem sua aliança, e mesmo se ela não fosse casada jamais rolaria alguma coisa entre a gente. 

(...)

Por volta das dez horas chegamos no Meedy, um barzinho bem renomado. De cara encontrei com Vero, seguimos juntas a procura de uma mesa e ficamos à espera da Ally.

-Essa noite eu vou ficar louca mas, sem mulher envolvida. – dizia Vero virando mais um copo de tequila.

-Você sempre diz isso, mas ai aparece alguma mulher e você se “encanta”.

-Jauregui, a culpa não é minha se você não pega ninguém. Toda essa sua beleza e o seu brinquedo você usa pra que? – revirei os olhos.

-Uso pra coisas que me interessam cara Veronica. Eu não precisa arrumar alguém pra bagunçar minha vida e querer mandar nas minhas escolhas. – falei um pouco alterada, esse assunto enche o saco.

-Eu acho que tudo isso não passa de medo. Você tem medo de se apaixonar e tudo mais. – eu não estou acreditando que sai de casa pra ouvir isso. 

-Veronica, eu acho melhor a gente parar com esse assunto. – falei num tom sério. –Não estou afim de discutir, viemos pra curtir a noite. Só isso. – aproveitei o calor do momento e virei um copo de tequila. 

-É disso que eu to falando Jauregui, vira... vira – ela caiu na gargalhada e foi pegar mais bebidas.

Enquanto ela não voltava fiquei esperando a Ally que acabara de me ligar informando que já estava em frente ao Meedy. Resolvi ir ao banheiro pois bebi liquido e já começou a me incomodar. 

Assim que sai da cabine e ouvi a música que tocava do lado de fora tive um choque de realidade. Um arrepio tomou conta do meu corpo, a música que invadia todo o ambiente me trouxeram lembranças daquela mulher cujo nome eu desconheço. Tentei ao máximo me manter concentrada no espelho vendo meu próprio reflexo. 

Irritada com todo esse sentimento bati com o punho fechado no mármore e sai do banheiro. Alcancei a mesa onde eu estava a minutos atrás e esperei por Veronica, que não demorou muito pra retornar com mais bebidas.

-Vero eu vou precisar sair, é uma emergência. Minha mãe precisa de mim agora, e você sabe como ela está. – sim, menti. Em hipótese alguma podia lhe contar onde eu estava indo, porque nem eu sabia.

Vero largou as bebidas sobre a mesa, vem de sobressalto ao meu encontro e me pergunta se eu queria que ela me acompanhasse, neguei rapidamente alegando que não queria estragar a noite. E além do mais a Ally já estava chegando. 

Em seguida, sai em passos rápidos e alcancei meu carro. Sentei e respirei fundo... dei partida. E segui meu caminho. Não conseguia parar de pensar na dançarina um minuto se quer. 

Estacionei o carro, olhei as luzes chamativas do outro lado da rua, a placa indicando o nome em letras maiúsculas SNEAKY e uma enorme fila. 

Atravessei a rua disposta a cumprir com meu único objetivo. Descobrir de uma vez por todas quem é aquela mulher. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...