História Scandalous - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Comedia, Criminal, Escolar, Hoseok, J-hope, Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Kookmin, Namjin, Policial, Rap Monster, Seokjin, Suga, Taehyung, Vhope, Yoongi
Visualizações 48
Palavras 2.219
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Escolar, Festa, Lemon, Policial, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


GENTE RESPOSTANDO O CAP
ONTEM EU POSTEI MT TARDE, EU DEVIA TER ME SEGURADO
MAS TA AQUI O RESPOT
<33

ME DIGAM OQ ACHARAM, SIM?? <33
QUE COMECEM AS TRETAS RSRSRS

Boa leitura meus amores
'im out <3

Capítulo 2 - Seul High School


Fanfic / Fanfiction Scandalous - Capítulo 2 - Seul High School

 

– Isso vai ser divertido. – Disse Seokjin, rindo debochadamente. Os outros três bocejaram, já entediados.

 

Jimin acenou, mesmo que contra sua vontade, para seu primo, que estava o esperando no portão. Taehyung se aproximou, com seu sorriso radiante e seus cabelos loiros se mexendo devido ao vento leve que batia.

 

– Finalmente, o que estava fazendo? – Perguntou o loiro, olhando rapidamente para os quatro atrás de Jimin. “Devem ser os criminosos”, pensou.

 

– Rezando para que você não estivesse aqui. – Revirou os olhos. Taehyung deu uma risada alta, chamando atenção dos alunos que passavam.

 

– Para com isso! Você me ama. – Deu um beijo na bochecha do mais velho, que se afastou e limpou-a com a manga. – Nós temos aula de matemática, agora.

 

– E quanto a nós? – Perguntou Hoseok. Taehyung os olhou, analisando-os um por um. De todos, achou Hoseok o mais bonito

 

– Meu pai disse que vocês estarão na classe B e... – Jimin arregalou os olhos. – Taehyung, nós somos da classe A.

 

 – Sim. – Disse, desinteressado. Bocejou e cumprimentou uns amigos que chegavam. O garoto de cabelos acinzentados  puxou o primo brutalmente pelo braço, fazendo-o olhar para si.

 

– Nossa missão era vigiá-los. – Sussurrou, irritado. Taehyung continuou com a mesma expressão entediada. – Como vamos ficar de olho neles sendo que somos de classes diferentes?!

 

– Relaxa, esquentadinho. – Deu uma piscadela. – Você está com o celular que mostra onde eles estão, devido ao chip. Se você ver que eles estão fora do colégio e em algum lugar suspeito, eletrocute-os.

 

 – Ei! – Gritou Seokjin. – Nós estamos bem aqui, tá?

 

 Foi ignorado pelos dois. O sinal que dava inicio as aulas tocou, e Jimin voltou para perto dos quatro, com uma expressão nada boa.

 

 – É o seguinte, eu vou deixar vocês na classe B, mas eu ficarei de olho no celular, ouviu bem? Se eu ver que vocês saíram deste colégio, eu não vou hesitar em eletrocutar TODOS vocês, eu fui claro? – Deu ordem. Os quatro se encolheram, assentindo. Tinham pensado em revidar com uma cantada, principalmente Seokjin, mas viram que Jimin estava muito irritado.

 

 E já ouviram falar que aquele garoto dava medo tanto em criminosos quanto nos outros policiais.

 

 O garoto adentrou o colégio, junto com seu primo. Namjoon cogitou em sair correndo dali, mas as palavras de Jimin ecoavam em sua mente e sabia que o menino não estava pra brincadeiras. Suspirou, meio cansado.

 

 – Quatro melhores amigos indo juntos para a escola, o sonho de cada um. – Disse Namjoon, sorrindo de canto. Os quatro andavam devagar até o prédio escolar.

 

 – Não somos amigos. – Disse Jungkook, revirando os olhos. – Vocês são só três babacas que eu fui forçado a trabalhar junto, mais nada.

 

 – Mas você faz parte desse grupinho de babacas, Kookie. – Hoseok disse, dando uma piscadela para o garoto. Jungkook respirou fundo, se controlando para não esganar o ruivo ali mesmo. Odiou aquele apelido.

 

 – E por quê vocês foram parar na cadeia? – Perguntou Namjoon, de repente. Os quatro pararam no meio do gramado.

 

 – Isso não é um assunto muito adequado para se conversar em uma escola, e aliás, o sinal já não tocou? – Disse Seokjin, olhando as unhas. Namjoon riu.

 

 – Matar aula é o que muitas pessoas fazem, e se nunca fizeram, um dia vão fazer. – Cruzou os braços. Os três o olharam com uma sobrancelha erguida, mas logo voltaram com suas expressões neutras. – Sou Kim Namjoon, mais conhecido como Rap Monster, líder da maior gangue da Coréia, com certeza vocês já ouviram falar de mim. – Sorriu, convencido.

 

 – Não. – Respondeu Seokjin, bocejando. Namjoon fechou a cara, fazendo Hoseok rir baixinho. – Kim Seokjin, próximo líder da maior máfia da Ásia e a segunda maior do mundo. – Piscou, agora convencido.

 

 –  Jung Hoseok, tráfico de drogas. – Disse Hoseok, desinteressado.

 

 –  Jeon Jungkook, assassino de aluguel, contratado pelo líder de uma gangue. – Respondeu Jungkook. Namjoon franziu o cenho, um pouco desconfiado.

 

 – Meu pai quando era líder da minha gangue havia contratado um assassino de aluguel. – Ficou pensativo, mas depois deu de ombros. – Coincidência, cara.

 

 – Que bom que não tem ninguém aqui. – Disse uma quinta voz. Os quatro olharam para a porta do prédio e viram Taehyung escorado na parede, com um sorrisinho. – Vocês são realmente ocupados, hein? – Debochou, se aproximando. – É melhor irem para a classe de vocês, eu estava com o celular e vi que vocês não estavam dentro da sala de aula, então vim aqui avisar vocês antes que Jimin veja isso e eletrocute todo mundo.

 

 – Awn, você está preocupado com a gente? – Disse Hoseok, como se estivesse falando com um bebê. Taehyung bufou.

 

 – Não me faça se arrepender de ter vindo avisá-los. – Se afastou. – AGORA ANDA!

 

 Assim que Taehyung berrou, os quatro correram para dentro do prédio. O loiro os guiou até suas respectivas salas e bateu na porta. A professora de biologia, que estava dando aula naquele momento, a abriu e ficou parada encarando.

 

 – Bom dia, professora Lee. – Disse Taehyung, bem humorado. – Eles estavam perdidos e eu os guiei até aqui, são alunos novos.

 

 – Ah, sim. – Ela sorriu levemente, dando espaço. Taehyung se despediu e saiu em disparada para sua classe, deixando os quatro para trás sem saber o que fazer. – Entrem, e se apresentem para sua turma.

 

 Seokjin empurrou Jungkook para frente, fazendo ele ser o primeiro. O mesmo lhe lançou um olhar mortal, mas Seokjin pouco se importou. Jungkook riu, nervoso, e abaixou a cabeça.

 

 – Oi, sou Jeon Jungkook e...vim de uma escola pública. – Mordeu os lábios. A mulher deu uma risadinha baixa.

 

 – Qual escola? – Perguntou, e Jungkook congelou. “Merda”, pensou. Não tinha planejado nenhuma desculpa, pois tinha falado aquilo por impulso.

 

 – Ele não sabe o nome da própria escola. – Disse Seokjin, cruzando os braços. Jungkook o olhou, meio assustado. – Ele não estudava nem um pouco, e quase não ia pro colégio, e não prestava atenção em nada, então é obvio que ele não vai se lembrar de qual escola veio. – Bocejou. Jungkook mordeu o lábio inferior e voltou seus olhos pra professora, que tinha um sorriso divertido.

 

 – Muito bem. – Disse. – Sente-se naquele canto ali, Jungkook. – Apontou para a segunda cadeira da fileira do canto esquerdo. O garoto sentou-se no lugar que fora lhe mandado. – E você? – Olhou para Seokjin.

 

 – Sou Kim Seokjin, e já estudei aqui quando tinha seis anos de idade, sabe? No primeiro aninho. – Sorriu de canto, mentindo descaradamente. Hoseok cobriu a boca e fingiu tossir, mas estava querendo explodir em gargalhadas. Namjoon sorriu levemente.

 

 – Eu sou a professora de artes do primeiro ano do fundamental até hoje. – Cruzou os braços. – Não me lembro de você. – Seokjin riu.

 

 – Eu era muito pequeno, senhora Lee.

 

 – Mas eu me lembro de todos os alunos que tive e tenho, como eu não lembro de você? – Franziu o cenho. Ao lado de Seokjin, Hoseok engoliu em seco, já este, parecia muito calmo.

 

 – Eu era muito isolado das outras crianças, senhora. Você também quase nunca me via, eu faltava bastante e também nunca falava. É normal não se lembrar de mim, mas não se preocupe, eu voltei. – Piscou. A mulher pareceu um pouco perdida, mas assentiu, se desculpando pelos ocorridos e mandando-o para um lugar.

 

 Logo, Hoseok e Namjoon se apresentaram como primos, a professora acatando a desculpa que foram estudar nos Estados Unidos por muito tempo e inventando o nome de uma escola. Quando terminaram as apresentações, eles tiveram a manhã mais entediante de todas as suas vidas.

 

 – Até ficar sem fazer nada na cadeia era melhor que isso. – Sussurrou Hoseok para si mesmo, enquanto tentava fazer a pequena atividade de biologia que a professora tinha passado naquela hora.

 

XXxXx

 

Correu para o banheiro, tirando seu celular “normal” e discando um número e colocando o aparelho no ouvido, impaciente.

 

 “Oi, filho.” Disse Yoongi, do outro lado da linha. “Como estão as coisas ai?”

 

 

“Até agora, tudo bem.” Suspirou. “Eles não tentaram nada.”

 

 “Não são nem loucos de tentarem alguma coisa.” Yoongi riu. “Como é o primeiro dia deles, tenho certeza que não têm novidades. Mande-os ficarem de olho em todos os alunos desta escola, certo? Pode ser qualquer um.”

 

 “Entendido, pai.” Jimin falou, logo encerraram a ligação.

 

 Como era hora do intervalo, não precisou voltar para sua classe. Viu Taehyung mexendo em seu celular, com os quatro criminosos do seu lado, parecendo meio perdidos. Jimin se aproximou, expressão neutra.

 

 – Vocês sabem que estão aqui para uma missão, certo? – Assentiram. – Pois bem, fiquem de olho em todo mundo. Vocês suspeitam de alguém da sala de vocês?

 

 – Só uma menina louca que ficou se atirando no Jungkook o tempo todo. – Disse Seokjin. Jimin revirou os olhos, impaciente. – De resto, todos parecem adolescentes babões.

 

 – Eu suspeito de você, Park Jimin. – Disse Namjoon, sorrindo sacana. – Porque você me mata aos poucos com essa beleza inumana.

 

 Qualquer garota ou garoto ficariam com vergonha ou corados, mas Jimin pegou o aparelho e apertou o botão do lado onde estava escrito o nome de Namjoon, e o eletrocutou. O mesmo grunhiu de dor e sentou-se no chão, se recuperando. Jungkook riu, mas não disse nada.

 

 O garoto se afastou, e foi seguido pelo primo. O loiro passou os braços por cima dos ombros de Jimin, que soltou um suspiro.

 

 – Não se preocupe, priminho. Eles vão se sair bem, e se foderem com tudo, se verão com a gente e com seu pai. – Fez um carinho rápido no ombro dele.

 

 – Duvido. – Foi meio seco.

 

 – Meu pau no seu ouvido. – Respondeu. Jimin o olhou, irritado. Taehyung soltou uma risada alta e o abraçou de lado. – Tava tentando te animar, você está muito bravinho pro meu gosto.

 

 – É só essa situação toda que me irrita, porém me deixa mais preocupado do que irritado. Sem contar que estamos em salas diferentes, como podemos vigiá-los nesse meio tempo? Eles podem tramar alguma coisa, Tae. – Parou de andar e se encostou numa parede, passando as mãos pelo rosto.

 

 – Mas eles estão se comportando tão bem, bom, naquelas. – Revirou os olhos. – Não devem tentar nada.

 

– Eles são espertos, Taehyung. Eles não são aqueles adolescentes bagunceiros das salas de aula, eles não são os descolados de colegial, eles são criminosos super perigosos, podem estar preparados para tudo. – Bufou.

 

 Taehyung ficou sem ter o que falar, então abaixou a cabeça e deu dois tapinhas no braço do primo, tentando consolá-lo.

 

XXxX

 

– Eu não quero saber de nada! – Gritou Seokjin, assim que chegaram no dormitório. – Eu vou dormir!

 

 Saiu correndo para o quarto e fechou a porta, louco para dormir e esquecer-se do mundo. Na sala, Hoseok se jogou no sofá e ligou a televisão, Namjoon deitou-se no outro sofá e fechou os olhos, tentando adormecer. Jungkook estava na cozinha, comendo alguma coisa, e Jimin estava parado ali no meio da sala, observando tudo.

 

 – Eu vou ter um encontro rápido com o meu pai na minha casa, e depois eu volto aqui. – Avisou. Olhou para Jungkook, seco. – Se vocês tentarem fugir daqui, ou qualquer coisa....

 

 – Já sei, você vai nos eletrocutar. – Revirou os olhos, Jimin ficou em silêncio. – Não se preocupe, eu posso segurá-los aqui...acho.

 

 O garoto não disse mais nada, apenas saiu do dormitório e pegou seu carro, dirigindo até sua casa, que não ficava tão longe. Estacionou em um poste e encontrou seu pai sentado nas escadas que davam acesso a entrada de seu condomínio, então se aproximou.

 

 – Ah, oi filho. – Yoongi se levantou, dando um abraço rápido em Jimin.

 

 – Eles não têm nenhum suspeito ainda. – Foi direto ao ponto. Yoongi suspirou. – Eu mandei eles ficarem de olho em todos, eles não tiveram nenhum suspeito antes e nem depois.

 

 – Parece que não estão levando essa missão a sério. – Bufou, Jimin olhou para o céu, pensativo. – O que vai fazer então, filho?

 

 – O que eu estou fazendo. – Riu. – Ameaçá-los caso não me obedeçam e mandá-los fazerem as coisas direito.

 

 – Você é realmente filho meu. – Bagunçou os cabelos acinzentados do menino. Jimin sorriu levemente. – Qualquer atualização no caso, me avise.

 

 Trocaram mais umas palavras, e Jimin deu partida no carro, indo em direção ao dormitório. Chegando lá, viu uma cena um tanto esquisita, em sua visão. Jungkook estava sentado no pequeno jardim do imóvel, de cabeça baixa. Se aproximou, desconfiado.

 

 – O que está fazendo ai? – Perguntou. Jungkook levantou-se rapidamente, tirando a grama de sua roupa.

 

 – Nada, só pensando. – Respondeu, meio seco. Jimin semi cerrou os olhos, mais desconfiado.

 

 – Por acaso não está tramando algo contra mim ou qualquer outra pessoa, está? – Elevou um pouco o tom de voz, e Jungkook se afastou, parecendo ofendido.

 

 – Quê? Não! – Jimin ficou em silêncio mais uma vez, e o garoto de cabelos castanhos suspirou. – Eu estava esperando você chegar.

 

 Jimin não negaria que seu interior congelou um pouco. Não tinha medo de Jungkook, mas estava um pouco curioso e preocupado com o que o criminoso iria lhe falar.

 

 – É algo sobre o assassino? – Jungkook negou. – E então?

 

 – Você....confia em mim? – Perguntou.

 

 Jimin levou uns segundos para processar aquelas palavras, e logo caiu na gargalhada. Riu tão alto que podia ter acordado toda a vizinhança, o que irritou Jungkook.

 

 – É claro que não. – Cruzou os braços, ainda rindo, porém abaixou o tom. – Por quê eu confiaria em você? Você é um criminoso e eu sou um policial, claro, vou confiar em você. – Sua voz pingava sarcasmo. Jungkook suspirou.

 

 – Olha, eu não estou falando isso porque quero tramar algo ou te irritar. – Estava claramente irritado, mas Jimin pouco se importou. – Eu quero outra coisa.

 

– O que é então, moleque? – Olhou as próprias unhas.

 

 

– Eu quero ver o meu irmão.

 

 


Notas Finais


COMEÇARAM AS TRETAS HA PIOFEJGPIOJFG
CAP MEIO LIGHT MAS NE <333

OBG POR LEREM AMORES
ATÉ O PROXIMO <333


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...