História Say You Won't Let Go - Capítulo 12


Escrita por: ~

Visualizações 125
Palavras 1.128
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi amores!🙋 Sei o que devem estar pensando: "Como assim tem atualização no meio da semana?". Sim ,tem atualização hoje pois minha vida anda muito corrida e eu não sei se vou conseguir postar de novo na sexta-feira...😢 Rezem para que sim!🙏
Espero que gostem!❤
Beijos❤😘

Capítulo 12 - Go, Maddie Go!


Fevereiro de 2018

Valdebebas Training Centre

Madrid, Espanha

 

-Boa sorte querida.- Bea beijou a bochecha rosada da filha. Hoje era dia de o CT do Real receber centenas de crianças que fariam os testes para entrar para a académica do clube. E claro, que Maddie ao saber de tal, quis se inscrever. Bea e seus pais não viram porquê não inscrever a menina, e lá estavam eles. Seus pais fizeram questão de estar presentes na ocasião, envergando até uma camiseta com o nome da neta, idêntica à que Bea também vestia. Os jogadores também se encontravam na arquibancada, bem como suas famílias. Alguns dos filhos deles até iam realizar os testes, como era o caso de Enzo, Júnior e Leon. 

-Arrase com esses garotos, minha filha!- Jorge disse para a neta que riu e balançou a cabeça em confirmação.

-Estaremos lá na bancada torcendo por você.- Bianca disse sorrindo. Bea sabia que estava sendo difícil para a mãe estar ali hoje. Bianca sempre foi contra manter o futebol na vida da neta, ainda por cima hoje teria que reencontrar Marco, o que não seria nada fácil. Sua mãe adorava Marco, e em quatro anos de relacionamento com o alemão ela sentia que seus pais começavam a trata-lo quase como filho de cada vez que iam até Portugal. Não sabia como seus pais reagiriam à presenças do alemão bas bancadas, mas esperava que a reação não fosse tão má quanto a que ela insitia em pintar na sua cabeça. Bea havia meio que perdoado Marco. Não por completo. Longe disso! Mas havia aprendido a conviver serenamente com o que aconteceu entre eles. O que era um ótimo começo. Até porque ela não sabia por quanto tempo mais eles iriam conseguir manter-se afastados. Se dantes já era evidente para todo o mundo que havia sentimentos entre eles, depois da viagem a Londres foi como se tivessem colado um post-it em suas testas dizendo que eles gostavam um do outro. Ainda levaria algum tempo até Bea conseguir perdoar e conseguir desvincular-se do que aconteveu, mas ela estava disposta a dar tempo ao tempo. 

 

Bea caminhou com seus pais até à arquibancada onde os jogadores estavam. Como ela era funcionária do clube, tinha direito a se sentar com eles, bem como seus pais. Ao chegar viu que Fizzy havia guardado lugares para eles, e deu graças a Deus por isso. Marco engasgou na cerveja que tomava ao ver meus pais atrás de mim. O olhar arrependido e envergonhado era notável na face do alemão. Bea chegou até a sentir pena dele ao notar os olhares quase mortais que seus pais lhe lançavam. Ah, se o olhar matasse! 

-Bea! - Marcelo praticamente gritou se jogando nos braços da fisioterapeuta.- O que está fazendo aqui? - perguntou o brasileiro,curioso. Bea já estava acostumada ao jeito brasileiro dele. E não podia negar que até adorava.

-Minha filha veio fazer os testes.- disse orgulhosa de sua pequena e viu os meninos arregalarem os olhos. 

-Maddie veio jogar? - o brasileiro sorriu.- Ui, acho que os nossos moleques estão sem hipóteses.- disse rindo a Kroos e a Cristiano.

-Maddie é boa jogadora? - Marco perguntou sobre o olhar atento de Bea. Marco a encarava curioso e Bea não podia mais esconder o nervosismo que sentia. Toda aquela situação estava descontrolado seu sistema nervoso. Maddie, seus pais, Marco. Estava quase tendo um treco!

-Boa? É ótima! - Cristiano disse sorrindo.- Dá um baile a qualquer garoto da idade dela! - Cristiano comentou e Bea não evitou o sorriso em seu rosto.

-Está em seu sangue.- a mãe de Bea disse, olhando Marco nos olhos. O alemão franziu a testa, claramente confuso com o comentário de D. Bianca. Ela sabia que ia sair besteira! 

Felizmente, o resto das pessoas já estava distraída, olhando as crianças entrarem no gramado. Marco estava pronto para abrir a boca e soltar alguma pergunta para a qual D. Bianca, teria com toda a certeza, uma resposta nada agradável para lhe dar. No entanto, o locutor do estádio começou a falar e todos voltamos a nossa atenção para os pequenos seres que corriam com as bolas no gramado. Bea olhava Maddie correr e não continha mais o sorriso em seu rosto. A pequena sorria e gargalhava enquanto chutava a pequena bola em seus pés. Até se aventurou com alguns truques, bem perto de onde eles estavam sentados, que mereceram uma série de aplausos e de gritos por parte do público. Jorge tirava milhares de fotos da neta e não cansava de gritar seu nome descontroladamente, pedindo até tchauzinho à pequena, que apenas ria com a loucura do avô. Já Bianca apenas observava atentamente a neta, batendo algumas palmas e sorrindo quando ela conseguia acertar no gol ou algum dibre. 

Na hora do jogo, foram feitos dois times. Maddie, Enzo, Júnior e Leon acabaram ficando juntos e fazendo estragos. Quando os testes terminaram todos quiseram parabenizar Bea pela performance de sua garotinha.

 

-Parabéns Bea, ela foi excelente. Com certeza terá um lugar na academia.- Marco esboçou um sorriso, mas mesmo assim Bea conseguia ler a confusão em seu olhar. 

-Obrigada Marco.- a fisioterapeuta sorriu também, para depois observar o alemão se afastar de si. A portuguesa olhou em volta e viu seus pais falando alegremente com Maddie, que gesticulava bastante. Oh, não! Sua mãe a olhou e Bea soube imediatamente o porquê daquele olhar confuso de Marco. Com toda a agitação dos testes havia esquecido daquela frase infeliz dita por sua própria mãe. Ele tevia estar pensando naquilo, e provavelmente nem viu muito do que aconteceu no gramado. "Bea, você está oficialmente ferrada!" 

 

 

Marco repassava as palavras de D. Bianca pela milésima vez em sua cabeça. "Está em seu sangue.". Como assim o futebol está no sangue de Maddie? E porque ela disse aquilo diretamente para mim? 

Marco estava farto de revirar a cabeça em busca de repostas. Não queria mais saber das desculpas que Bea inventava. Quando o assunto era Maddie ela arranjava sempre forma de fugir ou de contornar o assunto. Mas isso não ia acontecer hoje. Não mesmo!

Pegou em seu casaco, nas chaves do carro e foi até ao apartamento dela, apesar de já ser tarde.

 Não ia enraivecido, ia confuso e a necessitar de explicações. 

A cara de Bea, ao abrir a porta, era tão confusa quanto a dele. A morena vestia uma calça legging e um moletom enorme, mas nem assim ela ficava menos atraente para Marco.

-Marco? - a fisioterapeuta não escondeu a surpresa em sua voz.- O que faz aqui a essa hora? É melhor voltar amanhã. Maddie está dormindo e eu tam...

-Não. - ele a interrompeu.- Eu quero respostas Bea. Quando o assunto é Maddie você só me confude. Estou farto. Quero respostas, e quero agora! 


Notas Finais


Ui, Marcinho quer respostas... Mas será que Bea está disposta a dar-lhas?😆😉 Digam a vossa opinião! 👇👇👇
Até ao próximo!🔜🔜
Beijos❤😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...