História Scar from the past - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Visualizações 54
Palavras 1.364
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência
Avisos: Drogas, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Não revisei o capítulo, então me desculpem pelos erros.
Como eu disse, à partir desse capítulo as coisas irão ter mais sentido e vcs vão entender mais, procurem prestar atenção ao decorrer do capítulo.
Boa leitura!

Capítulo 3 - Explanations


"Embora você não queira me machucar

      Você continua me destruindo."

                          — Mercy, Shawn Mendes.

Point Of View Louise Carter

 

Acordei às sete da noite com o barulho do celular apitando desesperadamente. Era Lexie me ligando via Facebook. 

—  Alô?! 

—  Meu Deus eu não acredito! Louise, você esta na cidade de novo! Como não me contou? — ela perguntou animada do outro lado da linha.

—  Bom... eu cheguei faz pouco tempo, tive que resolver umas coisas, foi mal.

—  Foi péssimo... Nem deve se lembrar de mim — ela disse e eu pude imaginar seu bico do outro lado da linha.

—  É claro que eu lembro sua louca, a gente saía direto. Eu senti falta disso.

—  Vamos matar a saudades! Tenho uma festa pra te levar, nada muito chique apenas alguns amigos reunidos pra comemorar um aniversário.

—  De quem? 

—  Oh meu Deus, não acredito que até o aniversário de Lucy você esqueceu.

—  Você sabe que eu nunca fui boa com datas... 

—  Que seja! Esteja pronta às sete e meia, ja ja estarei ai.

—  Ok, tchau — falei e ela finalizou a ligação.

Levantei imediatamente, eu já havia tomado banho então apenas pus uma calça jeans preta, uma blusinha preta e peguei um casaco também preto e pendurei em meus braços caso eu sentisse frio.

Ouvi barulho de buzina e desci, passei por meus pais e expliquei aonde eu iria, eles apenas ignoraram o que eu disse, afinal eu era adulta e podia fazer o que eu quisesse, até mesmo desistir do meu futuro na medicina. Meu pai está chateado comigo e eu até entendo, mas nada pior que ter a consciência pesada no trabalho para sempre.

Mesmo eu sabendo que irei me arrepender durante a minha vida toda.

—  Você sabe que eu odeio motos — choraminguei.

—  Para de drama e sobe logo aí, iremos relembrar os velhos tempos.

—  Eu te odeio — falei enquanto me pendurava na moto, logo após isso, eu agarrei sua cintura e ela riu.

Lexie havia sido uma grande amiga minha, apesar de encrenqueira, eu sabia que podia contar com ela sempre que precisasse. A gente costumava explorar a cidade toda e arranjávamos muita confusão no caminho, meus pais queriam que eu me afastasse dela na época do colegial, mas eu nunca consegui e nem tentei.

Quando chegamos à casa de Lucy, dava pra perceber que ela continuava com a mesma situação bancária. Rica e loira, eu sempre achei Lucy uma garota encantadora, não pelo seu dinheiro ou beleza externa, e sim pelo seu carisma e sua humildade.

Lexie tocou a campainha e ela abriu a porta, ela me olhou e deu um grande sorriso, abraçou Lexie que estava mais perto e depois veio até mim, me dando um longo abraço.

—  Eu não acredito que você esta de volta! — ela disse sorridente.

—  Você está ótima! — falei mudando o assunto sem ela perceber.

—  Você acha? — ela jogou os cabelos e nós rimos depois —  Justin me contou que havia voltado, se não quiser falar sobre isso, tudo bem...

—  Eu apenas não quis mais aquela vida sabe... percebi que eu não nasci para aquilo e eu com certeza viveria infeliz ali. Você e Justin continuam muito amigos pelo que da para ver...

—  Mais que amigos. Conta pra ela Lucy — Lexie falou enquanto pegava uma bebida. 

—  Estamos namorando vai tem dois anos e meio.

—  Q-que legal! — falei meio sem graça.

Parece que todos haviam seguido suas próprias vidas e eu era a única sem saber o que fazer. 

A campainha tocou revelando Justin com um buquê de flores, ele e Lucy se abraçaram e pude ler em seus lábios um "Feliz aniversário" que ele sussurrou em seu ouvido, eles se beijaram e depois pegaram a mão um do outro. Eles eram fofos mas aquilo de uma certa forma me incomodava.

Sempre fomos nós três, mas meu laço de amizade com Justin sempre foi mais forte e ela sempre ficava de fora. Eu me sentia mal por isso, mas ela não se encaixava naquela pequena relação onde só tinha paz e afeto. Apesar disso, sempre tentamos dar atenção à ela. Vivemos bons momentos.

Não dava para acreditar que eles dois estavam juntos depois do que nós três passamos juntos, parecia um tipo de traição.

—  Lucy? — Lexie balançou as mãos na frente de meu rosto.

—  Oi? — olhei pra ela desviando minha atenção do casal e ela olhou para eles.

—  Fofos né? — assenti —  Vem, vamos pegar uma bebida para você.

Caminhamos até a cozinha e Lexie misturou duas bebidas desconhecidas por mim, enquanto eu apenas peguei uma cerveja. Ela disse que iria atender o telefone e saiu para um tipo de varanda do lado de fora da cozinha, havia grama e dava para ver tudo já que a porta era de vidro. 

Fiquei bebendo quieta enquanto eu estava encostada no balcão, ouvi passos do corredor e Justin apareceu, dessa vez sozinho. Ele se surpreendeu comigo ali, talvez não tivesse me visto na entrada.

—  Não sabia que tinha vindo.

Eu o ignorei, não sabia o que dizer então apenas esperei ele terminar de pegar uma bebida qualquer para que eu pudesse continuar ali sozinha e pensativa. Mas tudo o que ele fez foi pegar a bebida e se juntar à mim.

—  Sabe Louise, acho que você me deve explicações. 

—  Você sabe o porquê de eu ter ido embora, Justin — fechei os olhos torcendo para que ele fosse embora logo.

—  Você sabe qual explicação eu quero, Louise — o olhei e ele estava com o olhar fixado em mim, esperando uma resposta.

—  Justin... — falei relutante —  Não foi a minha intenção, eu juro que quis te avisar mas você havia viajado para casa dos seus avós, lembra? Eu não tive como te avisar... você sabe que na época eu não tinha nenhum tipo de rede social e nem nada do tipo.

—  Disso eu sei. Éramos adolescentes e você não sabia nem o que significava a palavra online — ele disse e nós rimos.

—  Sabe... eu fico feliz por você e Lucy.

—  Obrigada, significa muito para mim.

—  Esta sendo irônico? — perguntei.

—  Por que eu seria? 

—  Desde quando minha opinião importa para você? Até porque começaram a namorar sem nem mesmo se importarem com a nossa amizade.

—  Você quer falar sobre para quem aquilo importava mais, mas foi a primeira a ir embora e nem sequer pensou em avisar à mim e Lucy — ele voltou ao assunto.

—  Que droga Justin eu ja te expliquei o porquê de eu ter ido embora. Eu fui fazer faculdade para ser alguém na vida, infelizmente não tenho pais ricos igual os seus para me sustentarem para sempre — soltei tudo que estava entalado em minha garganta a anos.

—  Mas mesmo assim largou tudo lá para voltar! É sempre assim, sempre quando as coisas estão muito pesadas para você, você acaba não aguentando e vai embora — ele disse em um tom alto demais.

Será que ele sabia sobre o que eu fiz?

—  O-o que você quer dizer com isso? — gaguejei.

—  Que porra esta acontecendo aqui? — Lexie entrou na cozinha —  Dá para escutar os seus gritos lá de fora Justin — ela disse um pouco alterada.

—  Nada — falei me retirando da cozinha.

Desejei mais uma vez feliz aniversário à Lucy e fui embora de sua casa antes que eu começasse a chorar na frente de todos.

Durante todo o caminho fiquei me questionando e pensando sobre tudo o que estava acontecendo.

O que Justin queria dizer com aquilo? Será que eu deveria abrir o jogo com ele logo? 

Entrei em uma drogaria e peguei algumas besteiras para eu passar a noite toda vendo filmes e chorando, eu estava muito emotiva ultimamente. 

—  Isso é um assalto, porra — levei um leve susto com o homem mascarado que havia entrado na loja.

Só havia eu, o vendedor e mais um casal, tentei me esconder entre as sessões de doces mas ele me viu porque foi justamente a primeira sessão que ele foi. 

Ele pegou um dos meus chocolates preferidos, Justin costumava compra-los sempre quando íamos para nossa casa da árvore em seu quintal. 

O homem mascarado me olhou, ao olhar seus olhos cor de mel, pude perceber sua semelhança com o próprio Justin. Ele arregalou os olhos e eu também, era ele, eu não havia reconhecido sua voz mas agora tudo fazia sentido.

—  Justin? 


Notas Finais


SE PREPAREM PRO PRÓXIMO CAPÍTULO.
Não sejam leitores fantasmas! Comentem o que estão achando pf :(

Twitter: @pnrpose


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...